Pensando Alto: a Análise
Informal do UFC 215

Lucas Rezende | 10/09/2017 às 03:23

Após o deprimente UFC 149, Dana White estava em débito com a cidade de Edmonton no Canadá.

Com o UFC 215 encerrado, considerem a dívida quitada. Entre múltiplos nocautes, finalizações e disputas acirradas, o evento entregou tudo que prometeu e ainda salpicou um tantinho assim de polêmica antes do fechar das cortinas.

Nem mesmo a imensa falta de Demetrious Johnson, Ray Borg, Júnior Cigano e Francis Ngannou pareceram abalar o card.

Não acreditam? Me acompanhem.

Amanda Nunes x Valentina Shevchenko

O meu dicionário pessoal de MMA possui diversas definições para o termo “luta técnica”. Ora pode significar um combate muito moroso, ora o significado pode mudar para um embate onde a tensão é tão grande que é quase uma terceira presença no octógono. Ainda existem vezes onde é tudo isso batido no liquidificador. É como eu rotularia a revanche entre Amanda Nunes e Valentina Shevchenko. Houve tensão o tempo, assim como certas horas foram morninhas igual banho de bebê. Amanda ataca, Valentina revida. Valentina bate, Amanda responde. 25 minutos de muita repetição, estudo e cautela que uma disputa de cinturão sempre requer. Eu diria que a qualidade primordial de Amanda Nunes, e também aquela que lhe garantiu a vitória hoje, é o seu autoconhecimento. A baiana sabia que não tinha condições de lutar há dois meses, quando acometida por uma crise de rinite alérgica, e também sabia que jamais poderia enfrentar Valentina Shevchenko como enfrentou Ronda Rousey ou Miesha Tate. Principalmente por cinco rounds. Este mesmo senso de preservação apurado foi o que custou muito da emoção da disputa, mas foi o esforço inteligente que, no quinto round, lhe permitiu afanar os juízes com duas quedas bem aplicadas, porque ainda existia gás para tal. Confesso que, apesar de tudo, ainda concedi vitória à desafiante, mas francamente, não há espaço para revolta em lutas como esta. Guardem seus tridentes e tochas para outra ocasião. Por fim, Amanda provou que pode defender sua cinta num combate prolongando, embora precise converter a explosão em durabilidade, sacrificando o espetáculo (alô, Tyron Woodley!). Uma atuação consciente de Amanda Nunes, que hoje deixou a Leoa enjaulada.

Rafael dos Anjos x Neil Magny

Poucos sabem, mas saudoso de participar de um outro seminário de jiu-jítsu de Demian Maia, mas sem grana para pagar a viagem até o Brasil, Neil Magny agendou uma aula rápida com Rafael dos Anjos, em Edmonton. Malandro como bom verde-e-amarelo, RDA cobrou por 15 minutos, mas só entregou três, levando Neil Magny pro chão sem explicar muito bem o passo-a-passo dos movimentos e encaixou um katagatame apertado demais para uma demonstração. Péssimo professor, não recomendo. Causos à parte, Dos Anjos passa pelo segundo desafio nos meio-médios ainda sem sentir o calor de uma das categorias mais infernais do UFC. Magny jamais será campeão, mas é um porteiro respeitável e deveria, supostamente, causar incômodo ao brasileiro com seu tamanho e envergadura avantajados. Rafael não leu o roteiro. Com dois triunfos na categoria e um cinturão nos leves ainda recente, não duvido que demorarão tão mais para apresentar o brasileiro o Top 5 (vulgo sétimo portão do inferno).

