Pensando alto: A análise
informal do TUF 25 Finale

Thiago Sampaio | 08/07/2017 às 07:41

A UFC International Fight Week não poderia ter começado melhor. Servindo de aquecimento para o UFC 213, que acontece neste sábado (8), o The Ultimate Fighter 25 Finale trouxe um bocado de emoção nesta sexta-feira (7), na T-Mobile Arena, em Las Vegas, Nevada, apesar do início morno.

Isso porque Justin Gaethje e Michael Johnson não decepcionaram os fãs, se entregaram por completo e travaram uma batalha brutal, repleta de reviravoltas, com vitória do Highlight, que chega ao UFC com o pé direito.

Na final do TUF Redemption, mais uma vez não deu para o brasileiro Dhiego Lima, que foi dominado pelo veterano e ex-alcoólatra Jesse Taylor. Até teve um bom momento no início do segundo round, mas acabou finalizado. Por sinal, nenhum dos três brazucas saiu com a mão levantada.

Mas deixemos de enrolação e vamos ao que interessa!

Justin Gaethje x Michael Johnson

As expectativas para a luta principal desse TUF 25 Finale foram confirmadas. Quem esperava uma pancadaria insana entre Michael Johnson e Justin Gaethje, teve o que queria. Logo de início, o The Menace usou o seu boxe em linha e acertou alguns bons golpes. Mas o ex-campeão do WSOF manteve o seu estilo kamikaze indo para cima, mesmo aberto a levar contragolpes, mandando chutes baixos e socos de todos os ângulos, chegando a frustrar Johnson. Mas no fim do primeiro round, levou uma bomba que o fez dobrar o joelho e quase foi nocauteado, sobrevivendo até o intervalo. Na volta para o segundo, o Highlight ainda estava visivelmente debilitado, lento, enquanto Johnson passava a dominar as ações e parecia que o “choque de realidade” viria em questão de pouco tempo para o estreante, que mal levantava a guarda. Assim como na vez que balançou o rival no round anterior, Michael mais uma vez esteve perto de liquidar, encurtou, mas preferiu o clinch ao invés de concluir (!!!). Mas num lá e cá louco, foi Gaethje quem acertou um soco de cima para baixo, seguido de dois uppers, que balançaram o veterano do UFC. Mesmo com o nocaute nas mãos, Justin parecia sem forças para continuar. Até quando Johnson foi ao chão, não partiu para cima, preferiu respirar e mandou ele se levantar. Mas não tinha jeito: “A Ameaça” não ameaçava mais, parecia um boneco de posto e uma joelhada foi só o ponto final para o juiz interromper a batalha. Estreia com propriedade de Justin Gaethje, que está invicto com 18 vitórias (agora, 15 por nocaute). É um atleta que pode oferecer perigo aos tops da categoria dos leves e, mesmo se não sair com a mão levantada, certamente vai garantir muita diversão. Detalhe: apesar de cambaleante, ainda conseguiu subir no cage e comemorar com um mortal para trás! Em resumo: a melhor luta de 2017 até aqui!

Jesse Taylor x Dhiego Lima

Num TUF que já nasceu freak por essência, o campeão tinha que estar à altura. Jesse Taylor participou do TUF 7, em 2008, e foi proibido de lutar a final pois se envolveu em confusão alcoolizado. O brasileiro Dhiego Lima, vice campeão do TUF 19, em 2014, bateu na trave novamente e se sagra o primeiro “bi-vice” do reality show, o que não significa absolutamente nada. Logo quando começou, o americano não quis saber de trocar golpes e partiu para o double leg, levando para a grade. Usando o wrestling, sua especialidade, amassou, golpeou, encaixou um mata-leão que Dhiego saiu na marra, tentou pegar o braço, dominou por completo. Um 10-8 seria plausível. Mas na volta para o segundo round pareceu que teríamos uma virada daquelas. O brasileiro encaixou um direto certeiro que mandou Taylor ao chão. Partiu para pegar o pescoço, mas, o veterano de 34 anos soube sair rapidamente, inverteu a situação e encaixou de novo o mata-leão. Dessa vez não teve saída para o irmão menos talentoso de Douglas Lima (campeão dos meio médios do Bellator), a não ser batucar. Bom para o JT Money que, numa História de superação após 46 lutas, enfim pode ser considerado oficialmente lutador do UFC. E ainda faturou um cheque de U$ 250 mil. Mas também não vai oferecer grandes riscos. Já o brasileiro, com essa atuação, até uma nova chance na organização é incerta.

