Pensando alto: a análise informal do UFC 183

Renato Rebelo | 01/02/2015 às 06:15

Sob os gritos de “ei, Diaz, vai tomar caju”, “eu sou brasileiro com muito orgulho…” e “o campeão voltou”, Anderson Silva atuou praticamente em casa dentro de um cassino em Las Vegas.

Se a forcinha vinda das arquibancadas foi decisiva, jamais saberemos, mas o ex-campeão dos médios fez o que se esperava dele: passou por Nick Diaz sem levar susto.

E mais: Kelvin Gastelum, o Mini Velásquez, foi apresentado à derrota, Pitbull tirou um nocaute da cartola, Thales Leites segue em chamas, entre outros desdobramentos.

Cortando o papo furado, vamos à minha humilde leitura do que rolou de mais relevante no UFC 183:

SILVAAnderson Silva x Nick Diaz

Como um meio-médio magriça, sem punch, wrestling e com poucas ferramentas à disposição dobraria um peso médio enorme (acostumado a deitar meio-pesados) mais rápido, criativo, contundente e com arsenal bem vasto? Seria como levar uma faca para um tiroteio! Sem contar que o estilo ofensivo de Diaz é tudo o que um contragolpeador com 8cm a mais de envergadura pediu a Deus. Esse duelo, desde sua concepção, era um gigantesco pesadelo logístico para o americano. Suas chances só não eram nulas porque MMA não é ciência exata. Então, o que o porradeiro de Stockton podia fazer para aliviar a carcada iminente? Raciocinar, ora! Levar “apenas” 4 a 1 (eu e Sal D’Amato marcamos o quarto round a seu favor) do maior de todos os tempos sem evitar a luta e sem correr grandes risco foi um golaço de Diaz. Mas como ele fez isso, Renato? Primeiramente, atuou. Foi extraordinariamente respeitoso em todas as coletivas de empresa, entrevistas, encaradas, etc – para, nos 10 primeiros segundos de luta, xingar Anderson até sua terceira geração. As provocações sistemáticas – e até espalhafatosas- pegaram o brasileiro de surpresa, gerando um certo desconforto – afinal, Silva jamais esteve do outro lado da pistola. Assim, Diaz evitou que inimigo se soltasse e tomasse as rédeas da situação logo no começo. A outra grande sacada foi controlar o centro do octógono, mas não tomar a iniciativa dos ataques. Por que as lutas do Spider contra Demian Maia, Thales Leites e Patrick Cote foram as piores de sua carreira? Porque o trio, sem garrafas para vender em pé, jogou na retranca. Anderson odeia ser o caçador. Ele, na real, não funciona bem nessa função de liderar as ações. Todas as suas provocações dentro do octógono são exatamente para induzir o adversário ao erro e contragolpear. Nick surpreendeu ao não interpretar o papel do agressor e também ao negar o protagonismo na guerra psicológica ao rival. Seu braço não foi levantado, é verdade, mas ficar de pé por 25 minutos em situação tão desfavorável não deixa de ser uma vitória. Anderson, por sua vez, não apresentou a corrosiva ação do tempo esperada. Sua hesitação foi natural para alguém que vem de lesão grave, ficou tanto tempo parado e precisava voltar à coluna da esquerda pra ser feliz. Fluidez de movimentos, coordenação, rapidez de raciocínio… Tudo parecia estar lá. Acho que ele ainda dá um caldo. A questão é: quão ambicioso é Anderson Silva? Aos 40, estará ele disposto a encarar Ronald Jacaré, Vitor Belfort, Chris Weidman ou Lyoto Machida para recuperar seu objeto de desejo? Ou seus filhos – que querem vê-lo longe do octógono- vencerão a queda de braço? Se fosse apostar, botaria uma grana na segunda opção – ou até numa terceira, que inclui Michael Bisping, Rich Franklin e Deus mais sabe quem…

Obrigado, meu Deus por me dar mais uma chance de estar aqui… O Nick é o melhor. É a primeira vez na vida que lutei com um cara tão forte mentalmente quanto é tecnicamente. Muito obrigado pela luta, Nick”.

TYRONTyron Woodley x Kelvin Gastelum

No superluta da noite – desafio entre um meio-médio contra um médio-, Gastelum, que chegou 10 libras acima na pesagem, usou e abusou do tamanho para encurtar a distância e tentar intimidar o rival. Mas Woodley, surpreendentemente mais calculista e maduro, não se exauriu em um round tentando repeli-lo a todo custo. Pelo contrário, o negão provou que aprendeu a lição ensinada por Rory MacDonald e frustou, de golinho em golinho, os planos do novato. Suas armas principais foram a movimentação lateral, defesa de quedas primorosa, diretos de direita pesadíssimos e, principalmente, paciência. Será esse evoluído Woodley influência de Duke Roufus – seu novo treinador? Quanto ao campeão do TUF 17, outro vacilo com a balança o coloca em maus lençóis. Entre os médios, o cara ficará pequeno e carregará ainda mais gordura corporal indesejada.

O que a comissão tirar desse cara (30% da bolsa), eu não quero. O “camps” custam muito dinheiro e não quero prejudicar esse jovem. Sei como é ter pouco para sustentar uma família e acho que perder a luta e não bater o peso já é castigo suficiente”, pegou leve O Escolhido.

ALAl Iaquinta x Joe Lauzon

Ray Longo, treinador do nova-iorquino, matou a pau no intervalo: “Meu filho, você tá confiante demais e tá tomando golpe a toa, fecha a guarda e se concentra”. J-Lau evoluiu um balde em pé e aproveitou a agressividade que Deus lhe deu para dar descarga no favoritismo de Iaquinta no setor. Falsa sensação de segurança, aliás. Ligado na tomada no R2, o finalista do TUF 15 recobrou o domínio da distância, botou seu background no wrestling na mesa – negando a queda- e, basicamente, transformou o rival em “andante” do The Walking Dead (Lauzon terminou nocauteado em pé). Duelo grappler x striker com “twists” interessantes, mas final até certo ponto previsível. Iaquinta chegou à terceira vitória seguida e se estabeleceu, definitivamente, com uma força na divisão até 70kg. Já Joe, infelizmente, não abocanhou o 14º bônus da carreira…

THALESThales Leites x Tim Boetsch

Acho que o niteroiense não curte um atalho. Por quase 10 minutos, Thales fez de tudo pra ser nocauteado. Aceitou a média distância, movimentou-se para o lado direito do Bárbaro e passou longe de fintar quedas para confundir o rival. Foi só no perrengue máximo (semi-nocauteado) que o bichão ligou o piloto automático e foi no pão com manteiga. Uma vez no chão, a vontade de perder mudou de lado. Boetsch nem se deu o trabalho de tentar levantar, sair o quadril… Fechar a meia-guarda? Pra quê? Inacreditavelmente, ele sobreviveu ao primeiro katagatame de Thales. Mais inacreditavelmente ainda, Boetsch deu o outro lado para o faixa-preta de Nova União liquidar a fatura com o mesmo golpe. Thales melhorou muito em pé, é verdade, mas senso crítico para distinguir entretenimento de risco infundado também faz-se necessário.

