Lyoto Machida: a USADA é
crucial para evolução do MMA

Leo Salles | 10/10/2017 às 17:09

Moçada do Sexto Round,

Como já sabemos, Lyoto Machida volta a lutar após longo período inativo por conta de uma suspensão por doping contra Derek Brunson, na luta principal do UFC São Paulo no dia 28 deste mês.

Porém, como estamos a 18 dias do evento, não irei tecer comentários nem análises sobre o que ”The Dragon” pode fazer no octógono em sua volta.

O que me deu pompas para falar do brasileiro e me deixar reflexivo nesses últimos dias foi o que ele disse sobre a USADA e sua rigidez no controle antidoping:

A USADA é rígida, mas eu não sei até onde isso tem beneficio para o esporte. Não somos um esporte olímpico, o MMA é mais voltado para o entretenimento. Então, às vezes coisas simples, rotineiras que você pode usar, como um soro, pode ter punição. Então, a rigidez é grande, mas eu não tenho esse conhecimento para falar se isso é bom ou ruim agora”, afirmou Machida, em entrevista à Ag. Fight.

Não entrarei no debate sobre liberar ou não doping no MMA, pois o patrão Renato Rebelo e o narrador-galã André Azevedo dissecaram muito bem o assunto neste vídeo.

Retorno em SP

Quero tratar com vocês dois aspectos: 1) a reclamação do brasileiro sobre a Agência Americana de Antidoping ser rígida e não trazer benefícios ao esporte e 2) o fato de o MMA não ser esporte olímpico deveriam ser afrouxadas as regras de controle, pois o esporte é entretenimento.

Por mais que eu goste de Machida e ser um dos lutadores mais respeitados pela carreira que construiu no UFC (ex-campeão dos meios pesados e ex-desafiante do cinturão dos médios), discordo plenamente dos argumentos dele.

Se a USADA, juntamente com o UFC, vem trabalhando para um esporte mais justo e limpo, e, portanto, mais profissional, a rigidez é correta. Quem garante que o atleta que queira usar algum produto proibido naquilo que os profissionais da agência sabem que vai acarretar em melhora de performance, não o use para tal fim?

Ou ainda, no caso de Machida (não acredito até hoje que tenha tido intenção em usar o 7-keto para ganhar vantagem), utilizar uma substância  que é um sub-produto do hormônio DHEA para eliminar gordura corporal, no processo que pode mascarar o uso de outra substância proibida?

Pelo menos ”The Dragon” sempre me pareceu um cara honesto, em termos de competição, e nunca aparentou ter ganho físico que causasse qualquer suspeita.

Ainda acho, no caso dele, que foi um vacilo do próprio em não ter se certificado se o 7-keto estava na ”lista negra’, que não poderia ser mais usado e, sim, deve estar submetido às regras da USADA.

Representante de família tradicional

Para os saudosos dos tempos de Pride e outros eventos de vale-tudo nos primórdios (acompanho o esporte desde essa época), perdoem-me, mas o show tem que continuar (ou melhor, o esporte tem que evoluir). Se pegarmos todas as modalidades esportivas do mundo, todas passaram por um processo evolutivo, principalmente no que tangem as regras.

E,  grande parte delas, para manter a competição justa, faz controle (ou deveriam fazer e estar mais atentas a isso) de doping.

Se observarmos as principais ligas desportivas dos Estados Unidos (já que o endereço fixo do UFC é lá), como a NBA, a NFL, a MLB e a NHL, todas levam a sério a questão da competição limpa e quem for pego trapaceando, principalmente por doping, é rigorosamente punido. E apoiado pela maioria absoluta dos fãs.

Um exemplo: Alex Rodriguez,  jogador do  New York Yankees e um dos maiores astros da Major League Baseball, admitiu, em 2014, que usou esteroides boa parte da carreira. Foi suspenso por um ano, pagou uma multa bem pesada, perdeu patrocinadores e, quando voltou ao esporte, foi vaiado em todos os estádios que ia jogar.

Não somente fãs, imprensa, patrocinadores e o UFC querem um esporte mais justo: os próprios lutadores, principalmente os da nova geração, sabem da importância em ter um controle do doping, para que o MMA seja visto com seriedade por quem acha-o apenas uma rinha de galo.

