José Aldo com os pés no chão
e sangue nos olhos: gostamos!

João Vitor Xavier | 26/07/2017 às 14:21

Quem me acompanha por aqui sabe que sou fã de José Aldo há muito tempo. Tive a honra de estar ao seu “lado” no momento mais icônico de sua carreira.

O luta pela última derrota vai passando…

Quando o ex-campeão foi para a galera, literalmente, após nocautear Chad Mendes no UFC 142, passou pela área da imprensa, quase quebrou sem querer o laptop da empresa que eu trabalhava, e permitiu que eu testemunhasse sua coroação como campeão do povo de “camarote”.

Portanto, perdoem-me se, quando o assunto é Aldo, eu sou um eterno otimista. Inclusive, muito me animei com as declarações do brasileiro em entrevista à AG. Fight.

Ele reconheceu a superioridade de Max Holloway no UFC 212, disse que o havaiano era o campeão de fato e bateu o pé: vai permanecer no peso pena para tentar buscar sua coroa de volta.

Aldo ainda pediu uma luta em novembro, para o mesmo mês que Frankie Edgar deve desafiar Holloway, descartando uma eventual subida para os leves.

Já estamos em contato, já voltei a treinar. Estou esperando o tempo para voltar a lutar, mas não posso falar nada até estar fechado. Vou lutar nos penas, não tem porque subir para os leves. É uma categoria parada, ninguém sabe o que vai acontecer lá. Eu sou peso-pena… […] Na minha categoria, praticamente já lutei com todo mundo, acho que só faltava o Holloway. Então não parte de mim [escolha do rival], é uma conversa do Dedé com o UFC. No máximo eu luto em dezembro, mas se puder lutar antes, em novembro…”, comentou, à AG. Fight.

Além disso, admitiu que vai começar do zero, e se disse animado para voltar à rota de disputa do título.

“É certeza que será o Edgar [o próximo desafiante]. A luta deles será em novembro. Sei que o Edgar será o próximo desafiante. Não estou pensando em ser o campeão [no curto prazo], zerou o jogo de novo. Tenho que começar de novo, com a cabeça voltada para o próximo atleta e assim até disputar o cinturão de novo. É isso que tenho na cabeça”, disse o brasileiro, também à AG. Fight

As palavras de Aldo soam como música em meus ouvidos. É claro que é difícil dissecar uma entrevista apenas, mas como se trata de um atleta recluso, que dá poucas pistas do seu futuro, vale a pena um pouco de especulação.

Neste cenário, vejo o brasileiro motivado para uma eventual revanche contra Holloway ou, ao menos, buscar seu cinturão de volta. Sempre percebi em Aldo um orgulho muito grande por ser o melhor peso pena do planeta, o rei da divisão, o cara a ser batido.

Ainda acho que ele segue em negação com relação à derrota para Conor McGregor, desconsiderando-a como um mero acidente de percurso. Pode ser que sim, mas creio que o nocaute sofrido para Holloway foi mais doído, pois ele vinha bem e foi perdendo o controle do combate aos poucos. Sem contar que foi em casa, né…

1º encontro com Swanson durou 8 segundos

Assim, a postura de Aldo perante à derrota é animadora. Pareceu ciente de que precisa melhorar alguns aspectos de seu jogo, reconheceu que terá de dar um passo atrás para voltar a ter o cinturão. E espero que esse passo atrás lhe coloque frente a frente com Cub Swanson.

O norte-americano está bem cotado, vem em uma sequência de vitórias relevante (são quatro desde o revés para Holloway), e tem o jogo certo para fazer Aldo brilhar. É claro que Swanson evoluiu, mas não o vejo capaz de ser competitivo contra o brasileiro.

E o que falar da vontade de Aldo de lutar logo em novembro? Qual foi a última vez que Aldo lutou duas vezes no mesmo ano? Em 2014, passou por Ricardo Lamas e Mendes em um período de oito meses. Desde então, um combate por ano…

Logo, sua vontade de voltar em novembro pode sim ser interpretada como “sangue nos olhos”. É animador ver o brasileiro assim. Apesar das quase 30 lutas profissionais, Aldo ainda tem 30 anos. Sempre achei que, nos últimos dois ou três anos, seu maior problema era a motivação.

Quem sabe a derrota em casa não foi o que faltava para Aldo voltar a ter sangue nos olhos. De repente, correr atrás de alguém, ao invés de ser perseguido, era exatamente o que o brasileiro precisava. A conferir.

  • Luiz Sanson

    Boa análise e tomara que vejamos o Aldo lutando mais vezes mesmo, JV! Temo, porém, que os treinos de açougue da Nova União o comprometam nesse objetivo..

