Dos Anjos: evoluindo também fora do octógono

Renato Rebelo | 25/03/2015 às 23:32
Rafa (com sua esposa, Chris) foi ovacionado no Maracanãzinho

Rafa (com sua esposa, Chris) foi ovacionado no Maracanãzinho no último sábado

Na penúltima edição do nosso podcast disse que adoraria ver Rafael dos Anjos se tornando um ídolo nacional – apesar de considerar tal possibilidade muito, mas muito remota.

Explico.

Num país absolutamente tomado por casos de corrupção, malandragem, imperícia e figurões buscando atalhos, um rapaz de pouca inspiração e muita transpiração, adepto do caminho mais longo, deveria ser exemplo não só para jovens atletas, mas para qualquer setor da sociedade.

A problemática em questão reside na própria personalidade do niteroiense – responsável por lhe trazer até aqui, mas que pode atrapalhar na hora da colheita.

Afinal, Rafael é introspectivo, pouco midiático/comunicativo, avesso à badalação, ostentação e exposição desproporcional.

A vida que o atual campeão dos leves pediu a Deus é ir de casa pra academia, da academia pra casa – e, assim, fica difícil penetrar em certos nichos, atrelar seu nome à empresas que exijam sua presença, atender fãs e imprensa, etc.

Mas dei mole por não enxergar que esse cidadão, cujo sobrenome é trabalho, pudesse fazer pequenas concessões e adaptações para dar um importante passo à frente fora do octógono.

Pós-UFC 185, pesquei pequenas iniciativas Rafael que, certamente, fazem parte desse novo pacote (por não combinarem muito com o faixa-preta em economizar de palavras que conheci nos tempos de Fury FC).

Primeiro, ele revelou, ao SporTV, que, quando fechou o cadeado (triângulo) nas costas de Anthony Pettis no quinto round, sussurrou no ouvido do Showtime a frase “the show is over, fera” (“o show acabou, fera”).

Em seguida, botou a cara no Twitter para fazer uma cobrança bem oportuna:

Oi, Reebok. Espero ter chamado a atenção de vocês na última semana. Vamos conversar? “.

O rompante incluiu até o falastrão Conor McGregor – que vive falando em subir de peso:

Manda ele ficar nos penas, porque aqui o chumbo é grosso”.

Obviamente, não espero que Rafael desabroche no novo Muhammad Ali ou force a barra para ser algo que não é.

Excessos descaracterizados costumam ser constrangedores e até potencialmente danosos à certas figuras públicas – que, como Rafael, não se interessa por concursos de popularidade e jamais seguirão o famoso “falem mal, mas falem de mim”.

Agora, estudar o cenário, prover boas frases aos jornalistas, tentar moldar o próprio destino e fazer com que o público se interesse por sua história é essencial para otimizar seus grandiosos feitos esportivos.

E Rafael se mostra disposto a abrir a cabeça – mesmo deixando claro que não perderá a própria essência:

Vou falar igual ao Zagallo: ‘vocês vão ter que me engolir’. Meu trabalho é chegar e ganhar as minhas lutas – e eu ganhei do melhor- e não agradar ninguém”, disse em entrevista à Gracie Magazine.

Abraços.

  • bedotRJ

    Renatão, na linha do post, o que você tem achado do Aldo nos UFC embedded dele com o McGregor prá promover o UFC 189? Tenho visto alguns vídeos junto com meu irmão e ficamos nervosos com a péssima qualidade da tradutora do Aldo e da total falta de orientação a ele sobre o que e como falar. Achamos que isso é uma falha gravíssima da assessoria dele. Enquanto o irlandês se destaca com suas frases de efeito, a maioria delas plenamente rebatível à base de verdades e de zueiras, o Aldo passa por um bobo introspectivo e reativo. Como você avalia essa questão?

