Receita do Cappelli: Rumble e o poder do ‘supetão’

Fernando Cappelli | 26/01/2015 às 19:55

Por mais que o favoritismo pendesse contra, o poder de punch de Anthony Johnson era a pulga atrás da orelha de muita gente no combate contra Alexander Gustafsson, no UFC Estocolmo.

E quem achou que seria mais propenso o grandalhão sueco embrulhar tecnicamente o norte-americano (como era minha aposta) se deu mal, muito mal.

Readaptado ao Ultimate como meio-pesado, Johnson tem lapidado habilidades com o treinador Henri Hooft, mestre no estilo holandês de kickboxing, um conceito dentro do conceito baseado em fintas e rápidas combinações de mãos e pés.

Claro que todo treino faz efeito de alguma forma, mas o nocaute na Suécia foi calcado nos mais primais instinto de luta. Puro cheiro de carniça.

De repente

Anthony Johnson Knocks Down Alexander Gustafsson UFC on Fox 14 StockholmSempre que existe um encontro clássico técnica x força, os representantes do primeiro quesito têm de redobrar cuidados com um dos aspectos mais traiçoeiros nos esportes de luta: o tal do ímpeto.

Entrar em marcha lenta ou com intenção de ‘se aquecer’ mais durante os primeiros instantes é uma faca de dois gumes quando se tem pela frente um atleta de carga bruta como Jonhson.

Pense rápido em alguns lutadores que estão na ativa que se destacam pela movimentação apurada. Lyoto Machida, Conor McGregor e o próprio Alexander Gustafsson.

Todos são experts em deslocar-se lateralmente, seja para escapar de enrascadas ou desenhar ângulos de ataques e contra-ataques. Para que tudo isso funcione, porém, é preciso usar boas doses de paciência dentro do turbilhão psicológico que envolve uma luta.

Na prática, Gustafsson começou o combate dentro do script esperado: angulando e disparando jabs. Mas curiosamente o sueco – conhecido por ser um atleta metódico – estava afoito demais, e acabou rapidamente destruído por técnicas rudimentares de Johnson.

Muitos fatores podem ter colaborado para isso. Talvez a responsabilidade excessiva em ser a estrela principal de um megaevento, ou mesmo a imposição da popularidade o desconcentrou.

Gustafsson estava passional demais. Tanto que caiu no choro ainda no octógono.

Lampejos

NearPlasticAiredaleO cacoete técnico mais frequente do norte-americano são os chutes altos com a perna esquerda, a da frente (da posição de luta).

Ele os usa como a maneira mais direta para fazer o oponente movimentar a guarda (para se defender).

Em seguida, dispara uma avalanche de socos. Certamente é a herança mais explícita da época em que praticava o sanda (boxe chinês).

Contra um adversário que obviamente buscaria circular o tempo todo, o norte-americano teve grande tato para aproveitar os momentos que definiram a fatura.

Após receber um chute frontal alto, Johnson se projetou à frente com um overhand e ainda atingiu o sueco com uma cabeçada (não intencional). Logo em seguida, veio um monólogo de pancadas:

1 – Jonhson avança e solta um chute de esquerda alto, interrompendo a ida de Gustafsson para a direita.
2 – O golpe explode na guarda. O sueco então muda a direção e vai para a esquerda, onde começa a ser atingido por socos.
3 – O norte-americano segue o castigo brutal, usando a mão esquerda para controlar os pêndulos desesperados do adversário e guiar os golpes de direita, em um festival de overhands e uppercuts consecutivos.

Conclusão

Para desgosto de muitos, há momentos em que a força também vence a técnica.

Se pensarmos sobre fundamentos clássicos da arte do striking, a maçaroca de golpes que Anthony Johnson desferiu para alcançar a vitória foi feia e repleta de erros crassos.

Mas como falamos de MMA e todo rol de adaptações necessárias em todos os aspectos do combate, qualquer visão mais purista pode parecer indevida. Vale o resultado, claro.

Gustafsson é um lutador inteligente e provavelmente se recuperará da derrota.

Johnson agora encara um Jon Jones pós-polêmica, mas que dentro do octógono tem exigido dos adversários bem mais que ímpeto e vontade.