Quanto ao segundo argumento de Lyoto, o exemplo  dos esportes olímpicos era justamente o que o MMA, com suas respectivas franquias, deveriam ter em mente: ser mais profissional. Na minha visão, o ”The Dragon” foi infeliz, pois, deu a entender que esportes olímpicos não são entretenimento.

Aliás, qualquer esporte que você assista, na TV ou principalmente no local do evento, é entretenimento. Quando você vai a um jogo ou assistir lutas (um evento UFC), tenho certeza que você compra uma cerveja (ou uma Coca, como Rodrigo Tannuri), um salgado ou qualquer outra coisa e depois canta, vibra, aplaude, vaia…como não se entreter?

Não é liberando ou afrouxando a rigidez do controle antidoping que vão fazer os espectadores, especialmente aqueles que acompanham a modalidade com mais afinco, desperceberem essas questões.

Também deu a entender que se o MMA não é esporte olímpico, pois é entretenimento, logo o esporte tem que ser várzea e as outras modalidades, por seguirem regras, são chatas, embaraçosas e que não entretêm ninguém.

Se foi nesse sentido, só lamento. Porque, se quis dizer que o MMA é profissional o suficiente para não precisar de uma agência reguladora de doping, penso que especialmente os fãs do esporte não vão concordar nem um pouco com isso.

São os que dão audiência e se importam com a evolução do esporte e acredito que a grande maioria quer vê-lo  limpo e justo.

Ainda, se o esporte tem suas responsabilidades para sair do amadorismo e se tornar mais ético e profissional, então será muito mais fácil conseguir bons patrocinadores. Qual marca não quer aparecer com tamanha visibilidade, sabendo que tudo que se passa no UFC está indo bem?

Pelos comentários de vocês no fórum do Sexto Round sobre Jon Jones pego no doping ou de outros lutadores na mesma situação já se tem uma dimensão da reprovação de quem acompanha o MMA contra quem quer levar vantagem. E da preocupação do esporte ser competitivo, mas sem artimanhas.

Concordam? Vamos bater um papo nos comentários!

Abraços!

  • douglas karpinski

    Pelo que eu, digo eu, entendi, o que o Dragão quis dizer, é que soro intravenoso, marijuana, e suplementos para queima de gordura fossem liberados, o problema é que alguns mascaram,

    e a questão é que o UFC (MMA em geral) ta a 2 bilhões de anos luz de ser um esporte olimpico, uma que o Dana que é o presidente da maior marca não ajuda (com aquele ranking bizarro),

    outra é que um esporte novo (e os tiozão das antiga cismam com isso) ,

    e justamente um dos piores fatores, que é uma herança que vem dos outros eventos, que é o doping, mano muito nego ainda roda no doping,

    E ai que esta o grande x da questão, ja que não vai ser hjoje nem amanhã que vai virar esporte olimpico será que não seria mais interessante solta um pouco as rédeas?

    • A questão, para mim, do que ele colocou sobre esporte olimpico como não sendo entrentenimento e o MMA, não fazendo parte dessa patota, traz mais entretenimento se for afrouxado o controle. Então os Jogos Olimpicos são uma coisa chata, sem entretenimento, blasé, etc?

      • douglas karpinski

        Acho que a intenção dele não foi apontar a arma pra jogos olimpicos, deu apenas um exemplo, que em jogos olimpicos onde se é mais “sério” sim justifica a rigorosidade, mas no MMA cada luta acaba sendo um espetáculo, acho que foi mais nesse sentido , XD

    • André Guilherme Oliveira

      Entendi de maneira parecida a sua, ele não quer que o doping seja liberado, mas sim que algumas substancias que não geram ganhos indevidos fossem liberadas.

      • douglas karpinski

        Perfeito…

  • The Juggernaut

    Crucial pra afundar o UFC mesmo, Só tirou Jones,Lesnar,Cigano,Mir,Lyoto,Nick Diaz,Mendes e vários outros lutadores que foram pegos, ninguém quer ver seu lutador favorito 2 a 4 anos na geladeira.

