Flashback: quando não havia
dúvidas sobre Luke Rockhold

Lucas Carrano | 14/09/2017 às 14:52

Amigos do Sexto Round,

No próximo sábado, o octógono desembarca em Pitsburgh, Pensilvânia – um dos polos industriais norte-americanos e terra da Heinz, dos Steelers, dos Pirates e dos Penguins – para um Fight Night com cara de pay-per-view.

UFC Fight Night 116 está recheado de grandes combates e será encabeçado pelo retorno do ex-campeão dos pesos médios Luke Rockhold, que enfrenta o ex-campeão de duas categorias no WSOF David Branch.

Vitória sobre Jacaré em 2011

Antes do produto da AKA entra no octógono, no entanto, muitas dúvidas pairam sobre o resultado final deste duelo e, principalmente, sobre o desempenho de Rockhold no duelo diante do perigoso Branch.

Mesmo em caso de vitória, aliás, o cenário não é dos melhores para o ex de Demi Lovato, já que após Michael Bisping Georges St. Pierre, a vez é do campeão interino Robert Whitakker e é bem provável que Luke tenha que fazer pelo menos mais uma luta antes de sequer pensar em título novamente.

Mas as coisas nem sempre foram assim. Houve um tempo, não muito distante, em que Rockhold não era sinônimo de interrogação, mas de certeza para os fãs.

Voltemos a 2011. Rockhold, um então jovem nascido em Santa Cruz, a menos de meia hora de San Jose, sede de sua academia American Kickboxing Academy e também do Strikeforce, estava assinado com a organização de Scott Coker e vinha simplesmente “tratorizando” todo mundo na divisão até 84kg.

Último campeão até 84kg do Strikeforce

Sem jamais ter visto sequer o segundo round em sua vida, com direito a cinco finalizações seguidas pelo evento californiano e um nocaute avassalador pra cima de Paul Bradley, Rockhold foi alçado à condição de desafiante número um ao brasileiro e então campeão Ronaldo Jacaré.

Em 10 de setembro, no mesmo card que teve Daniel Cormier Antônio Pezão e a brasileira Amanda Nunes sendo derrotada por Alexis Davis na porção preliminar, Jacaré e Rockhold se enfrentaram em um confronto que gerou controvérsia por parte do brasileiro.

Jacaré era absurdamente favorito nas casas de apostas (com cotação de -600), enquanto Rockhold aparecia como franco-atirado e azarão (+400, ou, pagando quatro vezes o valor investido a quem apostasse nele). Apesar da pouca experiência em lutas longas, Rockhold mostrou muito gás e compostura para levar o triunfo em uma decisão unânime.

Embora a luta tenha sido bastante equilibrada e o triunfo do norte-americano não possa ser tachado como ilegítimo (eu, particularmente, assinalei sua vitória por três rounds a dois na peleja), foi a marcação de um dos juízes que tirou Jacaré do sério.

Enquanto dois jurados deram um apertado 48×47 em favor do desafiante, um dos árbitros assinalou um dominante 50×45 que, definitivamente, não representou o que transcorreu ao longo dos 25 minutos de luta na ocasião.

Nem mesmo a derrota pra Belfort o freou

Polêmicas a parte, Rockhold havia chegado ao topo da segunda maior organização de MMA do planeta e parecia se sentir extremamente à vontade por lá. Duas defesas de cinturão tranquilas depois, com triunfos soberanos sobre Keith Jardine Tim Kennedy, e ele chegava ao UFC com a banca de estar na crista de uma das divisões mais cascudas fora do Ultimate à época.

Em sua chegada ao octógono, no entanto, Luke chegou como favorito, mas sofreu um baque – e que baque – diante de Vitor Belfort em Jaraguá do Sul. Entrento, apesar do revés, as expectativas em torno do ex-campeão do Strikeforce não pareciam diminuir.

