Brochada de Gustafsson: um retrato
do desânimo nos meios-pesados

Leo Salles | 17/10/2017 às 13:48

Moçada do Sexto Round,

Após nova confusão aprontada por Jon Jones com o doping e a restituição de Daniel Cormier como campeão dos meios-pesados, a (rasa) categoria precisa continuar sua vida.

Ainda se recuperando do nocaute e de certo constrangimento em ter o cinturão do UFC de volta, ”DC” já deu a resposta quanto ao seu próximo adversário: Volkan Oezdemir:

Oezdemir, eu perguntei e o povo quer ver eu e você lutando. Então, você conseguiu, cara! Vou só pensar numa data, mas eles te escolheram, amigo. Parabéns!”, disse Cormier, em seu Twitter oficial.

Quem também se contentou com a escolha do (novo? ex? atual?) campeão foi o duas vezes ex-desafiante Alexander Gustafsson. O sueco, vindo de duas vitórias seguidas (Jan Blachowicz e Glover Teixeira), afirmou que não tem pressa para o title-shot:

Daniel (Cormier) sabe que estou aqui esperando pela revanche contra ele. Não estou com pressa. Já esperei mais antes, estou bem. Eu quero o cinturão, a disputa de título e vamos ver se é confirmada essa luta entre Cormier x Volkan. Então, eu vou enfrentar o vencedor e tenho certeza que será o “DC”. Ele é melhor lutador de MMA que Oezdemir”, opinou “The Mauler”, em entrevista ao Viaplay Fighting.

Numa divisão que faltam lutadores que briguem pela fatia de cima do ranking, a rápida ascensão do suíço é a prova definitiva que algo vai muito mal nos meios-pesados.

Apesar de nocautear Glover, Gus não tem urgência

Lutadores experientes como o próprio Glover e Mauricio Shogun parecem que não vão mais fazer frente a quem esteja no top 5 (aliás, só entre esses atletas que realmente a categoria parece funcionar).

Rogério Minotouro passou um bom tempo lesionado desde que entrou no UFC e precisa de ritmo. Nomes promissores como Misha Cirkunov e Tyson Pedro, por exemplo, ainda não engrenaram.

Outros que podem fazer barulho, como o russo Gadzhimurad Antigulov e Jared Cannonier, precisam de mais alguns combates para se colocarem no andar de cima.

Anthony Johnson, que supostamente se aposentou, parece que vai voltar a lutar nos pesados, assim como Jimi Manuwa, surrupiado por Oezdemir em seu último embate pelo UFC, que não sabe se fica nos meios-pesados ou vai para os 120kg.

Por isso, o intervalo entre o top 5 e o resto da divisão está bem extenso. Mesmo assim, nem entre os cinco primeiros o equilibrio é fator. Cormier está muito à frente dos demais e é mais do que favorito para vencer Oezdemir.

Porém, o que mais ficou evidente pós-novo doping de Jon Jones (que provavelmente será punido de novo) é um desânimo que tomou conta dos atletas.

Oezdemir: title shot em mãos com três lutas no UFC

A ”brochada” do Gustafsson em passar a vez para o suíço tem a ver com a falta de adversários para ele enfrentar e merecer um title shot, esperando uma merecida oportunidade.

Também tem a ver com o sueco ser, notoriamente, o mais apto e o com mais nome na categoria. Caso ocorresse uma revanche contra ”DC” agora e ele perdesse, fatalmente cairia num limbo sem volta.

Pelas atuais circunstâncias e por falta de bons nomes, Oezdemir galgou essa oportunidade pelos impressionantes nocautes, sobre o ”hypado” Cirkunov e Manuwa, que estava bem próximo de uma chance ao cinturão até 93kg.

Poucos atletas desconhecidos pelo público e sem apelo midiático chegaram numa disputa de titulo dessa forma.

Digo mais: se permanecer sem grandes talentos e atletas que venham ”roubar a cena”, o ex-campeão dos meios-pesados do Glory e uma das lendas do kickboxing, Gokhan Saki, que estreou no UFC com nocaute sobre Henrique Frankenstein e possui apenas dois combates no MMA (1-1), chega no top 5 facilmente se vencer mais duas lutas.

Essa distância do top 5 do resto da categoria acaba colocando os melhores se enfrentando e cria ainda mais um enorme buraco. Não há outro adversário para Gustafsson a não ser pegar um dos cinco (Cormier, Oezdemir, Glover, Manuwa, Shogun).

