Apertem os cintos, luta ruim pro Toquinho à vista

Renato Rebelo | 08/09/2012 às 16:12

Toquinho atacando o pé de Mike Massenzio

Pela primeira vez desde que chegou ao UFC, Toquinho vai pegar um adversário com medidas compatíveis com as suas.

O brasileiro, que mede 1,72m e goza de 1,80m de envergadura, duela com Hector Lombard, de 1,75m e 1,70m, no UFC on FX 6, em 14 de dezembro.

Só para base de comparação, Dan Miller, de 1,85m de altura, foi seu rival mais baixo no evento americano até agora.

Good news, certo? Não exatamente.

Sem visar o trocadilho, o cubano também é um ‘’toco’’. Apesar de baixinho para o peso médio, ele compensa o limite vertical com massa muscular densa e a mesma força bizarra que verificamos no mineiro de Dores do Indaiá.

Para levar para o chão, Toquinho esbarra no pedigree de judoca olímpico faixa-preta do quarto dan do adversário. Em pé, o poder vindo das mãos de Lombard é um risco enorme. São 17 vitórias por nocaute na carreira.

Tudo que escutei de amigos em comum que já treinaram na ATT sobre o cubano não é animador.

O cara, vira e mexe, nocauteia os companheiros nos treinos e é tarefa hercúlea colocá-lo ou mantê-lo no chão.

Pode ser que jiu-jítsu surja como a única opção do pupilo de Murilo Bustamante.

Para a ‘’Mãe Diná’’ que vos fala, as entradas de quedas combinadas com transições para a guarda visando as chaves de tornozelo ou joelho -exatamente como feito em Mike Massenzio no UFC Rio II– podem funcionar.

Enfim, cruzem os dedos e apertem os cintos. Nessa aqui, de tanto roer as unhas, seus dedos podem ficar só o ‘’toco’’ (visando o trocadilho infame).

Tags: ,