"E Se" Shogun x Rashad
tivesse rolado no UFC 128?

Thiago Sampaio | 10/08/2017 às 14:11

No último sábado (5), o ex-campeão dos meio pesados Rashad Evans não conseguiu impor o seu jogo contra o limitado Sam Alvey, perdendo por decisão dividida. São quatro derrotas seguidas e a continuidade no esporte é uma incógnita.

Por outro lado, uma semana antes, Jon Jones atropelou Daniel Cormier no UFC 214 e retomou o cinturão dos meio pesados, voltando para a primeira posição do ranking peso por peso do UFC.

Evans: quem te viu, quem te vê…

Mas seis anos atrás, a situação deles não era tão contrastante e ainda poderia ter rumos diferentes.

Afinal, e se Rashad não tivesse se lesionado para o UFC 128, quando lutaria pelo título contra Maurício Shogun?

Na época, em 2011, Jones e Rashad eram companheiros de treinos na Jackson’s MMA. Rashad enfrentaria Shogun pelo título, mas se lesionou. Jones, que havia vencido Ryan Bader pouco mais de um mês antes, o substituiu.

O resto todo mundo sabe: Bones bateu o brasileiro, iniciando o seu legado como campeão; ele e Rashad brigaram; o Suga deixou a equipe de Greg Jackson e eles até se enfrentaram no UFC 145, um ano depois, com vitória de Jones.

Tudo seria diferente?

Vamos imaginar que os malucos do Bill & Ted viajassem na cabine telefônica para janeiro de 2011 e mantivessem Rashad preso numa sala, deixando-o de sobreaviso da lesão. Aquele Evans, pelo estilo de luta, teria plenas condições de vencer Shogun!

Sabemos que o grappling e, principalmente o gás, não são os fortes do brasileiro.

O wrestling de alto nível de Rashad, que anulou Quinton Jackson, Tito Ortiz e Phil Davis seria a chave para recuperar o cinturão.

Se o brazuca da sunga branca não acertasse uma pancada certeira, o resultado mais provável seria uma vitória dominante por decisão ou, mesmo, nocaute técnico lá pelo quarto round (vamos imaginar uma joelhada semelhante aquela que nocauteou Ortiz no UFC 133).

Com Rashad em posse do título dos meios pesados pela segunda vez, o mais provável é que o então companheiro de treinos, Jones, com apenas 23 anos, esperasse mais um pouco para ganhar o title-shot.

Jon Jones aproveitou a brecha…

Rampage, vindo de vitórias mornas por decisão sobre Lyoto Machida e Matt Hamill; e o próprio Machida, responsável pela primeira (e acachapante) derrota da carreira de Rashad, custando-lhe o título, vindo de bom nocaute sobre Randy Couture, seriam boas opções para a primeira defesa de cinturão do Suga.

Pelo rivalidade que Rashad e Rampage protagonizaram como treinadores do TUF 10, vejo uma revanche valendo título com mais apelo comercial do que um reencontro contra Machida, algoz pouco vendável.

Seria um novo festival de provocações, mas, o resultado mais fácil de enxergar é uma luta semelhante àquela frustrante que tiveram no UFC 114: alguns momentos de vantagem de Jackson no boxe, mas em geral, controle de Rashad através do wrestling. Vitória por decisão. De novo!

E Jones? A ascensão seria inevitável e a ânsia pelo título, idem. O clima nos treinos esquentaria e, Greg Jackson, deslumbrado com o desempenho do jovem pupilo, também causaria incômodo em Rashad.

Mas o Bones precisaria fazer mais uma luta. O próprio Machida, por ser um nome de peso, e Shogun, recém saído da derrota para Rashad, seriam as apostas. Por enxergar um cenário de apelo no futuro para Rashad, Lyoto seria o escolhido!

2ª tentativa também não rolou (Shogun se machucou dessa vez)

Como Jones e Machida já se enfrentaram no mundo real, temos uma boa ideia do que aconteceria: um round de estudo por parte do jovem Bones, com o carateca acertando bons contragolpes. Mas seria questão de tempo para a envergadura e os cotovelos do americano entrarem em ação. Desta vez, a vitória viria por nocaute técnico.

E por mais que a linha temporal fosse alternativa, certas coisas nunca mudam. O caminho de Jones e Rashad estava traçado. À essa altura de campeonato, o Suga já havia deixado a Jackson’s MMA. A rivalidade dos ex-amigos viria à tona.

Evans x Jones aconteceria de qualquer forma, mas, nesse cenário, com as situações invertidas: Evans como o campeão que não passava muita confiança e, Jones, o desafiante que estava aniquilando todo mundo.

De resto, nem precisa desenhar o que aconteceria. Mostrando seu vasto arsenal como um canivete suíço, Bones dominaria o combate, vencendo por decisão unânime, numa atuação até mais convincente do que a que tiveram no UFC 145. “And the new…!”.

O legado do melhor lutador de todos os tempos (em minha opinião, deixo claro) seria desenhado independente do cenário. Mesmo que nessa realidade alternativa também existam Daniel Cormier, cocaína e batida em carro de mulher grávida.

Bill & Ted viajariam à toa…

  • Henrique Berto
    • Vinicius Menor

      Kkkkkkkkkkkk ave maria .. essa imagem eh pesada ehm, nao é atoa que o rampage se acaba zoando o rashad kkkkkkkk

    • Thiago Sampaio

      Hahaha….talvez o Rashad nunca foi o mesmo pelo fato de ter visto essa imagem depois.