Após um tempo afastado, ele retornou em 2014 e pegou Costas Philippou, despachando o cipriota com um chute no corpo que deve ter transformado o fígado do rival em foie gras instantaneamente. Menos de três meses depois, a vítima foi Tim Boetsch, que sucumbiu para um triângulo de mão invertido – direto do repertório “esquisitsu”, como ficou apelidado por Marcus Buchecha.

Rockhold enfileirou quase toda a divisão dos médios

A seguir, foi uma guilhotina pra cima de Michael Bisping e uma atuação de gala terminando com um mata-leão diante de Lyoto Machida no title-eliminator e, com quatro vitórias seguidas, todas por finalização ou nocaute, lá estava ele finalmente com a chance de lutar pelo título.

O adversário? O à época invicto Chris Weidman, que vinha de uma série arrasadora de vitórias, incluindo nocautes sobre Anderson SilvaVitor Belfort e uma decisão bastante segura pra cima de Lyoto Machida.

O duelo sempre foi apontado como extremamente equilibrado desde seu anúncio e, mais uma vez, as odds ajudam a entender isso. A variação nas previsões de casas de apostas foram mínimas, com Rockhold oscilando entre -115 e +125 durante as semanas que antecederam o duelo.

Título chegou com vitória sobre Weidman

O combate, como se previa, começou bastante equilibrado, mas a partir do segundo round o jogo virou para o lado de Rockhold, que meteu um sonoro triplo 10×8 no terceiro (após aquele chute rodado do campeão que até hoje repercute negativamente). O nocaute, via banho de sangue, veio no quarto round e com ele o tão aguardado título dos médios.

Extremamente versátil, muito completo e no auge de sua forma física, Rockhold parecia ter chegado pra ficar como campeão por muito tempo.

Sua primeira defesa de título seria justamente Chris Weidman, a quem batera de forma clara pouco menos de seis meses antes. Rockhold era desta vez favorito absoluto para o duelo contra o All-American e já se falava de uma possível revanche contra Jacaré, ou mesmo um encontro com Yoel Romero.

Pois tudo mudou, e aparentemente o mundo virou de cabeça pra baixo desde então, no dia 17 de maio, duas semanas antes da luta, quando Weidman se lesionou e foi substituído pelo único peso médio disponível àquela altura: Michael Bisping.

Apesar de vir da maior vitória de sua carreira, sobre Anderson Silva, Bisping não impressionava nem um pouco, já havia sido dominado pelo rival no primeiro encontro e sequer teria tempo para se preparar para a luta. Favas contadas, todos pensaram (com Luke chegando a abrir -900 de vantagem nas cotações antes do evento).

Derrota pra Bisping foi inesperada e arrasadora

O resultado?

Rockhold levou a luta muito a sério, teve a apresentação da sua vida e simplesmente atropelou Bisping naquele 4 de junho… só que não.

Alguns fãs mais amargurados se referem àquele episódio como o “Dia que a categoria dos médios morreu”. Talvez não seja pra tanto, mas não dá pra deixar de responsabilizar Luke Rockhold sempre que Bisping (que, não me entendam mal, teve uma história de cinema para se tornar campeão) apronta alguma.

De lá pra cá, sem nada de novo para apagar a última, e péssima, imagem, Luke Rockhold segue convivendo com algo a que ainda não havia se acostumado na carreira: dúvidas.

O ex-campeão espanta a nuvem negra e sucumbe diante das incertezas?

Talvez daqui a uns anos esse episódio renda um novo Flashback.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Vitor BelforTRT com short vermelho da Sky é semi-imbatível, Rockhold sentiu na pele isso… mas não falando que ele é mal lutador, mas é um mala, vibrei quando o Bisping deixou ele grogão sentado na grade, me arrependo como 99% das pessoas que também fizeram o mesmo, mas ainda não simpatizo com ele… pra mim tanto faz se ele ou o Branch vencer.

    • Igor Martins

      belfa com o shortinho vermelho da sky e trt on essa foi boa kkkkkk realmente naquela época era osso sobreviver as investidas do capiroto..