  • Leandrinho

    Para mim, alguns lutadores conseguem criar uma aura em volta que faz com que os adversários teimam de uma forma que eles nao conseguem nem lutar do jeito habitual. Tipo medo mesmo, na fomar literal.

    COm o Anderson era mais ou menos isso, com o aldo também e assim como em outros casos….daí depois que leva uma coça, é tipo quando abrem a porteira, geral perde o respeito, geral mete tapa na cara…acho que tem disso , muito disso nesse esporte

    • Jp Mikelane

      Bela observação

    • Eduardo Fabricio

      Eu acredito quem cria essa coisa toda de aura que vc falou e o próprio público os fãs sao assim criam essa imagem de imbativel ai depois que o cara e derrotado sao os primeiros a atirar pedra falando que o cara ta acabado ja deu o que tinha que da que o cara ja ta velho

    • Joadson Carvalho

      “Se conseguir fazer “Deus” sangrar as pessoas deixarão de acreditar nele.”

      Ivan Vanko

      É basicamente o que aconteceu com lutadores considerados “imbatíveis”.

  • Fernando Chaves

    Estou na torcida!!!

  • Mauricio

    Me animou a entrevista do Aldo e se serve de comparação vejo a situação de dois ex campeões, Ronda e Pettis. A Ronda nós vimos depois da derrota se fechou e sumiu e já voltou direto para disputa de titulo sem nenhuma alteração em seu game plan.. Deu no que deu, e o Pettis (pra mim ainda um possível campeão dos leves) ficou sem muita expectativa e soberbo da divisão achando que poderia resolver tudo em um passe de mágica e ainda caiu na besteira de mudar de divisão.

    Diferente desses dois ao que me parece o Aldo vai fazer ajustes no jogo, sem desespero de já ficar pedindo revanche imediata contra o Holloway e não quer ficar parado… Acredito que o Aldo jovem como é já conheceu o céu e o inferno vai conseguir dar a volta por cima.

  • Hyuriel Constantino

    Eu vejo que a negação do Aldo quanto ao McGregor é justificável quando se observa a sua postura perante a derrota contra Holloway. Desse modo, apesar de tudo, discordo quanto a derrota contra o havaiano ter sido mais dolorosa. Diferente de ter perdido para um fanfarrão e num lance que abre controvérsias até hj, contra Holloway foi uma derrota após o Aldo ter mostrado tudo do que era capaz e ainda assim ter sido suplantado. É mais fácil aceitar que perdeu após ter usado todos os recursos do que num mero início de largada.
    Será que, sem aquele soco-relâmpago do Conor e a postura atípica do Aldo em partir pra cima sem cautela, a luta teria tido o mesmo desfecho? Eu creio que não, e respeito quem tenha uma opinião diversa desde que não pague de profeta de obra pronta (meu parecer se baseia nas circunstâncias daquele momento, e não das de hj onde vejo o irlandês franco favorito por mais que eu não curta sua personalidade).
    Contra Holloway, contudo, não se abre margem pra outras interpretações ou sequer algum empecilho (lesão, péssimo corte de peso, inatividade, etc., etc., etc…). Perdeu em sua plenitude e isso na cabeça do Aldo funciona como uma “derrota legítima”. Pior ainda no caso do McGregor é que, diferente de outros ex-campeões, até hj Aldo não teve sua revanche e provavelmente nunca terá vendo a forma como as carreiras de ambos têm se desenrolado desde então.

  • Tiago Nicolau de Melo

    Entrevista lúcida do Aldo, coisa boa de se ler!

    Acho que com das lutas já ganha o TS ainda mais se o Campeão for o Edgar.

  • thai verdadeira

    Reconhecer a superioridade do holloway depois de levar uma surra em pleno Rio não adianta nada, deveria ter respeitado as habilidades do adversário antes da luta, esse papo de “ele não é tudo isso, apenas mais um, ganhou do pettis em decadência, vejo medo nos olhos dele ” aff kkk depois de um humilhante nocaute em 13 segundos, uma luta sem graça de 5 rounds contra Edgar, é uma surra com direito a tapa na cara….tem que estar com o pé no chão mesmo.

  • bedotRJ

    Também curti o discurso do Aldo. Mas eu não daria o Swanson prá ele agora. O Swanson poderia ser agendado com o Korean Zombie para o próximo title-shot. Eu deixaria o Aldo com um desafio ainda mais tranquilo, contra o embalado Darren Elkins. Prá adquirir confiança mesmo. É do que ele precisa prá voltar a acreditar em si e soltar novamente o seu jogo, o que faltou contra o Holloway – a falta de low kicks foi absolutamente inexplicável.

    Outro conselho para o Aldo: parar com as flamengadas. Negócio de ficar vestindo aquele pano rubro-negro comprovadamente não faz bem. Aposente o uniforme de Exu que os resultados certamente virão.