Como vocês vislumbrariam o desfecho desta empreitada?

  • André

    “Se sua única chance é entrar uma mão, nem sai de casa.”.. Hum, tabom.

  • Felipe

    Vocês não acham que a blackzillians pode ter alguma
    influência nessa mudança de postura do rumble? Muitas vezes ele não tem
    lembrado o velho Vitor Belfort, com sua explosão instintiva no primeiro round?

    • Renato Rebelo

      Com certeza. Ele mesmo disse que, dps da derrota pro Vitor, se perdeu mentalmente e passou a duvidar da própria capacidade. Segundo ele, o mérito desse resgate foi do Glen Robinson (empresário da equipe) e do Henri Rooft, que ele vê quase como um pai. Quando à comparação, o velho Vitor era desumanamente explosivo e certeiro, enquanto o Johnson me parece um pouco mais estático e poderoso – intimida pode parecer uma montanha avançando

      • Jonas Angelo

        “intimida por parecer uma montanha avançando”. Definiu perfeitamente!

        • will

          Ele tem cara é de Jagunço matador!

      • Fernando Cappelli

        Rumble ataca com os pés quase paralelos e parece que tem concreto na cintura. Quase sem pêdulos e sem fintas… hehehe

        • will

          Será que não é essa postura plantada que dá tanta força aos seus golpes? Isso projeta força no golpe. Ficar dançando no octógono tira potência e cansa.

    • Filipe C,

      vdd

    • Fernando Cappelli

      Com certeza, Felipe. E pode crer que, tecnicamente, o pessoal da Blackzilians se esforça para que o Johnson dose mais essa potência crua que carrega nos golpes. Claro que nem sempre é fácil mudar o instinto de um lutador, e tem de ser feito com bom senso, porque isso também pode descaracterizá-lo sem for mal feito. Mas ele segue vencendo, o que por ora é o mais importante.
      abs!

  • will

    Força bruta sempre foi, e sempre será, a PRINCIPAL arma do MMA. Exemplos não faltam: Shogun, Wand, Cigano, Hunt, Nelson, Weidman, etc. É um erro achar que técnica apurada vai evitar que o seu cérebro entre em colapso após um soco potente. Não é possível esquivar de todos os golpes. Um golpe é o suficiente! E digo mais: Johnson vai chocar o mundo!

    • Nathan Oliveira

      Hunt e CIgano não são trocadores de simples força bruta.

      • will

        Verdade, mas a força bruta é a principal arma deles. Essa combinação entre técnica e força é mortal! Esqueci do Velasquez que também bate forte.

    • Guilherme

      Weidman amigo? Não vejo ele como um lutador de força bruta não, até por que ele venceu Lyoto em sua principal área, que é a trocação e não mostrou força bruta nisso, mostrou bastante técnica e paciência..

      • will

        Ele é um lutador de muita força isométrica. Bota qualquer um pro chão a hora que quiser. Fez isso contra o Lyoto. Além de ter o queixo duro. Parece um pouco com o Khabib. Que não bate forte, mas parece um trator quando agarra o adversário.

        • Renato Rebelo

          Will, e pra ser bom wrestler / grappler (parte isonométrica) precisa-se apenas de força bruta? Ou melhor, força bruta é o primeiro quesito para fabricar-se um bom wrestler ou jiujiteiro? Explique-me sua lógica, por favor!

          • will

            Essa visão só vale pro MMA. Eu acredito que densidade muscular e explosão são o diferencial no MMA. Você pode ser um ótimo grappler tecnicamente, mas se não tiver uma força descomunal não vai vencer no MMA. Um exemplo: Toquinho que é extremamante forte e ganha na brutalidade. Não tem técnica nesse mundo que te salve daquela chave do Toquinho. Aquilo é força bruta! Eu não sou preparador físico nem nada. É só um palpite mesmo.