    As comissões atléticas fazem seu papel com anti doping. Mesmo assim a fiscalização da USADA não é perfeita, quase ninguém é pego por GH,IGF1,uso de Insulina, Hormônios Pepitideos.

    • William Oliveira

      Cigano ainda não foi condenado e o caso do Diaz é muito diferente, até o do Lyoto é controverso. Se culpados, merecem afundar no mesmo barco dos demais.

      Todos eles merecem ficar congelados, ninguém tá com perseguição na USADA não, eles escolheram usar substâncias ilicitas e sabiam do risco de serem pegos. Foram, no final das contas. Agora que paguem pelas suas atitudes.

  • Lee

    Esse tipo de situação nao deveria nem ser debatida. È um princípio de honestidade. Lutador que fala um ‘ai ‘ a menos sobre essa questão…na moral, né!

  • Igor Vovchanchyn

    Acho engraçado você citar a NFL como exemplo de combate ao doping, tem uns malucos gigantes como o J.J Watt, que sem dúvidas é natural e tem aquele físico de personagem de quadrinhos apenas a base de uma boa alimentação e exercícios físicos.
    Sou a favor da liberação do doping controlado porque:

    Motivo 1:
    Os altos custos impedem que eventos de médio ou pequeno porte, possam testar seus lutadores sem que isso acabe prejudicado sua saúde financeira.
    Segundo o boxeador Andre Ward, custa 100 mil dólares fazer os testes aleatórios durante 7 ou 8 semanas. Fonte:http://www.fighthype.com/pages/content10186.html

    Sendo essa informação verdadeira, seria impossível para qualquer outro evento que não seja bilionário como UFC, realizar esses testes.
    É irônico que uma agência que diz ser sem fins lucrativos, lucre tanto com a realização de tais exames.
    O dinheiro gasto com os exames antidoping, poderia ser usado para pagar bolsas melhores aos lutadores.

    Motivo 2:
    Alguns atletas são testados mais vezes do que outros. O princípio de justiça garante uniformidade a todos, não vemos uniformidade no número de vezes em que diferentes atletas são testados.
    Fonte: https://www.bloodyelbow.com/2016/3/29/11325326/usada-testing-for-every-divisions-top-15

    Nesses dados do link, vimos um lutador ser testado 9 vezes e outros lutadores não serem testados nenhuma vez. Curiosamente, o lutador mais vezes testado não era americano, o que nós leva a uma outra pergunta:
    – Podemos acreditar que a USADA, uma agência americana, que tem parceria com um evento americano (UFC), que a maioria da lista é de lutadores americanos, é que o principal publico alvo é americano, está sendo imparcial?

    Motivo 3:
    Os exames antidoping não são infalíveis. Mesmo com o controle há lutadores que conseguem burlar o sistema.
    O ciclista Lance Armstrong, consegui durante décadas burlar o sistema, foi necessário sua própria confissão para que soubéssemos de que ele usava substâncias ilícitas
    Para burlar o sistema, o atleta precisa ter dinheiro, para ter mais acesso a novas drogas, novos laboratórios e informações. Isso ajuda o atleta que está no topo a se manter no topo, apenas os atletas com menores condições financeiras ou ignorantes sobre o tema, são pegos.
    Atletas ricos podem comprar as substâncias mais recentes, quase indetectáveis e evitar a detecção, algo que os atletas que não são ricos, não podem fazer.

    Motivo 4:
    Se o objetivo é proteger a saúde, então o doping com supervisão médica é a melhor solução. Todo atleta poderia e deveria consultar o médico sobre qual substância, qual quantidade e com qual frequência ele poderia usar sem colocar sua saúde em risco.
    O uso de GH por exemplo, é um tratamento recomendável para crianças e adultos com problemas de crescimento ou por adultos que sofrem com o hipogonadismo.

    Acho que o fim da desidratação e cultura do corte de peso, é uma situação muito mais urgente do que o combate ao doping. Da uma olhada nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=_vBhLPqxT0w

  • Igor Vovchanchyn

    Acho engraçado você citar a NFL como exemplo de combate ao doping, tem uns malucos gigantes como o J.J Watt, que sem dúvidas é natural e tem aquele físico de personagem de quadrinhos apenas a base de uma boa alimentação e exercícios físicos.
    Desculpe a ironia, não quero parecer babaca, mas é difícil acreditar que alguém acredite que a NFL é limpa.
    Sou a favor da liberação do doping controlado porque:

    Motivo 1:
    Os altos custos impedem que eventos de médio ou pequeno porte, possam testar seus lutadores sem que isso acabe prejudicado sua saúde financeira.
    Segundo o boxeador Andre Ward, custa 100 mil dólares fazer os testes aleatórios durante 7 ou 8 semanas. Fonte:http://www.fighthype.com/pa
    Sendo essa informação verdadeira, seria impossível para qualquer outro evento que não seja bilionário como UFC, realizar esses testes.
    É irônico que uma agência que diz ser sem fins lucrativos, lucre tanto com a realização de tais exames.
    O dinheiro gasto com os exames antidoping, poderia ser usado para pagar bolsas melhores aos lutadores.

    Motivo 2:
    Alguns atletas são testados mais vezes do que outros. O princípio de justiça garante uniformidade a todos, não vemos uniformidade no número de vezes em que diferentes atletas são testados.
    Fonte: https://www.bloodyelbow.com/2016/3/29/11325326/usada-testing-for-every-divisions-top-15
    Nesses dados do link, vimos um lutador ser testado 9 vezes e outros lutadores não serem testados nenhuma vez. Curiosamente, o lutador mais vezes testado não era americano, o que nós leva a uma outra pergunta:
    – Podemos acreditar que a USADA, uma agência americana, que tem parceria com um evento americano (UFC), que a maioria da lista é de lutadores americanos, é que o principal publico alvo é americano, está sendo imparcial?

    Motivo 3:
    Os exames antidoping não são infalíveis. Mesmo com o controle há lutadores que conseguem burlar o sistema.
    O ciclista Lance Armstrong, consegui durante décadas burlar o sistema, foi necessário sua própria confissão para que soubéssemos de que ele usava substâncias ilícitas
    Para burlar o sistema, o atleta precisa ter dinheiro, para ter mais acesso a novas drogas, novos laboratórios e informações. Isso ajuda o atleta que está no topo a se manter no topo, apenas os atletas com menores condições financeiras ou ignorantes sobre o tema, são pegos.
    Atletas ricos podem comprar as substâncias mais recentes, quase indetectáveis e evitar a detecção, algo que os atletas que não são ricos, não podem fazer.

    Motivo 4:
    Se o objetivo é proteger a saúde, então o doping com supervisão médica é a melhor solução. Todo atleta poderia e deveria consultar o médico sobre qual substância, qual quantidade e com qual frequência ele poderia usar sem colocar sua saúde em risco.
    O uso de GH por exemplo, é um tratamento recomendável para crianças e adolescentes com problemas de crescimento ou por adultos que sofrem com o hipogonadismo.
    Acho que o fim da desidratação e cultura do corte de peso, é uma situação muito mais urgente do que o combate ao doping. Dá uma olhada nesse vídeo: https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=_vBhLPqxT0w

    • Não disse que a NFL é limpa. Disse que ela e outras ligas combatem o doping, e punem rigorosamente, na medida q

    • KRS Porlaneff

      Poucas vezes os esportes de combate (os esportes em si, não o “extra-ringue”) me fizeram chorar de tristeza porque acho que acada um ali sabe bem – ou pelo menos devia saber – onde está se metendo.

      Lembro que a última vez foi ano passado, quando revi – e chorei de novo – a luta de boxe entre Billy Collins Jr (que era praticamente apontado como o novo Rocky Marciano) e Luis Resto, que lutou com luvas contendo argamassa no lugar da espuma. Ao final da luta, quando Collins pai, que também era treinador de Collins Jr, vai cumprimentar Resto e percebe que há algo diferente na luva, novamente chorei. A cena me parte o coração.

