Dois anos de ranking do UFC: quanta coisa mudou

Felipe Paranhos | 03/03/2015 às 23:26
mma_ufc158_21

Há dois anos: Jake derruba Marquardt e marcha rumo ao título

Às vezes, a gente precisa de um estalo pra mostrar que o tempo passou. Senti isso vendo Jake Ellenberger x Josh Koscheck, sábado passado.

Um desavisado que assistia à luta jamais se tocaria de que aqueles dois lutadores, semidecrépitos, já foram legítimos contenders, um deles desafiante ao cinturão.

Mas a luta também me fez perceber como vivemos, lentamente, a passagem de uma geração para outra.

Não precisamos ir muito longe para mostrar como as coisas mudaram – inclusive no próprio ranking, que, a partir de junho, com a chegada oficial da Reebok, vale dinheiro.

Para isso, vamos usar como exemplo algumas das categorias mais disputadas do UFC.

Exatamente dois anos e um mês atrás, quando foi lançado o ranking oficial, os meio-médios tinham em seu top-10 gente como Jon Fitch (#9), Koscheck (#8), Martin Kampmann (#7) e Ellenberger (#6).

Há dois anos: Khabib nocauteou Tavares no Brasil em sua 3ª luta no UFC

Há dois anos: Khabib nocauteia Tavares no Brasil em sua 3ª luta no UFC

Exceto por Jake, que hoje está duas posições abaixo – numa avaliação bem benevolente, em minha opinião-, o resto passa longe do que podemos considerar atletas que incomodariam um campeão em breve.

Falando em campeão, GSP, o detentor do cinturão daquela época, assim como Kampmann, está aposentado.

Nos leves, o #10 daquela época hoje é o desafiante número 1, e só não vai enfrentar Anthony Pettis por causa de suas repetidas lesões.

Gray Maynard, hoje ironizado por seu queixo, era um #3 temido, pouco tempo depois da sensacional trilogia contra Frankie Edgar.

Nate Diaz, #4, dominaria sem pena o Nate Diaz da luta de dois meses atrás contra Rafael dos Anjos. RDA, aliás, era #8 e virou desafiante.

A grande e surpreendente ascensão da época – semelhante à atual do brasileiro – era de TJ Grant, que não luta… Desde maio de 2013, dois meses após a divulgação daquela lista.

Há dois anos: soberano nos médios, Silva bateu outro meio-pesado

Há dois anos: soberano nos médios, Silva bate outro meio-pesado

Isso sem falar nos médios, que tinham Anderson Silva como campeão, Yushin Okami como #4, Mark Munoz como #5 e, acredite, Costas Philippou no #6.

O Spider já não é mais aquele, Okami saiu do UFC e tem perdido até no WSOF, Munoz já desceu a ladeira e o cipriota, coitado, nunca mais chega onde esteve dois anos atrás.

E, aos poucos, vemos a ainda discreta ascensão de gente talentosa, das mais variadas idades, de quem pouco ou nada se falava àquele momento.

Kyoji Horiguchi e Sergio Pettis no mosca; Holly Holm, Marion Reneau e Bethe Correia no galo feminino; Thomas Almeida, Aljamain Sterling, Cody Garbrandt, Pedro Munhoz e Mitch Gagnon no galo masculino; Kevin Souza, Mirsad Bektic, Andre Fili, Lucas Mineiro, Max Holloway e um cada vez mais maduro Charles do Bronx no pena; Olivier Aubin-Mercier, Gilbert Durinho, Rashid Magomedov, Beneil Dariush, Michael Chiesa, Adriano Martins, Rustam Khabilov, Myles Jury e Al Iaquinta nos leves; Warlley Alves, Brandon Thatch, Alan Jouban, Santiago Ponzinibbio, Hyun-Gyu Lim, Gunnar Nelson e Stephen Thompson nos meio-médios; Elias Theodorou, Josh Samman, Caio Monstro, Thales Leites e Kelvin Gastelum nos médios; Corey Anderson, Patrick Cummins e, por incrível que pareça, Nikita Krylov nos meio-pesados; Ruslam Magomedov, Oleksiy Oliynyk, Jared Rosholt e Derrick Lewis nos pesados.

Alguns desses ficarão no meio do caminho e sequer continuarão no Ultimate, outros fincarão bandeira no top-15 e uns poucos um dia ao menos cercarão o cinturão.

Mas uma relação dessa – que pode ter outros tantos que eu esqueci- talvez mostre por que não sentiremos tanta saudade de Ellenbergers e Koschecks.

  • Matheus

    Imagino como estará daqui a dois anos. Acho que isso é prova tb como a carreira do lutador é mt curta e volátil. Por isso que sou a favor do cara agarrar qq oportunidadde e nao ficar se escondendo

    • Renato Rebelo

      Assino embaixo, Matheus!

