Flashback: quando Kelvin Gastelum
foi a última escolha do TUF 17

Lucas Carrano | 20/07/2017 às 14:23

Não, você não está lendo errado.

Este é um texto da série Flashback, notória pelas hábeis mãos do amigo Fernando Henriques, que volta em uma versão adaptada enquanto o nosso programador se dedica às mudanças estruturais do Sexto Round.

Espero contar com a benção de seu criador e não decepcionar os amigos leitores nesta nova iniciativa.

Prometo contar boas histórias, com muitas curiosidades e aquele tom descontraído e informal já característico do meu texto.

Sem maiores delongas, vamos ao que realmente interessa.

No advento do retorno do UFC ao estado de Nova York, com Kelvin Gastelum pintando como favorito nas casas de apostas para o duelo contra Chris Weidman, venho recordar do início da trajetória do descendente de mexicanos no Ultimate.

Na ocasião, ao contrário do que se desenha para este sábado, Gastelum não só não era favorito para o reality show The Ultimate Fighter 17, como era o menos cotado da edição.

O TUF 17

A edição recebeu grande atenção da mídia e dos fãs, especialmente após o fiasco do TUF 16, classificado inclusive por Dana White como o “pior da história”. O programa foi ao ar nos Estados Unidos pelo canal FX, sendo o último show a ser exibido fora da FOX Sports – antes da repaginação do segmento de esportes do grupo FOX no mercado americano.

UFC 151 foi o gatilho para o TUF 17

Outro motivo que atraiu os olhares para o reality foi a escolha dos técnicos. Em 2012, o UFC 151 se tornou o primeiro pay-per-view da história a ser cancelado e este foi o gatilho que culminou na escolha dos técnicos do TUF que seguiu o card.

Dan Henderson deixou o evento em que disputaria o título contra Jon Jones em cima da hora, colocando a direção do Ultimate em estado de alerta – leia-se desesperada para encontrar um substituto e salvar o evento, que dependia amplamente da luta principal.

Como Jones já era o Cabuloso naquela época, todo mundo do top 10 dos meio-pesados recusou uma luta em cima do laço contra o então campeão. Na contramão dos rivais, Sonnen, que na época vinha de derrota na revanche para Anderson Silva e competia nos pesos médios, ligou para Dana e ofereceu-se para o duelo.

O Chael me ligou e pediu essa luta, disse que já estava voando pra Las Vegas. Então, por volta de 8 ou 9 da noite de ontem, eu tinha uma luta. Nós começamos a trabalhar, criar comerciais, o departamento de relações públicas começou a se movimentar, eu convoquei essa conferência telefônica com a imprensa e, óbvio, o conteúdo era pra ser bem diferente. Então, a única coisa que eu jamais pensei que pudesse acontecer em um milhão de anos, aconteceu. Jon Jones disse ‘Eu não vou lutar com o Sonnen com 8 dias pra me preparar’. De novo, isso nunca aconteceu na história do UFC, um cara que é campeão e considerado um dos melhores peso por peso negar uma luta”, disse Dana na conferência em que anunciou o cancelamento do UFC 151.

Como sabemos, há uma (não tão) leve tendência ao drama na gestão de negócios do UFC e o termo retaliação (pra não dizer vingança) não é raro nos corredores da Zuffa.

Pois bem, para “premiar” a coragem de Sonnen e, é claro, punir Jon Jones, o Ultimate confirmou pouco depois que o campeão primeiro enfrentaria Vitor Belfort (em uma das vezes em que esteve mais próximo da derrota em sua carreira) e, logo em seguida, treinaria o TUF contra Sonnen.

Elenco do The Ultimate Fighter 17

O torneio contou com atletas apenas de uma categoria, peso médio, e trouxe alguns nomes interessantes para a casa.

Entre eles, destacaram-se: Bubba McDaniel, superestiamado colega de treinos de Jones que perdeu duas vezes na temporada; Kevin Casey, ídolo de Renato Rebelorapper cristão nas horas vagas; Clint Hester, primeira escolha que acabou se dando mal logo de cara, mas segue até hoje no Ultimate; e o finado Josh Samman, que chegou às semifinais.

Além deles, é claro, também apareceram muito bem o já citado Gastelum e Uriah Hall, que, possivelmente, teve o desempenho mais arrasador e impressionante da história do The Ultimate Fighter.

A trajetória de Gastelum

Antes de ser conhecido como “Kelvin Safadão” ou o gente boa que, sabe-se lá por que, fala um bom português, Kelvin Gastelum foi o mais jovem atleta a participar de uma edição do TUF, com apenas 21 anos.

Após uma luta eliminatória nada empolgante contra o veteraníssimo Kito Andrews (que, a título de curiosidade, perdeu quatro de suas cinco lutas desde então), Gastelum acabou ficando desprestigiado entre os técnicos e foi a última escolha do Time Sonnen.

Primeiro Kelvin bateu Bubba McDaniel

A equipe comandada pelo Gangster de West Lynn começou a competição a todo vapor, com duas vitórias seguidas, mas Kevin Casey, sempre ele, fez o favor de ser derrotado e passou o controle das escolhas para o Time Jones.

Bones, então, não teve dúvidas e escalou seu protegido Bubba McDaniel para enfrentar a maior “carne assada” do elenco, na sua (equivocadíssima) opinião: o último escolhido do time rival, Kelvin Gastelum.

Gastelum ainda recebeu uma dose extra de motivação, com a visita de Ronda Rousey momentos antes do duelo, desejando-lhe boa sorte e prometendo que se ele vencesse sua próxima luta ela voltaria ao programa e comandaria uma sessão de treinos com o Team Bad Guys.

Sem tantas dificuldades, Gastelum finalizou McDaniel no segundo assalto e garantiu vaga nas quartas de final.

Do outro lado da chave, seu colega de equipe Uriah Hall vinha causando um impacto muito maior.

Depois a vítima foi Collin Hart

Na segunda luta das oitavas de final, Hall enfrentou o jovem Adam Cella e aplicou o nocaute mais vistoso de toda a história do TUF, o chute rodado que mandou Cella para o hospital e garantiu ao jamaicano o apelido de Homem Ambulância.

Na rodada seguinte, Hall nocauteou, advinhem, Bubba McDaniel, que havia vencido Kevin Casey (único capaz de passar mais vergonha que ele na casa) na repescagem. Assim, Hall se firmou como o grande favorito ao título e aguardava por seus rivais nas semifinais.

Gastelum também se apresentou bem em sua segunda luta na casa e com um nocaute sobre Collin Hart apagou de vez a imagem negativa que lhe levou a ser a última escolha, mas ainda pintava como grande azarão entre os quatro semifinalistas: Hall, Samman, Dylan Andrews e ele.

Antes das semifinais, Samman pediu uma reunião com os treinadores e solicitou que não enfrentasse Uriah Hall. Muitos, como eu, viram o gesto como uma afinada e tanto (mas não quero descascar um cara que era boa praça e não está mais entre nós), ele se justificou dizendo que acreditava que ele e Hall deveriam se enfrentar nas finais.

Nas semifinais, ele superou Josh Samman

A vontade de Samman foi atendida e as semifinais foram decididas com Uriah Hall x Dylan Andrews (que havia sido a última escolha do Time Jones) e Josh Samman x Kelvin Gastelum.

Hall, como era de se esperar, atropelou Andrews com enorme brutalidade e garantiu-se na finalíssima. Do outro lado, parecia questão de tempo até que Samman batesse Gastelum e confirmasse o sucesso de seu plano de bastidores.

Porém, Gastelum surpreende novamente e finaliza o favorito Samman com um mata-leão no primeiro assalto. Na primeira encarada com Hall já fica evidente a diferença de tamanho entre os dois e, também pelo histórico do Homem Ambulânica no reality, Kelvin novamente pinta como zebra.

O título to TUF

A luta contra Uriah Hall não foi uma das mais empolgantes de que se tem notícia. Pelo contrário, o que mais se comentou à época foi justamente o quanto o jamaicano decepcionou, ao invés de se exaltar o triunfo de Gastelum.

Na final, zebra pra cima de Uriah Hall

Hoje, quase quatro anos depois daquele TUF 17 Finale, que foi encabeçado por Scott Jorgensen Urijah Faber e teve também Miesha Tate Cat Zingano para decidir quem treinaria o TUF seguinte contra Ronda Rousey (Zingano venceu, mas não levou, por ter se lesionado logo em seguida), sabemos que Hall é mesmo inconstante e Gastelum é um talento nato, mas naquela época não era bem assim.

Causou muito espanto a forma como Hall lutou “travado” e também a maturidade com que o jovem Kelvin se comportou, capitalizando bem sobre as falhas do adversário e valendo-se do estilo “Mini-Velasquez“, com muita pressão e quedas providenciais, para encurralar o rival.