      (Só pra constar, essa foi a última luta de ambos: Collins morreu no ano seguinte em um acidente de carro que foi levantada a hipótese de suicídio por várias pessoas próximas, enquanto Resto e seu treinador Carlos “Panama” Lewis chegaram a ser presos por tentativa de homicídio mas cumpriram somente 2 anos e meio de prisão e banimento definitivo como lutador e treinador)

      Hoje chorei de novo com essa pesagem do Pancrase. E pra ver como não valeu a pena para Daniel “Pac-Man” Lima forçar tanto o corpo para lutar com 52kg e fazer a pesagem praticamente carregado, ele perdeu a luta contra Daichi Kitakata.

  • Thiago_NCO

    Grande Leo, seu texto está muito bem escrito e embasado, embora eu não concorde com alguns pontos…
    Falta muita coisa pro MMA ser um esporte sério e consolidado (afinal, é um esporte de 15 anos de vida, excluindo a fase embrionária do vale-tudo). Porém, o que mais me incomoda, é que o UFC (sim, vou tomar a liberdade de citar o UFC quase como sinônimo de MMA, dada sua magnitude), que tão aberta e orgulhosamente combate o doping com ferrenha convicção, é o mesmo que casa lutas com base no humor e vontades do campeão bom de vendas, é o mesmo que caga pro ranking quando convém…
    Onde quero chegar? Ora, a luta pelo esporte limpo é legítima – entretanto, antes de se ter um esporte “limpo”, não urge termos um “esporte” de fato? Não seria primordial, de início, garantirmos que a tão falada ética quanto aos esteróides não seja também aplicada aos rankings?
    Sei que a minha opinião é polêmica e não é compartilhada pela maioria, mas eu sinceramente acho que essa luta contra o doping num evento que não privilegia a meritocracia – princípio básico de qualquer coisa que tenha a pretensão de ser chamada de esporte – é como iniciar a construção de uma casa pelo telhado.

    • Thiago, eu também tenho meus poréns com o ranking do UFC, alguns combates casados meio sem lógica…enfim, pode ter a ver também com os novos donos. Mas eu acho que começar em ter maior controle a quem quer levar vantagem é mais importante. Mas concordo contigo quanto aos combates casados e ao ranking.

    • William Oliveira

      Um erro não justifica outro, é simples assim..
      Eu defendo a USADA e também defendo a utilização dos rankings (mas não esses, feitos por uns jornalistas problemáticos e totalmente parciais).

      PS: Já temos um esporte, até acontece do entretenimento falar mais alto na hora do matchmaking, mas nem sempre é assim, só você olhar pra divisão dos penas.

  • Fezes do Chacal

    Vc diz:
    ————————————————————————————————–
    “no caso de Machida (não acredito até hoje que tenha tido intenção em usar o 7-keto para ganhar vantagem), utilizar uma substância que é um sub-produto do hormônio DHEA para eliminar gordura corporal, no processo que pode mascarar o uso de outra substância proibida?”
    —————————————————————————————————–
    o 7 keto estimula a ação metabólica por isso pode eliminar gordura, ele favorece a construção muscular, aumento da massa magra. É por isso que ela é proibido, ela favorece o ganho muscular.

    vc diz:
    ——————————————————————-
    “não acredito até hoje que tenha tido intenção em usar o 7-keto para ganhar vantagem”……o seu exame acusou alta concentração de 7 keto portanto ele usou para ganhar vantagem.
    —————————————————————————————————–
    ele não usou suplemento, ja que seu teste acusou elevada proporção de 7 keto, se usasse suplemento seu teste indicaria baixa concentração ou traços de 7 keto, veja a diclaração da usada:
    ” amostra de Machida foi analisada em um laboratório autorizado pela Wada e reportado para a Usada por uma elevada proporção de 7β-hydroxy-DHEA para DHEA, ”
    fonte:
    http://sportv.globo.com/site/combate/noticia/2016/11/lyoto-machida-aceita-suspensao-de-18-meses-por-uso-de-substancia-proibida.html

    • André Guilherme Oliveira

      Cara, se eu beber 5 latas de cerveja e fazer um bafometro em seguida vai dar que tem uma elevada porção de álcool no meu corpo
      Se eu fazer o mesmo teste 8 horas depois vai dizer que tem traços de álcool no meu organismo.
      Não da pra julgar baseado nisso.

