Sem desculpas: Kevin Lee mostrou
como lidar com a derrota

João Vitor Xavier | 11/10/2017 às 15:47

Kevin Lee certamente é um personagem controverso no mundo das lutas. Das provocações aos fãs brasileiros na pesagem do UFC Fortaleza às ameaças de dano físico pré-luta a Tony Ferguson, o peso leve americano apronta das suas com resultados muitas vezes negativos.

Fim do sonho para Lee

Mas foi esse estilo que o ajudou a conseguir um duelo pelo título interino da categoria no UFC 216.

Aliás, podemos falar o que for de Lee, mas nunca que ele é um mau perdedor. A dura derrota diante de “El Cucuy” deve ter sido especialmente dolorosa pelo que estava em jogo e por conta do primeiro round encorajador – ainda que eu ache que Ferguson “deu” o assalto inicial ao rival, o abafa certamente o surpreendeu.

As lágrimas após a perda da luta dizem tudo.

Porém, ao invés de procurar desculpas ou usar a infecção que atrapalhou seu corte de peso, o “Motown Phenom” simplesmente engoliu o próprio orgulho e elogiou o rival Ferguson.

Olhe para o meu rosto. Não acreditei no que ele poderia fazer desde o início, mas ele fez um excelente trabalho. Podem falar o que quiser, mas o Tony Ferguson foi melhor que eu. Eu subestimei o que ele poderia fazer e eu paguei o preço. Ele foi melhor e me pegou com cotoveladas quando estava por baixo e me finalizou com o triângulo (…) Ninguém queria essa luta e eu fui lá e me testei. Ele é o melhor do mundo por uma razão”, declarou Lee após a luta.

Vale notar que ele admitiu que a infecção no peito comprometeu seu corte, mas não usou isso como desculpa. Na verdade, Lee comentou que estava ficando muito pesado e que deve trocar de categoria – outro sinal de amadurecimento.

É claro que uma derrota em um torneio de jiu-jitsu da academia ou em um sparring de muay thai com o amigo não dói tanto quanto a perda de um título do UFC. Ainda mais quando o que se está em jogo não só um cinturão, mas uma luta contra o lutador mais famoso do mundo, Conor McGregor – ou seja, o maior salário de sua carreira.

Empolgação pós-primeiro round

Por isso, não é incomum que o desapontamento de atletas do alto nível se transforme em amargura. Quanto mais alta a aposta, maior é a decepção na perda das fichas.

Volta e meia vemos atletas veteranos e bastante conhecidos colocando a culpa em uma derrota no azar, em lesões que carregaram durante o camp, ou ainda no “destino”. É raro que lutadores admitam que o adversário foi superior.

Algumas frases de efeito para essa ocasião: “Não era o meu dia”, “A mão dele entrou antes da minha”, “Se eu entro 100%, a luta é diferente”, e por aí vai…

Por isso é animador ver como um jovem de 25 anos lida com as derrotas e as decepções no mais alto nível. Kevin Lee não mostrou amargura, mas sim tristeza e, imediatamente depois do revés, garantiu que será campeão mundial um dia.

Ou seja, deixou claro que sua postura não é “derrotista”, tampouco resignada. É apenas o reconhecimento de que, neste momento de sua carreira, ele foi inferior a Ferguson – o que não é demérito para absolutamente nenhum peso leve do MMA mundial.

Talvez o “Motown Phenom” esteja longe de ser um exemplo no pré-luta. Mas perdendo ou ganhando, Lee merece o respeito pela postura com seus adversários, com seus triunfos e decepções.

  • douglas karpinski

    Ta ai outro que sabe se vender, MCGregor é exemplo, quando perdeu tambem não achou desculpa, é logico que a marra tem, mas é isso ai, que sirva de lição pros brasucas que usam muito essas desculpas….

    • Tiago Nicolau de Melo

      Logo que terminou a luta ele não deu desculpas (Conor), mas depois veio a história de dosar a força dos golpes tanque vazio, etc e tal…

      • Tairon de Oliveira

        Sim, mas contextualizando o que ele falou, ele foi realista… Ele deu uma piaba no Nate no 1º round, não soube dosar e pagou o preço depois…

        • Vinicius Maia

          Ele tava engolindo golpes desde o começo da luta. Ele pode ter cansado, mas cansou também devido aos golpes do Nate. Pode rever a luta.

