16-12? BJ Penn deveria ter
mais apreço pelo seu legado

João Vitor Xavier | 21/06/2017 às 13:24

Para o fã atual de MMA, idolatrar um lutador com 16 vitórias e 11 derrotas parece loucura. Um peso leve que se mata para bater o limite dos penas, não vence desde novembro de 2010 e vem de quatro derrotas seguidas, onde não só perdeu mas foi humilhado, não merece nenhum tipo de reverência.

Necessário?

Mas se o nome dele é BJ Penn, que enfrenta Dennis Siver no UFC Oklahoma do próximo domingo, então esqueça tudo acima.

Não é difícil explicar a idolatria que ronda o havaiano. Afinal, trata-se de um peso leve que se aventurou até no peso pesado (enfrentou um Lyoto Machida de 100 kg. e levou a luta para a decisão), mostrando um verdadeiro espírito guerreiro.

Foi campeão dos meio-médios e dos leves no UFC, primeiro não-brasileiro campeão mundial de jiu-jitsu na faixa preta, enfim, a lista de conquistas de BJ é muito extensa.

Se olhamos apenas para o seu cartel, esquecemos de como, além de tudo, ele foi o verdadeiro precursor das divisões de peso mais leves. Sozinho, BJ Penn tornou a categoria dos leves, hoje em dia reconhecida como a melhor do UFC, “marquetável”.

Por muito tempo, o Ultimate só abrigava de meio-médio para cima. BJ convenceu Dana White e companhia a voltar com a divisão até 70 kg. e o resto é história.

Surras podem marcar BJ perante público jovem

Eu sou fã declarado de BJ Penn, por tudo que foi falado ali em cima. Suas entradas ao som de Israel Kamakawiwo’ole, suas habilidades dentro do octógono e até o nojento hábito de lamber sangue do adversário da própria luva fazem parte do mito que é o havaiano.

Mas talvez o que mais ajude a explicar a aura que ronda o ex-campeão é a sua aparência. BJ Penn não é musculoso e trincado como a maioria dos lutadores.

Seu shape “normal” faz com que os fãs se conectem com ele também. Um average joe que acaba com a raça de caras maiores e mais musculosos.

Porém, esse não tem sido o caso nos últimos anos. Desde sua última vitória, contra Matt Hughes no UFC 123, BJ praticamente só teve performances lamentáveis – só o empate contra o mais pesado Jon Fitch se salva.

Não foi competitivo simplesmente com ninguém da lista a seguir: Nick Diaz, Rory MacDonald, Frankie Edgar e Yair Rodríguez. Todos tops, sem dúvida, mas o passeio que Penn tomou de cada um deles foi tão feio que mancha o seu legado.

Passado cada vez mais distante

Por isso, é lamentável que ele continue se colocando nessa posição.

Por outro lado, quem sou eu para dizer quando alguém deve se aposentar?

Lutar é tudo que BJ sabe fazer na vida e compreendo como é complicado dar o próximo passo e deixar para trás a adrenalina e a glória que o MMA no alto nível traz.

Mas sou da opinião de que lendas como Penn têm um compromisso com o próprio legado. Já que não quer se aposentar, então o havaiano deveria esquecer qualquer papo de cinturão e fazer lutas como a contra Siver.

O alemão está em nível parecido com o de BJ em relação à parte física. Os dois estão em declínio técnico também, o que faz uma luta perfeita para o havaiano vencer novamente. E, espero, se aposentar.

Mas quem sou eu para dizer isso?

  • Diogo Barbosa

    Takanorigomização do Bj Penn ou Bj Penização (sem trocadilhos) do Takanori Gomi

    • Cerrone

      Nick Diaz fumou a alma dos 2 !

      • João Vitor Xavier

        Isso me lembra esse filme aqui >>> http://www.imdb.com/title/tt0278488/

        Method Man e Redman fumam um baseado com as cinzas de um pica de Harvard e passam pra faculdade kkkkk

  • Lucas Santana

    Cara eu ainda acho que ele deveria voltar como peso-leve, como peso-pena não dá pra ele os caras são bem mais rápidos que ele e no peso-leve tem mais opções de luta e um confronto para matar ou morrer entre velhos poderia ser BJ Penn vs Takanori Gomi kkkk

    • João Vitor Xavier

      Penn x Gomi há 11 ou 12 anos seria o maior confronto da história do peso leve, uma espécie de Fedor x Cro Cop dos 70 kg.

  • bedotRJ

    Escolher mal os adversários é coisa que o BJ já fazia no auge. A categoria dos penas do UFC foi criada poucos meses após sua segunda derrota para o Edgar. Ali, se tivesse ficado nos leves ou migrado para os penas ao invés de ter subido para os meio-médios para encarar adversários muito maiores e mais jovens, estaria com um cartel menos manchado. Mais ‘mismatches’ na descida para os penas ao entrar nas roubadas de uma terceira luta com o Edgar e de aceitar o Yair Rodrigues como substituto de seu adversário original, Cole Miller (este plenamente vencível). Essa luta com o Siver é a única que o BJ escolheu corretamente nos últimos 7 anos. Se vencer, que não entre em delírios de grandeza e não invente de ficar pedindo tops. Faça como o Randy Couture, que deu uma melhoradinha em seu cartel igualmente sujo enfrentando Vera, Toney e Coleman antes de se despedir com uma derradeira tentativa entre os tops contra o Lyoto.

    • Cerrone

      Randy Couture deve ter feito uns 15 TS no UFC, se tem um cara que o UFC queria ver campeão de qualquer maneira esse cara foi Randy Couture

    • João Vitor Xavier

      hahahahaha tava tão bem até sugerir uma revanche com Lyoto, rs

      Concordo contigo. Mas acho que ele caga pro legado dele. Na resenha pré-texto que eu sempre faço com o Renato, ele chegou a mencionar isso, mas não encaixei no texto. Ele só quer saber de lutar e se testar. E isso também é um dos motivos pra sua idolatria.

  • mario

    Gosto do BJ mas as ultimas lutas dele me deram um frio da barriga ruim, como eu nunca senti assistindo lutas de mma de alto nível.. deu uma pena e um desespero ver o que o McDonald fez com ele por exemplo, ele se curvando de dor a cada golpe.. essa última luta dele com o Yair então, meu deus do céu.. eu já tava sentindo aqueles chutes por ele.. e aquela mania dele de defender chute com a mão na orelha? Quase nao absorvia o impacto.. como disseram aí, quer lutar, procura adversários no seu nível.. não aguento mais vê-lo surrado e sem reação!

    • João Vitor Xavier

      Verdade. Parecia um homem contra um menino. Só que o menino era mais velho e experiente que o homem.

      A verdade é que o MMA evolui a passos largos e a todo momento, e em coisas muito específicas e intrínsecas, que não vemos a olho nu. Uma diferença pequena na preparação física, por exemplo, faz com que o cara tenha mais gás que o outro.

      BJ não tem corpo nem mente mais pra acompanhar as constantes e grandes mudanças do preparo para uma luta de MMA. As lutas contra Rodríguez e MacDonald foram grandes exemplos disso. Ele enfrentou dois caras que treinam todas as disciplinas desde o começo de suas carreiras e a diferença foi brutal.

  • Marco antônio

    Melhor peso leve que já lutou mma até hoje, e top 10 P4P da história. Pena que não soube a hora de parar, na verdade até soube, o que não soube foi ficar parado.

    • João Vitor Xavier

      Melhor peso leve, certamente, concordo muito. Top 10 p4p também…

Tags: