Flashback: a única vez que
Amanda Nunes perdeu no UFC

Lucas Carrano | 08/09/2017 às 14:38

Amigos do Sexto Round,

Não. Eu não estou zicando a Leoa.

Neste sábado, a brasileira Amana Nunes coloca o cinturão peso galo do UFC em jogo mais uma vez e, de acordo com muitos fãs e especalistas, a revanche contra Valentina Shevchenko será o mais desafiador duelo da brasileira até então

Luta começou equilibrada, mas Amanda levou vantagem

Por isso, vamos lembrar aqui da primeira, e única, vez que em que a baiana sofreu um revés dentro do octógono.

O ano é 2014. Ronda Rousey, que depois viria a ser completamente destroçada por Amanda, reinava soberana na divisão até 61kg e vinha da mais impressionante vitória de sua carreira, o nocaute em 16 segundos pra cima de Alexis Davis.

Após o massacre da então campeã pra cima de Davis, em um card do fim de semana de 4 de julho, era hora do Ultimate encontrar uma nova desafiante para judoca.

A solução? Colocar frente a frente a número um do ranking peso galo feminino Cat Zingano e a oitava colocada da divisão, Amanada Nunes, que vinha de duas vitórias por nocaute no primeiro assalto, sobre Sheila Gaff Germaine de Randamie.

O contexto da época, pra quem não se lembra (apesar de não ser há tanto tempo assim), é o seguinte: Zingano seria a segunda desafiante de Ronda e uma das treinadoras do The Ultimate Fighter 18, direito que havia adquirido ao atropelar Miesha Tate em sua estreia na organização.

Brasileira desce o sarrafo no ground and pound

Porém, Cat sofreu uma lesão no joelho pouco antes do início das gravações e acabou substituída por Tate no último momento – em uma decisão que gerou polêmica e desagradou bastante Rousey, que jura de pés juntos realmente não ter sido informada até a rival dar as caras no set.

Com isso, a esposa de Maurício Zingano viu a rival furar a fila e teve que aguardar sentada por sua oportunidade. Neste meio-tempo a lutadora ainda teve que lidar com a traumática morte do marido e manteve-se afastada dos cages por quase um ano e meio.

Pois bem, em meados de 2014, Zingano estava de volta, mas precisava de uma luta antes de reconquistar seu title-shot perdido.

Amanda, aliás, também vinha de um longo tempo afastada.

A brasileira tinha feito sua segunda luta sob o banner do UFC em novembro de 2013, no UFC Fight for the Troops 3, na qual bateu a futura (sic) campeã peso pena Germaine de Randaime. Sua volta estava programada para abril de 2014 contra Sarah Kaufman no TUF Nations Finale, mas teve que abandonar a luta por uma lesão.

Joelhadas de Zingano abalaram a Leoa

Assim, no dia 10 de julho de 2014 foi anunciado que Amanda e Cat se enfrentariam no dia 27 de setembro, no UFC 178, em Las Vegas.

O card, aliás, contava com Conor McGregorYoel RomeroDominick CruzStephen ThompsonKevin LeeDonald CerroneEddie Alvarez e foi encabeçado por… Demetrious Johnson Chris Cariaso (vendendo 205 mil PPVs – disparado a melhor marca do campeão dos moscas, que, coincidentemente, também luta no próximo sábado).

Quando as duas finalmente subiram ao cage, o que se viu foi o estilo agressivo de Nunes, que já começava a despontar àquela altura, posto a prova, como mostram as análises da época.

A Leoa ainda não havia enfrentando ninguém do calibre de Zingano, mas havia simplesmente atropelado suas duas primeiras adversárias. Diante de uma subida no nível de competição, Nunes tinha que provar que seu estilo de força bruta e ofensividade poderia funcionar contra a elite da divisão. No fim, Zingano provou ser uma lutadora superior”, escreveu Andrew Richardson, do MMA Mania, logo após o confronto.

Amanda começou a luta com um chute baixo poderosíssimo e logo foi para o clinch, levando Zingano para o chão. Cat exibiu suas credenciais de grappling ao aplicar um belo armlock da guarda, que parecia bastante justo, mas a brasileira também mostrou que entende do riscado ao se livrar da posição.