    • Renato Rebelo

      Bedot, a moça loira que tá acompanhando o Aldo nessas entrevistas não é uma tradutora. O nome dela é Lilian e ela é coordenadora de relações públicas do UFC no Brasil. Se o Ultimate a escalou por não ter outra opção ou se consideraram que ela era a pessoa ideal para esse tour eu não sei, mas concordo com você que tá dando agonia. As respostas do Aldo tão sendo bem simplificadas e tb ela deixa muitas palavras chaves ditas de fora. E fica msm essa impressão que, “liricamente”, um tá batendo e outro apanhando calado. Quanto à uma reação maior do Aldo, é o jeito do cara, não tem jeito. O Conor é um comunicador nato e, de repente, é até melhor que o Aldo não entre nesse jogo de ego de “quem zoa mais” – pq ele poderia acabar perdendo. Ficar na dele, contido e tal acho mais natural. Pensa no seu tempo de colégio. Se o cara mais carismático e zoador da sala começar a te zuar e vc não puder sair na mão com ele, se cair na pilha é pior.

      • Bruno Conde

        O TUF do GSP com o Kos foi mais ou menos assim. O Biro Biro batia de tudo quanto era lado, e o GSP ficava caladinho. O cara até ganhou popularidade por esse jeito de bom moço da work ethic.

        • Kadu Rampazzo

          Não consigo ver esse paralelo entre o Aldo e GSP. Ná época o canadense já era campeão em vendas de PPV e, mesmo avesso a provocações sempre foi bom comunicador. Com esses caras como McGregor e Sonnen o melhor mesmo é ficar calado. Vida Wanderlei Silva.

          • Bruno Conde

            Fui mais no sentido do argumento de que tem que ser provocativo para ser popular. Que tem que responder à altura as provocações. Carisma é uma coisa que não tem receita. Tem caras que são carismáticos e tem caras que não são. O GSP é um cara super carismático sem o lado de provocar. Ele normalmente é o alvo do “Big Bully”. O Aldo não precisa se colocar à altura do trash talk do Conor, primeiro porque ele não tem essa artilharia, e depois porque ele não precisa. Pode buscar sua fama com seu jeito sincero de ser.

          • Kadu Rampazzo

            É isso aí!

      • bedotRJ

        Provavelmente o staff do Aldo não tem conhecimento da qualidade do trabalho da moça, ao mesmo tempo em que também não deve estar ligando muito para o tipo de comunicação pessoal dele nessa série de vídeos e entrevistas de promoção. É um staff voltado exclusivamente para a parte técnica, de luta. Considero isso uma certa negligência com a imagem do lutador. Em um dos vídeos, o próprio McGregor revela ter percebido o incômodo e a falta de naturalidade do Aldo com toda essa situação. A meu ver, dado que ninguém quer rasgar dinheiro e que a importância da promoção precisa ser reconhecida como parte do espetáculo, caberia ao Dedé, caso não queira se envolver adequadamente com essa questão, terceirizá-la a alguém que entendesse do riscado. Com um pouco mais de zelo e profissionalismo na gestão da imagem do Aldo, não seria nem um pouco difícil melhorar a comunicação dele e fazer até com que ele se sinta mais confortável nesse lado da promoção.

        • Franklin Stein

          Outra coisa tb na “definição dos papeis” que cada um representa é que o McGregor é o lutador ostentação, um mini-Mayweather ,enquanto o Aldo fica impressionado com a tecnologia da privada e o tamanho do morango. Sobre o Raphael, destaco tb a presença da esposa dele que se comunica muito bem com a imprensa e com certeza reforça o carisma do campeão.

        • Gus Hansen

          Exato. até falei isso no meu comentário… se tivesse lido o seu antes nem teria postado. Acertou em cheio.

      • Felipe

        Alguém viu o Aldo dizendo que o Conor Mcgregor lembra o Salsicha do Scooby Doo, e a tradutora modificando, dizendo que ele lembra o próprio Scooby? O Aldo percebeu e ficou atônito, querendo corrigir, mas o McGregor o atropelou e ficou por isso mesmo.

        • Gus Hansen

          difícil é saber o nome do personagem Salsicha em inglês… na hora percebi isso tbm, mas daí veio: como é o nome do cara em inglês???

          • Paulo Melo

            Salsicha em inglês se chama Shaggy … é o nome dele no desenho original americano , aqui no BR que “traduziram” como Salsicha

          • Gus Hansen

            Valeu! …então man, difícil alguém que não conheça de cultura pop saber o nome original do Salsicha, não dá pra criticar a moça por isso hehehe.