          • Renato Rebelo

            Will, eu discordo de vc. O Toquinho é forte que nem um touro? Sim, claro. Mas ali não é grosseria nenhuma, pelo contrário, é técnica pura. O cara usa o corpo (atarracado) como uma alavanca perfeita para executar aquele movimento. Não sei se lembra do Alexandre Cacareco, que era o Toquinho do final da década de 90 – chegava longe nos ADCCs basicamente com kimuras e chaves de calcanhar. Já rolei com ele e posso afirmar que antes do emprego da força, tem muitas horas de tatame ali. Excesso de densidade muscular não é ideal nem pra MMA, nem pra nenhuma arte marcial, pois vc acaba carregando uma peso extra pouco funcional. Muito músculo cobra muito oxigênio do corpo. O MMA, ao longo dos anos, prova ser muito mais maratona do que corrida 100 metros rasos. Olha os maiores reinados. AS, Couture, Fedor, GSP, Jones… Eles precisam desesperadamente do nocaute ou finalização nos dois primeiros rounds pq não tem gás pra completar a prova? Os Houstons Alexander, Drew McFedries, Pat Barrys, Melvins Mahoefs entre outros “heavy punchers” ficaram pelo caminho no MMA, pois se afogavam em águas mais profundas. Enfim, esse debate é longo e bem bacana. Que fique claro, não estou dizendo que o Anthony Johnson é nada disso, tá? Acho ele um baita lutador.

          • will

            Com relação ao Toquinho, eu sei que ele é muito técnico. Não é só pela força que ele é um vencedor. Tudo isso que você falou sobre peso e consumo de oxigênio é verdade e eu concordo. Eu só acho que uma preparação voltada pra um único round e com foco na potência dos golpes(ou finalização) pode fazer diferença. Foi isso que o Johnson fez. É isso que o Toquinho faz. Deu certo pra eles.

          • Renato Rebelo

            Aí concordamos. Realmente, pode. Como o Cappelli disse no texto: “como falamos de MMA, qualquer visão mais purista pode parecer indevida. Vale o resultado, claro”. O problema é que aparecem os Hector Lombards, Alan Belchers, Evanders Holyfields, Lenox Lewis, Josh Koshcheks, etc, que frustram o plano A e deixam esses furacões em maus lençois. É só essa minha ponderação.

          • will

            he he he… mas se um cara aguenta um round inteiro sendo espancado impiedosamente, então ele merece mesmo vencer! Vide Rock Balboa que apanha 12 rounds seguidos!

          • joao neto

            so uma duvida de um jiujiteiro Renato. vc rolou com o toquinho ou cacareco? so p saber mesmo ok? (sei que treino não se comenta) rs Abraço!!

          • Renato Rebelo

            Com o Cacareco. Diria que foi um rola didático e solto – até pq não sou grandes coisas hehehe

        • Bart Simpsons

          Weidman não bota qualquer um pra baixo a hora que quer e nem na hora que quer. Só pra ter uma idéia, ele tentou quedar Lyoto em 12 ocasiões, mas só 4 vezes ele conseguiu atingir o objetivo.
          Sobre Toquinho, aquela chave de calcanhar não é pura brutalidade não, é só observar que tem caras com a mesma brutalidade que pegam aquela chave, fazem de tudo, mas não conseguem encaixar. Toquinho é perfeito pela combinação mágica entre qualidade técnica e muita força

    • Renato Rebelo

      Will, sei que vc curte soltar essa pérolas, mas vamos matutar um pouco. Já que a força bruta é a principal arma do MMA, me explique, por favor, como os jogos de caras como Anthony Pettis, Jon Jones, Anderson Silva, BJ Penn e GSP se baseiam na força bruta e não no refinamento técnico

  • abner albuquerque

    disseram do machida,glover,rashad,gustafsson,cormier:eles tem o que é preciso para bater jones.e nenhum bateu.jones vai obliterar johnson e ai?

    • Natan Machado Fauzi

      Concordo, mas uma hora a gênialidade e invencibilidade acabará ofuscando um novo talento que quando o derrotar chocará o mundo.(vide AndersonxWeidman)

    • Bart Simpsons

      Sim, todos eles tinham alguma coisa que era preciso para bater Jones, no entanto o campeão conseguiu se sobressair e impedir que seus adversários conseguissem levar vantagem. Luta é assim, cada um tem suas vantagens teoricamente falando,mas na hora da prática, os dois que se virem e que tentem dominar o outro.
      PS: Na verdade, pra mim, glover e rashad não tinham nada que pudesse parar o Jones.

