UFC 183: os palpites dos colunistas do Sexto Round

admin | 30/01/2015 às 22:57

Chegou a hora! Para os fãs de Anderson Silva, o Spider está de volta quase 13 meses depois de uma gravíssima fratura na perna esquerda.

Os mais chegados ao bad boy de Stockton tiveram que esperar ainda mais: um ano e 10 meses.

Além da colisão entre esses ex-campeões (de UFC e Strikeforce), Tyron Woodley e Kelvin Gastelum brigam por um lugar na primeira fila da categoria até 77kg, John Lineker e Ian McCall fazem o mesmo no peso mosca, Joe Lauzon busca seu 14º bônus da noite contra Al Iaquinta e por aí vai.

Boa oportunidade para os (nem sempre tão precisos) bicos de fora da área dos colunistas do Sexto Round.

Vamos a eles:

AND_NIK

Felipe Paranhos: Tenho todos as suspeitas do mundo sobre a volta do Spider, mas, diante de um adversário menor, parado há mais tempo e dando a maior pinta de estar sem muita motivação, não poderia ir em outro palpite. Anderson por decisão.

Fernando Cappelli: Por mais elementos passionais que estejam envolvidos, no fim das contas a luta servirá como um termômetro para saber as reais condições e o grau de recuperação/retomada da carreira de cada um. Eu e meu camarada Renato Rebelo dissecamos algumas possibilidades do combate bem aqui. O striking deve ser predominante, e o brasileiro provavelmente cadenciará bastante no começo. Durante a semana mudei diversas vezes de opinião sobre em quem realmente apostaria. Vou de Anderson, na decisão.

Lucas Carrano: Estou longe de achar que Anderson pegou uma mamata em seu retorno. Mesmo com a desvantagem do peso, um tempo ainda maior de inatividade e ameaça zero de impor um jogo de quedas que tanto incomoda o Spider, Nick Diaz ainda sim é carne de pescoço. Porém, a verdade mesmo é que estou mais curioso pra ver como Anderson vai voltar do que necessariamente a forma como este combate vai acabar, que, por sinal, será com Anderson Silva vencendo por TKO no R3.

Lucas Rezende: A não ser que Anderson tenha subestimado Nick ao extremo, não o vejo perdendo. Prevejo provocação vindo de ambas as partes durante o combate, mas lá pelas tantas, algum contragolpe derradeiro do Spider encontrará o alvo. Silva por TKO no segundo round.

Renato Rebelo: “Mesmo se voltar pior, ainda ganha” e “Baseado em todos os vídeos recentes que vimos, ele está se movimentando como um senhor de idade”. Exageros à parte, as frases de Demian Maia e do kickboxer Joe Schilling – para Combate.com e Bloodyelbow- resumem a luta pra mim. Se você diz que a primeira derrota para Chris Weidman foi excesso de confiança e a segunda obra do acaso, prepare-se para ver o maior de todos os tempos adentrando o mundo dos mortais. Anderson, prestes a completar 40 anos, sofrerá, pela primeira vez, uma pesada ação do tempo – e tratando-se de alguém que depende tanto de agilidade, fluidez e movimentação para brilhar, qualquer desaceleração pode ser fatal. Sendo curto e grosso, o Spider teria uma noite de sábado terrível se estivesse enfrentando qualquer top cinco de sua categoria. Diaz, no entanto, não conseguirá driblar, principalmente, as diferenças de envergadura, tamanho e força. O arsenal (bem) mais vasto do rival também será um fator. Temos basicamente boxe em linha versus boxe em linha acoplado a chutes, joelhadas, cotoveladas, golpes rodados, etc. Não obstante, Diaz, com seu ritmo intenso, força de vontade e resistência física levará Anderson ao inferno. Apanhará bastante (até por que seu estilo agressivo é tudo que um contragolpeador do quilate de Silva mais curte), é verdade, mas não quebrará. Vitória do Spider por decisão suada que levantará muitas questões sobre seu futuro.

