Pensando alto: a análise informal do UFC FN 60

Lucas Carrano | 15/02/2015 às 11:02

Olha a “Acadêmicos do Sexto Round” aí geeeeente…

Enquanto nosso grão-mestre Renato Rebelo mostrava toda sua malemolência no Sambódromo do Anhembi, como destaque no sétimo carro alegórico da Mocidade Alegre a entoar a plenos pulmões o samba-enredo “Nos Palcos da Vida, Uma Vida no Palco… Marília!”, coube a mim a tarefa de acompanhar o UFC FN 60.

Antes de tudo, meu amigo, se você ficou até pra lá das quatro e meia da madruga de um sábado/domingo de carnaval em frente a uma tela acompanhando um dos cards mais esvaziados dos últimos tempos, segura meu like aí, fera: é seu o troféu “Fã Hardcore de MMA”.

Além disso, convenhamos, no fim das contas, você foi bem recompensado.

Por isso, sem mais delongas, vamos ao que de fato interessa: a análise de quatro dos seis combates do card principal da noite em Broomsfield, Colorado (EUA).

LEEMichel Trator x Kevin Lee

A estratégia para o brasileiro passava, como seu apelido sugere, por tratorizar o norte-americano. O problema é que o trator envenenado tinha motor de Opala e o tanque do paraense esvaziou rápido demais, lhe custando boa parte de suas chances no combate.

Kevin Lee (que viveu alguns segundos de Nick Diaz ao fazer caras e bocas enquanto tinha o rival mochilado nas costas) até deu sopa na curta distância, se arriscando diante da contundência de Michel e principalmente o perigoso jogo de chão do brasileiro. O problema é que mesmo quando conseguiu quedar o norte-americano Trator não foi capaz de mantê-lo no solo.

Sem movimentação e depositando suas fichas em um pancadão isolado, Trator se tornou um alvo quase fixo para Lee, que controlou as ações na maior parte do tempo e fez o suficiente para ser declarado vencedor na decisão unânime dos jurados. Após o combate, o jovem norte-americano exaltou sua base na luta olímpica.

Ele (Trator) é um cara duro, eu acho que ele me acertou alguns golpes no primeiro round, mas eu consegui fazer o meu trabalho. Quis mostrar minha trocação, mas eu tenho no wrestling a minha origem. Eu posso trocar socos, aplicar chutes, mas o wrestling é de onde eu venho”, disse Lee após o triunfo.

MAGNYNeil Magny x Kiichi Kunimoto

O ano de 2015 começou para Neil Magny da mesma forma que terminou seu antecessor: com vitória. Com um match-up extremamente favorável diante de Kiichi Kunimoto, Magny simplesmente atropelou o japa.

Com uma vantagem absurda na envergadura e muito mais credenciais na luta em pé, Magny dominou as ações e só vacilou em um momento, quando deu sopa no clinch e acabou quedado por Kunimoto. No mais, estrago com os golpes retos e no ground and pound para o veterano do exército americano.

No terceiro round, com a vitória por pontos praticamente garantida e o rival magoado por uma série de golpes no corpo, Neil Magny ainda tirou onda e pôs um ponto final no combate na especialidade de Kunimoto, conquistando sua tão sonhada primeira finalização dentro do octógono.

Um das metas pessoais que havia estabelecido para mim mesmo era conseguir uma finalização no UFC. Eu sou faixa marrom de jiu-jitsu e quero mostrar isso e conseguir as finalizações, e foi o que eu fiz nesta noite”, contou o atleta da casa a Jon Anik.

MAXMax Holloway x Cole Miller

A descrição dos dois primeiros rounds de Holloway x Miller pode ser dada parafraseando o “pofexô” Vanderlei Luxemburgo: “O medo de perder tira a vontade de ganhar”. Com interesses opostos na luta, a dupla se preocupou muito mais em evitar que o adversário executasse sua estratégia do que de fato fazer fluir seu próprio jogo.

