A relevância do previsível Ben Henderson
estará em xeque no Bellator 183

Leo Salles | 19/09/2017 às 15:31

Moçada do Sexto Round,

Em vias da estreia do pesado Roy Nelson no Bellator 183 neste sábado (23), outro ex-UFC entra no ringue para ser manter relevante no esporte: Benson ”Smooth” Henderson, que enfrenta o brasileiro Patricky Pitbull na luta principal do evento.

Por que se manter relevante? Pelo fato de ter sido campeão do UFC da categoria mais concorrida (leves), ter se mudado para a maior rival da antiga empresa e até agora não ter se encontrado como um atleta de ponta que é.

Quando se fala em ”Smooth”, lembramos prontamente de sua movimentação no octógono, domínio de suas principais artes-marciais (taekwondo e jiu-jitsu, no qual possui faixas-pretas) e principalmente o seu irretocável preparo físico.

Em seus combates no UFC, era latente esses elementos no plano de luta de Henderson frente aos seus adversários, apesar de várias batalhas equilibradas. Porém, desde que perdeu o cinturão para Anthony Pettis no UFC 164 (de modo displicente, a meu ver), tudo mudou para o também ex-campeão dos leves do WEC.

Mesmo em combates que venceu de forma controversa (achei ele perdeu tanto para Gilbert Melendez na defesa de cinturão quanto para Josh Thomson), ”Smooth” tinha suas qualidades em evidência. Entretanto, mesmo aparentando estar na mesma forma, o ímpeto parece ter diminuído nas nove lutas seguintes (5-4 desde então).

Se meteu a pegar mais lutas com menos intervalos de preparação, combates de sobreaviso e,ainda, enfrentar  atletas mais pesados dos meio-médios (teve êxito contra Brandon Thatch, que tem um Q.I de luta bastante duvidoso).

Tenho 33 anos e pretendo lutar por mais cinco. Agora quero tomar conta da minha carreira no Bellator. Sou sortudo e abençoado  por não me machucar tanto e não ter prejuízos nas minhas lutas. Normalmente estou apto a lutar de novo no final de semana após meu último combate e por ventura faço lutas de jit-jitsu nesse tempo.  Assim, eu tenho um bom período de tempo para fazer grandes lutas, por cinturão ou não, e combates de sobreaviso. (…) O que posso controlar é fazer acontecer contra Pitbull no ringue e ter um bom desempenho, conseguir um nocaute ou uma finalização, algo que seja impressionante. Então, veremos se consigo o title-shot ou não. Mas se vencê-lo bem posso me colocar no topo novamente e esperar o que os matchmakers do Bellator farão”, disse ”Smooth” para o Telegraph.

Inclusive, sua estreia no Bellator foi contra o agora ex-campeão da categoria até 77kg, Andrey Koreshkov e ”Smooth” não teve chance alguma durante 25 minutos.

Voltou aos leves, sua divisão de origem, para encarar Patrício Pitbull, que veio dos pesos-penas. Venceu, porém o brasileiro lesionou a perna na metade do segundo round.

Experiência prévia contra um irmão Freire

Então, teve a oportunidade de lutar por mais um cinturão da organização: enfrentou Michael Chandler e, por 25 minutos, foi dominado pelo agora também ex-campeão da divisão, apesar de ter mostrado muita raça e disposição durante todo o embate.

Se, tão cedo na nova casa recebeu duas chances de titulo, em duas categorias distintas e perdeu em ambas, como Henderson se manterá relevante para o Bellator e para o próprio esporte? Afinal, será a quarta luta principal em quatro embates pela nova empresa.

Acredito que a previsibilidade de como tem lutado desde os tempos de UFC deixou-o propenso a ser carta marcada pelos seus adversários. Tão previsível quanto seus últimos resultados: das últimas 11 vitórias, nove foram por decisão dos juízes.

Apesar do preparo físico e disposição preponderantes, quem o enfrenta consegue ao menos igualar nesses aspectos e trazer uma ”novidade” (o nocaute de Rafael dos Anjos sobre ele não me deixa me enganar).

No Bellator, o que ficou claro até agora foram as agressividades, tanto de Koreshkov quanto de Chandler, que desnortearam o ex-campeão dos leves do UFC, que pouco produziu  efetivamente nesses embates.

Contra Pitbull, Henderson levou vários golpes, principalmente com chutes baixos, no primeiro round, até o brasileiro desistir por lesão no segundo.

Agora, contra Patricky, que é da categoria dos leves e possui mãos pesadas, fazer o mais do mesmo que vem apresentando podem o colocar em sérios problemas no combate.

”Smooth”, cuja contratação foi uma das mais faladas na época e que abriu caminho para outros ex-UFCs desembarcassem na companhia comandada por Scott Coker, está em risco de não ser mais relevante no atual momento. Nem para o Bellator, nem para o esporte.

Bendo chegou ao Bellator cheio de expectativa

Tudo que foi gasto por ele tem que ser recompensado. E o Bellator precisa de um retorno de Henderson para justificar o investimento feito. Provavelmente fará mais grandes lutas (no sentido de importância) na organização, mas, perdendo, vai diminuindo suas chances de sucesso.