WOOD_GAST

Felipe Paranhos: Quem é que vai aparecer pra lutar com Gastelum? O Woodley esperto, ligado das lutas contra Carlos Condit e Josh Koscheck ou o Woodley hesitante, que insiste em andar para trás, do duelo ante Rory MacDonald? Aposto no primeiro. T-Wood por TKO.

Fernando Cappelli: Ambos têm base sólida no wrestling e poder de nocaute. Woodley é explosão pura, Gastelum mais estratégico. Mesmo ainda novato, este último tem mostrado atuações maduras dentro do octógono e certamente vai se firmar como grande prospecto na divisão. Mas Woodley o vencerá, por nocaute.

Lucas Carrano: Essa é de longe a luta mais perigosa da carreira do “Mini-Velasquez”. Ainda assim, acredito no potencial do jovem prospecto, que vai manter sua invencibilidade.Com 15 minutos de pressão sufocante, Gastelum vencerá por decisão unânime.

Lucas Rezende: Menino Gastelum queimará a língua de todos que duvidarem dele mais uma vez. Tyron Woodley é perigosíssimo no primeiro round, mas depois diminui que é uma tristeza. Kelvin sobrevive à tempestade para se sacramentar como o lutador mais improvável da história. Gastelum por DU.

Renato Rebelo: Poucos lutadores me fizeram chupar tantas mangas quanto Gastelum. Portando apenas wrestling nota 8, o camarada foi campeão do TUF com 22 anos e derrubou, um a um, todos que lhe foram oferecidos pelo UFC. De lá pra cá, o Mini Velásquez ainda adicionou trocação nota 7 e pegada de costas nota 9 ao seu jogo. Por isso, tá mais do que na hora desse vencedor nato receber um voto de confiança, certo? Claro que não! Woodley tem, questionavelmente, os 5-7 primeiros minutos mais perigosos da categoria – graças à explosão sobre-humana e pontetíssima mão direita- e, no papel, é o wrestler mais condecorado. Woodley, decisão.

AL_JOE

Felipe Paranhos: Iaquinta tem muito, muito potencial. Mais até do que o campeão de sua temporada no TUF, Michael Chiesa. Mas é impressionante como o produto da Serra-Longo se atrapalha em sua falta de QI de luta — como vimos na derrota inadmissível diante de Mitch Clarke, ano passado. Mas aposto na maturidade do prospecto. Boxe de velocidade e cardio melhor levarão Al à vitória por decisão unânime.

Fernando Cappelli: Iaquinta é um bom boxer, mas ainda apresenta brechas significativas no grappling, que devem ser plenamente exploradas por um finalizador cascudo como Lauzon. Aliás, torça para que este esteja em um dia inspirado no octógono (quando não está, é de dar sono). Lauzon, via submissão.

Lucas Carrano: Beeem mais calejado que o rival no esporte, Joe Lauzon até pode passar aperto com o volume e a disciplina tática de Iaquinta, mas deve dar um jeito de levar a luta para os seus termos e vencer por finalização. Além disso, apostando basicamente na alta probabilidade estatística, desta luta também sai pelo menos um dos bônus da noite!

Lucas Rezende: Respeito a recente guinada de Iaquinta, mas não o suficiente para vencer J-Lau. O pupilo de Serra e Longo tem o boxe fechadinho, mas novamente será traído por seu jiu jitsu defensivo imperfeito. Lauzon por chave de braço no primeiro round.

Renato Rebelo: Boxe versus jiu-jítsu que será decidido pelo wrestling. Lauzon é melhor em pé do que Iaquinta no chão? Sim, de fato. Mas o companheiro de equipe de Chris Weidman vem trabalhando extensivamente no seu sistema defensivo e não é mais o trouxa pego por Mitch Clarke e Michael Chiesa no passado. J-Lau também não é exatamente um exímio “quedador” e, por isso, confio na capacidade do nova-iorquino manter a luta em pé e abocanhar uma decisãozinha.