  • DOTA 2 Rei Macaco

    quem realmente acreditava no MB, se nem seu filho tinha fé, realmente é uma das maiores zebras do MMA moderno, e pensar que a maioria vibrou com isso por achar o Cockhold um malinha, hahahahhahha, acho que ele vai ganhar bem essa luta, e desafiar alguem do top 3 pra ganhar um TS, se tiver motivação esse tem que ser o caminho, pq ta sem moral pra exigir muita coisa.

    • Idonaldo Gomes Assis Filho

      “Rockhold mala, Bisping representa o trabalho duro, merecido, campeão digno” Dá vontade de voltar no tempo pra eu bater em mim mesmo por pensar isso na hora…

      • Tairon de Oliveira

        Não é por estar ele agindo como um covarde, que devemos tirar o mérito do Bisping. Ele chegou lá com muito esforço, mas chegou.

        Agora, a postura dele como campeão… daí é outra história.

        • Idonaldo Gomes Assis Filho

          Ele me obriga a fazer isso infelizmente kkk

      • Lero

        A culpa é do UFC. Um campeao deve ser escravo do cinturao. Um campeao no debe poder escolher lutas. Só fizera bem co a de Randamie. E faziam bem com o Anderson.

  • Lorenzo Fertitta

    Quem vencer essa luta provavelmente ficará em 2º ou 3º lugar no ranking e demorará um bom tempo para voltar a lutar, afinal a categoria está emperrada até que o vencedor de Bisping X GSP enfrente Whittaker. Somente então o vencedor de Rockhold X Branch enfrentará Romero como TS eliminator. Será?

    • Igor Martins

      por aí…agora mais do que nunca com whittaker campeão interino. esperar mais essa luta pro bisping, e o vencedor lutar com whittaker. nesse espaço de tempo ja se vai até a metade do ano que vem provavelmente..o surfista mala vai ter que fazer mais uma luta, isso senão perder pro brancth ou tiver mais uma lesão.

      • Lorenzo Fertitta

        Pois é, as expectativas para o desenrolar dessa categoria são as piores possíveis. O campeão só faz moneyfights, o risco do campeão interino ter bypassado pelo Woodley é alto e os demais tops vão ficando pra trás.
        São muitos lutadores tops da categoria que estão com idade avançada e não tem motivação para lutar, haja vista que não há expectativa de subir no ranking ou chegar ao TS tão cedo: Romero, Jacaré, Anderson, Boetsch, Lyoto, Branch, Belfort, Thales, etc.

  • franquiaoi

    Uma dúvida: o chute que Luke deu no Costas Philippou, DEPOIS que ele caiu, é ilegal ?

    • William Oliveira

      Acho que foi no corpo, e se foi, é legal sim.

      • franquiaoi

        Só não pode na cabeça, é isso?

        • William Oliveira

          sim, aí é oponente derrubado e não pode chutar/dar joelhada

  • Igor Martins

    esse rockhold é uma mala, rapaz nunca vi um cara tão soberbo numa luta qto esse contra o bisping, alguns ainda utilizam um personagem, brincam pra tentar desestabilizar o oponente, mas esse é babaca mesmo, é um bom lutador versado nas tres areas do mma, mas ainda acho que jaca, romero e whittaker lhe apresentam lutas duríssimas e torço pra ele perder concerteza.

  • André Guilherme Oliveira

    Sinceramente, valeria mais a pena um Flashback sobre o David Branch. Não existem duvidas sobre o Rockhold.

  • William Oliveira

    Vale lembrar que ele correu do Jacaré descaradamente, não quis de jeito nenhum a rematch, que ainda tenho o Jacaré de favorito.

    • Jp Mikelane

      Com movimentação de poste do Jaca. O boçal leva tranquilo.

      • William Oliveira

        Tranquilo, aham, igual da última vez..

  • João Lucas

    Luke é um grande lutador porém é prepotente, se entrar lá achando que já ganhou e fazer bobagem, pode acabar nocauteado.

Tags: , , , , , ,