Shogun: lesões e média de uma luta por ano desde 2015

Para ele, é perigoso ficar muito tempo parado e esperando decidir o que acontece na disputa de cinturão, já que o combate não foi anunciado e o sueco passou bom tempo no estaleiro nos últimos dois anos.

O que fazer? Pegar alguma das revanches contra Shogun, Manuwa (seu parceiro de equipe) ou Glover?

Enfrentar um adversário mais da parte de baixo do ranking, como Minotouro, Cannonier ou até mesmo Cirkunov, apesar de vir de derrota?

Situação complicada, porém compreensível do sueco, que não quer se perder numa categoria, no momento, empobrecida de qualidade e rejuvenescimento.

Por conta do doping e do afastamento do lutador que tinha tudo para ser o maior de todos os tempos, Jon Jones, os meios-pesados parecem ter perdido o encanto nesse imbróglio todo.

Concordam? Vamos bater um papo nos comentários!

Abraços!

  • Tiago Nicolau de Melo

    Pelo jeito as runas, búzios, tarô e os astros erraram e 2018 não será o ano do Tigre e sim do Shogun.

    Duas boas vitórias do Rua e já vai pro TS contra o Oezdemir (que vai estar defendendo e vencendo contra o Gustavão, após pegar a Cinta do DC).

    • Vinicius Maia

      Ano do Tigre Erick Silva kkkkkk. É mais fácil o Arona voltar que o Erick Silva melhorar seu sistema defensivo kkk

    • Hahhaahahahahahah! Pelo andar da carruagem, é bem possível o Shogun receber uma chance se engatar duas vitórias hein!

  • douglas karpinski

    Depois da era Machida/Shogun (=D), a categoria rodou em torno de 4 lutadores, Jones,Comier, Gustafsson e AJ:

    Jones venceu Cormier, Comier venceu Gustafsson que venceu Jones e que perdeu pra AJ, ou seja esses 4 são muito parecidos em resultado final, é claro que alguns tem suas vantagens (inteligencia não é a do AJ), mas eram as cabeças, sem Jones e AJ realmente “empobretou” demais a categoria.

    Agora discordo quando vc disse: “Cormier está muito à frente dos demais e é mais do que favorito para vencer Oezdemir.”, pode ser favorito contra Oezdemir, mas a frente do Gus ta não viu, só ganhou a luta por conta do amarro que deu no primeiro round, sendo que deu uma dormida pra joelhada do Sueco…. eu daria empate de boa, mas como era luta valendo cinturão e Cormier era campeão sabemos pra onde a corda estoura….

    • Esqueci um fato importante de mencionar no texto: como DC volta após sofrer uma concussão, já chegando perto dos 40… em condições normais acho-o favorito contra todos eles, apesar do equilíbrio contra o Gustafsson. Porém, só vamos saber como vai suportar tomar pancada quando soar o gongo contra o suíço.

      • douglas karpinski

        Eu não escondo minha torcida pelo Sueco, então acho que o Gordinho vai sucumbir….

    • Rudá Corrêa Viana

      “Cormier venceu Gustafsson QUE VENCEU JONES…” ? Ta errado isso aí irmão. Legalmente e no papel, Jon Jones venceu aquela luta. Apertado mas venceu, entao eh o que vale. Qto a Gordier vs Gustavão, luta equilibrada mas o gordão venceu tbm, apesar de ter peidado pra joelhada no terceiro round. Porém no final, Gustafsson já não tava mais aguentando no gás e cormier sobressaiu. O sueco chegou mais perto de terminar a luta, mas o Gordier teve mais domínio nos rounds.

      • douglas karpinski

        Contra o Jones eu sempre vou discordar, vi vitória do Sueco 3 rounds a 2, mas é o famoso peso da cinta.

        Contra o Gordinho é o que falei acima, o primeiro round foi indiscutivelmente dele, jogou, amassou e nem discordo da vitória, mas com o Jones da não…

        no round a round e na contundência de golpes…..

        mas é a opinião de um fã do sueco, então é tendenciosa….

        Abraços!!

        • Bruno

          Já assisti a Jones x Gus umas 5 vezes, em todas as vezes vi vitória do Gustafsson. Jones teria de dar a revanche imediata para tirar isso a limpo.
          Quanto a luta do suéco com o Cormier, achei vitória apertada, porém justa do gordinho.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    O UFC tá preocupado com isso e vem contratando MUITOS prospectos provavelmente visando o futuro, espero que não empaquem. Agora quanto ao presente o negócio é feio mesmo, Cormier sabe se lá como volta, Gustafsson acomodado, Jones problemático, o resto não faz a frente no momento, eu acredito que essa categoria só volta a ficar interessante em meados de 2019 mesmo, ano que vem capaz que vai ser tão feio quanto foi esse ano pra LHW.