  • Leonardo José

    Por algum motivo essa luta agora tá me lembrando Rory McDonald vs Robbie Lawler… será que o Johnson será o “Ruthless” dos meio-pesados ?

    • Natan Machado Fauzi

      é verdade, chegou do nada e desbancou o menino prodígio em busca da cinta…

  • Caio Abreu

    porra que analise massa, concordo com tudo que vc comentou, mas achei que a luta tava perdida pro gustafsson quando começou a girar pro lado da mão direita do rumble, é flertar com um canhão, jonhson é muito explosivo no geral, entra e sai do raio e ação rapidamente, e a pegada de peso pesado. Ver mais um desfecho do embate técnica x força só me faz ver que no MMA não há vantagem que não possa ser invertida, é aquela velha história de um erro e a luta já era. fiquei impressionado com quanta pancada o gus aguentou sem apagar, tem um queixo realmente duro.

  • Leandro Fabiana Lazzerini

    Jones vai surrar Rumble e vamos ter que ouvir que ele é imbativel”

  • bedotRJ

    Excelente post. Minha expectativa é que Jones não cometa o mesmo erro do Gustafsson, o que obrigará Johnson a se arriscar mais prá impor sua brutalidade. Não sabemos como ele fará prá entrar na curta com o campeão, evitando os pisões frontais e as quedas. Contra o Davis, que é um wrestler top, ele conseguiu. O problema é que o Jones tem muitas outras armas, como os cotovelos giratórios. Por isso, a saída é estar com a defesa de quedas em dia e partir prá brutalização cedo. Se ele conseguir meter uns uppers parecidos com os que o Cormier aplicou, pode complicar o campeão.

  • Rafael Conto

    Eu só acho que estão subestimando demais o Rumble.
    Acho um ótimo lutador que se perdeu na carreira, mas agora está no auge!!

    • Ramon Reis

      Tem um peso-pesado brasileiro, que lembra demais essa história, ele tem Werdum no sobrenome.

    • will

      Ele sempre bateu forte, mas nunca esteve com tanta explosão e preparo físico. Ele ou entrava magro demais ou gordo demais pra lutar. Ele está veloz e com pegada. Combinação mortal. Sem contar o fator “sangue nos olhos” que é algo subjetivo. Não é possível treinar “gana” e “vontade de vencer” num lutador.

  • Franklin Stein

    Tive a mesma impressão de que o Gustavão estava alterado… afoito… o peso de lutar em casa (ou de resolver rápido pq estava, erroneamente, focado no Jones) se somou ao peso da mão do Rumble e deu nisso. Me juntei ao coro silencioso dos 30 mil suecos. Acho que Jones não vai ter dificuldades contra o Johnson.

  • Daniel Silveira

    Excelente texto, como sempre uma receita peculiar!
    Provavelmente JJ não terá dificuldades em vencer AJ, mas se uma mão dessas entrarem, com certeza, o desfecho chocará o mundo. Embora, os testes de queixo do JJ realizados por Glover e DC mostraram que o campeão tem boa absorção, resta saber se resistirá ao bombardeio pesado do Rumble.
    Ps.: eu acredito que sim, mas adoraria ver o braço do Anthony sendo levantado e o Bruce dizendo “annnd Neeew!!”

  • Heitor

    Subestimação absurda no AJ por aqui…todos os sites gringos e fóruns analisam que vai ser equilibrada, e eu concordo. Acho que vocês estão errado, mas respeito.

  • Heitor

    Pra mim AJ tem muito mais chances que o DC. Bate mais pesado, tem maior envergadura, encurta melhor e é mais rápido. Se a defesa de quedas estiver em dia como foi contra o Davis, vejo ele com ótimas chances. Jones deu várias brechas na trocação nas últimas lutas, inclusive levando vários uppers do Cormier e Gusta. Uppercut que uma das principais armas do Johnson.

    • Hum, não sei se ele soca tão forte como o DC, mas saberemos 😉

    • Jonas Angelo

      Heitor, os dois já lutaram nos pesados, e os vejo com um punch bem parecido, com estilos diferentes. Mas Cormier é muito veloz para seu tamanho. e se movimenta melhor.

