Receita do Cappelli: será ela a kriptonita de Ronda?

Fernando Cappelli | 02/03/2015 às 22:08
HOLLY HOLM'S LAST BOXING FIGHT.vs Mary McGee .Mayhem - Route 66 Casino.5.11.2013

Nos tempos da nobre arte…

Amigos do Sexto Round, Ronda Rousey x Cat Zingano foi um main event de apenas 14 segundos.

Bombástico, com certeza, mas obviamente não fornece gordura suficiente para uma análise mais profunda aqui em nossa ‘seção dissecação’ semanal.

Vamos então dar uma olhada mais espessa no co-main event, que trouxe a estreia da multicampeã mundial de boxe Holly Holm vencendo Raquel Pennington na decisão dividida.

Morno no geral, o desafio rendeu críticas à pugilista pelo fato de ter adotado estratégia mais calculista e transformar as chances de nocaute em secundárias.

Foi mesmo tão ruim assim? Vejamos.

De longe

A grande sina do striker que não quer ser cravado ao solo está calcada em fundamentos como timing e isometria.

É complexo manter o equilíbrio corporal para executar golpes fortes sem abrir brechas que facilitem o trabalho de adversários que estão dispostos o tempo todo a desenhar clinches e quedas.

Em pé, golpear adequadamente é mais ou menos uma busca constante por ‘equilibrar desequilíbrios’.

Holm golpeando sem ter que ir pro infight

Holm permanecendo da média pra longa

Mesmo técnicas mais lapidadas de socos, chutes, joelhadas e cotoveladas, executadas na distância certa, com puxadas rápidas após cada golpe e bom feeling para dinamizar a potência exigem deslocamentos do centro de gravidade e projeções de força constantes.

Com isso, mexem no centro de massa (ponto de equilíbrio) de um corpo.

Aulas de física – e outros blablablás chatos – à parte, para ser eficiente a coisa toda tem de começar com uma boa postura de luta. A adotada por Holly em sua carreira no MMA mostra a forte preocupação em evitar o grappling a qualquer custo.

Ela mantém o tronco inclinado para frente, as pernas mais arqueadas e o quadril puxado o tempo todo para trás, com intenção de antever botes no quadril ou pernas e agilizar os sprawls (defesas de queda nas quais se jogam  as duas pernas para trás simultaneamente) quando necessário.

usa-today-8413425.0Mas a postura mais arcada e tensa também pode prejudicar a fluidez de golpes característica de seu jogo.

Visivelmente confusa por encarar uma adversária canhota e tecnicamente tímida demais, a destra Raquel Pennington capitalizou pouco em cima disso.

Ela deslocava o pé da frente (da posição de luta) insistentemente para arrumar alguma forma confortável de disparar golpes.

Mas Holly sempre a deslocava diagonalmente e quase de forma espelhada ao movimento da adversária. É o que muitas escolas de striking chamam de ‘mata-ângulo’.

Os melhores momentos ofensivos de Pennington apareceram quando ela esquivou/bloqueou alguns jabs de Holly e aplicou diretos de direita em contragolpe, com auxílio de rápidos movimentos para a esquerda. Mas foram pouco contundentes.

Rápido e rasteiro

mma-ufc-184-pennington-vs-holm1Como a ordem tática principal para Holly era cadenciar, a fórmula para criar volume sem se expor demais foi circular até arrumar algum ângulo, e aí se mandar para cima com investidas curtas e sequências de três ou quatro socos retos, muitas vezes terminadas com um chute lateral com a perna da frente bem esticados (quase como o ‘coice’ à la Sanda), mais para garantir a manutenção da média para a longa distância.

As famosas pernadas circulares altas da loira, uma de suas armas diferenciais no MMA, também apareceram em alguns momentos, mas acompanharam a mesma diretriz da ‘mais dinâmica/menos potência’ do restante do jogo.

Após cada combo, a boxeadora ainda abaixava ligeiramente a guarda, esperando a queda. O cacoete fez com que bloqueasse as (poucas) investidas para clinches de Pennington, e o desafio se manteve a maior parte do tempo na vertical até o fim.