  • Fernando Ribeiro

    Também curto o Aldo, mas sempre o vi como um dos campeões mais acomodados. Algo que sempre me irritou foi a ausência de inglês, sempre tendo que usar tradutor, até mesmo naquela tour mundial pra luta com o McGregor. Pô, tem que saber falar o idioma do pais do evento em que ele trabalha, ainda mais quando era campeão. Vejo muita zuação com o inglês da Amanda, o que não é tão injusto pois é realmente bem ruinzinho, mas ao menos não precisa de tradutor pra fazer um tt ou dar entrevista, ela mesma pode dizer ” ai uiu defiti Valentina aguem” a hora que quiser. Falando do mma em si, também o acho muito acomodado. É aquela média de uma luta por ano, aquele papo de que quer se aposentar, e até mesmo o seu jogo que não parece ter evoluido nada. Eu não vejo razão pra continuar nos penas, as opções são bater nos fundo de tabela ou vencer os caras que ele já venceu. O que uma vitória sobre Darren Elkins agregaria em seu cartel? Ou uma terceira vitória sobre Edgar? Ao meu ver, o melhor seria subir pros leves ou aposentar de vez.

  • FABIO NEVES

    Me parece que o problema do Aldo sempre foi o orgulho. O cinturão criou uma vaidade nele que só agora parece que está se despindo dela.
    Felizmente caiu na real, ufa! Aldo é muito gente boa e um talento nato. Tem tudo para pegar novamente esse cinturão.

  • Nelson Lavenère-Wanderley

    Também sou fã de carteirinha do Zé Aldo. Tomara que o Aldo matador volte no lugar daquele Aldo que tem lutado com o “regulamento debaixo do braço”. Vai lá garoto, buscar o que é seu!!
    Maior peso pena da história do MMA. Ponto.

  • William Oliveira

    José Aldo com pés no chão e cabeça boa é perigo pra qualquer um, o respeito continua o de sempre, tenho certeza que na próxima luta o “Rei do povo” vai dar a volta por cima!

  • Lucas Santana

    Aldo diferentemente de outros lutadores, não desanimou depois da perda do cinturão o que é bom sinal, mas ainda quero ver o José ” the king of lowkicks” Aldo novamente.

  • José Valter Alves Junior

    eu vou ser sincero: seus texto foi uma visão tão direta e respeitosa do Aldo que eu fiquei muito honrado e ler seu texto, eu posso não ser um fã tão grande quanto você mas posso afirmar que sou o auto declarado defensor do campeão do povo, uma prova clara foi minha clara revolta no podcast 168 que eu me recusei a ouvir por causa de um dos contribuidores que estava na gravação dizer algo tão desrespeitoso sobre o Aldo que eu gerei uma discução nos comentarios (até o renato rebelo respondeu meu comentario indignado) tanto que depois fui ao Twitter e me desculpei com a bancada do sexto round nos comentarios da publicação do podcast or não ter ouvido. Eu critiquei uma vez você João Vitor no passado por um texto relacionado ao Aldo que soou mal na minha opnião mas você foi super educado, tambem nao faltei com respeito apenas disse o que me veio pos ler seu texto 3 vezes pra nao cometer injustiças mas seu texto de hoje ta de parabens , aguardo ancioso por seus proximos trabalhos, grande abraço irmão e sucesso na sua empreitada pessoal e profissional. que Deus o abençoe

    • João Vitor Xavier

      Obrigado, José Valter! Abs

  • Wellington Fonseca

    Ver o Aldo com os pés no chão é um alívio, mas, sinceramente, creio que além disso, precisa de um algo mais. Podia pegar a barca do Barão e fazer um intercâmbio em uma academia de ponta nos States.
    Outra coisa que não me entra na cabeça é o fato de ele simplesmente ignorar suas raízes e não utilizar o Jiu Jitsu contra trocadores, mesmo se sentindo muito confortável lutando em pé.
    Enfim, vamos ver como ressurgirá o Aldo, versão 3.0.

  • Lorenzo Fertitta

    Ótima análise, João. Também tenho a impressão de que o Aldo ganhou muita motivação após a derrota no UFC Rio. Só tenho minhas dúvidas com relação a Aldo X Swanson 2 ser a melhor opção para o momento.
    Seria uma lutaça, com certeza. Mas o Swanson já perdeu para o Aldo, para o Edgar e para o Holloway. Será que o UFC veria esse confronto como um TS eliminator? Creio que não, principalmente se o Holloway defender seu cinturão com sucesso.
    Prefiro ver o Aldo enfrentando o vencedor entre Stephens X Melendez ou, se for para fazer alguma revanche, melhor enfrentar o Zumbi ou o Lamas (caso vença o Knight). E torcer pelo Edgar, é claro.

Tags: ,