Estudo de caso: Cody Garbrandt
é o próximo superastro do UFC?

João Vitor Xavier | 18/10/2017 às 13:24

O campeão peso galo Cody Garbrandt finalmente fará a primeira defesa do seu cinturão contra TJ Dillashaw no estrelado UFC 217 do dia 4 de novembro. O evento promete ser o maior do ano para o Ultimate e é uma grande chance de “No Love” finalmente estourar.

Recentemente, o presidente do UFC, Dana White, revelou que via em Garbrandt um provável novo superastro para a companhia e para o MMA em geral.

Nosso próximo grande astro? No dia 4 de novembro, no Madison Square Garden, esse garoto campeão do mundo que irá lutar, Cody “No Love”. Um cara com muito potencial de marketing. Acho que ele poderá ser nossa próxima estrela”, disse o chefão ao Dan Le Batard Show, da ESPN americana.

Acho até que o conceito de superastro pode variar. Para Dana, um superastro pode ser alguém do porte de Georges St. Pierre, um atleta que trouxe (e ganhou) muito dinheiro, mas que não chegou ao próximo nível, como Ronda Rousey e, principalmente, Conor McGregor fizeram.

Jovem campeão

Se pararmos para analisar, o fato é que o campeão tem mesmo todos os atributos para ser, no mínimo, um novo GSP em termos de popularidade.

Garbrandt vem de uma infância complicada, e tem um quê de irmãos Diaz, no jeito como lida com seus oponentes.

Do tipo que não leva desaforo para casa e anda sempre na corda bamba, no limite entre o aceitável e o reprovável com relação às suas atitudes.

Lembram que ele queria brigar com vários membros da Chute Boxe Diego Lima antes de seu duelo com Thomas Almeida?

Ou que ele partiu para cima de McGregor durante o TUF 22? Ou ainda seu “estrangulamento” em Dillashaw nas gravações do TUF 25?

Ainda que tenha flertado com polêmicas mais sérias, Garbrandt segue do lado de cá, e até agora é um cara com quem os fãs se identificam, pelo jeito mezzo rebelde, mezzo vilão, com algo de galã.

(Acreditem, amigos, o cara é um partidão. Meninas, concordam?)

Cody e Maddux

O estilo de luta de “No Love” também infla seu potencial como futuro astro. Nocauteador nato, o campeão tem as mãos mais rápidas da divisão e uma das mais pesadas.

Raro alguém com o poder e a precisão de Cody até 61 kg. Demoliu Thominhas, Takeya Mizugaki e Augusto Tanquinho, além de outros nomes de menor apelo, como Marcus Brimage.

Sua atuação contra o maior peso galo de todos os tempos, Dominick Cruz, no entanto, foi histórica. Garbrandt foi superior em todos os momentos e deixou claro que, naquele momento, era superior ao “Dominator”. Atuação de gala e assustadora para o restante da divisão.

Além disso, sua presença online é muito bem conduzida por ele e sua equipe Cody está sempre se relacionando com os fãs, responde perguntas nas redes sociais de forma muito orgânica e isso é traduzido no crescimento do número de pessoas que acompanha sua rotina.

Hoje, ele é um dos poucos lutadores do UFC com mais de um milhão se seguidores no Instagram, por exemplo. Isso sem contar com seu relacionamento com o jovem Maddux Maple, sobrevivente de um câncer e fã número um do lutador.

Impulsivo…

Os dois são amigos desde antes de Cody entrar no UFC e Maddux entra com o americano em todas as suas lutas. A segunda pessoa a segurar o cinturão de Garbrandt após a vitória sobre Cruz no UFC 207 foi justamente Maple.

Com um estilo de luta atraente, presença online forte e personalidade expansiva, falta a Cody um rival, alguém que lhe desafie e o coloque em outro patamar.

E, diante de Dillashaw, Cody tem a chance de ter um arquirrival por toda a sua carreira. A premissa é antiga, mas a história é atual: dois companheiros de treino e amigos vão por caminhos diferentes e voltam a se encontrar no topo.

Como Chuck Liddell precisou de Randy Couture e Anderson Silva “usou” Chael Sonnen como escada para o estrelato, TJ Dillashaw pode ser a última peça do quebra-cabeça de Garbrandt.

Uma vitória sobre o ex-companheiro e a profecia de Dana White ficará mais perto de se tornar realidade.

Confira o comercial da seguradora Geico com Cody:

  • Erick Henrique

    Essa luta contra o TJ tem tudo pra ser a melhor luta do ano, muito ansioso pra esse embate desses 2 que junto com o Cruz são os melhores lutadores da divisão dos galos

  • Tairon de Oliveira

    Essa luta é a mais esperada do ano (pra mim). Tem tudo pra ser um espetáculo técnico.

    • Igor

      Pra mim tbm é.

    • Lorenzo Fertitta

      Assino embaixo.

  • Thiago_NCO

    O radar explodiu com esse texto, hein, JVX? auahuahauhauahauah
    Brincadeiras à parte, passando por TJ, sim, tem tudo pra ser a próxima mega estrela do UFC, pois reúne tudo que Ronda e Irlanda, mas com o diferencial de ser um monstro como lutador e ter méritos esportivos lastreando o hype mercadológico (Ronda era monstra até mapearem o seu jogo, e o Irlanda é um grande lutador, mas falta uma defesinha ai, né?)