Só jiu-jítsu salva e hoje ele me salvou. Dei um ‘up” muito grande no meu boxe, mas o jiu-jítsu sempre será meu carro-chefe”, disse ao Combate o vencedor.

PITBULLThiago Pitbull x Jordan Mein

Por cinco minutos, ficou bem claro que uma troca de guarda está madurinha na categoria até 77kg. Mein, de vinte e poucos anos, pegou sua envergadura boçal e barulhou com cotoveladas o cara que era a última coca-cola do deserto há meia década. Mas quem disse que Pitbull desaprendeu? No R2, com uma paulada (canelada) no figueredo, o cearense pôs rival na posição fetal e o fez desejar o retorno ao útero materno. Após mais de dois anos parado, Pitbull prova que ainda tem ferramentas que o permitirão seguir caminhando. Mein, por sua vez, não precisa baixar a cabeça – pois dominava um duríssimo veterano até ser pego.

Peso-meio-médio, adivinhe quem está de volta”, anunciou o striker.

Outros resultados:

Miesha Tate venceu Sara McMann por decisão dos jurados
Derek Brunson nocauteou Ed Herman no R1
John Lineker venceu Ian McCall por decisão dos jurados
Rafael Sapo venceu Tom Watson por decisão dos jurados
Ildemar Marajó venceu Ricky Monstro por decisão dos jurados
Thiago Marreta nocauteou Andy Enz no R1

Abraços.

  • Icaro Santos Almeida

    Nick jogou bem demais. Fez suas firulas em momentos seguros e deixou a guarda fechadinha. Era previsível que Anderson não tomaria a postura de andar pra frente com o intuito de caçar Nick. Um Nick mais agressivo e disperso, com certeza seria nocauteado.

    • Marcelo

      Concordo. O Nick saiu da sua postura geralmente mais agressiva, não ficou caçando o Anderson e fez uma boa luta, dentro das limitações dele. Acho que não foi a surra que muita gente esperava que fosse. E eu vi o Nick acertar uns dois ou três golpes que deram uma balançada no Anderson. Fez uma luta digna o Diaz.

  • Thiago Arruda

    QQue mês! Esse janeiro de 2015, valeu por 2014 inteiro.

    – Confesso que chorei vendo o Anderson chorar. Vê-lo ele voltar a lutar depois de tudo que ele passou é emocionante. E o casamento da luta com o Nick Diaz foi perfeito haha. Voltou rápido, se movimentando muito bem, como de custume, disparando chutes fortes com a perna esquerda. É sempre um prazer ver o melhor de todos os tempos atuar. Se Nick Diaz realmente se aposentar dessa vez, vai ser muito triste. O MMA precisa de um Nick Diaz atuando hahaha.

    – Rapaz, olha o que o Iaquinta fez. Nenhum dos meus amigos acreditava que o Al ia vencer. A questão era em que round o Lauzon finalizaria. Todo mundo quebrou o cara.

    – Que lutaça a do Thales contra o Boetsch. Quando penso na luta, só lembro do Dedé gritando: OLHA O KATAGATAME THALES, OLHA O KATAGATAME hahaha. Venceu com a especialidade da casa. Mais um katagatame pra conta.

    – Que pena que o Lineker não bate o peso. É uma perda de talento incrível. Acho que se ele lutar nos galos uma duas ou três vezes bem, ele volta pro peso mosca.

  • Análise perfeita, Renatão. Vou só deixar alguns pontos mais pessoais aqui, hahaha.

    Vi muita, mas muita gente reclamando do boxe do Nick Diaz. Como se não bastasse ele estar lutando contra um cara que tem um nível semelhante na nobre arte, além de um arsenal de golpes obscenamente variado, a falta de pujança prejudicou demais. A diferença de potência entre ambos era clara, basta ver que o número de golpes que entraram por round foram semelhantes, mas Anderson conseguiu um estrago bem mais significativo.

    Só fiquei decepcionado pois jurava que o Nick ia tentar em algum momento uma chave de perna alá Ryo Chonan no Pride, hehehe.

    Tyron Woodley lutou de forma bem mais inteligente, dosando o gás bem, na medida do possível. Vale elogiar o queixo de aço do Velasquinho, que tomou uma patada sinistra do Tirano no segundo round, se não me engano. Mas também acredito que o pessoal do camp do Gastelum não devia ter deixado ele lutar. O cara tava doente, claramente fora de forma. Acredito que o UFC seria compreensivo como foi com o Jimy Hettes e outros casos recentes.

    Joe Lauzon e Thales Leites evoluíram bastante na trocação, mas brincar com a sorte já é demais, principalmente quando se tem um pupilo do Ray Longo e um urso polar do outro lado do octógono. Falta um pouco de QI de luta, e isso infelizmente não é um caso isolado nem surpreendente nesses lutadores.

    Fiquei mais preocupado do que feliz com essa vitória do Thiago Alves. Embora tenha mostrado que o queixo tá em dia e a canelada tá afiada, não dá pra vacilar numa categoria onde dominam especialistas na arte da paulada, como Lawler, Hendricks, Woodley, Brown, Condit, Saffediene e o próprio Mein. Um upperzinho vadio de qualquer um desses citados pode botar atletas em posição de ninar tranquilamente.

    Abraços!

  • Bart Simpsons

    Anderson vs Diaz – antes da luta, meu lado fã gritou mais alto e cheguei a acreditar que Anderson nocautearia o americano, na verdade isso era um desejo. No entanto, eu sabia que a luta seria assim, com Anderson calmo, lutando com seguranca, lutando para si, não para o público e para os fãs. A parte mais ddifícil já passou, agora esperarei a próxima luta, para saber de vez o que realmente vai ser de Anderson nesse pós lesão. Nick tb merece aplausos.
    Woodley vs Gastelum – pra quem passou p que “velasquinho” passou horas antes da luta, até que ele foi bem. No entanto, mesmo que estivesse 100%, Woodley ainda seria muita areia para o caminhãozinho de kelvin. Pena para gastelum que perdeu a invencibilidade, já os apostadores respiram aliviados pq pelo menos dessa vez o “mini velasquez” não quebrou a banca.
    Lauzon vs Al Iaquinta – como sempre, torci p Lauzon finalizar, para acima de tudo ele dar um show, só que dessa vez Al Iaquinta resolveu não colaborar. Cada vez mais bem moldado por ray longo, Iaquinta foi bem, trabalhou com propriedade e conseguiu deixar um dos caras mais cascas grossas do MMA mundial “tkozado” de pé. Pra quem ainda não tinha muita confiança no cara, agora ele deu motivos para mudarem de idéia.
    Thales vs Boetsch – Boetsch, queixo duro e mão de tijolo, fazem dele um cara perigoso de ser enfrentado. Thales por sua vez, hj abusou da sorte. Thales ia pra cima, atacava bem, mas a defesa tava foda. Acertou socos no americano, mas o americano nem parecia sentir, enquanto isso, cada vez que tim acertava um soco, parecia uma marreta. No final, depois de fortes emoções, o brazuca jogou pra baixo numa cravada bonita, e depois só se aproveitou da inocência de Boetsch no jogo de solo, arrematando no katagatame.
    Pitbull vs Mein – mein partiu pra cima, começou a levar vantagem, e bateu no “brasileiro”, deixando-o semi nocauteado. Pitbull foi salvo pelo gongo. No segundo round, um chute entrou, pegou no ponto certo e assim deu início ao tko. Pitbull venceu, mas o tempo passou muito desde que ele era “a última coca cola do deserto”, hj em dia não entraria de jeito nenhum no top 5 da WW. Espero que ele treine e se encontre melhor na proxima.
    Lineker vs Mccall – olha, torcendo p dana voltar atrás e deixar o cara disputar o cinturão da flyweight. Lineker até perdeu o primeiro, mas aquela chave de pé no mesmo, deixou o americano baleado. Aí foi só passar o carro. A cada patada que o brasileiro acertava, ian chacoalhava a cabeça lindamente. Excelente, gostei do Lineker. Bom, se Lineker realmente subir, não vejo grande desvantagem. O cara é talentosissimo e muuuuito forte, pode subir tranquilamente para os galos. Tamanho e envergadura contra, isso ele tiraria de letra. Lineker brilharia nos galos, seria no mínimo top 5.