          • Tairon de Oliveira

            Até olhei de novo e… nah…

          • João Monteiro

            Não, Vinicius. Vou ter que descordar nessa. No UFC 196, Conor tava jantando Diaz no primeiro round. Cansou pq não tem um cardio de triatleta, e é headhunter que joga 100% da força em cada soco. Não vejo nessa ocasião que golpes do Nate foram os responsáveis pela queda de rendimento. Até reassisti aqui também. O que ficou mais claro ainda é que McGregor conectou alguns, porém, jogou a maioria no ar.

          • Vinicius Maia

            Eu não falei que o Diaz virou o 1º apenas que ele acertou o Mc Gregor. Do jeito que o povo fala parece que o Diaz só apanhou no round 1 e não acertou um misero soco no Mc Gregor. Ele tomou golpes sim, inclusive engoliu um sequência de 1, 2 limpos na cara. Eu também tinha a impressão dele ter cansado apenas por bater mas ele engoliu golpes no primeiro round e no segundo round também começou a engolir um monte.
            Eu também tava com a impressão do Mc Gregor ter morrido no gás devido a bater apenas, mas após conversar com um amigo e ir revendo quadro por quadro o Diaz acertou alguns golpes nele.
            O mais icônico nessa luta pra foi o Mc Gregor sentado no Córner no intervalo do R1 pro R2.

          • douglas karpinski

            Nate Diaz tem total mérito nessa luta, em todos os sentidos, tempo pra camp, garra, paciencia, e experiencia, soube aproveitar a oportunidade e isso na carreira dele foi um divisor de aguas….

          • João Monteiro

            Um ou dois entraram mesmo. Mas eu não vi nada lançado por Diaz no R1 como responsável pelo óbito no gás. Mérito imenso do americano aguentar as pancadas e ter a presença de espírito de não desistir da luta, mas eu ainda enxergo como culpa do irlandês o término precoce da stamina. Até pq ele entrou super confiante achando que encacharia o nocaute na hora que bem entendesse. Só vc analisar a segunda luta como parâmetro, McGregor atravessou cinco rounds com uma postura muita mais segura e conservador (mesmo cansando e sendo atingido novamente, mas sobrevivendo). O que fica claro foi que o motivo dele ter chegado na decisão foi sua nova abordagem e gameplan, até pq ele foi atingido na revanche por mais que o dobro dos golpes significativos do primeiro encontro.

        • Tiago Nicolau de Melo

          Ou seja?? Deu desculpas, só não seguiu o manual Nogueira ou Gracie.

  • Shotokan Karate

    Lee saiu dessa luta tão grande quanto entrou. Valorizou bem a vitória do El Cucuy, foi agressivo e manteve-se ativo mesmo El Cucuy mostrando que poderia cometer o crime a qq momento. É um lutador chato (no sentindo de complicar uma luta) e não demora mto deve novamente bater a porta de um TS. UFC deve mandar uma escada pra ele pra que se mantenha em evidência. É garantia de público.

  • Erick Henrique

    Eu curto o Lee tanto pré luta como pós luta, o Gregor fazia exatamente o mesmo e olha onde ele está. Esse garoto ainda vai muito longe.

  • Tairon de Oliveira

    Gostei da postura do Lee. A principal razão da tristeza é perder a chance de receber a bolsa que o Conor proporciona, mesmo com a derrota.

  • Leandro Chiaratti Ayres

    Fergusson “já mandou” o Dos Anos pros meio-médios, agora o Lee, rapaz tá se especializando. McPrego que se cuide, haha

  • Tarley Guimarães Ferreira

    Parabéns ao Lee, tanto para promover as lutas quanto o pós delas, e é um lutador que acredito irá evoluir bastante.

  • João Monteiro

    Pré-luta ele mandou mal mesmo:
    https://www.youtube.com/watch?v=DZyNz8jWros

    • Kleiton Aragão

      DC é classe pura.

    • Leo França

      DC, QUE HOMEM

    • douglas karpinski

      oloko, sabia disso não oO

    • Audrey Bonney

      como alguém não consegue gostar do DC?

  • bedotRJ

    O cara é bacana. Nunca foi “team do mal”. o/

Tags: , ,