THALE_BOET

Felipe Paranhos: Boetsch nas últimas 7 lutas: contra Okami, vinha sendo dominado e achou um nocaute; Lombard, vitória contestável; Philippou, derrota; Muñoz, derrota; Dollaway, vitória garfada; Rockhold, derrota; e contra Tavares, vinha sendo dominado e achou um nocaute. Podia estar 0-7 no UFC. Um dia a sorte acaba. Thales finalizando bonito.

Fernando Cappelli: O brasileiro está em grande fase, com jogo maturado pelas cada vez mais confiáveis habilidades em pé. Boetsch é pedreira, mas depende basicamente de alguma ‘mãozada’ entrar em cheio. Vou de Thales, por finalização.

Lucas Carrano: “Que isso, cara… The Barbariaaaaan, cara… Não fala assim” (peço aos amigos que imaginem o inconfundível comentário do nosso Godfather Renato Rebelo). Tim Boetsch, não dá. O rapaz do Maine até pode acertar um pancadão e desnortear Thales, mas seria uma frustração e tanto para o brasileiro, que surpreendentemente, mesmo a esta altura do campeonato, vem apresentando ligeira evolução técnica e vive um bom momento – possivelmente até melhor do que quando chegou próximo de conquistar o cinturão. Leites vence com sua primeira finalização desde a volta ao UFC.

Lucas Rezende: Meio que um passo para trás na carreira de Leites, acredito que ele despachará o Bárbaro rapidamente, desde que não permita que seus últimos nocautes lhe subam à cabeça. Aposto em Thales pelo caminho mais fácil. Finalização no segundo round.

Renato Rebelo: Nutro uma forte simpatia pelo Bárbaro. Vejo nele a prova de que dedicação e trabalho duro podem levar pessoas sem grandes talentos pra bem longe. Como afinidade não cega meu julgamento, as chances de Boetsch com apenas defesa de quedas “ok” e uma mão direita potente não são grandes. Ainda mais contra Leites, que, aos 33, surfa a maior onda (tecnicamente falando) da carreira. Vejo o começo do fim rolando em pé – com o faixa-preta da NU trocando tranquilo, sem forçar a queda. Quando a carne estiver amaciada, o caminho de menor resistência se apresentará. Finalização.

MEIN_PIT

Felipe Paranhos: Pitbull é muito mais completo, embora as inúmeras lesões e inconsistências me deixem com um pouco de pé atrás. No entanto, creio na experiência e no striking mais técnico de Thiago. TKO.

Fernando Cappelli: Mais um retorno do brasileiro após longo período de recuperação de lesão. Mein tem boas transições, além de disparar combinações rápidas de mãos e pés. Alves é feroz, potente e preciso como poucos em pé. Mas arrisco Mein, na decisão.

Lucas Carrano: Meus amigos, a probabilidade da “chinela cantar” como há muito não se vê nesta luta é altíssima. Apesar do longo tempo de inatividade, e a apresentação não muito empolgante diante de Seth Baczynski, acredito que Pitbull conseguirá evitar os potentes golpes do canadense na curta distância, miná-lo com seus chutes poderosos e, se o gás não lhe falhar na hora agá, levar a melhor na decisão.

Lucas Rezende: A única previsão segura a ser feita aqui é violência desenfreada. Pitbull mostrou ainda ter gana ao amassar Seth Baczynski por 15 minutos enquanto Mein obliterou Mike Pyle. Difícil. Jogando a moedinha para o alto, vou de Thiago Alves por DU.

Renato Rebelo: Duelo equilibradíssimo. Por mais que o gigantesco Pitbull consiga repelir bons grapplers – que não atendam pelo nome de Georges ou Jon-, o jovem canadense leva vantagem no setor. Mein, aliás, é uma representação fidedigna da nova geração do MMA – faz tudo relativamente bem e não apresenta muitos buracos no jogo. Seu problema é mais de cunho estratégico. Vira e mexe o cara faz vista grossa para atalhos com o intuito de se testar em pé. E é exatamente aí que um striker faminto e poderoso do quilate de Pitbull tem a mão levantada. 