No fim das contas, a decisão foi dividida em favor de Gastelum, mas a superioridade do californiano, embora não tão grande, ficou evidente.

Eu nem consigo descrever em palavras. Eu sabia que ele era um bom trocador e eu também estava confiante na minha trocação. Eu trabalhei duro durante esse camp e você pode ver os resultados”, disse o mais jovem campeão da história do TUF logo após o triunfo.

Coincidentemente, seu adversário do próximo sábado, Chris Weidman (que na época do TUF 17 se preparava para enfrentar Anderson Silva e conquistar o título dos médios) também enfrentou e bateu Uriah Hall na primeira grande vitória de sua carreira, quando conquistou o título do Ring of Combat em setembro de 2010.

  • Evandro Reis

    Mandaram bem na história!! Você e o Gastelum.

  • Leo França

    Carrano mandando bem nos flashbacks, espero que receba a benção do FH hahaha

  • Cássio Rafael Guimarães Nascim

    Show!

  • Mauricio

    Esse foi um TUF bem legal!
    Deu até uma certa nostalgia

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Muito bacana! Nem lembrava que foi no mesmo TUF que o Hall tava destruindo tudo que o Gastelum tava, história interessante a dele, bom lutador mas ainda não tenho tanto apreço por ele pelo problema que ele tem em semelhante com Johnny Hendricks, mesmo sendo bem carismático…

    • Renato Rebelo

      Bubba McFreak!

    • Tiago Nicolau de Melo

      Dieta Cormier >>>>>>> Dieta Gracie

  • Gabriel Fareli

    Não deixou em nada a desejar, manteve o alto nivel dos textos do Fernando Henriques.

    Parabens Carrano !!

  • Hyuriel Constantino

    Imaginem que dentro de um tempo se possa ver uma defesa de título de Whittaker contra Gastelum?!

    Dois meio-médios campeões de TUFs fazendo a final na categoria que já fora reinada por Anderson Silva! Alguém com um pingo de sanidade conceberia isso há um ano atrás? LOL

    • KRS Porlaneff

      Alguém com um pingo de sanidade conceberia Michael Bisping sendo o segundo campeão mais frouxo do UFC após sair vitorioso de uma luta contra Anderson Silva – que em teoria, ao menos, era o adversário mais difícil do inglês fujão vencer?

      • Hyuriel Constantino

        Essa doença se chama B.E:

        Belt Effect.

  • Joadson Carvalho

    Gastelum vai levar o Weidman para bailar

  • Lorenzo Fertitta

    Excelente retrospectiva Carrano, mandou bem. Gastelum também tem uma história de “redemption”, ao ser o último escolhido no TUF, dar a volta por cima e vencer o temido “Homem Ambulância” na final. Aliás, eu tinha até esquecido dessa afinada histórica do JJ também.

  • Stive Ribeiro

    eu acho o gastelum um dos melhores produtos do tuf americano junto com o Tj dilashaw

    • Renato Rebelo

      Dillashaw, Bisping, Evans, Griffin, Gastelum e Whittaker. E não é q o TUF já revelou gente mt boa?

      • Asisz Marco

        E nenhum brasileiro até o presente momento.

        • William Oliveira

          Depende do que você considera bom..Cara de Sapato, Trinaldo e Pepey são bons lutadores, apesar de não estarem no top 15 ainda.

  • William Oliveira

    Que texto, que história! Se tem um gringo para quem eu torço nessa categoria é o Gastelum, carismático como nenhum outro e baita lutador.

  • FD TEAM MMA

    Visite meu canal no YouTube (FD TEAM MMA) tudo sobre lutas

  • Tiago Nicolau de Melo

    Hall foi assustador nesse programa. Mas desde lá já mostrava que travava.

  • Shotokan Karate

    O novo gordinho bom de briga Gastelum tem mostrado mtas virtudes como lutador mas infelizmente percebo que está começando a se achar demais. Essa de pedir disputa de titulo em caso de vitória contra o Chris Weidman foi pra matar. Concordo que uma vitória sobre o “All American” será a maior que terá na divisão mas vamos concordar que o Weidman é um cara em péssima fase e ainda com a confiança lá embaixo. Vamos ver a quantas andará o Rockhold (pelo que me informei anda lesionado) e dependendo pq não ele pra uma avaliação quanto a titulo?

  • Lero

    Kevin Casey campeão do povo. #euacredito.

Tags: , , , ,