  • joao neto

    Otima Analise Renato!! agora tudo bem que o Anderson foi cauteloso por estar voltando…mas e o diaz??? o diaz como disse o (flavio canto) no canal combate depois da luta (foi um monstro)…sua analise foi perfeita porque a grande midia (nao especializada) infelizmente nao dao os creditos merecidos para o nick,por isso eu gosto desse Blog, depois de qualquer luta entro primeiro aqui para entender o que foi a luta realmente…vcs sao demais!! Agora gostaria muito de ver o nick de volta e motivado,imaginem 2 anos sem lutar conseguiu sobreviver ao Anderson por 5 rounds?? o que faria bem treinado e motivado na sua categoria? Abraço!!

    • Renato Rebelo

      Hehehe mt obrigado, mano velho!

  • Nubia Castro

    Não precisava nem comentar que sua análise foi perfeita né Renato…
    Confesso que fiquei emocionada com aquele choro de AS, pra um cara que foi dominante por tanto tempo, chorar daquela forma apos uma vitória, mostra que ele passou pelo vale e deu a volta por cima.
    Ele lutou de forma inteligente. Pra que se arriscar dando show? Essa parte ficou mesmo para o figurão do Diaz, que não tinha nada a perder. Agora só resta aguardar e ver como ele irá se comportar com os tops da categoria. Torço muito que ele ainda consiga estar entre os melhores!!!
    Não assisti a luta do Gastelum, estava muito chata e aproveitei para tirar um cochilo.
    O Iaquinta se firma dentro da categoria após essa importante vitória.
    Por variaz vezes vi o Thales sendo nocauteado, mas aí veio a salvação.
    O Thiago mostrou que ainda tem lenha para queimar e que aguenta levar pancada!!!
    Mas tirando a luta principal, a que mais gostei foi a de Lineker. Que desperdício esse cara nos galos. Na hora que ele passou a mão na barriga, foi hilário!

    • Renato Rebelo

      Mt obrigado, querida!

  • Douglas Machado

    O AS, me emocionou, acho q ele ainda tem lenha para queimar, e apesar da idade, se o queixo tiver bom, ele tem capacidade de ganhar a cinta novamente… porem acho q ja deu ja ja, acho que ele tem q se aposentar e ficar tranquilo……Excelente analise como de costume! E ver o ufc, dormir e acordar cedinho para abrir o blog e ver se o q eu pensei tava certo ou tudo diferente kkkkk

  • Luiz De Marco Freitas

    olha… o diaz me surpreendeu, viu? heheh… mostrou que elaborou a melhor estratégia possível e jogou dentro dela o tempo todo. também vi ele vencendo apenas o 4 round, mas todos os outros foram relativamente parelhos e, se estivesse numa noite um pouco mais inspirada, poderia ter vencido!

    ele não se comprometeu nenhuma vez atacando, não se esticou demais em nenhum golpe, nem atacou de qualquer jeito sem estar bem plantado na base, e ainda induziu o spider ao erro em alguns momentos

    usou mesmo a estratégia patrick coteninana e mostrou que nessas situações o spider vira um lutador normal hehe

  • Thiago de Carvalho

    Só um detalhe, um card em Las Vegas, com sete lutas com brasileiros, e vitória nas sete!

    • Renato Rebelo

      Verdade. Só o Rick Monstro perdeu… para outro brasileiro hehe

      • will

        Esse Mostro não assusta ninguém…

    • Leon

      6 na verdade né, já que Marajó vs. Monstro foi um duelo de brazucas. aliás, todos os Brasileiros venceram de forma bastante convincente nesse UFC, faz tempo que não vejo isso em eventos com muitos Brasileiros

  • Gabriel

    O UFC vai dar mais uma chance para John Lineker e ele vai lutar pelo cinturão pois a categoria está muito vazia e precisa dê desafiantes.

    • Renato Rebelo

      Não vai não, irmão. Dana confirmou na coletiva que não tem mais desenrolo. O cara não bateu o peso pela quarta vez e chegou cinco pounds acima!

      • Marcio Rodrigues

        Uma pena o Lineker perder a chance do cinturão. Mas concordo com o Gabriel sobre essa divisão ser meio vazia. Na verdade, acho ela desnecessária. Não seria melhor se todos eles lutassem na divisão dos galos!?

        • Lucas Rezende

          O fato do Demetrious Johnson ter perdido para o Dominick Cruz nos galos e depois ter virado o campeão imbatível dos moscas mostra que existe uma necessidade para a categoria, eu acho.

          • will

            Essa categoria dos Moscas foi um erro do UFC. Apesar de ter lutas legais, essa categoria não tem apelo junto ao público e não têm lutadores suficientes. Não se justifica economicamente.

      • Gabriel

        Lineker deu uma entrevista dizendo que seu problema de não bater o peso é psicológico e acredito nele pois não pode ser por falta de treinamento ou pura falta de vontade se fosse isso não teria lutado daquele jeito.

        • mazzaropi

          Psicológico… kkk? Merece demissão direto por justa causa.

        • will

          Ele vai precisar de psicólogo depois que for demitido! Vai chorar bastante.

  • Dan Mendes

    Eu espera mais do AS, esperava um nocaute ainda no 1R. Acabei entrando no oba-oba geral e o superestimei.
    É claro que tem que se pesar o fato de tempo parado (nick estava por mais tempo), mas deram ao Anderson a luta perfeita para ele ir lá e destruir, ele não destruiu. Venceu bem mas não tanto quando GSP o fez e muito menos destrocou como o canadense faria se pegasse o Nate por exemplo.

    No fim da luta fiquei com a impressão que o AS é superestimado.

