Podcast: UFC on Fox 14 / UFC 183 / Silva x Diaz

Renato Rebelo | 27/01/2015 às 16:55

Está no ar a quinquagésima edição do nosso podcast!

Nesta semana, tive as companhias de Lucas Rezende (colunista do Sexto Round) e Guilherme Cruz (repórter do MMA Fighting). 

Em pauta:

– UFC on Fox 14
– UFC 183
– Perguntas dos ouvintes

Espero que gostem!

*Para baixar o programa, basta clicar na setinha apontada para baixo na parte superior do “player” à direita.

**Para receber o “feed” do podcast, clique aqui.

*** Para escutá-lo no Itunesclique aqui.

  • Thiago de Carvalho

    Estava só no f5 da página para ver se aparecia!

  • Filipe C.

    Massa! de noite boto pra rolar o audio!

  • Glauco Lopes

    massa to dando aula, baixando no intervalo para ouvir voltando pra casa!!

  • Bruno Conde

    Cada vez que o Anthony Johnson passa o caminhão em alguém da categoria de cima me faz lembrar como o Belfort é sinistro.

    • Malk Suruhito

      E o Koscheck, Burns e Clementi também?

      • Bruno Conde

        O Vítor de 84kg pegou o AJ já de 92kg. Esses que você citou pegaram a versão 77kg do negão. Vitor é um animal.

        • Vitor MacGruber

          E o Jones mais ainda por ter vencido o Belfort na 93 kg.

          Jones > Belfort > AJ

          • Bruno Conde

            Sua ordem pode estar correta, pode não estar, mas o intuito do meu comentário não foi esse. Só quis chamar a atenção para o fato de que o Vitor pegou essa versão monstra do AJ e acabou com ele em 1R. Faz pensar o estrago que o Vitor também faria na de cima. Se a maior valência dos dois é a explosão inicial, e estamos tão impressionados com essa característica do AJ versão 205lb, ponto pro VB nessa.

            Como foi comentado no próprio podcast: se essas passadas de carro do AJ podem aliviar pro lado do Minotouro, podemos também valorizar o Vitão.

            Vamos adicionar o fator TRT pra embolar mais a discussão, hehe.

          • Hugo F. Camargo

            Sobre o TRT: infelizmente não acredito que veremos o Vitor “animal” como tava nas últimas lutas.

        • Malk Suruhito

          84~88 no dia da pesagem, não no dia da luta. A matéria é justamente para mostrar o quanto o mesmo se perdia e se sacrificava em lutar em um peso que não correspondia ao seu tipo físico, ou seja, em desvantagem e não o inverso.

          • Bruno Conde

            É verdade Malk, o Paranhos fez uma matéria sobre isso depois. Sobre essa luta, o AJ não bateu o peso nem de perto, parou de cortar peso porque não conseguiria nem a pau. O Vitor, por outro lado, seguiu com o corte de peso, e tem um Vlog do Dana White da fight week do evento seguinte que mostrava ele debilitado, rouco, chupando gelo pra bater o peso, quer dizer, naquela luta o Vitor passou um perrengue pra bater 186 e o AJ ficou no 197, além de ter recuperado muito do peso depois. Quem tava na arena viu a diferença de um pro outro, parecia mesmo um confronto de categorias diferentes. To falando isso porque não dá pra dizer que ele tava lutando fora do peso dele nessa luta, ele lutou de meio pesado, tanto no dia da pesagem quanto (e mais ainda) no dia da luta.

    • Hugo F. Camargo

      Vale lembrar que teve um erro de arbitragem caseira que considero crucial pra vitória do Belfort… Ele estava no chão, por cima do Vitor, e não tava amarrando… Conectou bons golpes e tava tentando evoluir a posição. A luta poderia ter acabado ali se o juiz não tivesse mandado levantar. Sem tirar os méritos da vitória do Belfort, mas enfim…

  • Gefferson Nesta

    Vice presidente de assuntos relacionados a atletas canhotos, depois dessa não comento mais nada hoje… Tô sem condições de Continuar… Kkkkkkkkkkkkk Essa foi a melhor de todas em todos os padcast que ouvi… Renatão você é foda!!!!

    • Renato Rebelo

      Haha hj estava no meu dia piadista. Valeu, irmão!

  • Gabriel Carvalho II

    Só corrigindo o Renato, o caso da urina “não-humana” do Thiago Silva foi contra o Vera, contra o Nedkov foi a erva.

  • Edgar Santista

    Muito bom equipe sexto round, parabens

  • Michelle Souza

    Show de bola o podcast!
    Renato, o assunto Jon Jones vai render ainda por muito tempo.

  • Maykon Douglas

    A setinha apontada para baixo na parte superior do “player” à direita não está aparecendo…

    • Renato Rebelo

      Tava mais cedo, tanto que 120 pessoas já baixaram. Deixe-me averiguar…

    • William Terres

      pois é, pra mim tbm não aparece, só tem uma opção, “compartilhar track”

      • Renato Rebelo

        Pronto, pessoal, tudo nos conformes!

