Amanda Nunes pode ser a
nova estrela do MMA nacional?

João Vitor Xavier | 05/07/2017 às 15:10

A campeã peso galo Amanda Nunes terá, neste sábado (8), o maior desafio do seu reinado até aqui: na luta principal do UFC 213, a Leoa enfrenta Valentina Shevchenko, a quem já venceu anteriormente, em luta que se tornou dramática no último round.

Olhando para o restante da divisão peso galo, Valentina talvez seja a última fronteira antes que Amanda possa se chamar de campeã dominante. Afinal, vejo a brasileira favorita contra qualquer outra atleta ranqueada no momento. Mas será que ela tem o necessário para se tornar uma superestrela do MMA brasileiro e mundial?

Apesar de ainda ter pouco poder de marketing no ano passado, a Leoa teve boas oportunidades e as agarrou com afinco.

Primeiro, venceu a própria Shevchenko no histórico UFC 196. Depois, por uma sucessão de mudanças no card, fez a luta principal do UFC 200, evento que contou com a volta de Brock Lesnar, além das presenças de Anderson Silva, Daniel Cormier, José Aldo, Frankie Edgar, entre outros ex e atuais campeões mundiais.

Por fim, foi uma coadjuvante que se tornou protagonista no UFC 207. Ao atropelar Ronda Rousey em apenas 48 segundos, Amanda viu sua popularidade explodir – lembro de ter analisado o crescimento dos seus seguidores nas redes sociais: ela ganhou mais de 100 mil novos fãs nos dois dias após a vitória sobre Rousey.

Com a queda de Aldo, que perdeu em casa para Max Holloway no UFC 212, e a aposentadoria de Rodrigo Minotauro, além da queda de produção de outros nomes como Anderson Silva, Mauricio Shogun e Júnior Cigano, a Leoa se posicionou para preencher esse vazio de ídolos.

Eu a vejo como uma interessante candidata neste sentido. É campeã do mundo, tem conseguido grandes performances, já tem vitórias sobre duas queridinhas do UFC – Ronda e Miesha Tate – e, principalmente, parece ser muito extrovertida e simpática.

Nunes nos mainstream (1)

Para o fã casual brasileiro, aquele que vê o UFC na Globo ou então apenas acompanha os resultados, Amanda tem tudo para chegar ao nível de um José Aldo e, dependendo de como for sua carreira daqui para frente, almejar “conquistas” maiores como ser comparada a Minotauro ou Anderson (no sentido da idolatria, não de sua qualidade como lutadora).

Curioso que ela terá uma outra adversária mulher no posto de grande ídolo. Creio que se Cris Cyborg conseguir trabalhar sua imagem para o Brasil pode também chegar perto de outros ídolos, que quebram a barreira do esporte – caso de Anderson Silva, um ícone do esporte brasileiro, queiram ou não.

A peso pena tem os mesmos atributos de Amanda, e uma carreira mais consolidada. Por outro lado, no peso galo, Nunes tem mais adversárias com seu nível e pode ter lutas mais atrativas no médio e longo prazo. Falei na semana passada sobre a bagunça da categoria de Cyba e mantenho o que disse.

Quem diria que, no médio prazo, a corrida para o posto de ídolo do MMA brasileiro estaria com duas mulheres “dividindo” a pole position?

E lá fora?

Nunes no ME (2)

Enquanto vejo Amanda  com boas possibilidades de se fixar como uma das principais atletas do Brasil, lá fora a coisa pode ser diferente. Na verdade, o UFC 213 será um grande teste do poder de atração da brasileira.

Em seus dois últimos combates, Nunes fez a luta principal de eventos históricos, mas sempre como coadjuvante. Agora, ela é a principal atração.

Em resenha pré-texto com o chefe Renato Rebelo, conversamos rapidamente sobre o que esperar de vendas de pay-per-view para o evento de sábado. Ele não parece muito otimista e tendo a concordar com a chefia.

Ainda que o card tenha excelentes combates e nomes grandes, como Yoel Romero, Fabricio Werdum, Alistair Overeem e Anthony Pettis, é inegável que a Leoa é a grande atração, mas não sei se isso é suficiente ainda para angariar um grande número de fãs lá fora.

Será que ela tem o mesmo potencial de idolatria no Brasil e lá fora? Os números do UFC 213 nos responderão essa pergunta.

  • bedotRJ

    Prá limpar a divisão de verdade, acho que ela ainda vai precisar vencer a Holly Holm e vingar a derrota que sofreu para a Cat Zingano. Depois disso, a divisão de cima é o limite. Quem sabe não veremos em breve uma superluta entre Amanda e Cyborg….

    • Gameplay Brasil

      Seria para o MMA brasileiro no nível Belfort vs Silva, só que com as moças, se bem divulgado, o MMA feminino teria muito crédito aqui nas terras tupiniquins

  • Renato Rebelo

    Pra mim a palavra chave é “carisma”. Será que a Leoa o tem de fato?