Amanda então conectou golpes duros na americana e abalou a rival, e tudo dava a entender que o fim estava próximo. A Leoa partiu pra cima com tudo, e a la Marcelinho Carioca (fecha o olho e sai rodando os braços) acertou tudo que pode em Zingano, que, sabe-se lá como, sobreviveu à tempestade.

Cotoveladas de Alpha abriram caminho pra vitória

De volta da terra dos mortos, Zingano tirou forças de onde parecia improvável e teve um dominante segundo round. Por cima no chão desde os segundos inciais, a americana deu à brasileira um pouco de seu próprio veneno e combinou bem o ground and pound com tentativas de finalização, pontuando e ao mesmo tempo cansando a rival.

No terceiro e último assalto, Alpha veio disposta a botar um fim no combate e abriu com uma série de joelhadas no clinch, jogando a brasileira de costas no chão mais uma vez logo em seguida. Daí, Zingano partiu para a montada e com uma série de cotoveladas brutal viu o árbitro central interromper a luta a um minuto e 21 segundos.

Deixo vocês com uma segunda (ou seria terceira) opinião sobre o combate, de um jornalista dos mais respeitados do MMA brasileiro, um tal Renato Rebelo.

Da série “bater cansa”, a Leoa deixou tudo que tinha ainda no primeiro round quando tentou, via ground and pound, separar Zingano de seus sentidos. Como não conseguiu, a partir do segundo, a primeira do ranking foi, simplesmente, mais do que Amanda podia mastigar. Domínio pleno físico e técnico –a partir do clinch- e desfecho brutal com cotoveladas da montada. Na noite dos enferrujados, Zingano, que lidou com joelho bichado e o suicídio do ex-marido num 2013 pavoroso, provou que Ronda Rousey tem uma desafiante legítima”, escreveu o hoje YouTuber na coluna “Pensando Alto” daquele evento.

Com o triunfo (seu último até hoje, diga-se de passagem), Zingano manteve-se invicta no MMA profissional e consolidou sua posição de desafiante número um da categoria até 61 kg feminina.

Marcas da blitz de Zingano no rosto de Amanda

Posteriormente, Alpha seria, como todos devem se lembrar, obliterada por Ronda em incríveis 14 segundos.

Amanda, por sua vez, após cair para nono lugar no ranking oficial após o UFC 178, sendo superada pela compatriota e futura desafiante ao título Bethe Pitbull, fez o caminho exatamente oposto e iniciou a corrida que a levaria ao título – e ao estrelato.

Um nocaute via chutes baixos devastadores pra cima de Shayna Baszler, uma finalização contra Sara McMann e uma vitória por decisão unânime diante de Valentina Shevchenko depois e Nunes estava, graças a uma série de conjunturas, encabeçando o UFC 200 diante de Miesha Tate em luta válida pelo título.

Até a próxima!

  • Leo França

    205 milhões de PPV? Nao sei Rick, parece falso.

    • Rafael Conto

      205 mil

    • Renato Rebelo

      Consertamos!

    • Lucas Pereira Carrano

      Vontade de ajudar o Demetrious Johnson. Mas nem assim o cabra toma jeito…

      • Leo França

        Vc como sempre zikando o ratinho

    • Lero

      Mcgregor era parte do card.

  • Tairon de Oliveira

    Será que ela tem pulmão pra 5 rounds?

  • nelson alves domingos

    Nessa luta a Amanda ainda tentava ser feminina…kkkk….

  • franquiaoi

    Verdade seja dita, com todas as letras:

    Se a Zingano não tivesse ido feito uma barata tonta para cima da Ronda, ela teria ganho a luta.

    Nessa época ela estava voando.

    • magnuseverest

      Realmente a Cat estava em ótima forma,ela precisa voltar a lutar para melhorar ainda mais esta categoria.