Henry Cejudo x Wilson Reis

Se existia dúvida sobre qual foi a melhor performance da carreira de Henry Cejudo, considerem a discussão enterrada. Entre um campeão olímpico de wrestling freestyle e um faixa preta de jiu-jítsu, era de se esperar que esta contenda acabasse definida em pé. Só não se imaginava que tão ferozmente. Cejudo foi límpido com seu boxe do início ao fim, passeando pelas avenidas que Wilson Reis abria só para ele. A temporada junto aos Irmãos Pitbull parece ter ensinado um truque ou dois ao americano, que fez questão de agradecê-los após a luta. Wilson Reis poderia agarrar a dica para depender menos de overhands com a cabeça vidrada no chão, rezando para acertar alguma coisa, e dos cruzados saídos diretos do manual de boxe de Todd Duffee. O primeiro nocaute de Cejudo no UFC deixa uma impressão de evolução constante e um cheirinho de “quem sabe?” numa possível revanche contra Demetrious Johnson, por falta de mais desafiantes experientes e pelo bem dos verdes Ray Borg, Sergio Pettis e companhia.

Jeremy Stephens x Gilbert Melendez

No açougue do árbitro Jerin Valel só entra carne desossada. O que explica porquê ele permitiu que Jeremy Stephens açoitasse a perna direita de Gilbert Melendez repetidamente, na esperança de que sua tíbia fosse disparada para fora do Rogers Place, em Edmonton. Ainda no primeiro assalto, Stephens avariou a perna de Melendez ao ponto onde Gilbert se encontrou impossibilitado de sustentar o próprio peso. O árbitro interrompeu? Não. A equipe de Melendez interveio? Não. Um médico entrou correndo no octógono e ordenou que cessassem a insanidade? Claro que não. Aliás, todos concederam permissão para que o pobre Gilbert retornasse lá para dentro, round após round, contra um dos lutadores mais fortes da categoria. Minha única surpresa ao fim da luta foi ver que Melendez ainda conseguia se manter de pé, talvez por pacto com o tinhoso. Aliás, muito me interessa saber se este mesmo pacto o protege da guilhotina do UFC, pois esta marca sua quarta derrota consecutiva e o deixa com o nada belo cartel de 1-5 no Ultimate. Cabeças rolarão?

Menções honrosas:

  • O domador de elefantes, Zangief da vida real e bulldog humano Ilir Latifi não tomou conhecimento do hype por trás do australiano Tyson Pedro e não hesitou em arremessa-lo contra o tablado de cabeça, a toda oportunidade que lhe aparecia. Retorno estratégico, de olho no resultado positivo, após o nocaute brutal sofrido contra Ryan Bader.
  • Ketlen Vieira traz um pouco de ironia poética ao octógono, finalizando Sara McMann com a finalização predileta da americana: o katagatame, após sofre no primeiro assalto. Invicta, a manuara pula direto para o Top 10 de uma divisão árida.
  • Dois anos afastada fizeram bem para Sarah Moras. A veterana do TUF 18 laçou o braço da favorita Ashlee Evans-Smith num movimento sorrateiro ainda no primeiro assalto e não parou de puxar até arrancar os três tapinhas. Ferrugem aonde?
  • William Oliveira

    Puta garfada, das brabas. Já vi muitas piores, claro, mas essa ainda sim foi feia, pra mim foi um claro 48-47 pra Valentina com espaço pra interpretação 49-46, mas jamais 48-47 Amanda.

    Eu estava torcendo pela Leoa e também achei que ela ganharia, mas não desse jeito, não nessa luta feia e com esse gameplan estúpido, sorte que o fucking Sal D’ Amato era um dos juízes, esse fudido tinha que ir pro boxe, lá resultados desse tipo são comuns e esperados, no MMA nem tanto.

    Fiquei puto e decepcionado com a performance da brasileira, mas foda-se, acho que agora ela vai manter o cinturão por um bom tempo porque essa categoria jamais esteve pior, as contenders atuais seriam Holly Holm 1-3 nas últimas lutas e Julianna Pena vindo de derrota, que merda.

    ————————-

    Pelo menos tivemos uma grande performance do RDA, mito monstro, e da Ketlen, que deve estar a luta de titleshot agora. Os dois terão minha torcida na luta que vier!