Os dez minutos iniciais ainda foram marcados por duas cabeçadas involuntárias, que abriram um corte profundo no supercílio do Magrinho, mas parecem principalmente tê-lo desestabilizado mentalmente.

Já o terceiro assalto foi completamente diferente, especialmente por parte de Holloway. Com um jogo em pé muito mais solto, o havaiano aplicou boas sequências e até encontrou tempo para tentar alguns golpes de maior apelo plástico – um eufemismo para “firulas”.

Quem fez uma leitura semelhante do combate foi o próprio Holloway, em sua entrevista pós-luta, ainda dentro do octógono.

O primeiro round eu comecei bem devagar. Eu senti que ele tinha vencido o primeiro e eu o segundo. Então, eu precisava ir lá e dar um recado direto, ir fundo e foi o que eu fiz. Muito obrigado aos fãs e me desculpem por não ter conseguido finalizar”, analisou o havaiano.

BENDOBen Henderson x Brandon Thatch

Quando Ben Henderson, possivelmente inspirado pelas semanas de convivência intensa com Donald Cerrone, aceitou estrear nos meio-médios contra Brandon Thatch tendo menos de 15 dias para se preparar só para salvar o evento, eu logo pensei: “Arrumou uma boa saída para a má fase, o menino Smooth”. Mas a pedida saiu infinitamente melhor do que a encomenda.

Em uma das lutas cuja disparidade física mais me impressionou nos últimos tempos, ainda mais hoje do que na já assustadora foto oficial na encarada após a pesagem, Bendo não só aguentou o tranco e fez uma luta dura contra um bom prospecto da divisão de cima, como foi lá e finalizou o cara no quarto assalto.

O feito é tão impressionante que fez Henderson, que falava pra quem quisesse ouvir que seu lugar era no peso leve, não só cogitar a permanência nos meio-médios, como desafiar ninguém menos do que o favoritaço ao próximo title shot Rory MacDonald para um duelo na casa do adversário.

Após duas semanas complicadas, com notícias ruins pipocando e a desconfiança chegando a níveis alarmantes, foi um herói dos mais improváveis o responsável por lembrar a razão de este ser um esporte tão apaixonante.

A inspiradora performance do ex-campeão combinou com o discurso motivacional bradado por ele após o triunfo.

As vezes você precisa ir lá, dar o seu melhor e se testar. Eu não sabia se podia vencer essa luta. Você precisa fazer algo que não sabe ao certo. Nossos maiores medos não são reais, na maioria das vezes eles são só parte da nossa imaginação. Lembrem-se disso..”, disse um aparentemente ainda incrédulo Ben Henderson.

  • Jonas Angelo

    E o Bendo voltou a usar o palito de dentes…deve ser tipo “cueca da sorte” e tals…haha

  • Deivis Chiodini

    E a técnica sobrepujou a força. Hélio Gracie sorri no céu.

    • Juan

      E o prêmio de melhor desfile técnico vai para: Acadêmicos do Bendo

      Grande luta. Quem não viu, vale a pena ir atrás do VT.

  • Guest

    Me diz como ele consegue lutar com um palito na boca. Um dia ainda vou dar merda.

  • Luiz Henriqueq

    Me diz como ele consegue lutar com um palito na boca. Já é a segunda vez, um dia ainda vai dar merda.

    • Lucas Pereira Carrano

      Rapaz, isso é muita culpa da Comissão Atlética, que sabe que o cara vai fazer isso e deixa.

      • Marcelo

        Ia ser engraçado se começassem a fazer exame na boca dele antes de entrar no ringue, pra não deixar entrar com o palito. Deixa o cara! É grandinho já. Se der merda a culpa é inteira dele e ninguém vai falar que é culpa da CA. Quem manda o cara entrar com um palito escondido porra…

        • Danilo Lopes

          Velho, não pode. Imagina se numa batida de cabeças essa porra pega no olho do adversário.