  • Thiago Sousa

    Força bruta derruba sim..Remissivas ao Titulo do Shogum sobre o Lyoto…
    Podem lutar 20 vezes…Lyoto vencerá 19… umas por KO…Isso eu falando dos 2 na epoca…
    Dai no vigésimo…entra um coice daqueles e o ninja apaga.
    Quem lembra do boco moco do Lesnar?
    Técnica é a lógica….Força Bruta é o acaso….pq se entrar a mão no botão liga e desliga… Tchau.

  • Thiago Sousa

    Galera…esse blog é fora de lógica …Muito bom…e muito coerente.
    Ja indiquei p/ muitos amigos iniciantes nesse mundo de fãs do MMA…Gente que não teve a oportunidade de acompanhar eventos nos ultimos anos. Aqui o RX é completo..e “didatico”.Vcs prestam um otimo serviço aos fãs
    Teve nego que ligou me agradecendo a indicação do blog!!!
    Parabéns

    • Renato Rebelo

      Poxa, Thiago, mt obrigado msm pelas palavras! Fico agradecido

      • will

        he he he… Renato, pára de por parente pra comentar no site!

  • joao neto

    Parabens pela analise Cappelli,como sempre show!!!

    Muitos ficaram tristes com a derrota do Gustafsson,eu fiquei Feliz p Johnson mostrou superação para um cara que saiu do UFC pela porta dos fundos,deu a volta por cima,nada contra o Gustafsson mas na minha Opinião ele não ganharia do Jones ou daria trabalho novamente,o Jones se reinventa,conheçe o jogo do gustafsson (minha opinião). O Campeão precisa de sangue novo mesmo,apesar que não vejo o Johnson ganhando do Jones.Confesso que depois do Cormier fiquei incredulo em Jones perder nessa categoria. Para mim ja deveria subir!! Abraço amigos!!.

    • Victor Antonaci Salvaterra

      Concordo com tudo que vc falou.

    • Boa, Joao.
      O Jones é praticamente o Apocalipse (não sei se alguém aqui tb é fã de quadrinhos, em particular da DC) aquele que “matou” o super homem e na edição de revanche, contou a história do monstro, que foi criado para exatamente isso, a cada morte ele evolui a partir das limitações que causaram a morte anterior. O problema é que o Jones não morre, ele vem ganhando e crescendo cada vez mais, é um lutador incrível.
      Só espero que este drama particular em sua carreira (branca..rs) não tenha afetado o seu andar nas lutas, acho que somente isso afetaria o Jones ao ponto dele perder para o Rumble.

      • Jonas Angelo

        David, acho que não afetará não, até porque se isso fosse acontecer, sua luta contra DC teria mostrado isso.

    • Fernando Cappelli

      Obrigado, João! Em princípio também não vejo o Rumble com tantas chances de bater o Jones, já que ele vai trazer esse lance do ‘golpeador brutal’ para o combate, da mesma forma que outros que o Bones controlou e venceu sem grandes problemas até agora (Rampage e Glover, por exemplo). É esperar pra ver.

  • Victor Antonaci Salvaterra

    Cappelli, só tenho um comentário a fazer sobre suas análises… Sou seu fã! rs

    • Fernando Cappelli

      hheheeh.. quéisso, Victor. Mas obrigado pela leitura!

  • Puts, o Sueco tentou sair da chuva de golpes, mas não rolou.
    Acho bem difícil Jones aceitar desta forma a “saraivada”. Gustafsson, depois de receber o diretão/cabeçada, desnorteou e simplesmente tentou girar e andar para trás, soltou um ou outro golpe para cortar o ímpeto do americano, que não foi suficiente. Eu já consigo ver Jones com seus chutes frontas no joelho e até mesmo a mão aberta na frente, mesmo que, para isso róle outra dedada, como rolou com o Alexander e o Americano antes da tempestade de tijolo baiano.

    Mas que será um combate legal, vai!

    • William Amaral

      Jones dá até chute no saco pra parar a luta.. rs

      • Sim.
        A malandragem necessária para ser um campeão, como do Aldo, Pettis e Anderson. Só que o Jones não tem vergonha de se mostrar maldoso e faz sem dó.rs.