Restante do card (início previsto para as 21h30):

Sara McMann vs. Miesha Tate
Derek Brunson vs. Ed Herman
John Lineker vs. Ian McCall
Rafael Sapo vs. Tom Watson
Diego Brandão vs. Jimy Hettes
Ildemar Marajó vs. Rick Monstro
Andy Enz vs. Thiago Marreta

Placar dos colunistas em UFCs (2015):

Alexandre Matos: 4-1
Felipe Paranhos: 8-5
Fernando Cappelli: 9-4
Lucas Carrano: 9-4
Lucas Rezende: 9-4
Renato Rebelo: 9-4

E vocês, amigos, como veem as lutas principais transcorrendo?

Abraços.

  • Marcos Augusto

    Que “Diaz” vcs vão falar da lesão estranha do Chris Weidman manos braws ?

    • Renato Rebelo

      No podcast de segunda, certamente (até pq não sabemos ao certo o que houve). De todo modo, respondo qq pergunta por aqui msm (respondi uma parecida lá no texto “Colunistas Respondem”).

      • Leonardo Peron

        Então Renato, você não acha que o UFC tem de parar de anunciar essas lutas com tanta antecedência? Agora você meio que dá uma “brochada” nos fãs com Ronda Roussey vs Zingano no main event, que podia sim ser um bom Main Event, mas fica aquele gostinho de “foi bom, mas eu queria mesmo era Weidman x Belfort”.

        • Renato Rebelo

          Não tem como, irmão. A tendência é antecipar cada vez mais pra fãs marcarem suas viagens, os ingressos serem vendidos com mais antencedência, lutadores se prepararem melhor, etc, etc. O UFC quer ser sinônimo de liga profissional e liga profissional tem o ano mapeado antes de seu início. Weidman x Belfort caindo é uma brochada independente do que existe ao redor. É uma luta muito aguardada. O que o UFC tem que fazer, na minha opinião, é diminuir o número de eventos para poder rechear mais o cards pagos, para que haja o mínimo de compensação. Esse evento é até uma exceção pq tinha duas lutas por cinto mais Jacaré x Romero, que caiu, e Mir x Pezão, transferido pra tapar o buraco de Porto Alegre. Se fosse um card um pouco menos denso, já teria caído. Por isso acho que contar com a “sorte” e achar que 2015 vai ser um ano mágico, sem lesões é loucura O que existe é planejamento e diminuição de risco. Menos cestas para que os poucos ovos não sejam tão pulverizados.

        • Carlos Montalvão

          Foda que a Zingano também é bichada, só acredito nesse UFC 184 depois que as duas se pesarem oficialmente. Sem contar que tem o “risco do primeiro round” contra a Ronda, passando dele, até fica menos tenso pra Cat e a chance de uma boa luta aumenta, mas, tem tudo pra ser um Main Event de 2 minutos no máximo, aí complica a vida, galera gosta de ver batalhas de 15-25 minutos, isso não existe no 62 feminino com a judoca.

    • will

      A luta do Vitor caiu?! A nem… Esse Weidman é um bixado! PKP!!!

  • Ramon Reis

    “Apesar do longo tempo de inatividade, e a apresentação não muito empolgante diante de Seth Baczynski.”

    Eles ganharam o premio de luta da noite amigo, cê deve te confundido a luta, ou viu muitos erros do Pitbull nessa luta?

  • Natan Machado Fauzi

    Galera corrijam aí, Thales Leites nunca teve o cinturão.