Conclusão

tumblr_mum3bnRobt1qaa8d1o2_250Foi a vitória mais espetacular do mundo? Longe disso. Mas em uma visão mais ampla, podemos dizer que foi satisfatória para uma estreia deste porte.

Na época de pugilismo, Holly não foi uma nocauteadora nata (tem 33 vitórias, e apenas nove pela via rápida). No MMA, a adição de chutes ao jogo aumentou a média de KO´s: está invicta há oito combates e nocauteou seis oponentes.

Cria de uma das escolas mais estratégicas dos esportes de combate, a Jackson/Winklejohn, claro que Holly ainda precisa ‘criar calo’ de UFC.

Holly_Holm_vs._Juliana_Werner_1Mas o mais importante, por ora: precisa de tempo hábil para concretar habilidades no wrestling e jiu-jitsu, e assim achar um senso comum para não sacrificar as habilidades mais naturais (de striking) pelo simples receio de ser levada ao solo.

Ainda mais quando a campeã da categoria detém, além da soberania monstruosa, um dos padrões de luta agarrada mais mortíferos do esporte.

Aliás, nem Holly, nem Bethe Correia, nem ninguém.

Não dá para visualizar alguém que tenha a kriptonita neessária para sufocar e superar as habilidades da detentora da cinta.

Cyborg? Talvez. Tenho lá minhas dúvidas também. Mas isso é uma outra história.

O que vocês acham?

  • victor

    Tem TB um outro detalhe importante… Nas categorias femininas, não vemos tantos ko e tko como nas categorias masculinas, e na feminina as poucas que vemos, em sua grande maioria e através dos golpes traumáticos no solo, isso pq a forca não e tao grande nas mulheres, então QQ striker feminino vai ter sempre q pontuar muito mais antes de nocautear, mas pra falar a verdade achei q a Holly fez uma boa luta, pareceu set boa em manter a distancia e evitar quedas, mas acho q hj ela não teria chances contra a ronda, sou uma coisa… Como um juiz deu a vitoria para a Rocky

    • Carlos Montalvão

      Eu vi mais contundência na Rocky, dei os rounds 2 e 3 pra ela, errado foi o cara que deu 30-27 pra Holm porque ela certamente perdeu o terceiro round, agora os outros dois é questão de ponto de vista/interpretação, podia ir para qualquer um dos dois lados, já que a luta foi meio parada

  • abner albuquerque

    Cara eu amo essas análises do SR. Acredito que se a filha do pastor melhorar o jogo de chão, como vc falou, ela será uma ameaça a campeã.

  • Edson Mariano

    Vitor. ..comentou abaixo….
    vc nao ve muitos nockout pq nao tem visto a (as) ultimas lutas da cyborg. ..
    cara a nossa CB com um pouco mais de luta olimpica sera imbatível. ..tendo em vista q luta olimpica é oq te faz ficar em pé (ou nao)…forte abraço a todos aew…
    ahh so uma pequena observação: queria vr mais entrevistas do 6r….me increvi no canal e fico ansioso por mais uma entrevista!!!!!!

  • Ramon Reis

    Capeli, eu tô ganhando uma visão diferente do esporte sendo “nutrido” pelos seus textos, obrigado por achar as palavras necessarias para se comunicar com a gente.

    • Fernando Cappelli

      Ramon, são comentários assim que me deixam muito satisfeito, meu camarada. Valeu pela leitura de sempre.
      abs!

    • Thiago de Carvalho

      Falou tudo e assino embaixo!

  • Edson Mariano

    Ahhhhh me esqueci. …galera 6R estava vendo lutas por ai…..oq vcs acham de uma tal de VALENTINNE SHEVCHENKO?????…..essa menina ainda vai dar oq falar! !!!!!
    Obrigado….. site monstro

    • Fernando Cappelli

      É kickboxer ucraniana, acho que naturalizada peruana, certo? Ela lutou no Legacy Kickboxing recentemente. Feríssima em pé, com chutes demolidores. Vou procurar mais material dela no MMA, não lembro de tê-la visto lutar. Mas qualquer uma que aparecer com algum potencial para criar atrativo na divisão peso galo feminino no UFC tem de ser levada em conta…
      abs!

