"E Se" Aldo x McGregor tivesse
durado mais do que 13 segundos?

Thiago Sampaio | 23/08/2017 às 20:33

Neste sábado (26), a improvável luta de boxe entre o multicampeão invicto Floyd Mayweather (49-0) contra Conor McGregor (0-0), atleta de MMA do UFC e sem nenhuma luta profissional na nobre arte vai acontecer. Mas por que?

Todo fã de MMA lembra daquele fatídico 12 de dezembro, no UFC 194, quando McGregor quebrou a invencibilidade de 10 anos de José Aldo com um cruzado de esquerda em apenas 13 segundos.

O “turning point”

O feito contribuiu muito para elevar o status do irlandês, afastando a ideia de uma revanche imediata e credenciando ele a disputar o que bem entender da vida. O cinturão da categoria peso pena ficou com ele só pra contar História!

Mas, e se Aldo não tivesse apagado com aquele cruzado? Será que ele sairia com a mão erguida?

E mesmo se Conor vencesse, mas num duelo parelho, será que ele teria tanta moral a ponto de tirar Mayweather da aposentadoria menos de dois anos depois?

Vamos imaginar que Aldo, até hoje doído por aquela derrota, tivesse acesso à bizarra jacuzzi de “A Ressaca” (Hot Tube Machine, 2010),  que um banho bêbado o levasse a um passado recente, com conhecimento prévio do que aconteceria naquele combate.

Lembramos que o manauara partiu para cima numa afobação que não é costumeira e, no momento do golpe devastador, também acertou o canhoto Conor com um cruzado de esquerda (o seu fraco, diferente da esquerda que o atingiu) que o próprio Irlanda confessou que sentiu.

O fim poderia ser diferente?

Max Holloway, que venceu o atleta da Nova União no UFC 212, disse que a potência dos golpes do brasileiro é intimidadora. Sendo assim, será que ele teria chance de nocautear Conor? Sim, teria.

Tendo viajado no tempo e sabendo da mão do adversário, ele não iria atacar com tanta urgência e, se viesse o cruzado, estaria preparado para andar para trás.

Consciente, Aldo é um atleta estratégico, estuda enquanto a luta decorre, desperdiça poucos golpes.

Agora, você, caro leitor, deve estar imaginando que eu apostaria num passeio do brasileiro, certo? Errado, ainda que uma vitória de Aldo fosse, sim, possível!

Mesmo se o duelo decorresse por mais tempo, o desfecho mais provável seria o mesmo, porém, menos doloroso. McGregor é maior, bate pesado, tem um estilo pouco ortodoxo e sabe entrar no inconsciente de quem estiver com ele no octógono.

O brasileiro não faria a estratégia mais coerente para batê-lo, já exposta por Chad Mendes no UFC 189, que é usar o wrestling e prender Conor no solo, até porque não é o seu estilo.

Equilíbrio com Aldo evitaria desafio a RDA?

Ele até acertaria alguns chutes baixos, bons jabs, cansaria o Irlanda. Mas mantendo a peleja em pé, o The Notorious tem um psicológico admirável.

O mais provável é que Aldo tivesse um destino semelhante ao que teve com Holloway no terceiro round. A cada golpe, levaria um mais potente de Conor, que ainda esconderia as mãos e provocaria à vontade.

Lembremos o que ele fez com Dennis Siver e Eddie Alvarez, cozinhando-os com prazer até o segundo round! O palpite? Nocaute técnico do The Notorious lá pelo terceiro ou quarto round. E novo campeão dos penas…com ou sem jacuzzi!

Mas sendo um combate mais equilibrado, será que a revanche não seria colocada em questão?

Pensa aí! São 10 anos de invencibilidade do brasileiro e, se para a luta deles, o UFC investiu muitos milhões viajando o mundo para divulgação, quanto apelo comercial não teria um reencontro?

McGregor x Diaz 1 e 2 quebraram a banca para o UFC

O próprio Dana White, por mais defeitos que tenha, tem bom senso nessa questão. Deu a revanche imediata a Anderson Silva contra Chris Weidman, insistiu numa revanche entre Georges St-Pierre e Johny Hendricks após o controverso resultado no UFC 167, entre outros exemplos.

Mas o fato é que Conor tem o poder de barganha que nenhum outro atleta tem na organização. Os números falam por si: contra Chad Mendes, o UFC 189 vendeu 825 mil pay per views, e, contra Aldo, no 194, vendeu mais de um milhão.

Ele não arriscaria uma revanche contra um atleta de perigoso como o brasileiro podendo alçar voos sempre maiores, independente do tempo que levou para vencê-lo.