    • Renato Rebelo

      Corrigido, fera. Tinha faltado um “próximo de” hehe

  • Carlos Montalvão

    Silva – TKO no 3º.
    Gastelum – Decisão
    Lauzon – Finalização
    Leites – Finalização
    Pitbull – Decisão
    Tate – Decisão/RNC no 3º
    Lineker – TKO

  • Bruno Goes

    Jordan Mein leva por pontos num lutado lá e cá. Thales vai entrar pra trocar com o The Barbarian e msm assim vai dominar, KO Rd 2. Lauzon será dominado em pé por dois rounds, mas no terceiro consegue um knockdown e finaliza. Woodley e Gastelum começará a 200 por hora e o Velazquinho conhecerá sua primeira derrota na carreira ainda no primeiro round. Anderson e Diaz será passeio só ex-campeão, não vejo muita motivação do Bad Boy para essa luta. Parece mais preocupado em apenas receber o dimdim e ir pra casa.

  • Petrus Radamés

    O duelo do Iineker e do McCal será pelo peso galo como está no começo da reportaegem?

    • Renato Rebelo

      Em caso de vitória do Lineker, provavelmente, a luta contará pontos para o peso galo mesmo hahaha Foi ato falho meu, obrigado pela correção

      • William Terres

        Renatão já dá como certo a subida de peso do querido “Hands of Stone”

        • Renato Rebelo

          Dana confirmou tb! Não luta mais de mosca

  • Matheus

    Porra, vcs tão me deixando com um medo de um cara que eu tava achando inofensivo até semana passada (Nick Diaz) hahaha

    • Hugo F. Camargo

      Pior que eu fico confuso se acredito ou se desconfio de uma ligação do Dana White pro SextoRound pedindo pra ajudar a hypear a luta. rs Boa jogada, Dana! Se o SR falou a gente dá crédito, né…

  • Filipe C.

    Minha torcida (que não é oque acredito que seja) :

    Silva – TKO 4°
    Gastelum – SD
    Lauzon – Sub
    Leites – Sub
    Pitbull – K.O
    McMann – TKO 2°
    Lineker – UD

  • Filipe C.

    Cinturão Interino entre Pastor x Jacaré pra ontem!

  • bedotRJ

    Anderson – TKO R2
    Woodley – DEC (ia apostar no Gastelum, mas vai lutar debilitado)
    J-Lau – SUB R2
    Thales – TKO R2
    Mein – DEC
    McMann – DEC
    Short Fuse – TKO R1
    McCall – DEC
    Kong Watson – DEC
    Brandão – SUB R1
    Marajó – TKO R1
    Enz – DEC

  • Laerte Venâncio

    Renatão, qual seu palpite para a luta do R. Monstro x Marajó?

    • Renato Rebelo

      Se o Monstro não morrer no gás – e não der mole pros triângulos marajoaras-, acho que ele queda e domina por cima (DU).

      • William Terres

        Rick Monstro tava no shape, mas acho que morrerá no gás.

  • André

    Alexandre Matos saiu do sexto round?

  • will

    O estilo de luta do Anderson depende de velocidade na esquiva, agilidade e queixo duro se um golpe entrar. Eu até acredito no preparo físico dele, mas o queixo já era! Foi nocauteado pelo sparring no treino. Vai perder por TKO no 3º round.

  • Jônatas Freitas

    Anderson Silva vs Nick Diaz – Spider por nocaute técnico no 2° round.

    Tyron Woodley vs Kelvin Gastelum – Woodley via KO brutal semelhante ao que ele deu no Koscheck, diga-se de “passagi”.