          • Paulo Melo

            Shaggy Rogers sendo mais completo rs
            Eu descobri sem querer ( mesmo pq sempre preferi os desenhos japoneses rs ) , conversando com um amigo americano , ai depois fui no Goggle e vi que era isso mesmo, mas se a moça fosse rápida sacava um celular e buscava a resposta … se o Aldo mandasse : Conor looks like Shaggy , já botava o irlandês na linha rs

          • Gus Hansen

            ia se queimar, com certeza!!

      • Gus Hansen

        A segunda tradutora, de Los Angeles, foi bem e contextualizou bem as respostas do Aldo até mudando a ordem de algumas colocações para fazer uma tradução mais articulada.
        O Aldo parece estar se saindo bem no tour, fiel ao seu jeito de ser e não arregando pro Conor em nenhum momento. Conor sai melhor na fala, mas nas encaradas parece é ele quem se irrita mais com a postura do Aldo.
        Quanto ao RDA e outros lutadores mais discretos acho que o caminho para se trabalhar a imagem é apostar na personalidade de cada um, mesmo que seja a do cara caladão que só treina. Tem que vender este estilo de vida, esta forma de encarar a profissão, os desafios da vida e por aí vai… É algo difícil de se fazer sem ter alguém que planeje umas estratégias, movimente as redes sociais do lutador, produza uns vídeos. Aliás, vídeos do cara nos treinamentos, umas frases bem colocadas e exibir um pouco da do atleta aproxima ele dos fãs e pode criar uma certa intimidade que se transforma em torcida no dia da luta. Mas custa dindin, que um campeão como RDA hoje pode investir. Aos que ainda estão nos degraus de baixo resta fazer essa frente por conta própria.

        • Renato Rebelo

          Exatamente, Gus! Não é 8 ou 80 (ser provocador/zuador ou calado). Tem mt coisa que dá pra fazer respeitando o próximo.

      • Arthur Malaspina

        Participando de uma discussão num site gringo eu tive que explicar pra galera que a tradutora é tenebrosa e traduzir direito algumas coisas. A visão do Aldo que os gringos estão tendo infelizmente é essa mesmo bedotRJ.

      • Yuri David

        Cara, o Aldo até deu umas respostas boas em uma entrevist que eu vi. Falou que o cinturão era filho dele e tal, mas a mulher não traduziu nada disso. Apenas falou: ”Vou ganhar dele e bla bla bla eu sou l campeão”. A imprssão que passou foi de que não importava o que o José falasse, ela ia ficar repetindo aquilo.

    • Dênnys Dias

      Cara,qdo eu comecei a ler esse post eu pensei exatamente no msm q vc.Lembrei do Aldo na hora!Ele realmente ta parecendo um bobo perto das zuaçoes do Conor por conta da falta de traduçao(como mt bem lembrou o Renato) das palavras chaves q ele fala.Ta ridiculo isso.

    • Bruno P.

      Essa zoeira toda acaba assim que a primeira mão do Aldo entrar. Deixa ele zoar, vai vender mais a luta, vai dar mais dinheiro pro Aldo, mas o que importa mesmo no fim das contas é o braço erguido.

    • Fábio

      De verdade?

      Acho que introspecção e a frieza do Aldo seriam a melhor resposta, até mais que essas declarações clichês que ele tem feito.

      Deixa o Show pro Mcgregor….Essa luta vai vender pra caralho, com o Aldo falando ou não.

      Acho que deixar no “vácuo” seria a melhor resposta.

  • Filipe C.

    kkkkkkkkkkkk Gostei da indireto pro Mc Gregor ” Manda ele ficar nos penas, porque aqui o chumbo é grosso.” Esse irlandes está irritando a todos com essa falação pra cima do aldo. ¬¬

  • Lucas Natan

    Eu fiquei imaginando ouvir “the show is over, fera”. Não parece ser lá muito agradável, rsrs. Genial essa ideia do Rafael.

    Obs.: vai ter texto sobre Cyborg aassinando com o UFC?

    • Renato Rebelo

      Tô monitorando a situação, Natan. Se rolar algum desdobramento mais agudo, farei.

      • Lucas Andrade

        Mas já não foi confirmado Renatão? Inclusive já tinha visto ontem no facebook coisas do tipo “Cyborg assina com o UFC” e bla bla bla. Ainda não está fechado?