    • ANDRÉ

      Não destruiu porque o Nick não fez oque costuma fazer, ser bastante agressivo. Não fez porque ele sabia que se fizesse provavelmente seria nocauteado!! O maior striker de contra ataque do ufc, contra um porra loca da vida, todo mundo tava achando que ia ser nocaute mesmo. O Anderson por tudo que já fez sempre vai deixar um gosto de “quero mais”, pra mim ele não tem que provar mais nada, o cara é a LENDA!!!

      • Dan Mendes

        Você queria o que o Nick jogasse aberto….kkkk

        Agora só que faltava o cara aceitar lutar aposentado, com um cara maior, mais pesado e na categoria de cima e ainda por cima vai fazer o jogo que facilite o adversário.

        • ANDRE

          “Don’t be scared homie”.

    • will

      Não é impressão, é a pura verdade. Ele não é essa Coca-Cola toda, mas também é um lutador muito técnico. O problema é a idade, o cara tem 39 anos e 40 lutas nas costa! Não dá mais!

  • Tiago Nicolau de Melo

    Esse ídolo do Renato é tenso, escapou do primeiro katagatame na “barbárie”. Apesar das derrotas, acho que continua empregado. Deve ter um intensivo de katagatame na NU, né? Anderson lutou menos do que se esperava dele, porém mais do que se espera de alguém que passou pelo perrengue recente. Muito bom ver o Pitbull agressivo, mesmo qdo tava mal. Fazia tempo que uma lutado Lauzon não empolgava, apareceu uma. Mesmo assim teve seus momentos bons. Bom evento.

    • Renato Rebelo

      Hahaha ídolo é forçação. Só disse que nutro uma simpatia = )

    • Lucas Rezende

      Lauzon vs Chiesa não te empolgou, cara?

      • Tiago Nicolau de Melo

        Opa… acho que me expressei mal. Falei que há tempo uma luta dele “não empolgava”, pois quase todas empolgam. Ontem nem tempo deu.

  • Felipe

    Excelente texto! Fico olhando o ranking dos médios hj, e o
    problema não está apenas no “top5” que o pessoal gosta de isolar, mas no top8.
    Existe algum adversário que não seria uma “bad matchup” neste momento no miolo
    dos médios? Gegard Mousasi seria uma luta de entretenimento, mas não seria
    pouco lucrativa e muito arriscada? Abs

    • André Guilherme Oliveira

      A melhor opção no TOP 10 é o Bisping.

  • Jonas Angelo

    Guerra psicológica, de nervos e emocional, a maior batalha do Anderson nem foi com o Diaz, foi com o próprio recomeço, e chorar copiosamente ao fim foi o descarrego de toda a tensão que começou a se acumular lá no final de 2013. Diaz foi um adversário duro, entrou na mente do Spider, agiu como um mestre na arte do domínio psicológico. Anderson, por sua vez, só conseguiu aliviar a tensão lá pelo 4º Round, e assim se sentir melhor na luta. Renato, você fez a leitura perfeita do combate.

    Pelo menos para mim, duas coisas ficam bem claras: Anderson não soltou seu jogo por conta de todo o nervosismo e tensão que o contexto envolvia, e por conta de Dórea, que toda hora cobrava um Spider que fugia das suas características. A segunda coisa bem clara, é que agora Anderson virou um mortal; ainda tem boas coisas a nos entregar, mas não é mais lutador para conquistar título (por N razões), numa categoria onde tubarões nadam de braçada. Não consigo, por exemplo, em condições normais ver Anderson superando Rockhold.

    • Considerações perfeitas, Jonas.
      Já na parte técnica, gostei muito do AS.
      Considerando o impedimento piscologico como disse, deu para ver que a movimentação do Spider é ótima, já que ele lutou com um dos caras que mais defere golpes em todo o UFC, e na luta Diaz simplesmente não o encontrou.
      Ele tem um punch proporcional à sua categoria, isso é notável pelos hematomas nos zoio e costela do Nick.
      Seu folego está bom para um cara de quase 40 anos, terminou o quinto round pulando como se estivesse no segundo.
      Nao acho que o cinturão tenha que ser algo que o Anderson deva correr atrás, mas superando o fator “cabeça” ele ainda dá um caldo se coloca-lo na frente de caras como Bisping, Doloway e até Mousasi, quem sabe.

      • Jonas Angelo

        Concordo com cada vírgula, meu caro.

      • Hugo F. Camargo

        O lance do gás dele me deixou encafifado. Certamente, para um quarentão, tá ótimo. Mas não basta o bônus da idade, né… Analisando melhor, fiquei com a impressão que a luta foi um pouco cadenciada demais em vários momentos. Ficou a dúvida para mim de como seria o gás dele contra um cara como o Bisping, por exemplo.

    • Malk Suruhito

      Poha, falando em Dórea.. é complicado não ficar tenso com as instruções dele no corner, não? Que diferença brutal em relação a tranquilidade que Dedé, Greg Jackson e os treinadores da ATT.

  • Leon

    a luta do Silva vs. Diaz foi um dos poucos casos em que o perdedor saiu com mais moral que o vencedor. Diaz por favor, lute de novo! o esporte precisa de caras como você. um cara “bruto” de verdade, que não tenta forçar nada pra parecer durão como alguns aí (McGregor).

  • Carlos

    Só uma correção: o Thiago Alves não estava há 2 anos parado.
    Ele lutou em abril do ano passado e venceu na decisão unânime (contra Seth Baczynski). Antes daquela luta, sim, é que ele havia ficado 2 anos e pouquinho sem lutar.

  • André Guilherme Oliveira

    Achei que o 2 e 4 rounds foram do Diaz , que foi muito bem na luta. Sai com bastante moral, afinal eram quase 2 anos parado.
    O Anderson me surpreendeu, esperava ele mais lento e sem tanto gás, na verdade nem esperava que ele ganhasse. Poderia pegar o Bisping antes de ter o TS, porque se tem uma luta nos médios que eu quero ver a anos, esta é a luta.

  • Maykon Douglas

    A pergunta que não quer calar: Anderson ainda tem condições de fazer frente a elite de sua árdua divisão ? Receio que não, apesar de eu ter achado um bom retorno pra quem veio de uma grave lesão e vinha de duas derrotas… Outra pergunta que não sai da cabeça dos fãs: Anderson vai pendurar as luvas ? Difícil dizer, mas acredito que se ele decidir continuar, ele será jogado aos leões, simplesmente porque é isso que o público quer ver…

    • mazzaropi

      Anderson disse que ganhando ou perdendo ele gosta mesmo é de lutar… Quem ainda não gostaria de vê-lo lutando? Eu quero ver todas as lutas possíveis… Óbvio.

      • Maykon Douglas

        Sem dúvida que ele gosta de lutar, só que há muito tempo ele tem demostrado a possibilidade de se aposentar, antes mesmo de sofrer a grave lesão, ele vinha dizendo que tava cansado, um papo parecido com o do GSP.

  • Rodrigo Tannuri

    Anderson x Diaz – sabemos que o fator psicológico poderia atrapalhar o brasileiro. Deve ser horrível fazer o retorno no mesmo palco da grave lesão. Mesmo assim, esperava mais do Anderson. Ele foi bastante atingido por um meio-médio, coisa que jamais teria acontecido num passado recente. Sinceramente, se o Anderson lutar dessa forma, o vejo sendo derrotado pelos atuais monstros dos médios. Por mim, a categoria ficaria assim: Weidman x Belfort (até quando essa luta será evitada?), Jacaré x Romero, Lyoto x Rockhold e Anderson x Mousasi.