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Cody é muito bom lutador, parece ser até de boa mesmo sendo meio mala, mas no TUF eu só vi burrices dele kkkkkk, o cara é meio lesadão, mas tem condições de virar estrela, a performance dele contra o Cruz foi uma das melhores que eu já vi tendo em vista o adversário que era.

  • Mauricio

    Ele é bom lutador em desenvolvimento e luta contra o Cruz mostrou isso, e tipo, o cara vem de uma infância difícil como dito, é impulsivo e ele é bem carismático (eu achei no TUF) Foi hilária a disputa das bolinhas que giram no eixo em cima da piscina… QUando ele foi lá no insta do Sertanejo, fica naquela que vc pontuou muito bem, Cody é uma espécie de anti herói.

    Pra quem assiste Dragon Ball Z por exemplo (tipo o Brimage) o Cody seria o Vegeta, um vilão que fala e faz coisas controversas, as vezes age pelo bem e chama tanto a atenção quanto os mocinhos (Goku)

  • Valdeir Porto Freire

    Sei não einm, acho que ele não precisa necessariamente do TJ como escada pra crescer ainda mais. Dos lutadores em atividade do Ultimate atualmente (Conor e JJ de fora) ele provavelmente é o mais popular e comentado. Ele tem uma espécie talento para ser um “showman” igual o McGregor. Se vencer TJ esse cara vai longe!

  • Tiago Nicolau de Melo

    Legal e tal, mas dá uma saudade dos caras que faziam história defendendo Cinturão e batendo recordes… essa próxima luta, pra mim, é 50/50.
    Quem sabe não rola um DJ pro Cody (passando pelo Dilla)?

  • Paulo Zanchet

    Fala, João, blza?

    Ótimo texto! Acho que o Cody tem tudo pra ser o próximo astro, bastar continuar vencendo e impondo seu estilo agressivo de luta. Gostaria muito de ver uma luta dele e DJ (caso vença o TJ), mas também dele e McGregor (não sei se essa seria possível, dada a diferença de tamanho entre os dois).

  • Rudá Corrêa Viana

    Luta perfeita. Mas não consigo esconder que gostaria de ver Cody vs Lineker só pra ver quem cai primeiro: o mais rápido ou o mais resiliente? Sabe-se lá se essa luta um dia pode acontecer.

  • KRS Porlaneff

    Ainda acho que é cedo pra colocar o Garbrandt como próxima estrela. Venceu o Cruz que pra mim entrou de salto alto na luta, e tem pela frente um Dillashaw que, se não mudou o jogo pra essa luta, vai ser uma cópia de Cruz e, pelo menos em teoria, um match que favorece o No Love.

    Eu sinceramente prefiro esperar pra colocar o cheque devolvido como estrela. Hoje, pessoalmente, eu investiria um pouco na imagem do Stipe Miocic, já que Johnson e Woodley não (se) ajudam no marketing, Holloway acaba ficando como o “feião que luta bem” e Cormier vive à sombra de Padim Cisso Negão – tudo isso pra uma nova estrela norte-americana, é claro, já que Bisping, McGregor, Amanda, Cyborga e Joanna não são da terra de Tio Sam.

  • Tarley Guimarães Ferreira

    Branquinho loirinho de olho claro com tatuagens parecendo um facista, concordo, o produto que eles adoram.

    • Paulo Zanchet

      Cara, isso aí é discurso de quem tem preconceito consigo mesmo. Em primeiro lugar, o cara não tem olho claro. Em segundo lugar, acima de tudo, o cara chegou onde chegou com técnica e pela sua personalidade, lógico, não foi por ser branco. Em terceiro, não se esqueça que o Anderson Silva já foi o queridinho também. Não que outros fatores não contem, mas acho que os principais são esses aí: ser bom e entreter o público!

      • Tarley Guimarães Ferreira

        Você não me conhece pra dizer pra vir com esse papo programado de ”preconceito consigo mesmo”,menos cara, pare de ser programado, evolua mentalmente e veja as coisas como elas são e como como querem que você veja.Em segundo lugar tecnica e personalidade?Que personalidade?Que exemplo que ele é?Pra quem?Pra você?Concordo que não chegou só por ser branco, mas você concorda que as portas foram abertas muito mais fáceis para Miesha Tate, Ronda Rousey, Page Vanzant, Brock Lesnar, Conor McGregor, Sage Northcutt entre outros?Em terceiro, você disse Anderson Silva queridinho?Quando?Quando ele ameaçou o Anderson de ser o único campeão a não fazer main event?Quanto o Sonnen falou o que falou e o careca deu a mínima?Quantos lutadores de pele escura tem de destaque e você falou só o Anderson, olha o que já foi feito com DJ com exemplo?Jacaré?Aldo?Mas enfim, você só leu quando eu disse branquinho de olho claro desculpe se você se sentiu ofendido, nada contra os brancos, só constatei uma realidade, analise primeiro, e ai escreva depois.