      • Fezes do Chacal

        amigo presta atenção, o resultado do exame acusou elevada proporção de 7 keto, veja a declaração da usada:
        “amostra de Machida foi analisada em um laboratório autorizado pela Wada e reportado para a Usada por uma elevada proporção de 7β-hydroxy-DHEA para DHEA, ”
        a fonte esta no link do meu comentario acima

        • André Guilherme Oliveira

          Sim cara, mas supondo que ele fez o uso do suplemento e logo em seguida foi testado, a concentração dele no corpo naturalmente seria alta, certo? Ou não é assim que funciona?

          • Fezes do Chacal

            Se suplemento possui uma concentração muito baixa de 7 keto, como que ele vai acusar elevada proporção no exame? impossivel

    • Quando eu disse que não acredito que tenha usado de propósito por conta da pessoa Lyoto, pelo que ele sempre passou como profissional. Mas foi pego e punido de qualquer forma

  • Fezes do Chacal

    Sem duvidas é importante esta atuação da usada/ufc para o esporte
    Existe uma realidade paralela a isso que é impossivel controlar, que é o doping no inicio de carreira:
    vou falar sem provar o que falo, o que rola nas academias
    – A maioria que entra para treinar em academia e pretende ter futuro no esporte, fica ansioso para aumentar o seu potencial rapido, lógico, nada melhor do que aumentar a força fisica e a massa muscular para um esporte que exige tanto como mma
    Qualquer academia vc encontra dicas de como conseguir anabolizantes em alta concentração, seja aqui no brasil ou no ultra vigiado mercado americano, fora a grande disponibilidade de anaboliantes em baixa concentração que estão disponiveis no mercado. A internet esta cheia de dicas sobre estes hormonios
    As mulheres se beneficiam demais com o doping no inicio de carreira pois a testosterona transforma o corpo de uma mulher em um corpo masculino, do mesmo jeito que estrogenio transforma o corpo masculino em corpo feminino

  • William Oliveira

    Concordo totalmente com você, também sou fã do Dragão mas em minha visão, nessa declaração ele foi infeliz. Bastante. A USADA está fazendo um favor para todos: atletas e fãs.

    O esporte está sendo legitimado, finalmente. O MMA sempre foi sobre os melhores artistas marciais, não sobre as melhores máquinas de combate, qualquer coisa que melhore a performance e seja ilegal faz com que a competição fique inviável, injusta e desproporcional. Vira freak show.

    Entretenimento deveria sempre ficar em segundo plano, afim de levar o ESPORTE ao próximo nível.

  • Tarley Guimarães Ferreira

    Quem acompanhou pride e ufc é quase que uma unanimidade dizer que preferia o pride(inclusive eu) que era mais entretenimento, e na minha opinião tudo melhor do que o UFC, provável que a grande maioria se dopava, cada um sabe seus riscos, eu prefiro tudo como era no pride, só acompanho o UFC porque estão os melhores lutadores, mas não gosto do evento em praticamente nada.

    • douglas karpinski

      Saudades chute de meta….

  • Mauricio
  • Daniel Piva

    Considero preocupante a quantidade de lutadores e fãs que acham que o problema é quem combate, não quem usa. Esta ser a principal discussão mostra o quão atrasado o MMA está como esporte. Além disso, evidencia o quão “sujo” era antigamente.

    • William Oliveira

      Com toda certeza. Ainda há fãs que colocam o entretenimento acima não só do aspecto esportivo mas também do bem estar e saúde dos lutadores, infelizmente.

    • Audrey Bonney

      Pior que reflete na vida pública também

  • Shotokan Karate

    Renatão que se cuide Leo, tu és o cara. Outro dia no forum comentei exatamente isso. Não é pq o MMA não é olimpico que não tem que ser rigoroso quanto a ética (ou várzea como tu bem citaste). Sou fã declarado do Lyotão até por ele ser da mesma escola de karate que a minha mas ele perdeu uma boa chance de ficar quieto com essa declaração. Show de bola o comentário.

Tags: , ,