Brad Tavares x Elias Theodorou

Apesar da pouca ação, o duelo entre Elias Theodorou e Brad Tavares nem foi essa propaganda de remédio para curar insônia como muitos esperavam. O canadense narcisista começou o combate cheio de gracinhas, provocou, fez firula, pra nada. Conseguiu uma queda, golpeou pouco e, nos breves instantes em que ficaram na trocação, o havaiano conseguia ser mais efetivo nos contrapolpes. Voltando do intervalo, Tavares acertou um chute baixo que Elias sentiu, andou para trás, e logo tratou de agarrar e passou quase a segunda etapa inteira na grade, onde acertou no clinch algumas joelhadas na cabeça e uma boa sequência de socos e cruzados. Mas no terceiro, o The Spartan não quis nem saber de golpes e partiu logo para o double leg. Estava dando tudo certo até então e parecia que o cenário seria bem semelhante ao round anterior, apesar do cansaço. Acontece que na reta final, Brad teve o melhor momento de toda a luta quando, mesmo acuado, conseguiu passar os ganchos e buscou encaixar o mata-leão. O canadense se desesperou mas pressionou o queixo no peito e fez sinal de positivo para o juiz. Mas o havaiano não desistiu e fez a transição para o armlock, mantendo o adversário em apuros, que resistiu até o fim. Por ter proporcionado esses poucos momentos de emoção, Brad Tavares foi declarado vencedor por decisão unânime (triplo 29-28). Pode até voltar a figurar no top 15, onde já esteve no passado. Fato é que os dois seguem como lutadores nem um pouco atrativos e não devem fazer frente às pedreiras da categoria dos médios. Legítimos porteiros.

Jordan Johnson x Marcel Fortuna

Após surpreender na estreia com um nocaute avassalador sobre um Anthony Hamilton com 22kg de vantagem, na categoria dos pesados e aceitando o duelo com apenas duas semanas de antecedência, o brasileiro Marcel Fortuna voltou para a categoria de origem, meio pesado, e não levou a melhor contra o americano Jordan Johnson. O Mãozinha começou o primeiro round respeitando demais, sem encontrar a distância, enquanto o adversário, mesmo lento, acertava golpes na linha de cintura e bons uppers. Marcel acordou no segundo, foi visivelmente melhor, chegou a balançar Jordan na reta final, apesar de ter terminado por baixo levando marteladas faltando alguns segundos. Mas no terceiro e mais equilibrado round, o gás estava nas últimas para os dois. O americano controlava as ações, andava para frente o tempo todo e o brazuca, mesmo sem o ímpeto do round anterior, conectava golpes mais efetivos, incluindo uma joelhada no fim. Com um grande background no jiu-jítsu, Marcel só tentou levar para o chão na reta final, sem sucesso, e ainda levou um chute na cara que abriu o supercílio. Vitória de Jordan Johnson por decisão unânime (triplo 29-28) e emplaca a segunda vitória consecutiva no UFC , a segunda sobre um brasileiro (venceu antes Henrique Frankenstein também por decisão). Invicto em oito lutas, é um nome para ficarmos de olho numa categoria combalida como a dos meio pesados, mas pelo o que mostrou até agora, dificilmente vai fazer frente contra qualquer top 15. Quem sabe pega Jared Cannonier, outro vencedor da noite, na próxima. Para o Mãozinha, é aceitar que ainda não é um grande striker, retomar um pouco às origens, voltar para a academia e treinar.