  • Lauro_Alvim

    A dois anos tinha GSP, Sonnen e Wand. Gostava mt +

  • Lucas Natan

    Mas depois que o ranking começar a valer dinheiro organizarão ele de melhor forma né?! Desse jeito aí não dá pra basear o ganha pão do povo.

    • Renato Rebelo

      Essa é uma boa pergunta. O único indício que deram é que diminuirão o número de jornalistas que formula a lista. Ou seja, manterão apenas os mais reconhecidos. De resto, tá tudo em aberto.

  • Laerte Viana Venâncio Alves

    Posso estar sendo leigo, mas vou citar um exemplo que, na minha opinião, mostra como não entendo/sou contra alguns critérios do ranking do UFC. Como o Josh Barnett, que não luta desde Dezembro de 2013, ocasião na qual foi estuprado pelo Travis Browne, e só venceu uma luta desde que voltou ao UFC, pode estar há quase um ano na sétima posicao do ranking dos pesados, mesmo dando indícios que dificilmente irá voltar a lutar, pelo menos por enquanto.

    Tudo bem que ele vivia uma boa fase em outras organizações e a categoria dos pesados é rasa, mas acho isso meio estranho, ainda mais se levarmos em conta outras categorias onde o lutador pode vir numa boa sequência e depois de uma derrota, despenca no ranking.

    Me corrijam se eu estiver falando muita abobrinha. Rs

    • Vitor MacGruber

      Digo o mesmo em relação ao Evans, acho que ele está em 5° no ranking da LHW e não luta desde o UFC 167.

      • Rodrigo Tannuri

        O mesmo pode se aplicar ao Kennedy, nos médios. O cara vinha bem, mas, depois de perder pro Romero, começou a chorar, se afastou, cogita se aposentar e ainda está ranqueado, quando a categoria tem se desenvolvido bem.

  • bedotRJ

    Caras entre 27 e 30 anos que passam por fases ruins ainda têm tempo de se recuperar e voltar a figurar nas cabeças. Se alguém dissesse há 2 anos que o Thales Leites voltaria a ser top do UFC, ninguém acreditaria. E olha que a categoria melhorou muito de lá prá cá. Com as performances de hoje, Thales seria top5 naquele ranking.

    Digo isso prá fazer uma pequena diferenciação entre os casos do Ellenberger e do Koscheck. Biro-Biro parece mesmo no fim da linha aos 37 anos. Como sugeri em outro tópico, ainda caberia uma lutinha contra o Akyiama em algum evento asiático prá fortalecer o card antes da despedida definitiva. Já o Ellenberger vai fazer 30 anos esse mês. Ele ainda tem como se reinventar e voltar a figurar no topo. Se vai conseguir são outros 500, mas não deve desistir de tentar.

    • Rodrigo Tannuri

      Outro que surpreendeu positivamente foi o Matt Brown. Quem poderia imaginar que um cara com o cartel 12-11 fosse evoluir tanto e se firmaria no topo de uma das divisões mais sinistras do MMA?

    • Renato Rebelo

      Rapaz, Biro Biro e Akyiama no Japão seria uma belíssima despedida para ambos, hein

  • will

    A sensação que tive vendo Ellenbergers e Koschecks é de estar vendo o Bellator. Uma baita luta ruim com um dos lutadores claramente dopado. Sim, Koschecks estava tão dopado que parecia lutador do Pride.

    • Felipe Paranhos

      Vou mandar um email pras comissões pedindo pra eles substituirem o exame antidopagem por sua avaliação, Will! hahaha

      • Malk Suruhito

        Vai baratear todo o processo de uma forma nunca vista antes, Felipe.

  • Bruno P.

    Acho que o primeiro passo para dar credibilidade ao ranking, é casar lutas de acordo com ele.. não adiantar marca o primeiro do ranking contra o 11, como foi o caso do Barão em sua última luta, por pura pirraça. Quer dizer que se o cara ganhasse ele seria o novo contender ?

    PS: 11 eu chutei, não lembro ao certo qual era o ranking do Gagnon

    • Renato Rebelo

      Bruno, na teoria, isso seria o certo a se fazer. Mas, tratando-se de matchmaking no MMA, o ideal passa longe. Lesões, negativas (sim, lutadores se negam a enfrentar outros), timing, ineditismo, etc, etc… Tudo isso pesa.