    Joe Lauzon vs Al Iaquinta – Lauzon por finalização

    Thales Leites vs Tim Boetsch – Thales por nocaute técnico no 3° round

    Jordan Mein vs Pitbull – Thiago Alves por decisão unânime

  • Hugo F. Camargo

    Do meio-campo, chutando de trivela para encobrir o goleirão, lá vai meu chute:

    Anderson Silva – TKO(R3)
    (Nick leva o primeiro round, com o Aranha engolindo jab. Pouca ação, e só não dão 10×10 por que os juízes, na dúvida, vão pelo controle do centro do octógno. No segundo round, Anderson solta o jogo e vence o round com pouca vantagem. Muito clinche na grade com um pouco de ação. No intervalo o Dórea aparece e dá sua dica dourada: “jab, direto. jab, direto! entendeu? ele tá cansado!” No terceiro round Anderson aproveita-se da afobação do Nick Diaz em mandar sequência de cem socos em linha reta, pendula um cruzadão respondendo com direto e Nick cai. Por cima, dá mais uns socos como deu no sparring semanas atrás e o árbitro interrompe mesmo assim.)

    Tyron Woodley – TKO (R2)
    (Gastelum começa frenético, encurta e derruba. Um pouco de ground n pound, Woodley sobrevive mas perde o primeiro round. No segundo, finalmente o que até demorou demais para acontecer: Gastelum cai após uma sequência de socos de Woodley. Primeira derrota e fim temporário do hype.)

    Thales Leites – SUB (R1)
    (Thales troca sem medo com o bárbaro, mas sente a mão pesada e recua. Quando parece que vai esfriar o combate, leva o Boestch ao chão e o finaliza com um mata-leão ainda no primeiro round e comemora com um corte na cara.)

    Thiago Alves – DU
    (Decisão unânime com cara de decisão dividada. Luta amarrada mas o Mein perde por conseguir ter feito menos ainda.)

    Derek Brunson – DD
    (Porrada liberada, um knockdown pra cada lado e um terceiro round que deixa dúvidas sobre quem venceu. Decisão dividida e diversão garantida.)

    John Lineker – TKO (R2)
    (Dessa vez o “Uncle Creepy” aparou o bigode demais para a luta, e com o bigode fino, dorme no octógono após um castigo do Lineker.)

    Tom Watson – KO (R2)
    (Não deu pro Rafael. Watson domina o combate e o nocauteia depois de dominar o combate.)

    Jim Hettes – TKO (R3)
    (O rapaz da escola Shogás de cardio vai começar bem, dando a impressão que vai nocautear. Hettes sobrevive, e ao longo da peleja cresce no combate. Com respiração de asmático em sauna depois de fumar dois maços de Derby, Brandão entra no terceiro round sem oferecer mais nada, a não ser sua cara para mais um nocaute.)

    Ildemar Alcântara – DU
    (Luta chata pra caramba, como sempre. Ao menos ele entrega o que promete: amarra em pé, amarra no chão. E amarra tão bem que vence por decisão unânime. Esse é o momento de fritar um torresmo e pegar uma cerveja na geladeira. Vá sem medo. Quando voltar, provavelmente vai parecer que a TV tá funcionado com loops de 30 segundos, por longos 15 minutos.)

    Andy Enz – SUB (R3)
    (Thiago Santos é forte e vai buscando o nocaute desde o primeiro round, mas o Andy é casca grossa e não desiste mesmo após um knockdown. No segundo round, mais pancadaria pra cima do americano. Luta caminhando para uma vitória tranquila do Thiagão quando ele é pego por uma guilhotina e se vê obrigado a dar os três tapinhas para não tirar uma soneca no octógono.)

    PS: Não me venham com mangas depois do evento, ok? Apenas meus palpites com um pouco de humor mcgregoriano.

    • Carlos Montalvão

      Deus livre o Anderson desse câncer no córner que é o Dórea, com todo o respeito à ele como treinador de boxe, claro.

      • William Terres

        Pior que o Dórea é sempre assim. No intervalo do primeiro round é sempre “vai lá campeão, jab, direto, upper”, aí depois do terceiro round que a “estratégia” não deu certo ele vem com o famoso “agora é coração, vamo campeão”

  • anderson s.

    Youl romero pro vitor.

  • Deivis Chiodini

    Spider – TKO 3° round
    Gastelum – decisão
    Lauzon – finalização no 3° round
    Thales – finalização 2° round
    Pitbull – decisão.