Menções honrosas:

  • O hype estava grande em cima de Marc Diakiese e a maioria esperava um show sobre Drakkar Klose. De fato, o congolês radicado na Inglaterra é muito talentoso, mandou voadora, joelhadas certeiras, tem tudo para crescer. Mas Klose soube aplicar bem a estratégia, derrubou, joelhou no solo, levou para a grade quando precisou e ainda tirou a base de Marc com chutes baixos. Vitória de Drakkar por decisão dividida (29-28, 28-29, 29-28). Mas que papelão do (mau) vencedor! Provocou o adversário antes do anúncio do resultado, quis partir para cima após confirmar a vitória e ainda xingou os ingleses de vagabundos, sobrando até para Michael Bisping, que, do lado de fora, não tinha nada a ver com isso.
  • Maior favorito da noite, Jared Cannonier tinha quase obrigação de vencer o ex-jogador de hockey Nick Roehrick, que aceitou o combate com apenas três dias de antecedência. Levou por nocaute técnico no terceiro round e dominou o combate todo, podendo até ter liquidado antes, mas preferiu brincar. Mas foi o estreante quem saiu com honra, pois mostrou uma resistência absurda, levando várias bordoadas no rosto cheio de sangue, mas continuava a andar para frente buscando um golpe salvador. Deve, e merece, receber um bônus extra-oficialmente.
  • Definitivamente, a troca de Amanda Ribas por Tecia Torres foi uma péssima para Juliana Lima. A diferença de nível foi visível. A brasileira, que tem o apelido de Ju Thai mas a última coisa que ela usa é o muay thai, insistia sem sucesso no single-leg, enquanto a americana sempre dava um jeito de sair e ficar em posição de vantagem. Após uma guilhotina mal encaixada no primeiro round, no segundo, Torres encaixou um mata-leão e não teve jeito. Vitória por finalização! Ao fim, pediu uma luta com Michelle Waterson. Seria até interessante, mas se quiser mesmo uma disputa de título, um confronto com Cláudia Gadelha (desafiada por Angela Hill após uma vitória sem graça sobre Ashley Yoder) não cairia mal.
  • Pensava-se que Gray Maynard caminharia para o fim da carreira se perdesse para o japonês tarado Teruto Ishihara. Mas o que se viu foi o contrário: atuação dominante do The Bully, vencendo por triplo 30-26. Derrubou quando bem quis, não teve nenhuma dificuldade e ganha sobrevida no UFC. Tudo bem que o adversário, que já revelou que não gosta de lutar e faz isso só para pegar garotas, só se consolida como um freak. Será que alguma vez na vida ele treinou defesa de queda?

E ficamos por aqui pessoal! Todos os resultados e as discussões sobre o evento estão no tópico do TUF 25 Finale no nosso fórum. Passa lá!

 

  • Carlos Montalvão

    Perdi a luta do ano porque eu dormi tão pesado por causa desse filho da puta do Elias Theodorou que minha mulher não conseguiu me acordar pra final do TUF e o Main Event. Porque ninguém quebra umas 8 costelas ou a coluna desse canalha pra ele nunca mais voltar a lutar? #Desabafo

    • Vinicius Maia

      Veja a luta dele contra o Sam Alvey. Meu deus, seu ódio por este lutador vai ser mais de 8000 kkkkk

      • Carlos Montalvão

        Tive a infelicidade de assistir no dia. Se não tivesse Calderwood vs Letourneau mais além naquele card eu teria bebido de tristeza até entrar em coma alcoólico. Porém assisti em galera na sala, com gelada suando, já ontem tava assistindo na cama, sem cerveja, aí não teve pra onde correr. Um cara desses merece ficar trancado com o Whittaker ou o Romero por 25 minutos no cage, se for nocauteado antes, esperem ele acordar, pausem o contador e coloquem ele pra lutar e novo e continuar levando trauma cerebral até passar o tempo total de cinco rounds.

        • Hyuriel Constantino

          kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • Thiago Sampaio

        Essa contra o Sam Alvey foi pior ainda. Na última, pelo menos Brad Tavares proporcionou alguma emoção no final tentando a finalização.