    • Diogo Santos
      • William Oliveira

        FightAnalytics e CompuBox são as duas ferramentas mais inúteis da história do MMA/boxe e qualquer um que os utilize em uma discussão deveria se envergonhar de o fazer, recomendo um artigo simples e pequeno sobre o porquê é errado faze-lo, afim de evitar passar vergonha novamente: https://www.ringtv.com/504082-commentary-pacquiao-horn-compucroc/

        • Lucas Venagas

          bom é o FAN scoring

          • William Oliveira

            Melhor do que um cara apertando botões, que é o procedimento desses “dados da luta”

          • Lucas Venagas

            é tudo bobagem,geralmente quem recorre a esse site de estatisticas é pq quer contestar algum resultado que nao concorda e se nega a aceitar,a luta foi parelha,poderia ir pra qualquer uma
            eu vi vitoria da Nunes,mas seria aceitavel se marcassem vitoria da valentina nao existe motivo pra choradeira em uma luta dessas

          • William Oliveira

            Quem tá recorrendo a esse site é quem quer solidificar a vitória de quem torcia, negando o garfo, tão “bobagem” quanto a atitude que vc descreveu, certo?

          • Marco antônio

            Quem está usando é o pessoal que quer defender a vitória da Amanda.

          • Malk Suruhito

            “Só apertando botões”…

            “Assim como qualquer mágico vai dizer a você, a mão é mais rápida que o olho. Golpes se movimentam tão rapidamente que é impossível realmente dizer o que pegou e o que não pegou em muitos dos casos. Os dados que nós produzimos ao vivo não são oficiais. São dados bons o suficiente para uma rápida olhada em quem deve ter vencido, mas nós nunca confiamos nesses dados para registros oficiais nem para mostrar no nosso site ou no do UFC.

            – Vocês fazem algum tipo de revisão, uma recontagem em super câmera lenta ou algo assim?

            Como mencionado acima, os dados coletados em tempo real não são precisos o suficiente para propósitos oficiais. É por isso que nosso procedimento oficial de coleta de dados requer o uso de replay em super câmera lenta para irmos quadro a quadro se for necessário. Essa é a única maneira que podemos obter os dados humanamente mais precisos possível.”

            http://mmabrasil.com.br/como-funciona-o-fightmetric-e-o-trabalho-de-coleta-de-estatisticas-nas-lutas-de-mma

        • Marco antônio

          Digitei com o pé porque estou aplaudindo. Quem usa essas estatísticas que contam até soquinho na mão do adversário pra medir distância quer achar desculpa pra defender sua opinião ou não entende nada.

  • William Oliveira
    • Bruno Machado

      isso ai é opinião de fã, é logico que quem entrou pra dar a opinião foi os fãs amargurados da valentina.. isso nao quer dizer bosta nenhuma

      • Carlos Montalvão

        “PER ROUND” (soma-se a falta de efetividade de Nunes após a queda, quando continuou sendo golpeada sem reação)

        https://uploads.disquscdn.com/images/c957f2a71d694a84c46d796de702ead2a7d547327a2392d1bf5aad5f0cc5d4cb.jpg

      • Carlos Montalvão

        Esse é do site oficial do UFC, disponibilizado em tempo real pelo Fight Metric, muito mais confiável que aquela piada do Fight Analytics que o UFC deveria ter vergonha de mostrar, além de passarem só a somatória de geral e em números totalmente viajados.

        https://uploads.disquscdn.com/images/ef325f779979accfb85869eb9defecc7ee8dc75b893c5a2ad8716c04ac86c7c2.jpg

        O outro postado também é do Fight Metric, porém atualizado. De qualquer maneira, vimos que Amanda não teve efetividade nenhuma no chão após quedar e mesmo por cima continuou sendo golpeada, ao mesmo tempo que “venceu” o round final pela queda, “perdeu” por pontuação de socos e cotoveladas, que são os primeiros critério usados numa análise no MMA, poderia então sido empate. Ao resto da luta, foi mais sobre-golpeada em pelo menos três rounds

        • Lucas Venagas

          nao importa cara
          nada que seja baseado em fã pode ser levado em conta
          é obvio que os fãs da valentina que é bem mais popular que a amanda ( basta lembrar das vais que ela toma antes da luta começar) Vão votar a favor dela,mesmo que queiram ser isentos a maioria nao iria conseguir e realmente acabariam enxergando a vitoria dela em luta parelha

    • Tiago Nicolau de Melo

      E na dos juízes, também.