  • Danilo Lopes

    Mais um bom podcast. Ótima participação do Guilherme. Parabéns.

  • Danilo Lopes

    Browne vs Cigano acho improvável, perguntaram pro Browne sofre essa luta numa coletiva e ele deu uma amarelada bizarra dizendo que preferiria esperar pra já lutar pelo cinturão.

    • Hugo F. Camargo

      Fico puto com esse papo de “esperar pelo cinturão”. O cara perdeu pro Werdum, o que logicamente o colocou um degrau abaixo do title shot, e ainda fica nessa de escolher adversário para o credenciar pra disputa da cinta. Vai pro inferno, Browne. Espera pelo cinturão, vai nessa. Tomara que o coloquem contra alguém abaixo do ranking, naquelas lutas dadas para ele vencer, e ele perca mesmo assim.

  • Bart Simpsons

    Renato Rebelo, ouvi o podcast e pow, ficou show de bola.
    Bom, em uma parte, vocês estavam falando sobre será que o Ryan Bader se reinventou e se futuramente poderia ser um grande desafio para Jon Jones. Recentemente, eu tava conversando com um amigo e, estávamos falando que Bader é um cara que poderia se apresentar muito melhor, que ele é um cara que tem um bom talento, mas ele parece ser mal assessorado, parece que ele não tem um cara que o conduza bem. Então, seria Bader uma “Kia Sportage” sendo pilotada por um “piloto de Celta”?
    PS: Desculpem pela comparação com os carros… kkkkkkkkkkkkkkkk

  • Bart Simpsons

    Impressão minha ou tinha um passarinho participando do podcast? heuheuehuehe

    • Guilherme Cruz

      Eu tenho umas 15 calopsitas aqui em casa, deve ser isso. Sempre que eu participo de podcasts, as pessoas ouvem a cantoria hahaha

  • Kaio Teixeira Lima

    Meu caro Renato, ouvi você lendo a minha pergunta no podcast.
    Bom, em primeiro lugar, caso você não lembre, a minha pergunta foi “Seria Ryan Bader, uma “ferrari” pilotada por um “piloto de celta”?
    Bom, percebi que quando você leu, parece que ficaram algumas dúvidas e tal, então cheguei aqui só para esclarecer algo que talvez não tenha ficado tão claro.
    1 – Quando eu falo que o Bader seria uma FERRARI pilotada por um piloto de Celta, o bader seria a ferrari e o piloto de celta seria o cara responsável por comandar os camps dele. Tipo assim, outro dia mesmo estava conversando com um amigo falando que, o Bader é um cara que tem um talento no wrestling, tem mãos pesadas, mas ele parece não ser tão bem assessorado assim no tipo estratégia de luta. No PODCAST, não me recordo quem comentou lá na hora, mas alguém falou que lá para o final da luta, o Bader até poderia ter nocauteado se fosse um pouco mais pra cima, mas que ultimamente ele não tava sendo aquele nocauteador. Então, o cara tem mãos pesadas, quando derruba por exemplo, poderia ser mais agressivo, aproveitar que ele tem muita potência nas mãos e tentar pelo menos vencer por TKO, mas não, ele fica amarrando lá no chão, e amarra e amarra e amarra e assim ele vai levando.
    Então, basicamente na pergunta, eu queria saber se o Bader tá trabalhando dentro de suas limitações, o jogo é esse mesmo ou se poderiam desenvolver um pouco mais o jogo dele, se ele tem um póuco mais de qualidade que dá para trabalhar pra já.
    Bom, de qualquer forma, vocês me responderam lá no PODCAST, queria agradecer, deixo meu OBRIGADO. É a primeira pergunta que eu faço e vocês já leram, foi a primeira a ser lida, então OBRIGADO mais uma vez.

    PS: Quanto a comparação de Bader e seu treinador com os carros, não levem muito pelo lado dos carros … hahahahaha, tudo bem confessor que exagerei um pouco. Seria melhor se fosse “Seria Bader, um golf sendo pilotado por um piloto de sonic?”…hehehehe…. acho que melhorou. Abraços renatão.

    • Renato Rebelo

      Hahah foi ótima a pergunta, fera!

  • Malk Suruhito

    – Ia sugerir que vocês fizessem uma matéria abordando a questão do rendimento de alguns atletas se estivessem na categoria “correta”. Mas a criança já nasceu… (mas acho que cabe ainda mais discussão no campo “eu acho”)

    – Avise ao Guilherme que após ele dizer que o Cigano venceria o Ultimo Imperador Padeiro num eventual retorno, 459 leitores deixarem de seguir o Feed e um grupo paramilitar autointitulado “Fedor Blocks” está rastreando o seu roteiro de viagens e vai estar ao aguardo dele em algum aeroporto da vida. Se eu não fosse frouxo, diria que concordo com ele…

    – Esta vai para logo mais na pergunte aos leitores (que eu sempre perco o timing de postar) se possível, ou até uma matéria mais abrangente:
    Tito, Hughes, GSP, Liddell e Couture por muito tempo seguraram as pontas (e as contas) do UFC, sendo que ao passo que Jon Jones caminha para ser o melhor lutador de MMA da História, continua não sendo o mais vendável (com exceção no último PPV onde a possibilidade de sua derrota vendeu 750mil), tendo isso em vista, cabe (é interessante ao mesmo) ao UFC dar a ele o mesmo tratamento de prestígio, passar tanto a mão na cabeça como volta e meia ocorre? Jon Jones pode ser tornar o maior da história, mas ele o seria se não estivesse no UFC? Em suma, quem depende mais de quem, UFC de JJ, ou JJ do UFC?