  • Gefferson Nesta

    Essa é a grande graça do MMA, sou da epoca do PRIDE e sinto saudades dos grandes nomes da epoca, mas essa grande safra de jovens talentos me deixaa curioso pra saber o que vai acontecer, mas de certa forma não consigo ver nenhum desse novos talentos fazendo coisas como os campeões antigos… Feitos como de Anderson Silva, Dan Henderson, Fedor, Aldo, Royce e outros são dificeis de acreditar que outros consiguiram pois o nivel vem crescendo tanto que acredito ser cada vez maior a rotatividade dos cinturões.

    • Lero

      Ronda está fazendo o que ninguém fez no UFC, JJ e Aldo com 28? anos estão fazendo historia passo a passo e ate o súper rato já é uma força imparável na sua categoria.

      • Gefferson Nesta

        DJ Tera a maio sequencia de vitoria EM DEFESA DE TITULOS NA HISTORIA DO UFC se decidir permanecer na categoria, hoje só o Dodson coloca o reinado dele em risco e mais ninguem, concordam!?

        • Lero

          Horiguchi daqui a dois anos poderia tirar o cinto, Cejudo se logra derrotar primeiro a balança também poderia…

          • Gefferson Nesta

            Como diz Renatão ”o e que é isso Rapazzzzz”!
            Verdade, são nomes em potencial, mas mesmo assim ainda ta complicado pra eles…

  • Bruno Moraes da Costa

    “Não precisamos ir muito longe para mostrar como as coisas mudaram – inclusive no próprio ranking, que, a partir de junho, com a chegada oficial da Reebok, vale dinheiro.”

    Apenas uma observação sobre isso: os rankings feitos por alguns jornalistas são bizarros e precisa haver algum tipo de melhora no critério!

    Tem jornalista que vota que eu tenho certeza que não assiste todas as lutas do UFC (ou sequer as mais importantes!!!) ou não entende coisa alguma do que vê – estou, aqui, desconsiderando a hipótese de tentarem favorecer amigos ou seus interesses pq confio na integridade do ser humano até que se tenha prova contra (e também, porque, por exemplo, não acredito que o Guga Noblat teria algum interesse em rankear o Igor Pokrajac no meio-pesado até pouco tempo atrás).

    http://www.cagepotato.com/the-top-ten-worst-ufc-rankings-panelists/

    • Felipe Paranhos

      Falei sobre essa ausência de critério de alguns jornalistas julgadores nesse texto aqui. http://sextoround.com.br/15987-ufc-reebok-revolucao-requer-outras-mudancas/ Tinha cada absurdo… E um monte de brasileiro fazendo ranking sem sentido.

      • Bruno Moraes da Costa

        Por algum motivo tinha esquecido desse teu texto, boa releitura. Só por curiosidade, acabei de rever alguns rankings de brasileiros na página do UFC… tem nego classificando Jake Ellenberger como TOP 5 nos meio-médios!!!!!!!!! Pode isso?

        • Renato Rebelo

          Bizarro. Imediatismo brabo

  • Rodrigo Tannuri

    Confesso que mudanças como essas são sempre boas pro esporte e não acho que elas demoraram pra acontecer. Sobre o final do texto, concordo que Ellenberger e Koscheck nunca mais serão os mesmos, mas enquanto o primeiro é insignificante, o segundo é justamente o contrário e fará falta sim, porque sempre foi diferenciado. O cara foi príncipe dos meio-médios, é um veterano de TUF 1, marcou uma época com habilidade, condicionamento e personalidade e, no final da carreira, ainda conseguiu transformar o ódio de boa parte do público em incentivo. O que o Kos fez pro MMA não tem comparação com o que o Jake fez, então não podemos colocá-los no mesmo balaio.

  • Maxsupremo

    Bom texto, Bateu o saudosismo aqui, Sinto falta da época em que Liddell destruía geral e da época em que a LHW era uma divisão muito competitiva, com Rashad,Rampage,Shogun…

    • Renato Rebelo

      O problema do meio-pesado atualmente é o quão dominante é o campeão. Pq se olharmos a categoria, ainda tem mt gente boa – tanto ou mais até do que nessa época citada. Cormier, Glover, Gustafsson, Johnson, Bader (em boa fase), Phil Davis e os remanescentes Rashad, Shogun e Rampage.

      • Maxsupremo

        É verdade, todo mundo gosta de um campeão dominante, mas depois de certo tempo passa a ser meio enjoativo,Quem sabe depois que Jones subir não veremos a LHW florescer novamente.

        • Filipe C.

          Acredito que quando um campeão é dominante, ele passa ao público que o resto da categoria é fraca. Veja o Anderson quando campeão e o próprio Jones e Ronda atualmente.

  • Lucas Andrade

    Acredito e torço para que em 2 anos haja muitos vídeos na internet de como o Jones foi nocauteado por algum lutador ascendente e perdeu seu cinturão. =]

Tags: ,