  • Anderson Tomaz

    Pra quem é viciado nesse esporte que nem eu (mas foi dormir depois da Woodley x Thompson 2 – WMMA version), resuminho do que as protagonistas do ME declararam na post-fight press conference :

    – Valentina declarou que não vai descer pras 125 sem antes ter a vitória que merece em relação a Amanda. Deu a entender que se for preciso refaz o caminho pro TS novamente;

    – Valentina disse que está pensando em apelar, em que pese reconhecer que esses tipos de recursos nunca dão em nada;

    – Amanda disse que a estratégia sempre foi lutar os 5 rounds, por isso não se estressou em tentar nocautear ou finalizar (acredita quem quer, cof cof);

    – Amanda disse que não luta mais esse ano (em virtude de cirurgia que fará pra amenizar a questão respiratória/sinusite);

    – Amanda declarou que na opinião dela deveria ter ganho por UD, que ’’no máximo’’ perdeu o 4º e dominou a luta toda;

    – Em relação a uma possível terceira luta Amanda disse que não vê problemas, desde que isso surja ’’naturalmente’’ (no sentido de que o melhor é esperar a divisão se desenhar mais um pouco);

    – Um jornalista soltou que Raquel Pennington deve ser a próxima desafiante e Amanda desconversou, no sentido de que ’’temos que ver o ranking primeiro’’, algo assim.

    ADENDOS:
    – Amanda Nunes chamou atenção do Luciano Andrade em entrevista pro Sensei.
    Disse que da próxima vez é pra ela ser mais ’’positivo’’ em relação a torcer por ela e/ou duvidar da questão do gás;

    – Disse que entrou no 8 com a mente lá na Florida. Que trocou de casa/carro há pouco, e que tava com medo do Irma ter passado por lá e ter levado/atingido o que ela demorou tanto tempo pra conseguir

    • Beto Magnun

      lol nem lembrava mais da Pennington.

    • Malk Suruhito

      Quanto a Shev apelar, todas aquelas coisas que não contam aos juízes e sim aos comentaristas (like Artur Mariano) como domínio do Cage, agressividade, etc, todos estes foram da Amanda. O que conta para os júizes são os números reais de golpes acertados. E bem, neste, pelo FightMetrics também estão a favor da Amanda:
      https://uploads.disquscdn.com/images/f4b289f1896789a962f108daa6966e7ecc40763e436390617ba7309a3454ca67.jpg

      • Thiago Gon

        Domínio de cage e andar pra frente não contam mais, salvo engano.

        • Malk Suruhito

          Por isso que eu disse que só contam a comentaristas, quando estes justificam suas pontuações.

      • Shotokan Karate

        Realmente não conta mais e eu sou ultracritico quanto a isso que considero como “lutas nutella”. Se cara quer ver beleza que vá a um show de ballet ou então ginástica. Lutas desde as Olimpiadas pré-históricas sempre foram sinônimo de sangue nos olhos, agressividade e porrada.

        • Malk Suruhito

          Futebol na antiguidade também era jogado com cabeças humanas. Boxe era até um dos dois caírem e MMA só não valia dedo no olho e fish hook. Não adianta discutirmos sobre regras que não serão usadas, só podemos falar sobre os vencedores dentro dos critérios de avaliação permitidos. E se vc é competidor de Karatê sabe bem melhor quanto a regras do que eu.

          • Shotokan Karate

            Malk uma coisa é civilizar mais o esporte outra é, com o perdão da palavra, as bichices que essas comissões estão fazendo com as lutas. Ok em preservar a integridade de lutadores mas sem tirar a essência da luta que é justamente a agressividade e o sangue nos olhos. No próprio karate mtos contestam a WKF (a entidade que levou o esporte as olimpiadas) com alegações de que ela está matando a essência do karate no que concordo veementemente. Vejo combates que os arbitros dão vitorias a caras pq “eles socam mais bonitinho” ao invés de valorizar o espirito de buscar a luta.