Se não começar a ganhar no Bellator, a começar contra Patricky Pitbull, Henderson pode ficar no limbo na segunda maior liga de MMA do mundo, em divisões (leves e meio-médios) recheadas de bons nomes e muito agressivos.

Mesmo se vencer, não o vejo recebendo o title-shot automático. Apesar de Chandler ter perdido o cinturão para Brent Primus no Bellator 180 por conta de uma lesão, o provável é que a revanche seja casada e Henderson fique para trás.

Nomes como o próprio Chandler numa provável revanche, além do atual campeão da categoria, Derek Campos, Brandon Girtz e Josh Thomson, com quem tem contas acertar do UFC também, a meu ver, seriam boas pedras no sapato do atleta dos leves.

Se for para os meio-médios, será que encara de frente o campeão Douglas Lima, Rory McDonald, Lorenz Larkin ou o maluco-beleza Brennan Ward (acho que bater no semi-aposentado Josh Koscheck não teria graça)?

Até uma volta ao UFC essa altura seria desvantagem, pois tantos os leves quantos os meio-médios estão em polvorosa, com diversos atletas brigando pelo titulo.

Concordam? Acham que Ben Henderson virou um atleta previsível e, se perder para Patricky Pitbull, estará em questão sua relevância tanto no Bellator quanto no MMA?

Vamos bater um papo nos comentários!

Abraço!

  • KRS Porlaneff

    Se perder pro Patrick, na boa: se mata!

    • André Guilherme Oliveira

      O Pitbull com cacife pra ser campeão nas duas organizações e o outro. Patrick é bem marromeno

      • KRS Porlaneff

        Marromeno pra menos, só se for.

  • William Amaral

    O que falta é apostar no Grappling ao invés de pagar de trocador. Levar os caras pro chão ou pra grade e acabar com o gás dos adversários. O que ele sempre pôde fazer, mas não quis. A luta contra Jim Miller tem que servir de referência para que volte a ser uma das grandes forças dos leves. O cara é o único lutador de MMA que vi que ao término de uma luta de 5 rounds, está pulando como se tivesse aquecendo pra luta. É sinistro demais.

    • Rodrigo Tannuri

      O cardio dele, Guida e Edgar é algo fora do normal. Isso é uma arma e tanto no MMA 🙂

      • é uma arma e tanto se ele também mantiver o nivel de luta… que é o que acho que o Bendo tem pecado.

    • Realmente o cardio do Henderson é sinistro. Mas foi que falei, se o adversário chegar no mesmo ritmo que ele pode levar vantagem pois Bendo não tem mostrado nada demais na luta em pé tampouco no solo.

  • Alexandre Rafagnin

    Não que seja culpa diretamente dele, mas parece que a vida agora está cobrando o preço do Ben “split decision” Henderson pelos infinitos garfos no UFC…

    • Deixar nas mãos dos juizes têm seu preço. E ele foi um dos que mais fez isso e não tem muito do que reclamar. Vencer 9 de 11 por decisão é confiar demais nos outros.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Melendez do Bellator! -n

    Realmente as performances dele estavam bem abaixo, essa próxima luta é praticamente um ultimato pra ver a relevância dele.

  • James Williams

    Pior que ele pegou uma luta muito para se recuperar.
    Se ele deixar o Patricky chegar perto dele vai ser nocauteado.

    • Acho que faltou um adjetivo ai na sua frase..hahahahahahah. Acredito que seja ”perigosa”. Se for, concordo inteiramente. Acho que o Bendo vence porque ele vai se movimentar, bater, sair, fazer finta…vai levar a luta no cansaço do Pitbull.. mas se ficar de alvo pode tomar um prejuízo danado.

      • James Williams

        Valeu!hahahaha
        Pois é! Bendo se movimenta muito e ponde acabar cansando o Patricky. Agora, se ele achar a distância? aquele abraço! hahaha

  • Tiago Nicolau de Melo

    Desde as duas cntra o Edgar , fora o Diaz e o Khabilov, ele só “perdeu” de lá pra cá… talvez do Cerrone ele tenha ganho, mas mereceu o garfo inverso.

    • Acho que foi a única luta que foi garfado na carreira. Mas as que eu falei no texto eu até hoje acho que ele não venceu nenhuma delas.

  • Renan Arruda

    Não sei se esta será uma luta de 3 ou 5 rounds, porém o Henderson precisa colar no Patricky se quiser uma vitória! O Patricky é muito forte para esta categoria e tem punhos muito afiados! Não sei se o Henderson possui o mesmo queixo de antes para ficar trocando pancadas com um atleta mais jovem e mais forte fisicamente.

    • Renan Arruda

      Que sirva de exemplo para o Henderson o que o Patricky fez contra o Josh Thompson

      • Acho que serão 3 rounds. Pelo menos as lutas principais que não valem cinturão no Bellator tem sido dessa forma.

  • Rafael Alves

    A primeira mudança ja ta na declaração. Pra quem faria mais um ano e depois serviria o exercito dizer que lutará mais cinco me parece um novo gás…
    Vamos ver se isso se reverte na atuação

  • Mario Quitano

    Depois que o Henderson tomou uma surra do Rafael, ele nunca mais foi o mesmo…

    • Também acho que foi depois do embate com RDA que ele começou a decair

  • Ícaro

    Torço pra que esse cara se de bem por lá

Tags: , , ,