        • Hyuriel Constantino

          Foi a partir daquela luta que eu desejava o Romero na vida do Afrodite de Peixes.

          • Daniel Galisa

            Afrodite x Aldebaran.

          • Hyuriel Constantino

            kkkkkkkkkkkkkkkk

    • Fernando Cruz

      Caraca!

    • Thiago Sampaio

      Perder essa luta por causa do Theodorou é imperdoável! Kkk

    • Hyuriel Constantino

      Perder a insanidade do Gaethje por causa do Theodorou é caso pra pensar em suicídio! huaehauheuahuehauehuahe…

      • Carlos Montalvão

        Pra alguma coisa o CombatePlay tem que servir né hahaha, de tarde assisti a luta duas vezes, valeu a pena, apesar dos spoilers hehe

    • Daniel Galisa

      Também perdi por motivo similar! Rsrsrs… A luta do Theodorou foi tão bizarra e incômoda (como não se incomodar com o Vega da vida real?) que eu desliguei a tv e fui tratar de dormir. Perdi uma das melhores lutas do ano. :

  • Carlos Montalvão

    “Ju Thai mas a última coisa que ela usa é o muay thai”, como assim, não seria wrestling?

    • Leo França

      Mesma coisa do Netto Bjj, a ultima coisa que ele usa é o Bjj

  • João Mário

    Thiagão não mede as palavras na hora de criticar haha

    A ameaça que não ameaça foi o melhor do texto

    • Thiago Sampaio

      Só falo verdades! Hahaha

  • Alisson Passos

    É meus amigos, Justin Gaethje, que homem!
    Lembra e muito o Cachorro Louco de outros tempos!
    O mellhor de tudo foi calar a boca do Johnson de uma vez!!!!!!!!!!
    Pobre Tannuri que viu o integrante do mal do seu exército sucumbir daquela forma, que pena. Só que não… kkk

  • Gabriel Nicacio

    Cara, Justin Gathje é um lutador insano, definitivamente O CARA QUE MAIS GOSTO DE VER LUTAR, tem lutadores que fazem lutas muito boas, lutas do ano, MAS NENHUM COM A INSANIDADE DO GATHJE. Enfim, eu não creio muito que ele será campeão, o Conor ou o Barboza, tem uma sanidade melhor que a de Menace pra ver que uma joelhada ou um upper, quando o Justin levanta as mãos e abaixa a cabeça na hora de golpear, é certeira, e um nocaute a vista. Se ele melhorar esse aspecto, e ser mais tático, acho que tem boas chances de ser campeão. Mas entre ver um Gathje tático, e um Gathje literalmente INSANO, prefiro 10000 vezes mais um Gahtje insano. #GoGathje

    • Hyuriel Constantino

      Pra mim, o forte do Gaethje é seu mindset. Ele não tem medo de perder sua invencibilidade, de ser nocauteado… Ele é pura claustrofobia e o pesadelo de qualquer lutador tático que achar que ele vai cair logo de cara com suas brechas tão largas quanto o Grand Canyon.

      Eu só me toparia com um tinhoso desses armado. Essa porra é o Zarack Kempachi do MMA. kkkkkk…

      • Gabriel Nicacio

        Kkkkkkkk

  • Lucas Venagas

    Se fosse o vidente bostamasaki teria terminado a luta no R1

    • Lyn

      Com certeza pois teve uns momentos da luta que o gaethje tava nocauteado em pé.

    • Hyuriel Constantino

      #NuncaPermitamYamasakiArbitrarLutaDoGaethje

  • Lucas Santana

    Rapaz, tô eufórico pelo Gaethje, já vou comprar aquelas camisas ridículas da Reebok com o nome dele, já segui até as páginas nas redes sociais do cara. #empolgoupouco

  • Lyn

    Fui abençoado pelos deuses do mma e estava zapenado os canais ate ver o bruce buffer anunciando o Jonhson. Que lutão (sem muita tecnica é verdade) mas pelo menos empolgou na madrugada gelada de sabado. Quem não assistiu, veja pra presenciar o maior festival de WTF que já vi

    • Thiago Sampaio

      Abençoado mesmo!