        • Renato Rebelo

          Sim, mas os planos não mudaram em relação a ela – que deve fazer uma luta experimental com 61kg no Invicta. É só uma formalidade, na real – e nossos últimos textos nesse sentido já mostravam o quão provável seria o casamento. Seria mais do mesmo, por isso estou esperando algum desdobramento mais concreto.

  • Bruno Conde

    Precisava meter mais a cara na Globo. Hoje em dia o Esporte Espetacular faz bastante matéria de MMA, tem o Corujão do Esporte, o Globo Esporte tem dado espaço também. Principalmente ele sendo campeão. Talvez uma assessoria de imprensa mais ligada botaria mais a cara dele na TV.

  • Rodrigo Tannuri

    Boa! O Rafael é o atleta ideal pros novos talentos se espalharem. Muito legal ver que o mesmo também está aprimorando esse lado comercial. Ele não precisa ser um Anderson, ou seja, ficar aparecendo no Fantástico, passando por TV Fama e terminando no Legendários. Que ele siga treinando exaustivamente! Se ele puder ser mais acessível, melhor pra todo mundo. A recepção que ele teve no Maracanãzinho foi sensacional! Merece ser ovacionado mesmo! Se o cara já surpreendeu o mundo evoluindo monstruosamente como atleta, não duvido que ele também possa se tornar um gênio do Trash Talk. Sei que o perfil dele não é esse, mas o cara faz tudo e bem. Basta ser um pouquinho mais vocal pra popularidade aumentar. O mais importante pra isso ele tem, o cinturão.

  • Dênnys Dias

    O RDA deveria ser o espelho pra todos os atletas q estao começando(ou ate para alguns q ja estao) no MMA ou em qlq outro esporte.O q esse cara fez foi historico!A dedicaçao,a perseverança e td mais q ele teve e tem eh demais.Tava lendo o texto e lembrei de qdo ele qbro a mandibula contra o Clay Guida,q na epoca era um cara com certa fama e td mais e hj nem se ouve falar mt,e ele era um cara sem expressao dentro do UFC.Olha como o mundo da voltas!Td fruto de trabalho,trabalho e trabalho.E q continue assim.PS:esse tweet pra Reebok foi sensacional kkkkk

    • Luis Felipe Fabricio

      e a derrota pro tibau, ng nunca imaginou um cara que perde pro tibau campeão do UFC, rs.

  • William Amaral

    Ele é um grande exemplo pra quem está no meio do caminho, como ele esteve há um tempo. Erick Silva, Charles do Bronx e outros que possuem talento, mas, provavelmente, têm a confiança abalada por conta de derrotas passadas. A conquista do Rafael é um furacão de esperança a qualquer lutador que perde e passa a duvidar de si mesmo.

    • Lucas Andrade

      Acho que o “Índio” sempre foi superestimado. Colocaram suas fichas no cavalo errado.

  • Anderson Gurgel

    Pra mim o Rafael dos Anjos já se tornou um exemplo a ser seguido. Pois sou fã de pessoas que tem essa personalidade dele. Nunca vi ele querer se “exibir” demais e nem entrar nesse jogo de provocações,assim como o Aldo. Realmente acho que ele poderia dar mais entrevistas,que ao meu ver,isso vai acontecer a partir de agora. Pois como campeão é normal que ele “chame a atenção da mídia” para si. E com isso nos dará a oportunidade de conhece-lo melhor. E Renato, gostaria que desse sua opinião de qual seria a melhor estratégia para o Aldo ganhar o McGregor.

    • Renato Rebelo

      Não andar pra trás (matar o processo de estudo pra não deixar a envergadura superior do McGregor trabalhar), girar apenas pra sua direita (Conor faz um monte de malabarismo, mas o que ganha as lutas dele é o direto de canhota), torpedear a perna dianteira dele (que costuma ficar bem aberta) e entrar tds as vezes que ele tentar algo rodado (como o Dillashaw fez com o Barão). Esses são uns pontos

      • Thiago Marques

        E quedar? O Aldo por cima pra mim é atirador de elite contra velhinha tetraplégica!

        • Renato Rebelo

          É outra também – aproveitando o erro de cálculo de algum golpe rodado

      • Gus Hansen

        Gostei das orientações!!