  • Jonas Angelo

    Renatão, confesso que vim seco para ver a análise de McCall X Lineker, e não tinha. haha. Confesso que não sei o que esperar dessa luta, pode me ajudar?

    • Renato Rebelo

      Fazemos sempre os cards principais, né? Então deixando de lado outra pataquada em relação ao peso (Dana já disse que ele será forçado a subir de categoria), a luta contra o Alptekin Ozkilic mostrou o quanto a defesa de quedas do Lineker evoluiu. Esse era um fator preocupante contra o McCall, que é um wrestler bem decente. Supondo que ele não passará o perrengue que passou contra Bagautinov, o duelo vira basicamente velocidade x potência. Lineker tem o maior punch da categoria – a contrapartida é que ele é mais estático e lento que a maioria dos moscas. O McCall é o oposto. Só marcou um KO na carreira, mas equilibrou a luta contra o velocista Demetrious Johnson. É basicamente um tentando pegar e o outro, via bate-sai, pontuando e tentando não ser pego.

      • Jonas Angelo

        Muito bom, thanks!

  • Pedro Henrique

    O palpite do renato foi pro spider ou pro diaz?

    • Renato Rebelo

      Pro Spider!

  • André

    A única certeza q eu tenho é que na hora do córner vou ouvir daquele tradutor do Combate “ele ta cansado, você pode fazer isso o dia todo” rsrs

    • Natan Machado Fauzi

      CARALHOOOOOOOOO KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

    • Gabriel Fareli

      É verdade !! HAHAHAHAHAHA

  • André

    Olha o vacuo que o Joe Rogan deu no Rogério Camões, essa doeu até em mim ..rs https://www.youtube.com/watch?v=qfuIwt98YE8 ( 28:45 – 28:50 )

    • Marcos Augusto

      jhahahahaha eu vi, dois joinhas e nada

  • Rodrigo Tannuri

    Voltei, ajayô!
    Anderson x Diaz – Andy por TKO R2 (por mim, poderia cair uma bomba no octógono)
    Woodley x Gastelum – Woodley por UD
    Iaquinta x Lauzon – Iaquinta UD (até hoje não engulo aquela derrota do Al pro Clarke)
    Thales x Boetsch – Thales por SUB R2 (poxa, só eu gosto do Boetsch?)
    Mein x Pitbull – Mein (pra mim, essa sim será uma luta louca!)

    • Hugo F. Camargo

      Também curto o Boestch!

  • Davi Sean Ribeiro

    1. Se a luta não for pro chão, Anderson KO 2 round
    2.woodley tko 1round
    3.lauzon finalização fácil primeiro round
    4. Alves decisão
    5. Leites por finalização

  • Gabriel Fareli

    Meus Palpites :

    Anderson por K.O
    Woodley por Decisão
    Lauzon por finalização
    Thales por Decisão
    Pitbull por K.O

  • Andre Fausto

    Pitbull, Thales, Lauzon, Woodley (noutro site eu havia apostado no Gastelum, mas os problemas médicos me fizeram mudar) e Spider.

  • Raphael Pinheiro

    Talvez nao seja o melhor lugar, mas vou perguntar. O que vcs acham que deveria acontecer com essa possível disputa de cinturão interino dos médios? Belfort alegadamente recusou disputar com o Lyoto pelo pouco tempo de preparação específica – já considero bola fora ele avacalhar o Weidman de medroso e não encarar essa, mas… seria justo já cravar essa luta sem um segundo contender claro? Caso o Anderson vencesse o Diaz hoje, um rematch com o Belfort faria sentido nessas condições? Tendo obliterado o Rockhold, não sei se teria cabimento esperar pelo vencedor da luta dele contra o Machida.. enfim, dúvidas!

  • Spider TKO 4R
    Woodley KO 1R
    Lauzon triângulo 2R
    Tales DU
    Jordan Mein SD

    Dvd – 10-3

Tags: ,