    • J Campelo

      Boa análise da conferência pós-luta!
      Ta aí uma boa sugestão ao site do 6R, sem querer pedir demais.. Kkk

    • Malk Suruhito

      Essa parte do primeiro adendo, eu concordo também em 100%. O que não faltou foi gente batendo nesta tecla do gás, por conta da primeira luta dela com a Schev ou a Zingano, mas ninguém levantava a bola de que em ambas ela se preparou para lutar 3 rounds, aos quais ganhou os dois primeiros. Para uma luta de 5 rounds, logicamente a preparação e a estratégias seriam diferentes. Quem pontuou isso muito bem foi o Dan Hardy, dizendo que não tinham como duvidar de gás dentro da preparação da ATT, pela experiência dos mesmos em lutas do tipo.

    • Rudá Corrêa Viana

      Independente de concordar ou discordar de sua análise, obrigado por trazer essas informações ao site. Vlw.

  • Lucas Venagas

    Que evento ruim
    e que ME ruim,pqp
    so faltou a luta do DJ pra completar a desgraça

    • Anderson Tomaz

      kkkkkkkk
      segundo o combate, a equipe/manager do DJ já está entrando em contato com a do Ray Borg pra estudar uma possibilidade de luta no 216, tipo… wtf

    • Marco antônio

      Evento ruim? Só teve luta legal de assistir, tirando o ME, o resto foi bem divertido.

  • João Vitor Xavier

    Sensacional, Rezende…manual se boxe do Todd Duffee foi excelente! Kkkkkk

  • Beatriz Britto

    Amanda ganhou a luta! Sempre andando pra frente e acertando mais golpes!!

  • Igor Bittencourt

    Toda luta de cinturão eh a mesma coisa, parece que os fãs e os próprios lutadores não tem muita noção de como destronar um campeão. O detentor do cinturão tem uma vantagem enorme pq, além do empate o favorecer, qualquer luta mais ou menos onde houver qualquer tipo de dúvida o resultado será o cinturão permanecendo com o atual campeão. Quer ser vitorioso como desafiante numa disputa de cinturão? Ou finalize a luta ou seja completamente dominante a ponto de não deixar dúvidas, como fez o garbrandt.

    • Carlos Montalvão

      O problema é que quem é 100% contra-golpeador dificilmente vai sair de sua zona de conforto, vimos isso 2x com Stephen Thompson, agora com a Valentina. Pra mim, as duas focaram demais no símbolo-cinturão do e esqueceram da luta em si, da vitória sem questionamentos. Valentina foi a mesma de sempre, porém graças ao medo da Amanda de perder ter sido maior do que a vontade de vencer, além do comodismo de ter o favorecimento dos juízes em caso de luta semi-empatada, por já ser campeã, ditou o péssimo ritmo da luta. O que me surpreende foi a insegurança de ambas, seria normal para uma primeira batalha, entre um striker ofensivo contra um defensivo, agora depois que já se conheceram, tiveram 6 meses pra treinar pra REVANCHE e entregaram uma das melhores lutas femininas ano passado, que foi violenta e dinâmica, é broxante demais. Nenhuma das duas precisava ter ficado tanto na defensiva. Inclusive poderia ter ido para qualquer um dois lados mas sem precisar de juizes com posicionamento questionáveis a favor dos campeões

      • Tarley Guimarães Ferreira

        Mas você quer que a Amanda arrisque seu cinturão indo pra cima da Valentina que como você disse é uma contra golpeadora ou seja, entraria no jogo dela?E a questão da sinusite, corte de peso e pouco gás para 5 rounds que ela estava sendo questionada sobre isso também contam muito.Disputa de cinturão chata a culpa é sempre do desafiante na minha opinião, quem quer ser campeão vai lá e faz o que o Fedor fez com o Minota, Jones com Shogun, Velasques com Cigano entre muitas outras.