Vamos lá: depois dos 13 segundos, conseguiu a disputa do título dos leves contra o então campeão Rafael dos Anjos, que se lesionou e ele teve a oportunidade de escolher o próximo adversário em uma lista que lhe foi apresentada.

Escolheu Nate Diaz! Lutando na categoria dos meio médios, o resultado do UFC 196 (que vendeu 1,3 milhão de PPVs)  não foi bem o que queria, sendo finalizado no segundo round.

De repente, não estaríamos aqui…

Mesmo com o revés e ainda em posse do título dos penas, conseguiu uma revanche nas mesmas condições.

Na revanche contra o erva caçula, no UFC 202 (que diga-se de passagem, vendeu 1,65 milhão de PPVs, recorde da organização), venceu por decisão majoritária sem tanta dominância.

Mesmo assim, logo depois, conseguiu o title-shot dos leves contra Eddie Alvarez. Deu o seu show, venceu muito bem, foi o primeiro lutador a ostentar dois cinturões simultaneamente.

Depois disso, se deu ao luxo de tirar um tempo de folga para desfrutar do filho que viria a nascer, enquanto negociava a luta de boxe com Floyd.

Alguém ainda acredita que toda essa influência se dá apenas por causa dos 13 segundos?!

Na nossa realidade alternativa, Mac bateria o pé sob a alegação de que a revanche não teria sentido pois a categoria já estava varrida. O reencontro não aconteceria e Conor teria o mesmo poder para convencer os “patrões”. Ele quem manda na parada!

Seja lá quem ele enfrentasse, Nate Diaz, Rafael Dos Anjos ou mesmo Robbie Lawler, então campeão dos meio médios, seria garantia de venda de mais de um milhão de pay per views. A diversão dele seria passear por desafios que rendessem muita grana (E sim, isso inclui a luta contra Mayweather!).

E depois disso José Aldo seguiria sua vida, em busca de retomar o título dos penas e tomando banho em jacuzzi sem pensar em voltar no tempo.

  • Ricardo Augusto

    Faz um: ”E se” Rafael dos Anjos não tivesse se machucado.

  • KRS Porlaneff

    Tenho minhas dúvidas a respeito desses futuros alternativos, caro Thiago.

    Poder de barganha Conor tem, isso ninguém pode negar.
    Mas o REAL poder de barganha, o poder de barganha FUCKING GIGANTESCO, foi sacramentado com esses 13 segundos de luta contra o Aldo.

    A luta durando mais ou menos o mesmo tanto que durou Aldo VS Holloway continuaria mantendo Dana White com esse poder, e de certo modo mantendo ele maior do que qualquer outro atleta no UFC.

    • Paulo Zanchet

      A questão não é aguentar porrada, mas sim não ser acertado e contragolpear.

    • Thiago Sampaio

      Talvez sim, talvez não. Nunca saberemos…e por isso a coluna sempre abrirá margem para interpretações, haha

  • Bernardo Oliveira

    Se tivesse durado mais seria algo parecido como Conor x Alvarez. Passeio.

    • Beatriz Britto

      Ou o Aldo poderia fazer o mesmo que o Nate fez na primeira luta! Passeio.

      • Felipe de Ockham

        “Beatriz Britto” rs. N tem vergonha?

  • Gabriel Nicacio

    Resumindo: daria merda do mesmo jeito!

  • Thiago Hartman

    Uma sugestao de tema: e se o UFC n tivesse comprado o Strikeforce? Na época eu n conhecia mt a organizaçao, mas vendo hj, o plantel q eles possuiam, eles poderiam mt bem bater de frente com o UFC.

    • Thiago Sampaio

      Sem dúvida! Ótimo nomes como Luke Rockhold, Daniel Cormier, Gegard Mousasi, Robbie Lawler, Gilbert Melendez, entre outros, vieram do Strikeforce nessa migração.

  • mario

    o Conor é muito grande pros penas.. Na luta, ele deveria estar uns 5 kg mais pesado q o Aldo no minimo…

    • Thiago Sampaio

      Nas imagens já se percebia que a diferença de tamanho era gritante.

  • Felipe de Ockham

    Esse “e se” virou devaneios pachecos, seguindo o ritmo do forum? Eu hein…

    Sdds Capelli

    • Thiago Sampaio

      Acho que você não leu o texto todo, parceiro!

  • Tonny Varela

    Eu acho que o dos anjos na época ganharia essa se rolasse hein

    • Paulo Zanchet

      Se lutasse de maneira estratégica, derrubando, como fez com o Pettis, pode ser que sim. Se fosse trocar, a luta teria desfecho parecido com aquela do Alvarez.