  • Érico Pígula

    Em relação ao Johnson vs Gaethje não podemos deixar de mencionar que o estreante decepou a perna de apoio do adversário com inúmeros chutes baixos – o que tirou toda a base de apoio e qualquer eficácia na movimentação e potência dos golpes (uma das principais características do Michael Johnson).
    Que nem o colega disse ali: empolgou pra car@$&# e virei fã!

    • Hyuriel Constantino

      Eu vi dizerem que Gaethje não aguentaria o Nate pq lhe faltou cardio (como se aguentar dois rounds de tamanha carnificina te desse algum cardio significativo). Só que o Nate é um prato cheio pros low kicks e, na minha concepção, o galego dá low kick mais doído do que Barboza, RDA ou Aldo no auge.
      Ali é escola Marco Ruas mesmo. hahaha…

  • Hyuriel Constantino

    Caras, não é exagero, mas o Justin fez caras como Lawler, Condit, Rory ou Choi parecerem personagens da Vila Sésamo! Eu nunca vi um nível de psicopatia como o que esse sujeito mostrou na luta de ontem. Nunca um nickname (“The Highlights”) foi tão assentado ao seu detentor e não me sentia tão eufórico com uma luta quanto como assisti Goku virar SSJ contra Freeza pela primeira vez. LMFAO

    Realmente é aquilo que o galego já falou: ele vai para matar e morrer, tá invicto, mas não tem medo de perder (por isso joga numa ofensiva que jamais vi na vida) e não deixará de ser um entretedor.

    Por favor, deixem o Khabib e o Barboza de lado (se quiser, que ambos se comam na porrada entre si) e marquem logo FERGUSON X GAETHJE pelo interino. Se formos agraciados pelo destino, veremos MCGREGOR X GAETHJE que tem potencial de ser “a luta definitiva” de MMA. Dois nocauteadores natos dotados de estilos completamente diferentes. Se por um lado o McGregor encontraria o queixo de Gaethje mais escancarado do que o espacate de Chloe Bruce (já podem jogar lá no Google pra terem uma noção), por outro, caso prove que é imortal sobrevivendo a esquerda irlandesa, enquanto Diaz lhe trouxe pânico, Gaethje traria terror com o seu jogo sadicamente claustrofóbico.

    PS: uma curiosidade é que o “The Highlights” foi o primeiro homem a nocautear o “The Menace”. Mais uma razão para logo fazerem campanha pra ele disputar o interino contra o “El Cucuy”.

    • Diogo Barbosa

      Gaethe vs Ferguson pelo cinturão do Caos e dos Nove Círculos do Inferno.
      Com relação ao Connor, tem tudo pra ser um lutão, o problema é que talvez Conor acabe jogando da mesma forma que foi a segunda luta, fazendo pra ganhar.

      • Hyuriel Constantino

        Rapaz, o negócio era o Conor buscar logo no KO no R1. Como o Justin já disse, se não botarem ele pra dormir (e ele não tem um pingo de medo de manchar seu cartel), o que vai ocorrer do outro lado é o que ocorreu com MJ. Até o Nate teve receio da mão do irlanda, mas o Gaethje enquanto tivesse vivo, iria pra cima do campeão dos Leves sem cessar.

    • Fernando Cruz

      Rapaz, é porque tu não viu o Wanderlei Silva no auge. Quem é da época sabe. A emoção trazida pelo Gaethje na luta lembra muito o que o antigo Wand despertava naqueles que assitiam seus combates. A atmosfera criada é muito parecida. Quem viu a luta de ontem deve ter lembrado da era de outo do Cachorro Louco.

      • Victor Araujo

        Lembra muito o Wand do pride… Não tem como torcer contra um cara deste… Rapaz… Q doideira… O cara é louco… Walking dead puro.. mesmo cambaleando ele andando pra frente.. cara é louco..

