McGregor fez (e ainda faz) a fama de Joseph Duffy

Lucas Rezende | 17/03/2015 às 23:33
Amassando McGregor

Amassando McGregor

Joseph Duffy poderia reconsiderar uma mudança de apelido em nome do oportunismo, vocês não acham?

Assim, não que tenha alguma coisa errada com “Irish Joe”, mas quando todos só se referem a você como “O último homem a vencer Conor McGregor“, talvez seja um sinal para espremer esses belos limões maduros que a vida lhe deu.

Aliás, faça isso antes que seja tarde, pois José Aldo pode fechar essa janela dentro de alguns meses.

Embora Irish Joe acredite que McGregor dará cabo de Aldo facilmente. Sutilmente mostrando ter consciência do quanto seu moral se elevaria com isso.

Acho que o timing e a precisão do Conor são excelentes e ele define a luta com José Aldo dentro de três rounds”, revelou Duffy ao MMA Fighting.

Duffy procurando brechas na armadura de Lindsay

Duffy procurando brechas na armadura de Lindsay

Claro, a publicidade por tabela gerada por seu conterrâneo falastrão ajuda – e não é pouco – para que a evidência de Duffy no cenário mundial cresça, mas o irlandês também merece seus próprios méritos.

Faixa-preta de taekwondo e jiu-jitsu japonês, o cara só foi derrotado oficialmente uma vez em 14 lutas de MMA, incluindo ainda um cartel invicto de 7-0 no boxe profissional.

Seu único outro revés, infelizmente, aconteceu justamente durante uma das maiores oportunidades de sua carreira.

Pego num mata-leão durante uma das lutas de exibição do TUF 12 por Kyle Watson, Duffy nem sequer pisou dentro da casa do reality show, embora tenha finalizado o campeão do TUF: Smashes, Norman Parke, e o próprio Notório, em 2010, para lavar a alma.

Agora um membro da Tristar Gym de Firas Zahabi, Georges St-Pierre e Rory MacDonald – e devidamente apresentado ao octógono-, Duffy atuou com a calma e a frieza que esperamos de veteranos tarimbados, diante do inexpressivo Jake “O Bibliotecário” Lyndsey.

Golpes certeiros e movimentação precisa levaram o americano a nocaute ainda no primeiro round.

E o triunfo não chamou somente minha atenção, vale ressaltar.

Achei que Duffy pareceu ótimo contra um lutador medíocre que está 0-2 no UFC. Vai ser interessante vê-lo ser testado contra alguém de nível decente. Parabéns!”, tuitou o técnico de Conor McGregor, John Kavanagh.

No boxe profissional

No boxe profissional

Sem dúvida não existe publicidade ruim.

Embora o que Kavanagh tenha escrito possua um fundo de verdade, ainda me impressiono com o quanto McGregor e companhia contribuem direta e indiretamente para a fama do rapaz.

No melhor estilo “Quem fala de mim é quem faz a minha fama”.

Tanto que perguntas sobre uma possível mudança para a categoria dos 66kg já começaram a emergir imediatamente após sua vitória no UFC 185.

E, ainda que não esteja considerando de fato a descida, Duffy aproveitou o momento para alimentar a dúvida e deixar os mais ávidos especulando.

Nada está definido no momento. Eu tenho conversado com o Firas (Zahabi) sobre isso. Nós vamos conversar nas próximas semanas e ver o que acontece”, disse Joseph ao MMA Junkie.

Então pelo andar da carruagem, me parece que Duffy só precisa continuar treinando e vencendo bem. É um raro caso onde um lutador emergente consegue publicidade por um feito e não pelo que vem falando.

Deve ser bom poder deixar esse trabalho para os outros, especialmente para aqueles que mais se esforçam em enfatizar o quanto não se importam com você.

  • Felipe

    Minha dúvida é a seguinte: será que o público irlandês gostaria de ver uma rivalidade entre compatriotas? Aqui no Brasil o pessoal prefere ver os tupiniquins “dando pau nos gringos!”

    • Renato Rebelo

      Modus operandi nacional que, confesso, muito me incomoda…

      • Bruno P.

        Depende… no inicio da trajetória, acho melhor que o brasileiro pegue apenas gringo mesmo, até para os brasileiros não se “eliminarem”.
        Agora quando chega-se ao topo, tanto faz… haja visto o desejo quase que unanime por revanches entre AS x Vitor ou Wand x Vitor.

      • Petrus Radamés

        Esse é um dos motivos que não temos um main event de gringos aqui no Brasil tbm né. Povo é mais focado nos atletas nacionais.

      • Lucas Andrade

        Nunca me importei em ver os brazucas quebrando o pau.

    • Lucas Rezende

      O povo irlandês também é muito patriota, cara.

      Mas quando o dinheiro fala mais alto, os caras abaixam a cabeça.

    • Lucas Andrade

      Tem essa comigo não. Não me importo de ver o pau quebrando entre os Br’s não. hahaha

  • Rodrigo Tannuri

    Eu gostei muito da estreia do Duffy. Beleza, ele chegou com o status de ter sido o último a bater a sensação McGregor, mas, mesmo contra um adversário inexpressivo, ele não sentiu a pressão de estar no UFC, coisa que atrapalha bastante o desempenho dos atletas. Muitos lutadores chegam com pompa e acabam decepcionando. Confesso que me animei com esse irlandês. Treinando com o mestre Firas Zahabi, ele tem tudo pra evoluir e dar muito trabalho. Como é bom ver caras novas de qualidade no MMA!

    Sobre a provocação do técnico do McGregor, achei ridículo. Sou fã do Notório, mas o UFC lhe deu todo um caminho mastigadinho rumo ao cinturão. Não quero comparar o Lindsey com o Brimage, porém esta declaração do técnico me soa como birra. Não acho que o Duffy ficará provocando o McGregor. Achei até que ele foi bem patriótico e respeitoso. Será que o Mc vai adotar o mesmo tom quando for perguntado sobre o compatriota?

    • Lucas Rezende

      Acredito que McGregor só falará mal de Duffy se estes acabarem casados em algum momento, o Notório geralmente é respeitoso com os compatriotas.

  • Matheus

    Tirando o Rafael, esse foi o cara q mais me surpreendeu no sábado. Muito grande pra categoria, habilidoso e bate pesado. Vai longe esse cara (ele é novo?)

    • Lucas Rezende

      27 anos, Matheus. Pode ir longe, sim.

  • William Amaral

    Gostei muito do texto! Parabéns!

    • Lucas Rezende

      Valeu, William!

  • Claiton Freitas

    bom texto, parabens!

    • Lucas Rezende

      Valeu, Claiton!

  • Lucas Natan

    Pessoal, tá aparecendo uns negócios estranhos quando entro no site. Tanto no topo quanto nos textos: (tô por smartphone).

    • Renato Rebelo

      Muitíssimo obrigado pela informação, Lucas. Vou ver com o nosso webdesigner o que está acontecendo

  • Filipe C.

    Gostei do texto Lucas, quanto ao Duffy, tem futuro.. Gosto de ver lutadores alem dos brasileiros,americanos ou canadenses evoluindo, pois ainda são a minoria no UFC e no MMA mundial, e isso faz bem para que o esporte se popularize mais e mais em outras nações, criando “icones” do MMA em cada país.

    • Lucas Rezende

      É isso aí, Filipe! Também curto!

Tags: ,