Dave Herman tem chance de aposentar Minota?

Renato Rebelo | 14/09/2012 às 22:17

Quando perguntado se aceitava lutar com Dave Herman no UFC Rio III, Minotauro, segundo matéria do SporTV.com, teria respondido:

Quem é esse cara?

Confesso que, assim como nosso peso pesado, conhecia pouco sobre o jogo do americano. Fresco na minha memória só as surras que tomou de Stefan Struve e Roy Nelson em suas duas últimas apresentações.

Resolvi, então, fazer meu dever de casa e trazer algumas informações sobre o cara que promete vir ao Rio de Janeiro e aposentar um dos maiores ídolos do esporte no Brasil.

 Estou empolgado para aposentar o Minotauro. Vou fazer questão que seja sua última luta – disse o lutador à Tatame.

Logo de cara, pela declaração incisiva, percebemos que Herman não é fanático por respeito mútuo. Influência de sua equipe, a Team Quest (de Chael Sonnen)? Quem sabe.

Em termos de tamanho, Herman é um cara leve para a categoria. Em suas três lutas pelo UFC, ele se apresentou sempre com 105 ou 106 quilos e uns quebrados. Já Minotauro chega entre 108 kg e 110kg.

Em termos de altura e envergadura a diferença também é irrisória. 1,95 de altura e 1,96 de alcance para o americano e 1,91 e 1,96 para o brasileiro.

Para poder dar um parecer bacana, reassisti as lutas de Herman contra Stefan Struve, Jon Olav Einemo, Mario Rinaldo, Michal Kita e Yoshihiro Nakao.

A primeira coisa que pude notar é que Herman é um lutador absolutamente estático em pé. Sua movimentação de pés e cabeça é muito limitada – quase inexistente. Assim, ele se faz valer da potência dos seus golpes e assume aquela postura típica do muay thai.

Graças a sua altura, ele abusa dos chutes frontais – o que o faz parecer uma versão paraguaia do holandês Semmy Schilt.

Seu poder de nocaute, no entanto, é real e ratificado por 15 vitórias desta forma.

Resumindo em pé: por Minotauro também não ser veloz, levará a mão mais precisa e potente. Acredito que o boxe do baiano lhe dá certa vantagem técnica, mas, certamente, esse é um caminho perigoso.

Passando para a luta agarrada, a boa notícia é que todos esses adversários citados acima, de uma forma ou de outra, conseguiram colocá-lo no chão. Herman, que nunca foi finalizado, parece confiar em seu jiu-jítsu.

No chão, ele é agressivo e procura ir para as costas ou tenta triângulos e chaves de perna. Quando não tem sucesso, consegue levantar com facilidade.

Resumindo no chão: por mais que o americano tenha um bom nível, trocar com um faixa-preta do calibre do pupilo de De la Riva não está em questão. A Team Quest, certamente, vai instruí-lo a defender quedas.

Vale notar, também, que a luta contra o norueguês Jon Olav Einemo nos ensinou que Herman tem coração e não desiste na adversidade. Ele levou knockdown, apanhou bastante, esteve boa parte da luta embaixo do campeão do ADCC, mas não sucumbiu. Mesmo assim, coração por coração, sabem quem leva nesse quesito, né?

Para mim, será uma luta decidida em pé. Acho que o Minota só queda se tiver balançado o rival com algum golpe. Por mais tensa que seja, a noite do dia 13 de outubro deve gerar um americano desempregado e não um brasileiro aposentado. Fica a torcida.

Tags: , ,