  • Jonas Angelo

    Cappeli, também acho que Gustafsson sentiu bastante o peso psicológico do Megaevento. Ademais, o imponderável adora dar as caras no UFC(e nunca podemos descartá-lo), mas não consigo ver um cenário no qual Jones possa cometer erros capitais como os cometidos por Gus, e se os comete concerta com extrema rapidez. Acho que você foi muito feliz nessa leitura, Johnson é um bruto top contender, carga bruta, bate forte e bate bem, mas nada além disso. Aliás, imagina o carnaval que seria essa categoria sem o Jones…

    Por último, com essa luta tiro a seguinte conclusão: Não é a mistura altura+envergadura o segredo para vencer, esse segredo se chama Jon Bones Jones!

  • Natan Machado Fauzi

    O ponto fraco do Gustavão é a melanina!

    • Renato Rebelo

      Rapaz….

    • Marcio Rodrigues

      Kkkkkk…coitado do Gus!

    • Filipe C.

      kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk ficou estranho essa img aew eim parça..

      • Natan Machado Fauzi

        Nada fora de seus respectivos propósitos hahahah

  • Natan Machado Fauzi

    Como o Próprio Phill Davis disse, Anthony Johnson comete bullyng dentro do octágon kkkkkkkk

  • Carlos Felix

    Excelente texto. Muito técnico e esclarecedor.
    Por tudo isso que você falou, Cappelli, gostaria muito mais de ver Jones x Gustafsson II. Para mim o AJ, apesar de ser um monstro, não trará nada que o Jones já não tenha superado.
    Gustafsson poderia repetir a luta de 2013 e trazer um desafio maior para o campeão.

  • Ricardo Mori

    Anthony Johnson está um monstro… vide o q fez com Phil Davis tbm…
    Aprendendo com esta luta, Jones vai tentar reduzir o “cheiro da carniçada” e tentar segurar a luta pra durar os 5 rounds… Dai é ver o quanto A. Johnson está preparado de gás

  • Gabriel Castelani

    VELOCIDADE meus caros!! Vejo o pessoal falando de carga bruta, de mao pesada e forca! E acho que tudo isso é só um complemento da sua verdadeira virtude! Duvido que o RUMBLE bata mais duro que RAMPAGE ou GLOVER por exemplo! Acho que poucos deram a importancia nesse ponto, poxa o negao é muito veloz, tanto de reflexos defensivos como golpeando, e somado a isso tem otima presicao em golpe e contra golpe! OBVIO que ele tem a mao dura, porem com essa luva vemos caras de 60 e 70 KG nocauteando geral! Imagina os caras da 93 que entram pensando 100kg no dia da luta! Basta um petelco pra perder o rumo de casa! O problema é acertar um cara do tamanho e que mantem a distancia tao bem como JJ, contudo JOHNSON passou com louvor contra dois caras que jogam bem na distancia! Voltando ao campeao, os unicos desafiantes RAPIDOS e PEGADORES que jones enfretou NAO ERAM tao comprido como ANTONY ( RASHAD, BELFORT, MACHIDA) Pelo longitude e VELOCIDADE que tem, acredito que o buchechudo achará muito facilmente o queixo do campeao! Analisem a luta com o MARAVILHA, DAVIS é rapido, grande, e ensaboado e nao viu a cor da bola, fugiu a luta inteira, e mesmo assim foi golpeado ate sangrar! O GUSTAFAO… comeu todos os golpes do AMERICANO, um sufoco que nao passou por exemplo com THIAGO silva e Shogun, exatamente pela velocidade e envergadura menor dos ultimos citados! Dai vcs podem pensar…porra mais o e MANU….que foi abatido pelo VIKING tem quase a mesma estrutura fisica e explosiva …foi sim… mais foi uma luta perigosa pro loirao! Na verdade o nigeriano é um perigo pra todos na divisao justamente porque tem uma puta envergadura, explosao e VELOCIDADE aliada a mao de pedra! SÓ que…Porem…contudo, o ex fisiculturista NAO tem a qualidade tecnica do RUMBLE!———- FINALIZANDO———LOGICO QUE BONES é FAVORITO, MASSSS…. Bastará um unico vacilo pra vela preta e CAIXAO! Aquela mania que JJ tem de fugir com o braco esticado e virando a cara pro lado…..sei nao! VAI ser um perigo real e nunca visto! RUMBLE leva pra GAIOLA muito mais que todo os outros desafiantes NOCAUTEADORES!