      • Edson Mariano

        Ela é muito boa….bom kickboxe. …quando a vi lutar …ate me esqueci que ela era mulher…kkk
        super polida…eu todos os niveis da luta e principalmente em pé!! Na hora que eu vi…dei mais um “viva” e pensei que as lutas femininas estao evoluindo para o nível dos homens!!!!

  • Matheus

    Cappelli é monstruoso nos textos! Oss

  • Allan Philip

    O uso das linguagens figuradas deixam os textos únicos e mega construtivos – sem dizer das análises propriamente dita – é a marca registrada do 6Round, show de bola!!
    Vocês são exímios samurais da escrita!!

  • Texto demais!

    Eu gostei da luta da Holm.
    Postura e defesas de queda mostraram inteligência.

    🙂

    • joao neto

      Tambem achei David,ela realmente foi muito Inteligente!! e outra era sua estreia tem toda aquela pressão!! Abraço!!

  • Franklin Stein

    Disse tudo Capppelli! Podemos acrescentar tb o aparente nervosismo da estréia e toda a pressão em cima da Holm! Como ela mesma disse antes da luta, a estréia seria uma situação onde ela só teria a perder. Também tenho sérias dúvidas quanto a Cyborg ser capaz capaz de derrotar a Ronda…

    • Eu acho que atualmente em qualquer luta a Ronda seja favorita.

    • Fernando Cappelli

      Todo mundo esperava um KO, afinal era uma das maiores campeãs de boxe da história subindo ao octógono pela primeira vez. Mas foi uma atuação mais cerebral, o Greg Jackson não agiria diferente. A Holly nunca tinha lutado MMA em um evento de grande porte e cai logo em um evento do UFC numerado, como co-main event. É osso.
      abs

      • Carlos Montalvão

        Impressionante a diferença da Holly antes e na hora da luta. Nunca tinha visto alguém tão nervoso pra lutar igual ela, ela tremia demais, tinha uns espamos estranhos e na hora que começou a luta ela tava com uma calma que parecia até que trocaram ela por um clone com sangue de barata enquanto filmavam a Raquel

  • joao neto

    Quando estava assistindo a luta da Holly,ja estava imaginando como seria a Analise do Cappelli.. Seria muito Bom se vc comentasse ao vivo no Combate!! Parabens!!

    • Eu tb pensei nisso na hora da luta!
      Cappelli ao vivo, seria demais!

    • Jonas Angelo

      Capelli não merece o Luciano…haha

  • Fernando Cappelli

    Mais material de treino pra quem curte. Meio antigo, mas tem a Holly Holm fazendo um soltinho de boxe com Jon Jones na Jackson’s MMA.

    https://www.youtube.com/watch?v=8a8gozvoB7I

    • Que foda! Jones se perguntando: “para onde eu vou????”.
      rsrs

    • Marcio Rodrigues

      Caramba! Ela é grande hein!?

  • Hebert Santos Morais

    boa resenha…

  • Gefferson Nesta

    Digo mais Ronda vence Holly Holm por finalização no primeiro instante. Acho que a unica que não permitiria isso é a Cyborg que é mais que vacina e macaca velha… Sem dizer que na minha opinião no MMA feminio ninguem bate mais forte que a Cyba… Na ultima luta dela fiquei impresionado com a cara de medo de sua adversaria depois do nocdow, ela simplesmente uma mostra lutando.