        • Carlos Montalvão

          Não tem que meter o Werdum ou Aldo correndo pra cima igual uma maníaca, mas não precisa também dar uma de Woodley. Miocic e Jedrzejczyk vão pra cima na boa, adotam a postura meio-termo independente do oponente ser ofensivo ou defensivo

          • Tarley Guimarães Ferreira

            Mas os 2 que você citou Carlos (Miocic e Jedrzejczyk) são strikers, é mais fácil para eles, leva-se em conta também lutas de 5 round onde gás tem de ser dosado, o adversário que no caso da Amanda que é o assunto central ela enfrentou uma adversária muito resistente que ainda não vimos nocauteada, vamos pegar a defesa anterior dela, ela aposentou a Ronda em menos de 1 minuto ou seja, os estilos fazem as lutas.Grande abraço!

    • Hyury De Carvalho Rabêlo

      Simples assim. Perfeito.

    • Shotokan Karate

      Cara concordo com o que tu fala só que com uma diferença. Na luta Garbrandt vs Cruz a luta tava bem equilibrada até o 4 Round quando Cody aplicou uma sucessão de knockdowns que pra mim foram o que decidiram aquela luta. Acho que um exemplo que fecha melhor com teu comentário foi Rafael vs Pettis. Nesse sim o Rafael dominou os 5 rounds e não deixou a minima margem pra dúvidas.

    • Celso S

      Cara, tirou as palavras da minha boca… eu ia falar exatamente isso!!

  • Carlos Montalvão

    Excelente narrativa sobre o RDA, merecia até uma música digna, válida para os caras que terão a vida transformada no inferno pelo Rafael ou que farão da vida dele mais quente na hora da luta kkkkkk:

    https://www.youtube.com/watch?v=etAIpkdhU9Q

    • Lucas Rezende

      Podia ser Highway to Hell, pra todo mundo que vai tentar a sorte no meio-médio, haha.

    • Shotokan Karate

      Essa musica pra mim virou tema do Eder Jofre kkkkkkkkkk. Acho que pros adversários pro Rafael cabe mais essa:
      https://www.youtube.com/watch?v=Kvqr366Op3k

  • Caio Andrade

    Cejudo é campeão olímpico de Freestyle, não de greco-romana, Carrano.

    • Lucas Rezende

      Boa, vou consertar.

  • bedotRJ

    Luta de cinta apertada, o cinturão tem que permanecer com o campeão. Pra mim, vale essa lógica. Enxerguei vitoria da Amanda no R1 e R5 e da Valentina no R2 e R4. Nenhuma dessas absolutamente clara. A parada ficou então pro R3. No anúncio do resultado, fiquei confortável com a decisão. Valentina precisa fazer mais se quiser esse cinturão.

    Quanto ao resto do card, excelente virada da Ketlen pra cima da sarada McMann, embora eu ainda ache que falta muita lapidação no jogo dela. Cejudo mostrando que é mesmo da nata. E o monstro RDA anulando vantagens absurdas em altura e envergadura do bom Magny para provar que não se pode duvidar dele. Está a uma luta da cinta, se tanto – te cuida, Woodley!

    • Hyury De Carvalho Rabêlo

      Concordo amigo tricolor, marquei empate, mas na dúvida marquei para a campea. Valentina que no fim da luta se mostrou arrogante, que refaça seu caminho para o ts e aprenda com o erro: Contragolpes não são criados apenas em cima de brechas, mas também em setups e fintas desenvolvidas pelo próprio contra golpeador.fechadinha esperando que Amanda entregasse a luta de bandeja nem sempre funciona.