    • Thiago Sampaio

      Também acho…mas RDA estava muito confiante na trocação após atropelar o Cerrone. Creio que ele iria tentar o mesmo com o Conor e não teria um desfecho muito bonito.

  • Asisz Marco

    connor vencerá mayweather

    • Thiago Sampaio

      Haja confiança! kkk

      • Asisz Marco

        kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Lorenzo Fertitta

    E mais uma vez a realidade alternativa seria igual ao que já presenciamos. Desanimador, porém sensato. Mais um belo artigo, Thiago.
    Lawler X McGregor, gostaria de ter visto isso.

    • Thiago Sampaio

      Valeu! Apesar que acredito que o Conor não aguentaria contra o Robbie Lawler…a diferença de peso é grande…

  • Paulo Zanchet

    Na prévia da luta do Aldo escrevi que se o Aldo quisesse trocar com o Conor ele perderia. Penso hoje (na época fiz outra análise) que se a luta não tivesse acabado naqueles 13 segundos, Conor até seria atingido (inclusive foi atingido naquela luta), mas seu estilo pouco ortodoxo juntamente com a qualidade da sua trocação (velocidade, timing, precisão, potência) fariam a diferença. E acho que se o Holloway conseguiu fazer o Aldo pensar duas vezes em aplicar seus poderosos low kicks, certamente o Notorius, que é muito mais rápido e técnico, teria contragolpe para neutralizá-los. Embora o Aldo tenha um jiu-jitsu de ponta, ele é pragmático e não tentaria derrubar o McGregor – pouquíssimas vezes vimos o Aldo derrubar alguém, ele prefere trocar. Inclusive acho que não conseguiria fazer isso. Concordo com o autor, a vitória viria lá pelo terceiro round. Acho que o poder de barganha continuaria o mesmo…

    • Thiago Sampaio

      Concordo com tudo!

    • Ícaro Cavalcante Dourado

      Já teve lutas do Aldo que ele levou bastante pro chão, mas é incomum.

  • Pedro Augusto Monteiro

    Eu discordo de alguns argumentos. Quando alguém diz que o segredo é derrubar o Conor, como o Chad Mendes fez, esquece que o Irlandês desenvolveu muito, muito mesmo a sua defesa de quedas, o Eddie Alvarez tentou, e foi frustrado todas as vezes, esquecemos também que o Chad Mendes é um dos melhores wrestler’s de todo o UFC. Quando alguém cita o cardio do McGregor, citando como exemplo a luta contra o Nate Diaz, esquece que o Conor estava em “sobrepeso”, ele visivelmente não estava adaptado para lutar com esse peso, isso influencia no cardio sim. O Mcgregor nem conseguiu bater o peso, em ambas as lutas ele estava quase um quilo abaixo (2 pounds) no momento da pesagem, quando um atleta sai de uma categoria de 145 para 170, em um curto espaço de tempo, ele ganha muito mais em percentual de gordura do que massa muscular. Em off o Mcgregor nunca pesou 170 pounds, isso é uma falácia, quando estava nos 145, ele devia pesar no máximo 160.

    • Paulo Zanchet

      Alvarez entrou cagado e telegrafou todas entradas de queda. Mas concordo que o irlandês melhorou nesse quesito.

    • Thiago Sampaio

      Pode ter melhorado, mas não muito. Contra Nate Diaz, foi facilmente finalizado quando foi para o solo. De fato Chad Mendes é o melhor wrestler do peso pena, mas foi para a luta praticamente sem ter feito um camping. Alvarez só tentou quedar quando já estava frustrado após levar um atraso na trocação, levado knockdown, telegrafou totalmente as entradas. A prova maior será quando enfrentar algum grappler por essência. Se vencer, por exemplo, o Khabib Nurmagomedov, ele é mesmo O cara!

      • Pedro Augusto Monteiro

        Contra o Nate Diaz não se aplica ao caso, realmente o Conor não possui um chão muito apurado, ele tentou quedar o Nate Diaz depois do desespero de estar com estamina baixa e de levar um belo direto. Contra o Chad Mendes, realmente o Conor tinha uma defesa de quedas sofrível naquela época, depois daquela luta, ele descobriu como atacar um Wrestler sem grandes riscos, percebeu que deveria jogar mais com golpes de interceptação ao invés de ser o agressor na luta, como fez na luta contra o Chad. Eu arrisco a dizer que o Khabib teria grandíssimas chances de ser nocauteado pelo Conor, veja a luta contra o Michael jhonson, um trocador que está bem abaixo do Conor, o Khabib levou golpes que, se tivessem partido do Conor, teria grandes chances de acabar na lona.