    • Vamos esperar aparecer alguém ou então quem sabe o Oezdemir não surpreende mais uma vez?

      • William Oliveira

        Foda que se ele nocautear o DC (por decisão não ganha nem fudendo), acho que acaba a carreira do wrestler norte americano. Mas vou torcer pelo bem da categoria, fazer o que..

  • Henrique

    Gustafsson deveria enfrentar na sequencia Shogun ou OSP enquanto DC defende a cinta. Será que daria tempo de rolar DC x Oezdemir no UFC 219?

    • Dar tempo,acho que dá. Tem que ver as condições médicas do DC também.

    • William Oliveira

      Pelo que li, ele só volta em Jan/Fev.

  • Rodrigo Carvalho

    Isso é um ótima oportunidade pra galera grande dos Médios, mas por algum motivo, eles parecem ignorar isso. Mas pensem bem, tirando o Rockhold, que é brother do DC, o que os tops dos médios tem a perder? A categoria deles já ta zuada mesmo. Vai lá e tenta a sorte.

    O problema é o meio pesado, mas a falta de “visão” que alguns atletas tem.. é foda também. Atletas dos pesados, os mais leves, não querem cortar, dos médios, os maiores, não querem subir porque perdem a vantagem. Fica difícil.

    • William Oliveira

      Sinceramente n vejo ngm decente do pesado que conseguiria cortar pra meio-pesado e ser competitivo a nível top 5.

      Médios sim, mas cara apesar da gente zuar, Manuwa, Latifi, OSP etc não são lutas fáceis pra nenhum médio não. A diferença de tamanho do OSP pro Jacaré msm seria bem significativa, o suficiente pra não ser uma boa ideia essa subida.

      • Rodrigo Carvalho

        As vezes o lutador rende mais na categoria de baixo. Tem muito pesado que é gordinho, ou mesmo uma bolota. Talvez rendessem melhor.

        Os médios poderiam fazer frente. Acredito nisso, pelo menos. O OSP e grande, tem 1,90, mas o Jaca tem ,185, não é tão diferente. Claro que, mais peso geralmente quer dizer que a pancada estala mais. Apesar disso, a habilidade geralmente prevalece nesses casos. E com a situação dos 93kgs, o top 5 dos médios teria chance total de também compor um top 10 ou mesmo 5 dos meio pesados. Ignorando o DC, no caso do Rockhold, você acharia que: Bisping, Weidman, Rockhold, Romero – o partido Mousassi e o Jacaré, não fariam frente a galera de lá?

        • William Oliveira

          Mas nem é só altura velho, o OSP é enorme de largo também, Jacaré ficaria fino perto dele, na minha opinião. Teria que ver o Jacaré nos 93 claro, mas acho que o OSP por exemplo teria muita vantagem de tamanho sobre qlqr médio.

          Acho que eles fariam frente sim, mas não teriam um caminho fácil até o top 3. Misha, Glover, OSP, Latifi, Manuwa e até o C. Anderson seriam lutas difíceis pra esses caras. Não sei se vale a pena não, com 1 ou 2 vitórias qualquer um deles deve ser o próximo depois do Whittaker. Agora o próximo que perder deles realmente deveria considerar essa opção..

  • William Oliveira

    Acho que ele deve estar de boa, curtindo a vida, casou faz pouco tempo e virou pai também..
    Acho que o tempo fará bem pra ele, e voltando com uma warm up fight, possivelmente Misha se ele passar pelo Glover, ou o vencedor de Minotouro-Cannonier, vai dar bastante trabalho pro campeão, seja DC ou Volkan.

  • Tarley Guimarães Ferreira

    Prevejo uma queda grande de popularidade no mma nos próximos anos.Principais motivos:UFC e USADA.

  • Carlos Felix

    Se Rockhold e Weidman subissem para os meio-pesados o respeito voltaria à categoria.

    • Bruno

      Seriam excelentes adições, porém não acho que chegariam ao título.

  • Vinícius

    Há algum lugar que tenha a estatística do número de lutas envolvendo pelo menos 1 lutador ranqueado em cada uma das categorias? Se não houver, seria algo legal do 6R explorar.

Tags: , , ,