        • Fernando Cruz

          Exato!

      • Alex sousa freitas

        Wand vs Stan foi muito foda tb

  • Anderson Tomaz

    Tem que casar Ferguson e Gaethje pelo interino sim porra.
    Khabib não merece essa estima toda (principalmente, depois de todas as lesões e pelo fato da luta ter caído 3 vezes).
    Não é superestimar não, o cara tá invicto, era campeão do 3º maior evento de MMA do mundo (pelo menos, em esportividade na minha opinião), e deu uma performance de gala contra um cara top5 da divisão mais hard do UFC. Isso já é suficiente pra credenciá-lo.
    Deixa Khabib se entender com o Barboza mesmo.
    Na real, nenhuma categoria merece campeões como Cain e Khabib, repito.

    • Hyuriel Constantino

      #FergusonVsGaethjePeloCinturãoInterino

      (minha causa está ganhando adeptos. kkkkkkkkkkkkkk…)

      • Baixista Loko

        Ia ser uma carnificina louca.

  • Hyuriel Constantino

    A melhor definição dada ao Gaethje:

    http://i.imgur.com/IBHeOSJ.png

    kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

    • Álvaro

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, só agora percebi um “J” no nome do miserávi

    • Eduardo Kovasc

      Olha lá Hyuriel, a luta do Demian está chegando…imagina se perde?

      • Hyuriel Constantino

        Valeu por lembrar, Kunervoso.

        Mas e aí? Sua namorada deu passe pra usar as redes sociais, mesmo que sob vigilância policial?

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Esse cara tem que mudar o nome dele pra GOAThje, que filho da mãe hardcore, Michael Johnson é um dos mais técnicos e potentes, e o cara sobrevive e ainda faz aquilo sem ter gás pra socar direito, eu vi o inicio do fim com uns low kicks que abalaram legal o Johnson antes dos socos, foi bizarro

    Johnson é alguém pra se ver mesmo, ele não usou wrestling pois sabe que o Fortuna é grappler competitivo e condecorado, mas nessa divisão nem tem tantos lutadores de bjj, dá pra conseguir algo. Nick Roehrick é da escola Chase Sherman de imortalidade, e confesso que vendo agora a entrevista do Jesse Taylor fiquei um pouco emocionado, muito merecido. E Diakiese x Klose dava pra qualquer um vencer, ninguém perdeu na luta praticamente, os dois mostraram ser bons lutadores.

  • William Oliveira

    Nem lembro a última vez que fiquei tão animado durante uma luta, puta que pariu, Gaethje homão da porra, respeitei demais

  • Mateus Lopes

    O Justin é louco. Vai ter sérios problemas quando terminar a carreira pelos grandes impactos que levou na cabeça. Mas o cara é muito fera, vai pra cima mesmo, ele confia no seu queixo e sabe que quando sua mão entra já era. Uma luta com Ferguson seria de encher os olhos. E depois se ganhasse, contra Conor. Conor, pra mim, é o melhor da atualidade, mas se a mão de Justin entra gera variadas sensações hehehhe…. Não sei se ele será campeão algum dia, mas que nos proporcionará vários espetáculo, disso eu tenho certeza.

  • Tiago Nicolau de Melo

    Justin agüenta muita porrada, cehloko!

    Admito que achava ele bom, mas só acompanhava via highlights (rs!) das lutas. Não vou achar nada injusto se já enfiarem ele próximo o Top5 da Divisão.

    • Thiago Sampaio

      Zumbi americano!

  • AlbertoJr Amaral

    Esse cara é um zumbi! Ele tomou tiro a vontade e não parou de ir para cima! Tomou 2 knockdown´s não parou de ir para cima! E depois ainda ganha a luta FENOMENAL!

  • magnuseverest

    Klose vs MJ seria uma boa tb…
    Já o Justin deve lutar de 4 em 4 meses,com tanta porrada que leva na cara,antes disso os médicos não liberam.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,