  • Ícaro Cavalcante Dourado

    Aldo perderia mesmo se tivesse lutado diferente. Na época, o irlandês era favorito nas casas de apostas, mas nós costumamos nos deixar influenciar pela torcida.

  • Alef Silva

    Ótima analise, so não concordo com o nocaute no quarto ou terceiro round, ate pq na época o cardio do irlanda era horrível diferente do Max, nem o Aldo se cansava tão fácil, e se o Aldo quisesse levar a luta para o chão, o irlanda estaria em sérios problemas, vejo as pessoas comentando da defesa de queda dele, mas o Alvares tentou queda-lo dps que ja tinha lavado 2 knockdown, ja o mendes que se propôs fazer des de o inicio da luta fez com muita facilidade, não sei quem ganharia , mas não seria tão facil se o Jose luta-se com a cabeça , sem emoções, e o Conor e aquilo so trocação , se levarem para o chão e um passeio de qualquer faixa preta de BJJ!

  • Shotokan Karate

    Não concordo Thiago. Tecnicamente Zé Aldo tem bem mais recursos do que esse cara (a única coisa que ele faz melhor é ser palhaço mesmo). Na minha modesta opinião Zé Aldo passaria um pouco de nervoso e raiva no R1 mas nada que seu córner não resolvesse no intervalo e ele voltasse a seu estilo habitual no R2 e mandasse o palhaço pra seu devido lugar que é em um circo kkkkkkkkk. Acredito que Zé Aldo ou conseguiria um KO no 4 Round depois de minar o palhaço ou conseguiria uma vitória nas papeletas. Estamos tendo que aguentar esse festival de palhaçadas pq um cruzado entrou em cheio…

    • Thiago_NCO

      Não, não estamos aturando o Irlanda por que um cruzado entrou em cheio. Estamos aturando esse circo todo porque um cruzado entrou em cheio, derrubando simultaneamente o maior peso pena da história e sua invencibilidade de 10 anos, em apenas 13 segundos.
      Eu não sou um fã do Irlanda (beeeem longe disso, aliás, sou muito crítico a ele). Mas acho muito injusto diminuir o cara a um mero sortudo. Aquele maldito cruzado, que abalou pra sempre o UFC e o MMA como um todo, por mais que eu odeie admitir, possui uma mistura de potência, timing e talento.
      Aldo não é qualquer um! Se derrubar o maior peso pena da história não faz um lutador ser digno de respeito… não sei mais o que fará.

      • Shotokan Karate

        Ok Thiago mas vamos combinar que há uma diferença entre a mistura de potência, timing e talento a um golpe entrar em cheio a ponto de mandar alguém pra lona e a 13 segundos de luta. Esse tipo de circunstância rola direto em lutas e tivemos um exemplo disso na recente luta do aspirador de pó chapadão contra o gordinho bom de briga Cormier quando o gordinho estava consolidando um dominio na luta e um mawashi o acertou em cheio definindo a luta.

        • Thiago_NCO

          Sim, mas veja só que perigo: estamos ranqueando performances. Entendo o seu posicionamento, porém, concluímos que um combate sangrento de 5 rounds “vale mais” que uma luta decidida num golpe limpo a poucos segundos? Se há “sorte” num golpe que define a 13 segundos, não há, em contrapartida, “incompetência” em levar a luta por 3, 4 ou 5 rounds? Percebe? São dois lados da mesma moeda!
          Veja bem, não quero polemizar. Apenas entender, pois, seu posicionamento é o mesmo de muitos foristas aqui no 6R e em outros espaços também.

          • Shotokan Karate

            A questão não seria exatamente ranqueamento mas o fato de o golpe ter entrado a ponto de provocar KO. Concordo que a sorte sorri pros melhores mas até pra esse provérbio há limites. Se por exemplo uma revanche tivesse sido marcada talvez se pudesse ter uma real dimensão das capacidades desse cara. Não vamos esquecer que uma luta antes ele topou com um Chad Mendes com 15 dias de preparação e totalmente fora de luta e ainda assim tomou um pau durante 2 rounds e foi beneficiado por um TKO em circunstâncias pra lá de suspeitas. As duas lutas contra o Nate Diaz foram outros bons exemplos. Na primeira tomou um pau e finalização de um cara igualmente com 15 dias de preparação e na segunda correu do pau e deram a vitória pra mim mto mais por ser queridinho do UFC. A meu ver sua melhor luta foi contra o Alvarez (que por sinal pipocou e feio mas isso é outro capítulo) mas mesmo assim acho pouco pro cartaz que fazem desse cara.

Tags: , , , , , , ,