    • Renato Rebelo

      Tô ctg! Speed Kills!

  • Marcio Rodrigues

    Minha previsão de Mãe Diná:
    1°round: A.J. vai com tudo p cima e J.J. corre uma maratona p fugir arriscando seus pisões e d vez em qndo um clinche mas AJ defende bem. 10×9 AJ.
    2°round: Com AJ ja mais lento, JJ consegue clinchar e prende-lo na grade p cansar e tirar a forca dos seus braços. 10×9 JJ.
    3°round: Já cansado da caçada, AJ se deixa quedar e sofre com a chuva de cotoveladas de JJ, mas resiste até o fim. 10×9 JJ.
    4°round: Com o braço pesado, AJ não oferece mais riscos e JJ derruba de novo e finaliza.
    And still…

    • Marcio Rodrigues

      Sei q a previsão foi bem simplizinha mas acontece q não vejo o JJ tendo essa versatilidade toda q falam. Na verdade acho as lutas dele bem parecidas umas com as outras. Pisão no joelho, mão na cara, cotovelada rodada e chuva de cotoveladas no chão. Qndo ele fez algo diferente disso?

      • Fernando Cappelli

        Acho que a questão não é nem essa, Marcio. O Jones é um lutador de marcas registradas bem definidas mesmo. O mais interessante é a forma como ele tem usado isso para controlar os combates.

        • Marcio Rodrigues

          Sei que posso estar sendo um pouco injusto com o JJ, Capelli. Mas gostaria de ver alguma coisa além disso nas lutas dele, afinal ele quer ser o melhor da historia. O Spider por ex. Eu assistia as lutas dele pra ver oq ele ia inventar (é claro q o nível dos oponentes era outro) e q com o Jones, eu assisto p ver oq o adversário vai fazer. Mas tudo bem, talvez eu esteja querendo demais.

          • Fernando Cappelli

            ehhehe… Entendo você, Marcio. Também queria saber como é o nível de habilidades no solo do Jones (e o Johnson não é o cara mais indicado pra isso). Mas ele encaixou um jogo que tem surtido resultados e dificilmente vai mudar enquanto estiver vencendo assim. Sem falar que ele vem de um camp onde os caras prezam muito a estratégia.
            abs!

    • Lero

      Muito, muito provável.

  • Davi Sean Ribeiro

    Se Dana for muito esperto fecharia um TUF aqui no Rio ou então em Dublin de Aldo vs Conor! Idea genial kkkkk

  • Nubia Castro

    Não sei não, mas acho que já estou ficando viciada nesse blog, excelentes textos e análises compreeníiveis até para os mais legos nesse universo. Sem contar que o fato de vcs( colunistas) interagirem conosco, torna a dinâmica melhor ainda.Parabéns galera, pelo excelente trabalho!!!

    • Renato Rebelo

      Pode ficar Nubia, não há efeitos colaterais = ) Obs: mt obrigado por acompanhar!

      • Nubia Castro

        Obs: Até o nivel dos comentários aqui é elevado.