    • Jonas Angelo

      O pior é o palito continuar intacto até o final da luta…

    • Carlos Montalvão

      Estão falando que é a terceira já (contra o Dos Anjos dizem que rolou também)

  • Rodrigo Tannuri

    E não é que esse eventinho foi bom?

    Bendo x Thatch – Meu Deus, como eu vibrei com a vitória do Bendo. Curto muito o Thatch e seu estilo, mas o Koreanegro é sensacional! O cara estava sendo marginalizado pelos fãs e precisava muito vencer. Fazer isso na categoria de cima foi algo emblemático. Com certeza irá concorrer ao prêmio “comeback of the year”. Ele não só aguentou a pressão, como também foi muito inteligente em esperar o ímpeto do oponente diminuir pra começar a aplicar seu jogo. Estava sentindo falta do Bendo grappler. Ele tem que usar mais seu Wrestling. Essa foi uma vitória muito bonita. Apesar de ter ficado visivelmente mais potente nos meio-médios, espero que ele retorne aos leves e mostre essa vontade toda. Estamos falando de um dos melhores leves da história!

    Holloway x Miller – Nem as cabeçadas diminuíram o clima de fair play entre ambos. É muito legal ver dois atletas se respeitando dentro e fora do octógono. Como era esperado, Holloway mostrou muita variação em pé. Esse garoto é muito talentoso e um tanto quanto subestimado também. O cara não faz luta ruim. A galera deveria prestar mais atenção nele. O potencial ali é enorme, apesar de achar que o Cub irá freá-lo. Já o Miller foi bem aguerrido, como de costume, mas ele tem que parar de querer ser striker. Com o Jiu-Jitsu e envergadura que possui, era pro Magrinhho estar em melhor posição.

    O que dizer em relação ao Magny? O bicho era duramente criticado por Dana e pelos fãs por ter um estilo burocrático, mas, de uns tempos pra cá, se soltou e se transformou. Evoluiu muito! O lutador de 2014 finalmente entrou no top-15 dos meio-médios, coisa que era inimaginável. Seu próximo adversário, com certeza será alguém realmente duro, mas ele está pronto. Magny is on fire! Estava demorando pro Kunimoto perder.

    Me recuso a acreditar que o Kevin Lee tenha apenas 22 anos. Como isso é possível? O que ele tem de bom lutador tem de marrento também. Tomou um sufiquinho do Trator no primeiro round, mas, depois, foi senhor da luta. Creio que ele possa ter futuro. No quesito personalidade, ele se destaca. Quanto ao Trator, ele é mais do mesmo. Um brutamonte que vai pra matar ou morrer. No primeiro round, é perigoso, mas, a partir daí, o leão vira um gatinho. Por que diabos os lutadores brasileiros não conseguem dosar a energia?

    Olha, Kelly x Walsh foi uma das piores lutas que eu já vi! Freakshow total.

    • RicardoVivas

      Vei, eu torci muito pro Bendo (nada contra o Thatch, mas eu gosto do estilo do Ben e ele parece um cara maneiro, ele se arriscou aceitando a luta com tão pouco tempo e na categoria de cima, mas na boa, ele mostrou que é um dos melhores, ainda espero ele derrotando Marra Pettis!

      • Rodrigo Tannuri

        Ele é um dos caras mais gente fina do esporte. Dentro do ringue é um excelente lutador, um profissional exemplar e, fora dele, é uma pessoa incrível. Além de técnica, nosso Bendo mostrou ter um grande coração. Tomara que volte com tudo. Esse cara merece!

    • joao neto

      Tambem gostaria de ver o Bendo nos leves novamente,concordo com vc Rodrigo!! Acho que a Vitoria serve como uma dose de confiança para ele voltar mais Forte!!!