    • Davi Souza

      Eu curto a Amanda como lutadora. gosto muito desse tipo de lutador (os dois gêneros) explosivo e com punch de nocaute. Gosto dela como pessoa também, não a vejo melhor e nem pior que outros campeões de outrora.
      Mas vejo que muitas pessoas tem um “haterismo” exagerado contra ela. Um exemplo disso foi aquele “empurrão” (não se pode chamar aquilo de soco) que ela deu no queixo da shevchenko, alguns só faltaram crucificar a moça. Enquanto Mcgregor e os zé maconha fazendo guerra de garrafa na coletiva era aplaudido pelo os mesmos que criticaram a atitude da Leoa.

    • RWillians

      Ela tem que aproveitar o momento e capitalizar, Amanda chegou lá em cima após mto trabalho e disso eu tiro chapéu, não sou seu hater, mas acho que as vezes ela exagera nas suas entrevistas sem motivo. Contra Valetina deu aquele chega pra lá sem motivo algum, depois como pegou mal, veio tentar se justificar. Acho que Amanda deveria fazer como toda essa galera que está por cima faz, contratar alguém pra cuidar da sua imagem, gerir suas entrevistas, essas coisas…

  • Gabriel Fareli

    Acho que a Amanda tem sim carisma e talento suficiente pra ser uma estrela do MMA Nacional, creio que o problema maior seja um pouco do preconceito que o fã medio tem com o MMA Feminino e com os mais levinhos. Creio que seja a unica coisa que pode atrapalhar ela. Mas nada que uma boa divulgação de imagem na Globo não quebre.

  • Fernando Ribeiro

    Lembro que um dia após o 207, eu e meu irmão estavamos falando sobre o evento, que ele disse ter assistido na integra. Dentre as coisas que ele disse, uma delas foi que ele estava revoltado com o roubo na luta do brasileiro, que o árbitro não quiz parar a luta apesar dele ter nocauteado o adversário várias vezes. Eu fiquei sem entender, perguntei se ele se referia ao Lineker, ele não soube nem dizer quem era o tal de Lineker… Conversa foi, eu disse que a melhor luta da noite foi Cruz x Garbrandt, novamente meu irmão não sabia quem eram esses caras. Então eu disse que um era o campeão e o outro era o cara todo tatuado, ele então disse que essa era a luta que ele dizia ter sido roubada. Eu então lhe disse que nenhum dos lutadores é brasileiro, e que não houve roubo algum, pois os momentos em que o Cruz foi pro chão foram apenas knockdown’s. Lembro que uma vez o Carrano disse algo sobre os fãs da Ronda não saberem o que é um single leg mas ainda assim param pra vê-la lutar. No caso do meu irmão, ele não sabe o que é um single leg, um jab, low kick, não sabe a diferença de nocaute pra knockdown, não sabe quem é Miocic, Velasquez, Fedor, Jacaré, Lyoto, Dominick, Demetrious, Bisping, Jon Jones… Enfim, ele não sabe praticamente nada de mma, e mesmo assim, para pra ver a Ronda. Será que algum dia a Amanda vai ter capacidade de atrair público como a Ronda tem? Talvez, se continuar com performances de gala como as das últimas duas lutas. A própria Ronda tem excelentes resultados, possui o status de 100% de finalizações em suas lutas(algumas em questão de segundos), coisa que a maioria dos pesos pesado não tem, certamente ela não é um fenômeno inventado pela midia como alguns dizem. Ainda acho que um(a) lutador(a) vive mais de resultados do que de coletivas. Se o McGregor não tivesse vencido com propriedade a maioria de seus oponentes, ainda seria chamado de Sonnen da Irlanda e não estaria quebrando recorde de ppv um atrás do outro.
    Tomara que a popularidade da Amanda fique tão grande quanto suas performances, mas mesmo que não aconteça, eu continuo torcendo por ela, já que sempre priorizo performances a vendas de ppv.

  • Eduardo Kovasc

    Absolutamente não.

  • Anderson Tomaz

    Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  • Weslei Alvarenga

    Amanda tem todos os ingredientes para ser a estrela do público médio BR, parece bem óbvio mas é só ficar vencendo com autoridade !

    E alguém sabe me dizer se o evento será transmitido (com delay) pela Globo ?

  • Thiago_NCO

    Não sei se a Leoa tem o carisma necessário, tampouco a acho no mesmo nível que nossos últimos campeões (claro, comparando com as devidas proporções). Só que ela tem um trunfo fortíssimo: nossa única cinta. Tirando Demian que está no TS (luta dificílima, na qual aposto nele mais por ser fanboy mesmo), Nunes é a única campeã brazuca no UFC. E, como já dizia o filósofo: brasileiro não gosta de esporte, gosta de campeões. Essas participações na Globo fizeram o até então arrogante e intragável AS ser um ídolo nacional. Não vejo porque seria diferente com a moça.

Tags: , , ,