  • Ranilson

    Lucas ,
    Suas analises são ótimas, descreve as lutas de uma forma muito inteligente, esta é uma das melhores colunas do 6R

  • Gabriel Nicacio

    Cara, sobre o Cejudo, é isso que é entregar um cara aos leões, qdo ele ainda tá verde… O cara estava conseguindo experiência, aprendendo técnicas, se preparando para o campeão e pum! Jogaram ele verdinho pra o Demetrious mastigar. Era agora que o Cejudo deveria disputar a cinta pela primeira vez. O acho 2 melhor da divisão, até por, ao meu ver, ter batido o Benavidez.

  • Rafael Libanori

    Saudações!

    Particularmente não vi polêmica alguma na vitória da Amanda. Pra mim foi vitória clara, apesar de lenta, técnica, tensa e com poucos golpes, vi vitória clara.
    Achei que a desafiante usou muito bem a estratégia de jogar nos erros da Leoa e foi feliz em muitos momentos usando essa tática; mas, em momento algum eu vi ela buscando definir a luta e nem mesmo vi a Amanda passar sufoco com os contra-golpes. Acho que muitos estão confundindo ser bem sucedido com elementos da tática/estratégia com “vencer”.
    Da parte a Amanda, ela nitidamente lutou pensando no gás e foi pontuando aonde conseguia e da forma que conseguia, sem se expor jamais. Sempre acuando a adversária, embora não tenha sido incisiva, foi pra cima e causou mais desconforto na adversária, mostrou mais vontade de vencer.
    O único round que de fato elas lutaram – o 5 -, a Amanda venceu.

    Enfim, minha opinião.

  • Marcos Felipe

    Concordo com o Rezende (que não é aquele que faz gameplay de Minecraft kkkk), pra mim foi 3:2 pra Valentina, porém a vitória dada pelos juízes a Leoa não foi nada anormal comparada a outras lutas estranhas que já vimos. Só que na minha opinião, faltou mais agressividade por parte da desafiante. A campeã fez o ‘feijão com arroz’, sabia do perigo que é lutar contra uma kickboxer com sangue nos olhos e fez o básico pra vencer no certame.

    • Lucas Rezende

      Só queria ter a mesma vendagem de livros que o Rezende do YouTube!

  • Matheus V.

    Quando vi ao vivo, jurava que a polêmica na marcação tinha sido em relação ao R5, onde a Valentina acertou mais, mas tomou aquele TD. Tenho que reassistir (zzzz…), a vitória no R3 tinha sido bem claro para Amanda na minha memória. Enfim, não dá para chamar de garfo, nem para declarar a campeã um novo Tyron Woodley (todo detentor de cinturão faz lutas chatas, invariavelmente).

    • Carlos Montalvão

      Não vejo mais ninguém que seja perigoso a ponto da Leoa lutar como o Woodley novamente. Julianna seria surrada igual Miesha e Holly Holm, que me perdoem a palavra, é mediana pro nível de Amanda e Valentina.

      • Matheus V.

        Tbm acho que a Amanda iria igual um trator pra cima de todas as outras desafiantes, seja trocando ou pondo pra baixo. Quem eu acho que ainda pode dar luta dura é a Holm, que tem boa defesa de queda e na teoria é melhor em pé.

  • Rudá Corrêa Viana

    Muita gente falando que a loirinha foi garfada (e eu não discordo). Porém sabemos que um desafiante tem q fazer algo melhor pra levar um cinturão. Um empate tbm não seria injusto. Bullet sentiu do próprio veneno ao não sair pra luta. Por ser mais rápida, poderia ganhar pontuando mais porém não quis se arriscar e deu no q deu. E parabéns a amanda q jogou com inteligencia e com uma ajuda dos juízes americanos. Amanda fez p que geralmente os americanos wrestlers fazem: cozinham o round todo e no final impressionam os juízes com uma queda sem graça.

  • magnuseverest

    Luta do Patife com o Pedro foi divertida,até achei que o pescoço do australiano ia quebrar de tantas quedas estranhas.