      • Felipe

        Também acho que a velha lambada nas pernas é o caminho da felicidade. Acertar a cara de bode vai ser muito complicado, já que o McGregor tem quase 1,90 de envergadura (!!) e controla a distancia como poucos no MMA.

      • Anderson Gurgel

        Bem parecido com o que eu acho, único receio que tenho até o momento é essa envergadura do McGregor.Espero que o Aldo não tenha dificuldade em achar a distância e não fique muito tempo dentro do raio de ação do irlandês,pois ele pode ser um falastrão,mas não é mal lutador. E realmente acho que o melhor caminho para o Aldo é trabalhar o boxe para não dar tempo dele raciocinar e magoar as pernas. Acho que debilitando as pernas primeiro, o Aldo aumenta mais ainda as chances de vitória. Levar a luta pro solo na minha opinião tbm seria uma boa alternativa,mas acho melhor o Aldo tentar logo a definição da luta ( nocaute ) do que dar “sorte pro azar”, pois no chão qualquer reviravolta pode acontecer. Espero que essa luta cumpra com as expectativas que todos aqui esperam. Ta com cara de que vai ser a melhor luta de 2015. E torço fortemente para que esse cinturão continue com o Aldo.

      • Pedro Duarte

        É bem por aí, Renato. Fico confiante pelo fato do Aldo ter um ótimo QI de luta e ser extremamente adaptativo mesmo sem mudar muito seu repertório. Se com o Edgar, Mendes e Lamas ele aproveitou a envergadura superior pra trabalhar na média distância e evitar ser derrubado, to confiante que dessa vez ele vai cair dentro do McGregor pra nocautear ou minar a confiança do irlandês já no início. Acho que além do que você disse, imagino o campeão tentando dominar o meio campo não só dando trabalho em cima como fazendo o desafiante se preocupar em não ser quedado. Parada dura mas acho que o Aldo leva!

  • Junior

    A historia do Rafa. Já é roteiro cinematográfico. Com tres atos e tudo. Início complicado depois engrena. O pondo de virada seria aderrota pro demonio russo. E o ultimo ato seria a conquista da cinta.

  • Felipe

    E parou com o coitadismo de se achar renegado pelos brasileiros, finalmente! Sobre Conor nos leves, alguém tem acompanhado os embeddeds? O bicho tá até gordo! Deve estar fazendo um corte à la Dustin Poirier para bater nos penas.

  • Castro

    A impressão que eu tenho que o Rafael vai conseguir lidar melhor com a midia e as provocações que o Aldo. Quando o Aldo fala fica parecendo uma coisa forçada que ele fica pensando antes de fala não tem como ele fica trocando provocação com o Conor porque ele é mestre nisso , ja o Rafael pelo que parece não entra nesse jogo de provocar não sai do estilo dele, só começou a falar um pouco mais coisa que o Aldo ta fazendo demais e ta se perdendo um pouco nisso, se continua assim o Aldo pode se prejudicar ate na luta porque como agente viu conta o Brandão quando fecha a Jaula o Conor esquece tudo o que ele disse e se concentra apenas em lutar, ja o Aldo não sei se consegue separa o lado emocional. Isso pode favorecer o Conor ?

    • Renato Rebelo

      Não conto com isso. O Aldo tb é um ferrolho emocional, Castro. Já lutou com o Maracanãzinho lotado sendo o último brasileiro a ter um cinturão contra um Chad Mendes monstruoso e só cresceu na luta quando tomou pressão.

  • Gabriel Fareli

    Tambem fique feliz de ver o Rafael “se divulgando” mais, se expondo mais para o marketing tambem, todo campeao precisa vender suas lutas tambem fora do octogono, e ele parece estar indo no caminho certo.

  • will

    Adorei essa do “Show acabou fera”. Mito!

  • João Washington

    Acho que a postura do RDA deve ser parecida com a do Cain Velasquez. Soltar uma resposta de maior efeito aqui, fazer um social com a mídia ali, jogar um videozinho na internet, assim ele pode explorar a imagem de lutador mais compenetrado e introspectivo a seu favor. Se for bem trabalhada essa postura também atrai muitas empresas, Messi que o diga.

Tags: , ,