  • Bart Simpsons

    Boa, Cappelli! Excelente texto. Parabéns!
    Bom, desde que terminou a luta com a impressionante vitória de Johnson (impressionante não pq o americano não pudesse vencer, mas impressionante pela forma tão fulminante que foi), todo mundo diz a mesma coisa “Jon Jones que prepare o queixo, pq se uma mão entrar, já era”.
    Certo, muito certo isso que foi dito. Mas, será mesmo que apenas esse ímpeto, essa brutalidade, essa força será capaz de parar o campeão da LHW? Só para lembrarmos, na luta anterior de Jones, contra Daniel Cormier, Jones também foi atingido por golpes fortes do “black fedor”, principalmente uppers (cientificamente falando, dentre os socos no área da cabeça, os uppers são os tipos mais perigosos para “apagar” o adversário), mostrou que tem queixo bom, o que era uma coisa que muitos colocavam em dúvida.
    Eu confesso que estou muito ansioso para ver essa luta, já que, analisando como seria um desfecho para ela, não consigo ainda imaginar um. Imagino que, Bones já enfrentou Daniel Cormier, um adversário que também tinha muita força, tecnicamente é melhor do que Anthony Johnson na trocação (Anthony até sabe trabalhar melhor os chutes), e quanto ao wrestler, sem comentários, é o melhor da atualidade nesse quesito em todo o UFC, além de ter mais gás do que o próprio “Rumble”. Porém, do outro lado, sabendo justamente dessa desvantagem técnica, talvez seja por isso que Rumble vá pra cima de Jones sem medo, com a faca no dente, e isso pode torná-lo o mais perigoso de todos os adversários que o “cheira pó” já enfrentara na carreira.
    No mais, #WarJohnson

    • Fernando Cappelli

      Tecnicamente o Jones é um cara muito regular, isso também tem sido um dos grandes diferenciais. Resta saber como vai estar a cabeça dele após o episódio polêmico.
      Abs e valeu a leitura, meu camarada!

  • Matheus Barbosa

    Acho que o gustafsson poderia te cortado todos aqueles overhandse e uppercuts consecutivos usando diretos, mas como ele confia mais nos uppers ( nos momentos de infight) ele tentava e tomava um turbilhão de Overhands limpos na cara. acho que o segredo seria golpes retos, movimentação e controlar o psicológico dele por contada pressão ,enfim, mas falar é fácil o difícil é fazer. OSS.

    • Fernando Cappelli

      Também achei que o Gusta ia usar mais os uppers de direita, que ele costuma usar até na longa distância por causa do alcance avantajado. Mas…

  • Alex Nunes

    Anthony Johnson oferecerá para Jon Jones a porrada mais impiedosa que alguém poderia lhe dar. Jones perderá por nocaute. Antes de tentar derrubar Johnson, Jones terá que passar perto de seus punhos e é aí que ele será pego. Jones não tem potência nas mãos para fazer frente a Johnson, e não poderá fugir da luta franca o tempo todo, nem no primeiro round, e ao se aproximar, ou para golpear ou para derrubar(o que não será fácil, porque Johnson é muito forte e não é bôbo), será acertado violentamente. Johnson não é Rampage, nem Glover, nem Rashad, é uma besta-fera destruidora.

  • Andy

    Johnson é um monstro, mas terá pela frente o melhor da categoria..Jones não é disperso e tem tantas brechas no seu jogo como o Gustafsson..o Jones é um lutador cauteloso que não vai cometer a besteira de ir pro In-Fight com Johnson..certamente vai abusar dos pisões no joelho e dedadas no olho (rs), pra manter a distância..mas aquela frase de que se uma mão entrar pode mudar o rumo da luta, nunca fez tanto sentido como dessa vez..acho que Johnson é um monstro e destruiu, humilhou, desmoralizou o cara que pra mim venceu Jones no octógono, porém estilos fazem lutas..acho que da Jones, mas se subestimar o Johnson, em uma fração de segundos o antigo meio-medio se tornará o campeão de forma avassaladora, fazendo uma das maiores reviravoltas da historia em uma carreira.

  • Alex Nunes

    Jones é o grande campeão, mas Rumble é uma besta-fera, não é o tipo de lutador que se intimida com pisões nos joelhos, é o tipo de lutador que se motiva a bater mais forte ainda ao invés de recuar. Jones entrará pra essa luta mais receoso do que Rumble. Jones é mais versátil, mas Johnson é mais poderoso. Jones tentará derrubar, porque não tem pegada nem velocidade pra cair dentro com Rumble, mas não será fácil conseguir a queda contra um cara tão grande, forte e rápido. Jones poderá cair já na primeira tentativa. JJ não poderá ficar correndo o tempo todo pros lados sem tentar acertar pelo menos um jab. Rumble caçará Jones e o nocauteará com a violência de um vingador. Não subestimem Anthony Johnson, esse cara não está brincando de lutar.

Tags: ,