    • Tiago Nicolau de Melo

      AIUSHUAIHSUASHUIAS, Patife <3

  • Vinicius Maia

    Rapaz, RDA me impressionou bastante. Irado demais. Pensei que ele ia penar um pouco. Um low kick o Magny caiu no chão. Shotokan tinha razão em não duvidar do RDA.
    Cejudo simplesmente um monstro. PQP. Que evolução. Já tinha evoluído muito na luta contra o Benavidez e nessa PQP. Reinaldo do terra samba coitado apanhou que nem a mulher do netinho.
    O main event depois de rever a luta ainda pontuo pra Valentina. Achei um garfo mas é foda, tivemos coisas bizarras nesse evento aonde uma luta como a do Rick Gleen x Gavin Tucker foi marcada 29-27.
    Pra mim os rounds 2, 3 e 4 foram claros pra Valentina. O 5 Amanda não fez nada, quedou mas quem pontuou por baixo foi a Valentina. Não tinham mudados os parâmetros de pontuação aonde se quedar e não fazer nada não vale ponto? Não sei por que fizeram esse auê todo sendo que não estão seguindo as recomendações de pontuação e nem estão seguindo as regras unificadas. Strufe no evento passado tentou ganhar do Volkov o cegando e agora Amanda foi chamada a atenção uma pá de vezes por medir distância e avançar com os dedos abertos. Paciência.

    • Shotokan Karate

      Grande Vinicius. Dei um sorriso de uma orelha a outra com o Rafael. O cara nem se mixou sobre quem tava do outro lado. Foi lá que mostrou que o melhor era ele.

      • Vinicius Maia

        Eu tava vendo com minha mulher, ela ficou impressionada mano. Rafael ta bruto, ta doido.

  • Lorenzo Fertitta

    Análise precisa Rezende, resumiu bem o evento.

    • Lucas Rezende

      Apenas cumprindo meu dever!

      • Lorenzo Fertitta

        Sim, mas existem vários níveis de cumprimento do dever.
        Tem o jeitinho Amanda e Woodley de cumprir o dever e o jeito Cyborg ou Miocic de cumprir. Você obviamente está no segundo grupo, meu nobre.

  • Shotokan Karate

    Minhas considerações quanto ao Main Event. Acho que consegui deixar meu lado não fã da Amanda de lado e ser um pouco mais frio. Pontuarei round a round:

    Round 1 : Pra mim o que pareceu mais claro pra Amanda. Valentina me pareceu travada e a Amanda aproveitou da indecisão dela pra mandar bons golpes e dominar mais o cage.

    Round 2 : Round pra lá de morno. Ambas pareciam não querer luta se limitando a um que outro cutuque. Sinceramente não saberia a quem dar o round.

    Round 3 : Idêntico ao 3

    Round 4 : Pra mim onde rolou uma maior dominância e foi por parte da Valentina. Ela foi bem precisa em seus contragolpes e em nenhum instante correu do pau. Amanda chegou até dar algumas balançadas embora longe de levar knockdown.

    Round 5 : Round onde só teve enrolação ao meu ver tb não apontaria vencedor tenho certeza que os juizes das papeletas consideraram as quedas que a Amanda deu e deram a vitória pra ela no round (honestamente queria entender o porque esses juizes de papeletas de MMA têm tanto orgasmo por quedas, a meu ver quedas só são válidas se quem as aplica tenta fazer alguma coisa visando uma finalização ou mesmo um KO via ground and pound e no caso desse round só vi muita ensebação e nada de produtivo).

    Resumindo, pelo que vi da luta a Valentina ainda mostrou um algo a mais que caberia dar a ela o titulo MAS como os arbitros dessa comissão hj em dia fazem o que considero um desserviço ao mundo das lutas faz um certo fundamento a manutenção do titulo para a Amanda. Sendo bem generoso pra Amanda daria 48-47 pra Valentina (muito em função da dominância que vi pra ela no 4 Round).

    P.S.: Deu gosto de ver o Rafael, pegou um cara complicado e nem se mixou. Foi lá e mostrou que o melhor era ele. Dei um sorriso de orelha a orelha. Ainda prefiro que ele lute mais uma antes de um TS mas sou bem otimista quanto as condições dele em uma disputa de título.

Tags: , , , ,