  • Hugo F. Camargo

    Sou fã do sextoround e curto muito o podcast! Tava sem comentar aqui, mas sempre seguindo diariamente a página! Melhor portal de mma do Brasil e no mesmo nível dos melhores do mundo. Keep o trabalho duro, galera. É nóis!

    • Renato Rebelo

      Porra, irmão. Mt obrigado msm

  • Nkr

    Não entendi. O Wanderley Silva não pode reverter o processo contra a Comissão Atlética por que ele teria que ter uma vida exemplar. Mas NUNCA foi pego num exame, NUNCA teve um doping comprovado. Correu de um exame num período fora de competição igual ao exame do JJ e Belfort, e mesmo assim foi BANIDO do esporte. Já no caso do JJ, foi pego com cocaína e dizem os “especialistas” no assunto, que foi errado fazer o exame no JJ. E o Belfot vai disputar o cinturão! Por favor alguém explica.

    • Renato Rebelo

      Feroz, vamos lá. A maior autoridade do mundo em antidoping e assuntos relacionados a doping é a WADA. Eles tem seus próprios químicos, laboratórios e milhares de pesquisas protocoladas e provas científicas sobre a atuação das mais variadas substâncias no corpo humano. As comissões atléticas dos EUA, que são geridas pelo governo americano, seguem o livro de regras da WADA. Nesse livro de regras – que, repito, é baseado em comprovação científica e não achismo-, a cocaína não é proibida em períodos fora de competição. Pq? Pq ela não é uma substância que melhora a performance do atleta (PED em inglês). Pelo contrário, o princípio ativo da cocaína é uma das substância mais degradantes possíveis ao ser humano. É moralmente correto um campeão ser pego com cocaína? Claro que não. Mas não é da competência nem da WADA nem das comissões atléticas serem patrulheiros da moral e dos bons costumes. Punir o Jones estava fora da jurisdição deles e apenas o UFC poderia fazer algo de acordo com seu código de conduta. Multou o cara em 25 mil dolares. É o suficiente? Eu acho que não, mas isso é outro assunto. O Belfort foi pego fora de competição com testosterona sintética em nível acima do permitido. Testosterona sintética é uma uma substância banida fora de competição exatamente pq melhor a performance do atleta. Acontece que à epoca, a terapia de reposição de testosterona era legal nas normas da comissão atlética (e não nas da WADA). Por essa confusão, o TRT foi banido (pela suspeita que estavam abusando da terapia), a luta do Vitor em julho com o Weidman caiu (Lyoto entrou) e ele ficou de molho mais de nove meses – período normal de gancho. Quando o julgaram, consideraram que ele já tinha sido impedido de lutar pelo tempo necessário e que a regra não era clara sobre os níveis que eram permitidos ou não fora de competicão (e realmente não era). Isso gerou, repito, o banimento da manobra por completo. Hj o Vitor é o atleta mais testado do MMA e, agora que seguem o protocolo da WADA, se ele for pego com o mínimo de resquício de testosterona sintética no corpo, fora ou dentro de competição, ele será banido – por ser reincidente. Com td isso dito, pelo fato dele já ter sido pego em exame antidoping antes e, por mais que a regra fosse falha, acho que pegaram leve demais com ele. Já o Wanderlei foi o primeiro atleta da história do MMA a ter se recusado a fazer um exame antidoping. Ele msm ainda provou que mentiu (primeiro disse que não fez pq nao entendia ingles, dps disse que tava tomando diurético), ainda confessou estar dopado (diurético é proibido dentro ou fora de competição) e, pra terminar, podia estar com qq coisa em seu sistema. A comissão não pode simplesmente acreditar na palavra do cara – q, repito, mentiu no próprio caso. Além do mais, se liberam ele, olha o precedente que seria aberto. A partir daí, qq lutador dopado se nega a fazer o exame e pronto, tá livre. Fizeram dele um exemplo. Na minha opinião, assim como pegaram leve com o Vitor, pegaram pesado com o Wand. Podiam ter dado os msm dois anos de suspensão de Sonnen. De todo modo, isso é questão de interpretação e tem mt gente imparcial – e até fã do Wand- no meio que defende esse banimento. É basicamente isso

  • Junior

    Tumenov Me deixou boas Impressões.

Tags: , ,