    Woodley x Gastelum – eu gosto de ambos, mas estou feliz de ver o primeiro sendo mais cerebral. É ótimo assistirmos lutadores poderosos nocauteando e tal, mas apenas poder pode não ser suficiente. Pra mim, é um top-5 legítimo! Já o Gastelum é aquilo, será expulso dos meio-médios e terá trabalho nos médios. Se fosse mais profissional na questão do peso, sua carreira seria bem melhor. Muito legal a postura do Woodley em não aceitar a bolsa do Gastelum. Que cavalheiro!

    Iaquinta x Lauzon – acho o Al bem subestimado. O cara é novo, tem um staff de peso, então, com certeza, deve ser visto com bons olhos. Ainda não está no top-10, o que não é demérito, já que a categoria dos leves é absurda, mas é um top-15 de respeito sim. Quanto ao Lauzon, temo por sua saúde. Quando perde, as derrotas são devastadoras. Não o vejo mais dando trabalho e sim sendo o porteiro da divisão.

    Thales x Boetsch – que perigo, hein? Meu Deus, que o brasileiro evoluiu monstruosamente em pé, isso é notório, mas se testar contra o Boetsch é um grande risco (Okami que o diga). Não era segredo, nessa luta, Thales deveria ter feito tudo pra levar pro chão. A vitória seria tão rápida e fácil. Optou por se aventurar e quase pagou o preço. Ele tem que ser mais inteligente, afinal, está chegando a hora de se testar contra um nome de peso. Apesar da derrota, acho que o Bárbaro até que saiu com certa moral.

    Pitbull x Mein – minha expectativa pra essa luta se confirmou. Que loucura! Pra mim, Mein venceria e estava se comportando muito bem. Esse garoto é ótimo e tem um bom porte físico. Se fosse mais tarimbado, teria liquidado a fatura no primeiro round mesmo. No segundo, creio que tenha faltado maturidade. Não dá pra bobear contra um striker plástico como o Pitbull, que foi muito guerreiro. É ótimo ver que a nova geração está vindo pra ficar, mas que alguns da velha guarda (e olha que o Thiago nem é velho) ainda dão um caldo.

    No card preliminar, gostei muito do Liniker. Pena que esse pagou o preço por não respeitar o peso. A vitória sobre o McCall foi muito significativa. O Brunson também me impressionou. Não esperava que venceria de forma tão rápida. Capaz que ele seja um dos médios mais ignorados, mas é bom e até que vendeu caro a derrota pro Romero. O Marreta também está de parabéns. Agora, não gostei da Tate. Não vejo muita coisa nela, sério. E o que dizer de Ildemar Marajó x Ricky Monstro? Pior luta da noite que deveria ser empate e ter terminado com os dois cortados.

  • Fabricio Alves

    Ver o Dórea como Head Coach foi de doer.

    O Dórea dando instruções parece a Dilma fazendo discurso. LOL

    • will

      ha ha ha …. Verdade! Ele deve ser do programa “Meu Coach minha Vida”.

    • Thiago Arruda

      O Dórea foi uma escolha excelente pro corner do Silva. Antes de tudo, Nick Diaz é um boxer, assim como Diaz treinou com kickboxers de alto nível pra essa luta. Anderson Silva treinou com treinadores de boxe de alto nível. Não confunda o Dórea estrategista, com o Dórea treinador de boxe. O Dórea treinador de boxe é um dos melhores.

      • Bruno Goes

        Concordo que é um excelente treinador, mas no córner o cara praticamente não passa nenhuma instrução decente. Nunca vou esquecer o Cigano tomando um pau do Velásquez, e ele toda hora falando “Coração, campeão!! Agora é hora de mostrar que você é o campeão!!”. Porra, em vez de passar alguma instrução técnica, fica falando frase motivacional, é meio tenso.

        • Hugo F. Camargo

          Exatamente meu ponto, Bruno! Não questiono o quão foda o Dórea seja como treinador, mas no córner acho que ele mais atrapalha do que ajuda. Quem viu a última luta do Cigano pode perceber…

        • Junior

          Aquela dele do Dedé(que é o treinador mas cerebral do brasil) foi foda ,Pederneiras checou até fazer sinal negativa com cabeça.

    • Hugo F. Camargo

      Eu ainda brinquei com isso quando fui palpitar meus resultados da luta. Que o Dórea daria sua instrução clássica:
      “Jab, direto. Jab, direto. Ele tá cansado! Entendeu? Jab, direto!”

      Se a cada vez que o Dórea falasse isso eu ganhasse 10 reais, já tinha comprado uma mobilete.

  • Franklin Stein

    Nick Diaz se deitando foi um abuso extremo daqueles de gargalhar de nervoso, tipo “cara, não acredito que ele ta fazendo isso!” No início achei fantástico o Anderson ficar parado e não entrar no jogo do Nick, tremenda guerra psicológica, mas depois do terceiro round achei que faltou sangue no olho do Anderson pra quebrar, nem que fosse na marra, a única estratégia do Diaz. Fiquei pensando “porra, anderson, quando não é 8, é 80!” Fiquei surpreso com os momentos de clinch, que em teoria seria uma boa posição pro Anderson, acabou que o Nick se defendeu e atacou muito bem nessa posição. Com o final da luta e o Anderson desabando em choro ficou bem claro o quanto de pressão ele estava carregando, dizer isso pareceria óbvio visto tudo o que ele passou, mas estamos falando do inexorável Anderson Silva, que pelo menos pra mim, naquele momento em que falava com Joe Rogan ele se mostrou bem mais humano do que em todos os vídeos do seu reality show. Quanto ao Nick Diaz, ele é o “motherfuckerbadass” essencial pro mma! Vida longa aos Reis!

  • will

    Na luta principal nos vimos a estréia da categoria “ShowBol” do MMA. Dois ex-atletas fazendo muita firula e só! O Anderson precisa parar, suou muito pra vencer um ex-lutador da categoria de baixo. A luta do Woodley foi a pior que eu já vi nessa categoria. O Tales Leite ta de sacanagem! Quase perde pra um cara lento e gordo. A derrota do Jordan Mein foi muito ruim pra categoria. Ele é muito bom tecnicamente, perdeu num “acidente”.

  • Vítor Câmara

    Queria deixar meu comentário só pra desabafar aqui: na madrugada de ontem ouvi a maior quantidade de besteiras e idiotices reunidas da minha vida. Fui assistir ao evento em um bar da minha cidade, e por acaso encontrei com um grupo de amigos, que só queriam mesmo ver o Spider “arrebentar o cara”. Após um card principal com ótimas lutas (ás quais só eu prestei atenção), tive que ouvir nos primeiros rounds de Silva vs Diaz repetidas vezes frases como: “o Anderson ta só brincando com ele, ele não quer acabar rápido”, “o cara ta batendo com toda a força e o Anderson não ta nem pondo força, tá só fazendo durar mais”, “esse magrelinho não vai aguentar nem dois rounds”. E quando a luta avançou para o quarto round, o papo mudou para “porra Anderson, fiquei acordado pra isso?”, “um lixo! Não consegue nem derrubar um cara fraco desse!”, “já era, tem que aposentar! Não lutou nada!”. Obviamente relevei tudo por serem pessoas não iniciadas no esporte, mas que tinham horas que eu queria rir e outras que queria bater, isso tinham.