  • Paulo Josué Lemos Alves

    Realmente a diferença física assustou. Tatch é um excelente lutador e ainda vai dar muito o que falar, mas Henderson foi demais nessa luta. Podem falar o que for, mas o cara é bom demais, tanto técnica quanto taticamente. Sua má fase passou longe de más atuações, e ontem ele teve um desempenho magnífico. Já era fã do cara, fiquei mais.

  • Marcel Ramon

    Comemorei muito a luta do Bendo, ele ia sair bem na fita de qualquer jeito, mas o que ele fez teve um plus.. Merecido!

  • Tiago Nicolau de Melo

    Nunca fui muito fã do Smooth, apesar de gostar do estilo dele, talvez por ele ter tirado a cinta do Edgar. Mas, mais pelo fato de 90% das lutas delem irem pra decisão (e quase sempre polêmicas). Pra mim, foi a melhor apresentação da carreira dele (ok, acompanhei pouquíssimo ele fora do UFC), só não deve se empolgar e tentar ficar na categoria. Até acho que se rolasse essa improvável luta com o Ares, ele devia aceitar (TS é TS), mas não sei se seria TOP 10 de uma das mais parelhas divisões do evento.

  • Lucas

    Podem me chamar de leigo, mas acho que a categoria dos 77kg é muito equilibrada não por os lutadores do top 15 serem muito bons, se vc for comparar a diferença tecnica dos lutadores do top 15 do 84kg e 70kg, notaram a diferença, acho que se o Ben Henderson subir para os meio-médio, com certeza será um top 5

    • will

      Concordo, mas se a luta fosse em 3 rounds o Bendo tinha perdido. Nem toda luta dele no 77 vai ser de 5 rounds. Complicado.

      • Filipe C.

        depende, ele é ex campeão dos leves e ta se aventurando nos meio medios. Até que ele tenha uma derrota na WW, acredito que ele será main event nos próximos eventos que lutas (ao menos que tenha a cinta no mesmo card).

      • Lucas

        Ele lutou com um cara do mesmo tamanho do Chris Weidman e devia estar com uns 90kg, a maioria dos top não tem essa altura e esse peso todo, Johny Hendricks, Tyron Woodley, Hector Lombard tem altura e peso semelhante as de Bendo

        • will

          Weidman?! Tá doido? O Cris pode lutar de peso-pesado tranquilo. O cara é um Tanque!

  • joao neto

    Gostei da vitoria do Bendo!! lutou solto leve sem medo de perder mesmo seu adversario sendo maior, Agora desafiar o Rory achei um pouco exagerado de inicio,p mim deveria se adaptar melhor na categoria,o que vcs acham Amigos? Bendo vs Rory? estou subestimando o Bendo apesar da grande Vitoria de ontem? Abraço!!!

    • Renato Rebelo

      Rory já são outros 500. O Dana tb já disse que não rola (devem anunciar em breve Rory x Lawler)

      • Junior

        Concordo o controlo perfeito da distancia do Nerd canadense,dará conta do brabissímo Mogli americano.

  • Maykon Douglas

    Tive a impressão que Thatch cansou no R4, pois no R3 ele ainda conseguiu defender as investidas de Bendo no chão, porém no 4 ele foi praticamente “molestado”, pelo menino lobo, na luta de solo.

  • Philip Allan

    Caras, que luta!! Foi tipo Davi vs Golias.
    Smooth não deixava o Thatch chegar no raio de ação por nada!!!

    Como já disse o Alexandre Matos em um dos podcast “Pra mim, isso é uma obra de arte”, faço minhas as palavras dele para esse combate!!

    Meu, Benson pegou a terceira chamada do UFC fight night 60, com pouco tempo de preparo e deu show de sobra, mto foda!!!

  • will

    Eu preferi assistir ZorraTotal mesmo. Mas foi impressionante a vitória do Henderson.

  • Gustavo Menor

    Fazia tempo que eu não torcia pro Bendo.