  • Carlos Montalvão

    Sinceramente, não adianta o quão formidável seja o texto do Cappelli (mais uma vez, parabéns pela excelente análise, como sempre), a Holm não me desce hahaha (talvez seja a falta de carisma). E a própria Ronda me impressiona mais batendo manopla. MAS, gostei de ver como ela é lisa, a Pennington teve muita dificuldade pra achar o rosto da filha do pastor e com os 2m de perna e braço que ela tem, ficou muito difícil ser derrubada ou socada, seria ela a Joana Jones ou a Lyota da categoria? Que todo mundo caça e não consegue acertar? Hahaha. Muito bem reparado o lance do mata-ângulo, eu mesmo que treino não consegui reparar isso na hora (tava um pouco tenso hehe), mas sei a agonia que dá enfrentar alguém com base contrária à sua (nem se trocar de base eu fico confortável). Eu acho que ela cai antes de enfrentar a Ronda Rousey, mas mesmo assim, parabéns novamente pelo ótimo texto que além de uma ótima leitura, ainda ajuda a gente ter uma visão diferente do combate e dá até inspiração pra gente tentar adicionar uma coisinha ou outra no treinamento (no meu caso, Muay Thai) com base nas análises técnicas.

  • Glauco Lopes

    Cappelli é um gênio da comunicação, como poucos manja bastante das duas valências, jornalismo informativo esportivo e mundo das lutas, parabéns excelente texto

    • Fernando Cappelli

      ahahahaha.. quéisso, Glauco. (Bem) menos, meu velho.. mas valeu a leitura!
      abs!

  • Vitor Torre De Avila

    Eu to desde sabado pensando: Como ganhar da Ronda?

    Cheguei a duas possíveis respostas, uma vez que descartei o jogo de chão…não pq eu ache que ele tenha o melhor grappling do mundo, mas dificilmente alguem vai controlar o jogo de quedas como ela controla e ela tem um bote muito perigoso e poderoso, fora o atleticismo, etc….

    As respostas seriam:

    1 – Potencia, One Punch Knockout…nós já vimos que a Ronda tem esse atributo, mas todo mundo pode ser Nocauteado, queixo invulnerável não existe…Nesse requisito um nome é óbvio: Cris Justino!

    2 – Trocação na longa, no melhor estilo GSP…só que precisaria ser algo feito no Estado de Arte, pq a loira sabe abafar muito bem, com jabs e um footwork que coloca muita pressão….movimentação diagonal e muuuuitos jabs, desde que bem colocados poderiam apresentar uma resposta….Acho que a Holm poderia fazer isso, e muito bem, na verdade….

    A nossa Bethe acho que se aproxima mais do segundo padrão, mas creio que ainda precise comer um pouco mais de feijão….mas, como dizem os gringos, “a fight is a fight”, nunca se sabe…

    Daria um chance concreta de vitória a Holly Holm, mas certamente seria zebra….

    • Fernando Cappelli

      Ótima análise, Vitor. O primeiro quesito, com certeza. O segundo é bem mais complicado. Não vejo nenhuma lutadora com tanta expertise técnica assim ainda. Mas…
      abs!

      • Vitor Torre De Avila

        O Cappelli me respondeu pela segunda vez!!!!

        Vou tirar um print e mandar pra minha mãe!!!!

        Acho que a Holly poderia usar a seu favor o fato que a Ronda, assim como 95% dos judocas, busca suas quedas a partir do clinch, sem fazer entradas nas pernas…..vale a menção de exceções a essa regra, como nosso bi-campeão mundial e campeão Pan-americano João Derly, o medalhista olimpico(e tbm fera brava no newasa, ou lutade solo) Flavio Canto, assim como também os atletas russos e da europa oriental como um todo, embora tal movimento tenha sido banido de competições em 2010, logo os atletas de alto nível e mais recentes nao costumam usar esse tipo de entrada.

        Creio que isso permitiria a Holm adotar uma postura um pouco mais longilínea, próxima do boxe tradicional…desse modo, talvez, e eu repito, talvez, ela pudesse ter uma chance real de implementar esse plano de jogo….acho possivel e creio que ela tenha bagagem para faze-lo….veremos!

        • Fernando Cappelli

          ahahahah… nada, Vitor. O legal é sempre trocarmos ideias. E gostei do seu ponto de vista mais uma vez.
          abs!

  • will

    Não acho que o problema da Holm seja só uma postura defensiva. Botar ela pro chão e finalizar é muito fácil. Zingano e Tate venceriam ela com extrema facilidade.

Tags: ,