    • will

      Mas a luta foi um fiasco mesmo. Seja sincero, imagine Nick Diaz lutando contra Weidman, Jacaré, Lyoto ou Vitor. Qualquer um desse “massacraria” o Diaz no 1º round! Dá pra dar um desconto pelo acidente, pela idade e pelas 40 lutas nas costas. Mas a hora de parar chegou. Não dá mais!

      • André Guilherme Oliveira

        O Diaz daria um pau no Belfort, faria uma luta disputadíssima com o jaca, e levaria uma sova do Lyoto e do Weidman perdendo no DU.
        O que esse cara já mostrou durante a carreira é digno de hall da fama do MMA, e acredito que bem treinado seria TOP 5 tanto nos médios quanto na sua categoria de origem.

        • will

          HA HA HA!!! Você é um fanfarrão! Você só pode estar de brincadeira! Vamos falar sério aqui.

          • André Guilherme Oliveira

            Falei sério.

    • Renato Rebelo

      Agora vc sabe mais ou menos o que eu “sofro” diariamente, Vitor hehee

    • Carlos Montalvão

      É por essas e outras que eu preferi assistir em casa, com minha mãe (ela inclusive tem um conhecimento legal sobre MMA porque tá sempre assistindo o UFC) e meu cachorro, enquanto meus amigos quiseram ir em bar pra fazer festa. Eu já não tenho mais paciência pra esse tipo de gente ignorante ou modinha (só me lembro da Lucilene Caetano soltando o Rage em cima dessa galera no Twitter hahaha)

      • Hugo F. Camargo

        Só assisto em casa com mãe e família! Tô nesse clube. O bar é minha casa, heheheh. Minha mãe só fica nervosa comigo por que eu nem sempre torço pro brasileiro quando esse enfrenta alguém de outro país.

  • Danilo Lopes

    Cara, primeiro de tudo; como deve ser difícil fazer jornalismo de MMA. O público médio do MMA é o mais imbecil de todos. Toda luta é o mesmo papo de “entregou”, “comprou”, a Globo isso e a Globo aquilo…

    Ademais, acho que o Anderson psicologicamente quebrou. Parecia triste, abatido e sem vontade desde a pesagem – a vitória escondeu um pouco isso. Fez bem sua parte, não pegou pilha de ninguém, não quis dar show. Foi lá, trabalhou e levou sua grana pra casa – dessa vez voltando saudável.

    Acho que é hora de parar mesmo, ou pelo menos parar com as lutas em alto nível e pegar lutas de exibição como essa, pra ganhar seu dinheiro e cumprir seu contrato com o UFC, deixando todos felizes. Bisping poderia ser o próximo, até mesmo o Shogun, ou o Belfort, que em breve também cairá em decadência.

    • Hugo F. Camargo

      Danilo, justamente por termos no mma o público médio mais ignorante e chato de todos, que considero o SextoRound o último reduto para se informar, ler e comentar que ainda não foi contaminado com esse tipo de comentário, que já tomaram de assalto os outros sites. Não vou citar nome por que não convém tanto, mas quem aqui curte MMA sabe que tem um site aí que tem notícias bacanas e é constantemente atualizado. Era, até então, o único site especializado de grande alcance antes do SextoRound. Mas, além de não ter as colunas que temos aqui, com opiniões e ótimos textos, é impossível comentar algo lá sem passar raiva. Eu mesmo não comento por lá desde que comecei a comentar aqui. Sou velho e não tenho paciência para ofensa gratuita de guerreirões do teclado. Além da qualidade excelente do conteúdo daqui, temos seguramente o melhor lugar para poder comentar e interagir com os repórteres do SextoRound e com outros usuários, como tô fazendo ao te responder aqui.
      Apenas espero que, caso algum dia o nível dos comentários comece a cair, exista uma moderação para segurar a parada. Me refiro exclusivamente aos trolls, gente que xinga a mãe do nada e coisas do tipo. Os que já chegam com teorias pachecas absurdas (Cigano vendeu a luta para ganhar mais na revanche, por exemplo), esses tudo bem até, pois como dizíamos aqui nas peladas: esses a natureza marca. Não vai aguentar o nível da pressão aqui e vai apelar ou sair.

      Sobre o que você falou sobre o Anderson, concordo! Tem que se aposentar. Não tem por que entrar em latada nessa altura do campeonato. A troco de quê? Por quem?

      O cara, mesmo odiado por muitos (algo comum no mundo da luta com muitos campeões, né?), fez história. Quando ele era campeão, a categoria era considerada por alguns a mais rasa. Logo após sua derrocada, já é considerada a mais concorrida. Isso acontece apenas quando temos campeões muito dominantes! Óbvio que temos outras variáveis, mas é por aí. O Janjão passou o rodo e zerou a categoria dele sem gastar todas suas fichas, e agora um papo semelhante tá surgindo, com muitos alegando que venceu campeões que seriam naturalmente de uma categoria de peso abaixo. Nada. O cara que botou eles para queimarem o pânceps e baixar de peso, por mostrar com superioridade que, nessa categoria dele, não teriam chance pelo cinturão nunca mais, enquanto ele estivesse ali. Pode ter certeza que quando ele subir pros pesados a categoria vai entrar em festa de novo, inclusive com alguns dos que desceram tentando subir de novo!
      Enfim: Anderson, obrigado pelo show! Vai brincar de paintball e cuidar dos filhos.

      PS1: alguém viu na conferência pós-luta a brincadeira do “Black Dana”? Eu ri pra caramba.

      PS2: Só eu que acho que a filha do Anderson Silva tá se tornando um piteuzinho?

    • Fábio

      Realmente aqui é o último reduto em que ainda se consegue ler comentários sensatos e respeitosos.
      O público médio é o mesmo que consegue elevar a popularidade de alguma coisa e destruí-la ao mesmo tempo.
      Já tentei participar de grupos ou comunidades em redes sociais e só encontrei um monte de gente boba que repetia termos como “Leigo”, “apae”, “Who” o tempo inteiro.
      Tomara que os donos do Sexto round não deixem disseminar por aqui a apatia que assola a maioria das páginas especializadas em MMA.

  • Danilo Lopes

    Alias, outra questão que foi levantada até pelo Matt Serra. O jogo de pernas do Anderson continua incrível, mas o jogo de mãos parece que está precisando de um up. Muito golpe reto, Jab/direto/chute, tudo previsível e sem muita pressão.