        • Lero

          Rampage vs Rashad, Jon Jones vs Cormier. 4 negros fazendo lutas que foram muito apoiadas pelo marketing do UFC na época. a luta do Rampage e Rashad até vendeu mais de 1 milhão de pacotes. JJ vs o gordinho fez perto disso também. O Ngannou se ganhar do Overeem tenho certeza que vai ser bastante apoiado pelo UFC.
          E sim. você tem preconceito com você mesmo.

          • Tarley Guimarães Ferreira

            Eu podia mandar um whos the fuck is that guy!!Mas enfim vamos lá:Quantos eventos já tivemos do UFC até hoje?Mais de 300…você vem me falar de duas lutas?E outra, passe a interpretar melhor o que você lê, não estou falando de lutas e sim de divulgação e apoio ao atleta, olha ai o apoio que o Dana deu ao Jones por exemplo que reclamou que nem falava mais com o careca.Cada a divulgação com o Ngannou?Ah, vai divulgar se ele ganhar do Overeen, se não ganhar já era!!!Engraçado que com Sage, Page Vanzantt, MCGregor, Lesnar não foi assim, foi bem diferente, como eu disse, o produto perfeito.A afirmação leviana que você fez ai por último me explica melhor, o que é ter preconceito comigo mesmo?Isso caso você saiba explicar, apesar que vai ser difícil porque eu nenhum momento falei de mim de sim em relação ao tópico em questão sobre o ”produto” Cody Garbrant, abaixe a bola garoto, não venha com essa afirmação pessoal, não seja desreipeitoso, a parada aqui são com os lutadores e o sistema do UFC, não transforme isso pessoal, não seja ignorante.

          • Lero

            Três lutas a verdade, Cormier vs JJ 1 e 2. A primeira foi a luta melhor divulgada da historia do UFC que eu lembre. Só perdendo para as lutas do McGregor. Mas essa luta até teve melhor divulgação do que o retorno da Ronda. Se o careca não fala mais com o JJ é porque o negão é burro demais e não para de fazer merda. Tendo tudo para ser o maior lutador de MMA da historia. Se o Ngannou não ganhar do Overeem, eles vão dar uma sossegada nele e continuar com a divulgação do Overeem que, sendo ele mulato, chegou também com uma moral enorme no evento, sendo o cara que o Dana estava babando para ganhar do Cigano. E até deram a ele o Lesnar para alimentar o Hype do holandês. Se o Overeem não tivesse perdido tanto no inicio da carreira, Com certeza o UFC tivesse tratado ele igual que a Ronda e o Conor. Por outro lado sim. A Paige e o Sage foram mimados no começo por bonitões, mas já estão indo mais devagar com eles porque não prestaram. Já Ronda, Conor, e Lesnar são, foram putas de uns lutadores que estavam nocauteando-finalizando geral. Então tem o fator blanco/bom lutador todo no mesmo pacote.
            Alias tem lutadores brancos de élite no UFC que o UFC ou o público nem liga para eles, tipo Miocic, Dillashaw, e até o Ryan Bader que sendo constante e branco, o UFC nunca deu moral para ele.
            Para o UFC, o Cody era só uma escada para o Tominhas que era até favorito nas bolsas de apostas e chegou com um ar sinistro no UFC, nocauteando geral. Cody chegou sem tanta moral e fazendo pelejas de elite se consagrou como campeão e pode virar um puta produto pela imagem de Bad Boy, juventude e talento. Acredito que não tem nada a ver que ele seja branco.
            Se o Urijah Hall não fosse tão inconstante, com certeza ele seria melhor tratado pelo UFC. Mas se não ganha lutas não da. Anderson Silva chegou sem moral do Pride, e com a segunda luta no UFC já chegou disputando cinturão contra um campeão popular na época. Na final graças a o seu talento e a marra e as tretas com Vitor e Sonnen, ele virou também um lutador muito popular. Com moral para ter feito luta pelo título da categoria de acima se ele tivesse querido, mas ele nunca fez. O Jon Jones quando estava destruindo geral com certeza poderia ter lutado pelo cinturão dos pesados sem largar o seu. Era só abrir o bico e os patrões tivessem aceitado com gosto. Só o BJ Penn e o McGregor tiveram culhões para fazer.
            E sim, você tem preconceito com você mesmo.

          • Tarley Guimarães Ferreira

            Só vou pro final, pela segunda vez explique o que é preconceito comigo mesmo e também pela segunda vez falando agora o portugues bem claro:você é burro?Preciso repetir que não estou falando de mim e sim da questão UFC?Não estou falando de preconceito e sim facilidades em questão de aparência?Nem vou mais perder meu tempo com algum de qi limitado, escreveu um monte de coisas duas vezes e não foi objetivo muito menos entrou na parte relevante.

          • Lero

            Não. Não sou burro. Pelo menos não tão burro quanto você.
            Falar que um branco com tatuagens é um fascista é a coisa mais preconceituosa que lei em muito tempo. E com certeza você se sente intimidado e se sente menor do que esse tipo de pessoas.
            Você tem preconceito com você mesmo.

Tags: , ,