    Não sei se foi impressão minha mas me pareceu que o Bendo absorveu melhor os golpes no welterweight do que nos leves. Ele fez o jogo certinho, trocou o suficiente pra sentir a luta (por mais que tenha, na minha opinião, perdido os dois primeiros rounds) e quando teve oportunidade botou pra baixo para explorar o terreno onde o Thatch tem mais dificuldades. Bela luta!

  • Marcio De Oliveira Junior

    A vitória do Bendo realmente me surpreendeu ontem. Agora me digam uma coisa, ninguém realmente fala nada sobre aquele palito de dente do Bendo? Ele realmente luta com um palito guardado na boca? As comissões atléticas nunca se pronunciaram sobre isso? Sei lá, eu gosto muito do Bendo mas sinceramente esse negócio de lutar com um palito de dente guardado na boca passa uma imagem de amadorismo enorme por quem dita as regras do esporte.

    • Tiago Nicolau de Melo

      Gosto de imaginar que ele luta com o palito pra manter a boca bem cerrada, sei lá. Não pode ser só superstição. Eu tenho mania de abrir a boca qdo treino muay, se tivesse um palito me obrigaria a manter fechada, LOL.

      • Carlos Montalvão

        Faz sentido, no treino não consigo cerrar a boca mesmo usando protetor, só não testo a técnica porque as chances de dar cagada são enormes haha

  • Carlos Montalvão

    Fazia tempo que não assistia um evento tão ruim, só não digo que perdi a noite porque tava vendo o UFC no CombatePlay aqui no notebook e o carnaval na tv (tava mais interessante). Mas a vitória do Bendo foi surpreendente, essa luta e o Max Holloway salvaram o Fight Night. Agora, com a comissão cada vez mais fresca, cabe punição ao menino-lobo por causa da história do palito? Imagina se ele toma um na boca e ele engole aquela porra? Se não me engano (“passou” rápido na timeline do Twitter), acho que quando ele foi nocauteado pelo RDA ele também tava com o palito (sem contar o episódio com o Nate Diaz). Na coletiva ele deu uma desbaratinada nervosa na resposta sobre o assunto

    • Hugo F. Camargo

      Será ele um ex-fumante? rs

  • Bart Simpsons

    Benson vs Thatch – Antes da luta, eu já tinha cantando a bola de que Benson daria um fim na sequencia de derrotas. Um amigo ainda me questionou dizendo que Thatch era o favorito, por ser maior e mais forte. Mas eu disse, Benson mais rápido, mais técnico, mais gás, cara acostumado a luta de 5 rounds, então se souber levar na inteligência e estratégia, vai fazer o Thatch “rodar”. Convenhamos que Thatch colaborou muito em não aproveitar principalmente o primeiro round, quando ainda estava com tudo em cima e não deu sequencia aos golpes, ficava só nos golpes isolados. Bom, pago um preço alto ao dar a chance pra um cara como Benson.

    Max Holloway vs Cole Miller – O havaiano realmente mostrou que estava com medo de ser quedado e acabar no solo contra um excelente jiujiteiro. Mesmo assim acertou alguns bons golpes nos 2 primeiros rounds. Já no terceiro round, “blessed” caiu pra dentro, pareceu perder o medo mesmo e soltou o jogo. Se tivesse mais punch, com certeza teria derrubado o “magrinho” antes do final da luta. Por sinal, Holloway tem que melhorar muito esse punch aí para encarar o Swanson, pq tentar trocar porrada com Cub durante 3 rounds, pode ser fatal.

    Neil Magny vs Kiichi Kunimoto – Confesso que torci pelo japonês e até cheguei a acreditar que ele conseguiria finalizar o americano. Quando a luta foi para o chão, confesso que minhas esperanças foram lá em cima, no entanto Magny quebrou todas elas, aliás quebrou o próprio Kunimoto. Dessa vez o japonês não conseguiu surpreender e deu a lógica.

Tags: ,