    • Bart Simpsons

      Não me recordo bem quem falou isso durante a transmissão, mas lembro que disseram que o Anderson voltou nessa luta para se testar um pouco, pra ver algumas coisas. Realmente eu concordo. Testou a joelhada avançando, testou joelhada voadora, testou clinch, testou aquela cotovelada de baixo pra cima, alguns desses golpes nem me lembro qual foi a ultima vez que tinha visto Anderson fazer em uma luta. Por isso que eu digo, acho que deveríamos esperar a segunda luta, quando acho que ele vai vir um pouco mais solto, agora que essa ansiedade e pressão de “estréia” já passaram.

  • Renato Rebelo
    • Vitor Torre De Avila

      Nick Diaz, que ja tinha sua vaga assugurada, consolidou de vez seu lugar no “Panteão da Zueira” do MMA junto com Kazushi “MITO” Sakuraba, Thiago “Olodum” Silva, Quinton “Sarrada” Jackson, Mark “Bundada” Hunt, Alister “Maria da Penha” Overeen, Genki “Dama” Sudo, Pat “Mama” Barry….quem que falta nessa lista ae?

      • Hugo F. Camargo

        Thiago “Olodum” Silva. kkkkk
        Sempre que lembro da batucada dou risada. Curto muito também lembrar do Nate Diaz encaixando o triângulo e comemorando antes, hahahaha. E na sua lista faltou o próprio Anderson Silva. Será que o Michael Paige entra na lista como um bom novato? Dos novatos, é o único que tira lá sua ondinha.

        • Carlos Montalvão

          Vale citar o Green na luta contra o Edson Barboza?

  • Bruno Goes

    Depois da luta de ontem fico meio em dúvida se é viável para o UFC colocar o Anderson como cabeça de eventos pay-per-view.Por mais que se tenha que levar em conta o fato dele estar voltando de lesão, não dá pra negar que a luta de ontem foi bem monótona, só dava uma animada quando o Diaz fazia uma de suas gracinhas.Não sei se o público compraria em massa um pay-per-view entre Anderson e Bisping, ou de uma revanche com o Hendo (que provalvemente serão os próximos passos caso ele não aposente).Já que seria grande a chance de termos um combate como o de ontem.Confesso que não tô nem um pouco animado em assistir uma próxima luta do ex-campeão, e olha que sou fã de carteirinha do cara.

  • Leonardo Neves

    Vou bater a real: Pra alguém bater o Anderson nessa categoria tem que ter background no wrestling. Só Romero ou Weidman podem atrapalhar o Spider. Lyoto, pelos treinos entre ele e Anderson da pra analisar o abismo que o separa do spider, jaca é lento e Vitor tem como única chance acertar uma mãozada.

  • Pedro Duarte

    Acho impressionante gente dizendo que o Anderson não tem condições de fazer frente aos TOPs, principalmente contra outros strikers como o Rockhold, Lyoto ou Mousasi. Sinceramente, vi pouca diferença entre o Spider de ontem e o que enfrentou o Thales Leites ou Cotê. Lembro-me inclusive do Anderson engolindo socos do Demian no último round da luta entre eles. Então dizer que ele foi atingido pelo Diaz algumas vezes não diz absolutamente nada.
    O cara tem uma movimentação fora de série, ainda é o melhor striker de todo o UFC e sustenta um gás sensacional. Se retomar a confiança que tinha (Fator primordial pro seu jogo funcionar), ainda tem sérias chances de alçar voos altos na categoria.
    Seu calcanhar de aquiles continua o de sempre: Carência de bom wrestling. Mesmo no seu auge teria problemas em enfrentar um Weidman ou um Romero.

    • mazzaropi

      Spider é diferente… Ele toma soco de seus oponentes a vida toda, mas aprendeu a absorvê-los de maneira única… (A única que entrou foi a do Weidman)

      Eu acho que há uma diferença entre ele não ter wrestling e aceitar o jogo de chão para executar seu jiu-jitsu…

      Seu comentário foi excelente amigo.

      • Pedro Duarte

        O head movement dele é único. A maneira como ele consegue girar o queixo pros socos entrarem com melhor absorção é bizarra.

        • Hugo F. Camargo

          Bem observado, Pedro! Muita gente acha que é questão de “ter queixo”. Não é. É que ou ele esquiva o golpe completamente, ou move a cabeça acompanhando o golpe, o que “tira a potência” do golpe e dá a impressão que o cara tem queixo. Raramente entra algo limpo.

  • mazzaropi

    Achei a luta fantástica!

    1. Assisti um Anderson Silva muito maduro e focado.

    2. Vi Anderson Silva no 4º round mostrando respeito total ao Dórea… Fiquei emocionado com a cena!

    3. Anderson Silva muito técnico e com uma estratégia seguida à risca… Em alguns momentos eu pedia que alguém soltasse “a fera” dentro de Anderson…

    4. Luta puramente emocional… Totalmente vencida por Anderson.

    5. Luta duríssima. Nick Diaz é um excelente lutador apesar de eu desaprovar seu perfil dentro do cage…

    6. É a primeira vez que vejo Nick Diaz perder e sair feliz de dentro do octógono.

    7. Para quem é verdadeiramente fã do MMA gostou desta luta.

    8. As pessoas deveriam agradecer por ter a oportunidade de ver lutas de Anderson Silva que é simplesmente um gênio! Ao invés de tentar toda vez aposentar uma grande estrela tentem ver as grandes qualidades que Anderson tem e muitos outros nem sombra disto tem…

    9. Prazer imensurável em ver Anderson ganhar e Diaz perder… Pela primeira vez estou vendo Diaz mais falante, menos arrogante… Acho que o cara está tentando mudar um pouco… Fiquei contente com isso!

    • mazzaropi

      Fightmetric para os mais céticos…

      http://i.imgur.com/CyHWyV8.png

    • Carlos Montalvão

      Verdade cara, Diaz com um respeito anormal, saindo “de boa” depois de perder uma luta, sorrindo na coletiva antes da luta, o cara veio bastante diferente pra esse evento

      • Hugo F. Camargo

        Bem, mas e o Diaz falando que realmente acredita que venceu todos os rounds? Quem viu a coletiva de imprensa (que não sei por que diabos o canal do UFC no youtube não passou, mas o de um site de mma americano sim) viu que o Diaz falou de forma honesta que vai rever o combate, mas teve a certeza que venceu todos os rounds. Alegou que o problema são que os juízes não curtem seu estilo e que julgam mais pelos danos que por qualquer outra coisa.
        Se fosse ele zoando, eu acharia engraçado. Como foi sério, fiquei com pena do cara ter um córner que o convence disso e o faz passar vergonha na coletiva depois, pagando de louco.

        • Hugo F. Camargo

          Detalhe: dá para ver sobre a hiperatividade do Nick Diaz na entrevista. Fazem uma pergunta, ele fica falando sem parar por meia hora e responde umas 20 perguntas. Caso clássico de quando o nervosimo não te deixa parar de falar.