    • Thiago Sampaio

      Hahaha….talvez o Rashad nunca foi o mesmo pelo fato de ter visto essa imagem depois.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Shogun se machucar foi a pior coisa que poderia ter acontecido na Flórida, Rashad já não tava bem e ainda quase morreu com as mãos de pilão kkkk, de qualquer jeito Jon Jones pegava o título mesmo

  • Cássio Rafael Guimarães Nascim

    Acho que, da forma como o Shogun se apresentou + o jogo casava para o Rashad, ele deveria vencer na decisão levando uns 3 ou 4 rounds em uma luta morna de grade e quedas.

  • Juan

    É por aí mesmo. Legal imaginar esse desenrolar diferente.

  • Gameplay Brasil

    E se Gustafsson tivesse vencido Jones ?
    E se Cigano tivesse vencido a revanche com Velasquez ?
    E se Fedor tivesse sido incorporado ao UFC ?
    São algumas sugestões.

    • Shotokan Karate

      Ou a maior delas… Se o cruzado do Weidman não tivesse entrado na 1 luta contra o Spider…

    • Thiago Sampaio

      Sugestões anotadas! Valeu demais!

    • Thiago Sampaio

      Sugestões anotadas! Valeu demais!

  • Tiago Nicolau de Melo

    Shogun venceria, creio. Jones venceria sua próxima luta e ganharia o TS. Massacraria o presença VIP da culinária do Batel e o resto já é história.

    Curto essa coluna estilo Uatu O Vigia.

    • Thiago Sampaio

      Nossa, mano….curti muito a referência. Possivelmente votarei “O Vigia” em alguma próxima edição. Mas de fã de quadrinhos e cinema…haha

  • Lorenzo Fertitta

    Boa coluna, boa conclusão. “Bill & Ted viajariam à toa…” heheheheh

    • Thiago Sampaio

      Valeu, mano!

    • Thiago Sampaio

      Valeu, mano! Young Keanu Reeves e Alex Winter eternos, mas nem tão precisos….kkk

      • Lorenzo Fertitta

        Keanu Reeves já mostrava toda a sua falta de versatilidade em 1989 kkkkkkk
        Mas o filme marcou minha infância,e tem continuação prevista para 2019, se não me engano. Com os mesmos Reeves e Winter.

  • Asisz Marco

    shogun venceria, ele tinha uma meia guarda boa na época e ainda era muito agressivo em pé, apesar de levar algum sufoco no wrestling, o rashad iria apanhar bastante e ele nunca foi um grande absorvedor de golpes.

    • Juan

      O Shogun daquele dia era o pós-comemoração de cinturão do UFC, pós-operatório, lento. Suga não aplicaria um atropelo, como o Janjão fez, mas tinha boas chances de vitória.

      • Asisz Marco

        sim claro, chances ele tinha, mas não acho que o shogun estava tao mal àepoca, jon é que realmente sempre foi um animal diferenciado e com atuação tão soberba faz até parecer que o shogun não estava bem.

    • Thiago Sampaio

      É uma possibilidade, sim. Ele fez uma primeira luta bem equilibrada contra o Lyoto e, a segunda, sem comentários, foi atropelo. Ainda acho que o jogo do Rashad naquela época era mais complicado, eu apostaria no americano. Mas poderia ir, sim, para qualquer um.

  • Entra Numa MMA

    Cara que coluna bacana! Eu até discordo em alguns pontos da história, mas nem vou sujar os comentários com isso. Até porque Bill e Ted viajariam atoa do mesmo jeito.
    Parabéns pelo texto, parabéns pela ideia e parabéns pela iniciativa!
    Esperamos mais!
    Sabe quando agente vê uma ideia muito boa e fala: “Porra porque eu não pensei nisso antes?!”

    • Thiago Sampaio

      Mano, é por comentários como esse que nos motivam a continuar a fazer um trabalho cada vez melhor, extrovertido, sem deixar de lado a informação. E como se trata de uma coluna de ficção, imaginando realidades alternativas, discordar é mais do que normal. Eu diria até enriquecedora a contribuição com novas opiniões! A mente é infinita! Haha…abração!

  • Hyuriel Constantino

    Só tem duas certezas na vida: a morte… E Jones campeão do UFC. LOL

    • Leo França

      Nem se a Jacksons MMA não existisse o Jones deixaria de ser campeão kkkk nada pode mudar este curso na historia

      • Thiago Sampaio

        Sou suspeito para falar. Sou fã do Jones. Nos outros “E Se” procurei um desfecho diferente….mas na categoria meio pesado recente, não tem jeito.

      • Thiago Sampaio

        Sou suspeito para falar. Sou fã do Jones. Nos outros “E Se” procurei um desfecho diferente….mas na categoria meio pesado recente, não tem jeito.

        • Leo França

          Verdade, existem certos campeões que não se pode mudar o curso deles, Spider, GSP e Aldo são exemplos tbm, só pelo fato de terem batidos todos os adversários que poderiam deter este futuro

  • Lorenzo Fertitta

    Fico imaginando qual o esforço mental que teremos que fazer para imaginar um cenário diferente na categoria dos moscas: ” E se Demetrious não tivesse nascido?”

    #benavidez’sdream

    • Thiago Sampaio

      hahahaha….boa! Mas a primeira luta contra o Ian McCal, que deveria ter cinco rounds em caso de empate, mas fizeram três, o bigodudo estava levando a melhor no final. Havia grandes chances de levar se continuasse. Quem sabe? E se?

  • davi teles

    poderia fazer
    sobre se o aldo n tivesse perdido pro conor mcgregor

Tags: , , , , ,