    • Festim Diabalico

      verdade tb digo: A ronda estava com alto estima alta, ficou abalada depois que perdeu para holm
      vc pode querer dar a vitória para zingano degraça para compensar a sua derrota, mas a ronda tem o melhor jogo de queda do mma feminino , além do melhor chão do mma feminino
      A holm estudou muito o jogo da ronda e defendeu todas as suas quedas, não acho que cat teria este sucesso em defender as quedas da ronda e fatalmente a ronda levaria para o chão e finalizaria
      parabens pela manipulação, transformou uma derrota em uma potencial vitória da cat

  • Renato Rebelo

    Acho que a nossa Cobra do Deserto deu uma zicada, hein…

    • Thiago_NCO

      The treta has been planted

    • Lucas Pereira Carrano

      Se as pessoas soubessem, ficariam enojadas…

  • DOTA 2 Rei Macaco

    antes de entrar no texto, só pelo titulo eu ja pensei: pow essa galera gosta de, zicar a leoa hein kkkkkkkk, mas acho q Amanda mantém a cinta, viu demolição no fim do primeiro round!

  • Matheus V.

    Ainda acho que a campeã precisa fazer menos ajustes pra vencer do que a desafiante. O gás de fato falhou na primeira luta, mas ela esteve muito perto de finalizar no R2 (uma hora, o mata-leão parecia bem encaixado), bem mais que a Valentina no R3. Além disso, o casamento Amanda-ATT é muito frutífero e deu entrevistas sobre esse problema de cansaço; não creio que irá se repetir nessa revanche.

  • Anderson Tomaz

    na época da promoção da luta a Amanda já dava sinais da antipatia e arrogância que ostenta hoje…
    havia dito que na pesagem ”conseguia ver o medo nos olhos da Cat”, que ”iria nocauteá-la”…
    espero que a cena se repita amanhã pra Bullet <3

    • Carlos Montalvão

      Falou que a Cat não tinha coração, que era lutadora de 1 round só e que cansaria logo em seguida e que iria nocautear ela. Quem cansou em 1 round e depois foi nocauteada foi a própria Amanda kkkkk. Nessa declaração Amanda me perdeu e também comecei a torcer contra a Livinha Renata Souza em qualquer luta da carreira dela, porque defendi a Zingano e ela me respondeu numa página de MMA que eu era “era chupa rola de gringo do caralho” hehe

  • Beto Magnun

    Zigano vs Tate e Amanda são minhas lutas preferidas dessa categoria. Aliás esse card todo foi insano. Grandes reviravoltas, lutas sensacionais, polêmicas e por aí vai.

  • Vinicius Menor

    A leoa vai iniciar bem o 1 e 2 rounds depois irar cansar e vai tomar um passeio nos 3 rounds finais… só vejo amanda ganhando essa luta via nocaute, finalização ou nocaute técnico nos 2 primeiros rounds … se passar disso, infelizmente sera um passeio… e a loira sabe muito bem disso, vai fazer um jogo pra cansar a brasileira que tentará se impor nos rounds iniciais e sucumbirá ao volume de jogo da polonesa

    • Ricardo Gomes da Silva

      voce acertou e errou, acertou que a loira iria dominar 3 rounds mas errou que amanda nao teria gas no quinto round. e por incrivel que pareça eu marcaria 48 48 com empate 10 a 10 no round 3, 10-9 9-10 10-10 9-10 10-9 e acho que foi injusto a vitoria da amanda, Ela é muito dedicada, lutou bem 2 rounds mas não furou a defesa firme de shev. agora penso que Amanda x Holm é questão de tempo, se Holm tivesse competencia ganharia da Amanda, mas acho que se Holm ganhar em cima Amanda apela pro chão onde Holm perde. por nocaute rapido seria Amanda, por estrategia Holm e por finalização Amanda. Pra Amanda Ganhar de Holm teria que lutar feio igual fez com SHEV.

      • Vinicius Menor

        Pois é … fiquei feliz em errar o palpite .. o jeito que a leoa lutou era o unico pra vencer a loira e mesmo assim ainda acho que perdeu, mais tudo bem. Se a loira quisesse mesmo deveria ter buscado mais a luta e nao ficado só no contra ataque. Mais a questão que surgiu é … sera que pra lutar 5 rounds a amanda terá que sacrificar seu jogo de pressão e força ou foi a adversária que a forçou a lutar dessa forma?

Tags: , , , ,