          • Carlos Montalvão

            A coletiva eu assisti no site do UFC, o serviço deles lá é melhor que no Youtube hehehe. Eu acho que o Nick fez como a maioria dos lutadores faz quando perde por pontos (mesmo se for 30-27/50-45) falando que na opinião dele ele venceu a luta, mas a hora que ele parar pra assistir a luta vai ver que brincou demais, não foi contundente e nem em um universo paralelo mereceu a vitória. E ele realmente não tava confortável com essa luta, sequer tinha um plano de jogo, foi muito no “vamo chegar lá e na hora ver o que acontece”. Nas duas coletivas deu pra notar esse nervosismo, mas parece que fez bem pra imagem dele esse Diaz “mais social”, que fala sem parar, vi uma galera num primeiro momento estranhando e depois aprovando, ainda que ele tenha viajado na hora de responder algumas perguntas.

      • mazzaropi

        Totalmente.

        Nunca vi Nick Diaz assim… Antes, durante e depois… Tudo diferente. Que maluquice… kkk!

    • Mazza, nunca sei quando vc está falando sério ou brincando..hehehehe
      Se estiver falando sério com o texto acima, assino embaixo..rs

      • mazzaropi

        Mestre David, todos me dizem isto aqui na vida real… kkk!

        Estou dizendo a verdade. Aliás, tento sempre dizer a verdade, mas a verdade pode machucar as pessoas… (E eu não quero esta parte)

        Abração mestre dos desenhos fantásticos!

    • Hugo F. Camargo

      Assino embaixo, Mazzaropi! (tirando as partes em ter prazer em ver o Diaz perdeu, já que gosto dele e quase sempre tem minha torcida)

      • mazzaropi

        Mestre Hugo, um tempo atrás tive que fazer uma limpeza no meu coração de três lutadores, Nick Diaz, Nate Diaz e Aoki… Sentia nojo de vê-los lutar apesar de admitir que os três são papeis importantes no esporte… Não sinto raiva deles, mas não quero vê-los ganhar até mostrar mais humildade…

  • Malk Suruhito

    A luta principal passou longe de ser uma das mais virtuosas e técnicas que já vimos de ambos os atletas, quiça o que esperávamos de uma luta entre ambos. Mas ali, vendo ao vivo no momento em que ocorreu a mesma, somados os fatores de ansiedade do retorno do Anderson, mas a imprevisibilidade de ambos dentro do octógono (em ambos os sentidos), foi uma das mais divertidas e tensas que recordo de ter visto nos últimos tempos.
    Mas foi tipo aquele filme de comédias em que as piadas só funcionam na primeira vez que você assiste…

  • Carlos Montalvão

    Anderson Silva x Nick Diaz: Eu gostei muito da luta, não foi técnica, não foi um show, mas foi ótimo ver o Nick de volta, eu ri bastante das provocações dele (principalmente com o cara deitando no octógono) e curti demais ver um Anderson mais focado, sabendo a hora de atacar e não brincando demais. Ele tava visivelmente nervoso e o choro no final foi um choro de descarrego, mandou embora ali tudo que estava acumulado desde a lesão contra o CW. E diga-se de passagem, postura foda demais do Diaz no final da luta com o Anderson, eu sempre gostei do cara, mas agora virei fã dele, espero que tanto ele e Spider continuem a lutar por mais um tempo. Eu fiquei com a impressão que o Anderson tava lutando em “modo de segurança” igual o Barão, mais travado, quando tinha a chance de encaixar mais golpes contundentes e apertar um nocaute/nocaute técnico. Mas pelo menos a perna dele parecia ótima e a cada chute que ele dava de esquerda dava uma agonia absurda e ao mesmo tempo um alívio.

    Tyron Woodley x Kelvin Gastelum: Possivelmente a pior luta que já vi, junto com Bonnar x Ortiz no Bellator e Jake Shields x Demian Maia. Passo.

    Pitbull sentiu bastante a mão do adversário no começo da luta mas aquele chute foi um baita de um salvador da pátria.

    Miesha Tate x Sara McMann: A Sara tá batendo “fraco”, fraturou um osso da rosto da Tate em 2 lugares e fez eu quase me cagar com aquele Knockdown, ainda bem que o árbitro deixou a luta rolar e nos presenteou com um belo side-boob da Miesha hehehe. Brincadeira à parte, acho que ela precisa trabalhar melhor a defesa de golpes em pé, a luta foi exatamente ao contrário que ela disse que ia fazer (com ela batendo na Sara e a Sara desistindo da trocação). Ótima recuperação e virada da Miesha, apesar da falta de contundência, venceu a oponente na casa dela (jogando por cima no chão) e ainda acabou com esse papinho de que a pessoa tem wrestling olímpico e por isso ameaça todo mundo (aliás, de nada serviu o “super” wrestling da McMann e do Cormier a não ser atrapalhar eles próprios nas lutas contra a Tate e o JJ. E eu ainda fui xingado por muita gente quando disse que ter medalha olímpica em wrestling não significa nada no MMA se dependerem só disso e lutarem com um oponente que se vira bem em todas as áreas)

    Lineker jogou o TS fora por irresponsabilidade, o cara deu uma surra linda no Ian McCall

  • Gabriel Castelani

    Achei o Anderson completamente fora de ritimo! O que é normal para qualquer atleta ainda mais para alguem que vai completar 40 anos! Porem, o que nao poderia faltar era aquela vontade de acabar com o combate, de arrebentar um cara que estava fazendo gracinhas na frente do antigo REI da categoria de cima! Passar aquele recado claro para divisao: eu voltei, agora todos estao fudidos! Pra deixar os adversarios da categoria com aquele frio na espinha! Nem os mais fanaticos do AS conseguiram entoar o cantico de: “o campeao voltou” Voltou, mais nao deveria ter voltado! Poxa CRUZ ficou 2 anos parado, uma lesao talvez ate pior e arrebemtou um TOP 5 no 1 ROUND, e é essa a diferenca de proposito entre um e o outro, um quer o seu reinado de volta, o outro nao sabe nem porque esta ali!

    • Carlos Montalvão

      São 10 anos de diferença né cara, e o Cruz tem muito menos tempo de estrada também, ainda quer ser campeão enquanto o Anderson já passou dessa fase do “preciso provar”

      • Gabriel Castelani

        Carlos concordo com vc em dizer que o AS nao tem nada que provar! Mais pra que voltar se nao é pra arrebentar um pangaré como NICK DIAZ? Se a boca nao vai dar pra enfrentar os TOPs da categorias, entao, pelo menos ele tem que querer nocautear geral em lutas que foram casadas pra ele vencer! Eu nao vejo sentido, ver um cara de tao alto nivel querer fazer lutinhas de exibição!

        • Gabriel Castelani

          Eu vejo o copo meio vazio! Um striker do calibre do ANDERSON nao buscar um KO é mesma coisa do camisa 9 nao querer fazer um GOL! Falta FOME! E quando isso ocorre é melhor parar!

          • Carlos Montalvão

            Eu diria que seria um copo “na metade” (nem meio-cheio, nem meio-vazio), acho válido esperar mais uma luta do cara pra comparar com essa o que eu acho que na verdade foi uma luta em modo de segurança (igual Barão e Gagnon). Aí sim vai dar pra definir se é meio-vazio ou não

Tags: