Brasil no UFC em 2015: copo meio cheio ou meio vazio?

Lucas Carrano | 26/01/2015 às 13:02
20141219040120!UFC_183_pre_sale

Poster do UFC 183

Na semana passada, na sessão de comentários da minha última coluna aqui pro Sexto Round, o leitor Lucas Flávio fez uma observação que chamou minha atenção.

O xará lembrou que nos próximos seis (!) main events de cards em pay-per-view do UFC teremos atletas brasileiros envolvidos – e em cinco oportunidades eles estarão envolvidos em lutas valendo o título.

A lista é a seguinte: Anderson Silva, contra Nick Diaz, no UFC 183; Vitor Belfort, contra Chris Weidman, no UFC 184; Rafael dos Anjos, contra Anthony Pettis, no UFC 185; Renan Barão, contra TJ Dillashaw, no UFC 186; José Aldo, contra Conor McGregor, no UFC 187; e Fabrício Werdum, contra Cain Velasquez, no UFC 188.

Apesar de se tratar de uma informação pública, e que está literalmente nos nomes dos cards, não posso deixar de admitir que fiquei um pouco surpreso ao me atentar para este detalhe. Por quê?

Ora, nos últimos tempos, muito se tem falado, com razão, sobre o momento difícil vivido pelo Brasil no grande palco do MMA mundial.

Poster do UFC 184

Poster do UFC 184

Outrora com múltiplos campeões, o país perdeu vários cinturões, seu maior ídolo (posto de lado após uma cena chocante) e, consequentemente, espaço no cenário do esporte.

Em outubro do ano passado, comentávamos, seja publica ou particularmente (neste caso até com ainda mais receio e de forma mais incisiva), sobre a chance real de o Brasil perder seu último título e debatermos quais seriam os impactos devastadores desta situação.

Nem mesmo quatro meses se passaram desde então e cá estamos nós com brasileiros em posição de destaque, disputando os títulos de suas respectivas divisões, até a metade de 2015.

O problema de falar este tipo de coisa em “voz alta” é que somos um povo latino, e como tal bastante passional. Adicione a esse tempero nossa cultura bastante peculiar com os esportes e está pronta a receita para a derrocada.

Após um panorama desolador, como o de 2014, é fácil se iludir com uma conjuntura como a atual e distorcer a realidade.

Poster do UFC 185

Poster do UFC 185

Aliás, agora com um pequeno distanciamento histórico, como tais coisas não acontecem do dia para a noite, é possível que, apesar de ser inegavelmente o momento mais baixo do Brasil no octógono desde o “Boom de 2011”, a coisa não estivesse tão terrível assim.

Por isso mesmo é bom que estes seis main events de PPV consecutivos com brasileiros, mesmo se tratando de uma marca inédita na história da organização, sejam postos também em perspectiva.

Afinal de contas, entre os brasileiros que disputam o cinturão, somente o manauara José Aldo, único no grupo a defender um título, é de fato favorito.

Entre os azarões, além disso, também não vemos chances tão bem distribuídas assim.

Poster do UFC 186

Poster do UFC 186

 

Dessa forma, apesar de existir esta chance, é bastante improvável que cheguemos a julho com cinco campeões brasileiros – o que representaria metade das categorias ativas atualmente e mais de 60% das divisões masculinas.

Porém, novamente é hora de lançar mão da razoabilidade, e não entregar os pontos, especialmente se levarmos em conta que, além dos já atletas credenciados, há um bom número de lutadores tupiniquins nas cabeças de suas divisões e alguns outros que mostram potencial para tal em um futuro breve ou médio prazo.

Desvencilhando-se dos “ismos” (do Pacheco e do Coitado) é possível observar que o Brasil segue como segunda força dentro do octógono e que tem condições, embora sem as estatísticas a seu favor, de melhorar sua situação atual.

Percebam que evitei mencionar qualquer coisa sobre equilibrar ou mesmo acirrar a disputa com os EUA, pois essa é outra verdade inconveniente: o amplo e incontestável domínio dos norte-americanos.

Época de vacas gordas...

Época de vacas gordas…

Caso o Brasil chegue a julho com cinco campeões, superando seu recorde histórico, seria, sem sombra de dúvidas, a melhor coisa que já aconteceu para o desenvolvimento do esporte no país desde Anderson Silva x Vitor Belfort e o UFC Rio 1.

Todavia, as atenções não devem estar voltadas somente para o êxito absoluto, ou a cultura da vitória.

A partir do próximo sábado (31), quando Anderson Silva abre a série de eventos encabeçados por brasileiros, a presença dos atletas do país em lugar de destaque já começará a mostrar seus resultados.

Antes de encerrar, deixo a seguinte questão aos amigos do 6R: sob qual viés vocês observam este momento do Brasil no UFC e, especialmente, quais são seus olhares preliminares sobre a participação dos brasileiros nos PPVs deste primeiro semestre?

Abraços!

  • diego rizzo

    Carrano, se me permite gostaria de falar sobre todas essas disputas:

    UFC 183: Uma luta na qual, se ambos estiverem 100%, Spider deve levar.
    UFC 184: O que mais espero. Acho muito dificil a vitoria do Vitor, apesar de torcer bastante para que ocorra. Vejo Vitor bem treinado, mas sem força/resistencia pra aturar 5 rounds um wrestler do nivel do Chris.
    UFC 185: Rafael merece esse titulo por tudo que evoluiu. Mas Pettis é um monstro na hora de improvisar a acabar com uma luta. Wrestling ta ai pra ser usado, use-o, Rafael!
    UFC 186: Onde vejo maior chance de titulo pra nos. Barão tem de vencer primeiro a cabeça, a balanca e por ultimo a menos dificil das batalhas, pra mim: TJ DILLASHAW
    UFC 187: A luta do ano. Expectativa ja ta monstruosa em janeiro, imagina a uma semana da peleja? Hahahaha.
    UFC 188: Como desacreditar do Cavalo? Finalizou Fedor e Minota, venceu tudo desde que começou a treinar sério. Cain é meu americano favorito, e deve levar com um pouco de dificuldade.

    Quais são seus palpites, Carrano?

    • Filipe C.

      “UFC 186: Onde vejo maior chance de titulo pra nos. Barão tem de vencer primeiro a cabeça, a balanca e por ultimo a menos dificil das batalhas, pra mim: TJ DILLASHAW”
      Disse tudo cara. Mas, ainda assim, de acordo com a ultima luta do Barão e o estilo de luta do TJ, essa luta se torna muito dificil pro “atual” Barão. Pra mim, uma vitória do Barão seria uma tremenda zebra.

      • Bart Simpsons

        Discordo. Pq se de um lado a última luta do barão foi ruim, muito pior é levar 5 rounds p nocautear um cara que foi chamado aos 50 do segundo tempo, que não teve nem 3 dias pra se preparar.

    • Lucas Pereira Carrano

      Em questão de resultados, não fogem muito disso Diego.

      Analisando individualmente é bem o que disse no texto, só Aldo é mesmo favorito (por isso, apostando de maneira bem conservadora iria só nele). Mas não descarto que ao menos uma zebra aconteça entre todas essas disputas. Nós sabemos que volta e meio o improvável acontece no octógono e como são muitas chances (e em somente uma delas o Brasil é quem tem “algo a perder”), não acho absurdo acreditar que dá pra ficar com dois cinturões na metade do ano – mais do que isso já é pro queixo cair mesmo.

  • Thiago Kuhl

    Sinceramente, terminaremos a série provavelmente com dois cinturões, o do Aldo e mais um proveniente das zebras (a menor delas, Renan Barão, chega a ser bem palpável).

    Há uma boa possibilidade de nenhuma zebra virar e ficarmos com apenas um.

    Muito dificilmente terminaremos com 3 (Seria uma hipótese de vitória de Aldo, Barão e uma “super zebra” entre Rafael e Werdum, mas possível, considerando que temos R.Cordeiro na “estratégia) ou nenhum, afinal, ainda que pior que Aldo, McGregor não é um morto de fome;

    4 seria para colocar o treinador da Kings MMA num pedestal, alçá-lo a posição de melhor de todos os tempos, ou algo assim.

    Cinco é impossível, as chances do Vitor são pequenas, residem entre 3 e 5 minutos de luta e precisam que o Weidman cometa um erro básico, algo impensável para o cara que dominou Anderson Silva e Lyoto Machida.

    • Jonas Angelo

      Sabe Thiago, acho que Vitor tem boas chances cara. Acho que estamos menosprezando um pouco ele.

      • Manu

        Concordo. Vitor tem boas chances. Mas por um lado, não são chances astronômicas. Mas eu vejo o contrário. Tem muita gente tbm que subestima o Weidman. Vejo o americano como favorito, mas não tanto assim. Vitor é um casa da pesada e subestimar ele, não é algo bom

        • Neylker

          Quem me faz mais acreditar no VB é o próprio Weidman e seus um milhão de exames no Belfort! Me parece até medo.

      • will

        Não é menosprezo cara, é dúvida. Ninguém sabe como ele vai reagir sem o TRT. Veja a decadência do Henderson! Com o TRT eu apostava forte no Vitor. Ele brutalizou o Rockhold sem dificuldade. Mesmo assim ainda tenho esperança dele nocautear no 1º round. Se passar do 1º já era…

        • Jonas Angelo

          Rumble, Weidman e Dillashaw estão aí para nos alertar…

  • Paulo Melo

    Ótimo texto Lucas !
    Pachequismos à parte rs Torço para que todos os brasileiros vençam , como citado no texto seria importante para impulsionar mais ainda o esporte por aqui
    Avaliando as chances, acredito que os cinturões com maior probabilidade , são os do Peso Pena e Peso Galo , Aldo deve manter a cinta e acredito que o pior Barão perdeu do melhor TJ naquela luta , se o Barão vier bem , recupera a cinta com certeza !
    Dos Anjos vai enfrentar um gênio , acho bem difícil ele vencer ( 80% – 20% pro Pettis)
    Bel4 está num nível de excelência nos treinos , resta saber como se apresentará sem o TRT e contra um cara metódico como o Weidman , é a luta que mais aguardo dessas disputas ( 60% – 40% pro Weidman )
    Duvidar do Werdum não é algo muito esperto , Cain tem um gás do cão ( eu desconfio que ele seja 100% limpo , mas isso não vem ao caso rs ) Cain sentiu a falta de ritmo contra o Cigano , andando que nem um robô no octógono e foi nocauteado, em condições normais 80%-20% Cain, como não sabemos como ele volta 60%-40% pro Americano ….
    No mais , não tem como não ficar bem ansioso para todas as lutas que prometem e muito !

  • Matheus

    Confesso que o meu medo de terminar sem nenhum é maior do que o entusiamo de terminar com cinco!

  • William Amaral

    Já to pensando na “2ª Grande Guerra”… Em um estádio de futebol aqui, Anderson x Vitor (valendo a cinta) de Main Event, Lyoto x Jacaré de Co-Main (disputando o title shot) e o Brasil ostentando cinturões, com todos os campeões (Rafa, Barão, Werdum e Aldo) presentes, aparecendo no telão e sendo ovacionados.

    Ok, quase impossível, mas acho que em um cenário desses, o MMA tomaria de vez o posto de 2º esporte brasileiro.

    Ah, esqueci… o Werdum a essa altura já estaria de luta marcada com o Cigano pelo cinturão dos pesados. Enquanto Barão defenderia o seu contra o Assunção… rs

    • abner albuquerque

      Admiro seu otimismo.

      • William Amaral

        Acho que é mais humor do que otimisimo.. rs

        • Ramon Reis

          Você tem que acreditar Amaral!!!!!!!!!!!!!!!!!!

          Você tem que acreditar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

        • Davi Sean Ribeiro

          Por isso que o brasil é todo fudido porque nem o próprio brasileiro acredita na sua nação , não tem patriotismo, morei no EUA 7 anos desse 7anos todos dias de aula tinha hino antes da aula, todos eram patriotas e etcs

          • Davi Sean Ribeiro

            Desde da kindergarten a high school

          • William Amaral

            Acho que nesse caso não tem a ver com patriotismo. É apenas torcer/confiar em um lutador. Já vimos muitas vezes americanos torcendo contra seus compatriotas. O lutador representa a si e a sua equipe, não ao país.

          • Davi Sean Ribeiro

            Não mesmo parceiro, nunca vi isso a não ser que ele seja rival do americano ele torceria para o outro, na luta de As vs Cris nenhum americano que deu entrevista acreditava em Anderson, na luta de Aldo vs Mendes nenhum acreditava em aldo e por ai vai

          • Vinícius

            Me fale, então, dois lutadores americanos que disseram que acreditam/torcem pro Diaz no 183. Patriotismo no MMA, pra mim, é burrice. Cada um torce pra quem quer, pode ter certeza que o motivo do Brasil ser todo fodido não é a minha torcida pro Weidman no 184, por exemplo

          • Davi Sean Ribeiro

            Nate Diaz e Melendes e jake shields kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Ronda também kkkkkkkk

          • William Amaral

            Cara, a Ronda foi vaiada na pesagem do UFC 175, em Las Vegas, e a luta era contra a Davis, que é canadense. Acredito também que apesar de GSP x Diaz ter sido no Canadá, a torcida americana ficou do lado do bom moço. Tenho uma visão diferente da sua. Pra mim, MMA é apenas um lutador contra o outro. Meus lutadores preferidos são americanos (Bendo e Cerrone) e torci por eles contra o Rafael dos Anjos. Mas é claro que na maioria das vezes torço pelos brasileiros, mas não me prendo a isso, nem vou me apegar à nacionalidade pra achar que um vencerá o outro, como você disse nos casos de Weidman x Anderson e Mendes x Aldo.

          • Carlos Montalvão

            Ronda foi vaiada porque venceu a atleta da casa em Vegas (a Tate mora e treina lá), obviamente teria torcida de grande parte à favor da adversária dela. Também não me apego à nacionalidade, eu sou um dos caras que torce tanto pra brasileiro quando pra gringo, dependendo de quem tá lutando. Um exemplo é que não quero ver a Gadelha como campeã não, torço para outras 2 atletas da divisão serem campeãs e nenhuma é do Brasil.

          • William Amaral

            Independente do motivo, a luta era outra e contra uma canadense. O que quis mostrar é que não existe esse patriotismo todo no MMA, nem aqui nem nos EUA, diferente do que afirmou o amigo acima.

          • Carlos Montalvão

            Eu entendi, foi só uma observação (sem contar que é canadense, mas que mora no EUA, então pode ter conquistado um certo público com isso, mas enfim, concordo com você)

    • Ramon Reis

      Minha torcida também é essa, o pessoal não acredita no Vitor, dizem que o Pettis vai nocautear o RDA, que o Cain é o soberano dos pesados, só faltam dizer que o Mcgregor pode nocautear o Aldo e que é bom o brasileiro bota a luta pra baixo.

      Pensei que fosse o único a torcer e acreditar nesse cenário, também admito que não é nada impossível perdermos tudo.

      Quando Vitor VS Silva 2 acontecer, a Gadelha também terá seu cinturão.

      • Bart Simpsons

        Pior é que tem muita gente que não só acha que o McGregor pode nocautear o Aldo, como acredita que o irlandês é o favorito na luta… heuheueheuhe

    • Lucas Lima

      meu amigo…. eu moro no ceará mas nem que eu roubasse um banco eu iria assistir esse evento mítico de camarote

  • bedotRJ

    Prá mim, é copo meio vazio. A questão da idade é crucial. Além do Aldo ser o único brasileiro defendendo cinturão, e de ser mais velho do que seu desafiante, vejo apenas o Barão como sendo um desafiante que qualifico como potencial campeão “sustentável”, isto é, mais novo do que o campeão a quem desafia e também do que os outros prospects imediatos da categoria.

    Nos médios, o cenário, com 4 brasileiros nas 4 primeiras posições do ranking, parece bom. Mas só parece. Todos eles são MUITO mais velhos do que o campeão Weidman, que já bateu dois deles. E o único brasileiro fazendo algum barulho dentro do top15, Thales Leites, também é mais velho do que o campeão. Não há outro surgindo com chances em menos de 2 anos.

    Rafael dos Anjos também é mais velho do que o Pettis. E é um cara que precisa de um nível de motivação e de treinamento muito complexos de se manter por um longo período. Estou torcendo muito para que ele ganhe o cinturão, como recompensa merecida pelo esforço e pelo trabalho duro. Mas mesmo que ele se torne campeão, o que seria uma grande zebra, não o vejo mantendo-se no topo por muito tempo. E o outro brasileiro rankeado é o Edson Barboza, que ainda tá longe de merecer status de postulante ao cinturão.

    Finalmente, passando ao pesados, o Werdum se encaixa mais ou menos na mesma situação do Rafael dos Anjos (guardados os respectivos currículos anteriores). É mais velho do que o campeão e entra como grande azarão. Se vencer, provavelmente terá que encarar o Velasquez em revanche. Sendo que, aos 37 anos, como poderá manter-se campeão por muito tempo? Temos outros brasileiros no top10 da categoria: Pezão, que já tá mais perto dos 40 do que dos 30 e que já apanhou duas vezes do Velasquez, e o Cigano, que também já apanhou do Velasquez. A esperança aí é o Velasquez não conseguir superar as lesões e o reinado cair no colo do Cigano. Não há prospects brasileiros surgindo.

    Em suma, mesmo que o imponderável aconteça e que os brasileiros conquistem todos estes cinturões, eles não serão hegemônicos. De qualquer forma, não podemos fazer pouco caso desse eventual sucesso, pois mesmo que seja passageiro, será importante prá estimular o crescimento do MMA no país, condição essencial para o surgimento de novas revelações.

    • Natan Machado Fauzi

      Concordo!
      Mas a dupla Aldo e Barão me felicitam e muito no quesito potêncial x idade, ambos são bem novos.

    • Manu

      Eu acho que Dos Anjos tem capacidade de se manter no topo, não por mt tempo, mas acho que o suficiente. Afinal, se ele ganhar to Pettis(puta zebra), ele teria ganhado de nada mais do que três top-5. O problema no caso seria uma revanche com Pettis ou com o Khabib

  • Rodrigo Carvalho

    O UFC anda precisando de dinheiro, e sabe que com alguns dos brasileiros escalados para os main events são fontes raras de renda. Seja por serem pesados ou ex astros número um do evento. Então, acho que é um pouco de duas coisas: oportunismo e eventualidades comuns – campeões precisam ter seus cinturões posto em jogo para movimentar a categoria, seja para aumentar seu domínio ou passar-lo a diante.

    Agora, se fosse pra indicar as maiores chances do Brasil, não de cintas, mas de vitórias nesses 6 eventos, eu apostaria em três: Aranha canela de Aço, Werdun (por pesado é pesado, e peteleco machuca) e o Rafa (na real, eu to levando muita fé nele, vem lutando de forma alucinante mesmo.)

  • Lero

    O normal seria uma zebra ou duas.

    • Filipe C.

      Que seja a zebra do peso leve e peso médio pelo menos.

  • Reynaldo

    Acredito que vamos acabar essa sequência (pois até dezembro tem muita água pra rolar) com 3 cinturões, Aldo mantém, Vitor conquista pois todo mundo está desacreditando e é nessas horas que o verdadeiro guerreiro aparece, e por último acredito em um triângulo bem encaixado de Fabricio lá pelo 4 ROUND depois de aguentar muita pancada.
    Barão e TJ 70% a 30 pro Americano por sua movimentação excelente. Rafael e Anthony 60 a 40 Showtime

  • Jonas Angelo

    Ótimo tema Lucas. Para mim, copo meio vazio, mas com possibilidades de encher.

  • Natan Machado Fauzi

    Galera vamos usar um pouco do eufêmismo ao nos referirmos as zebras tendo em consideração que 2 pupilos do Cordeiro estão no jogo hahaha.

    • Natan Machado Fauzi

      Carrano, excelente texto, assunto importantíssimo!

  • Deivis Chiodini

    Pra mim, mais importante que os cinturões que virão, é continuar a evolução. Antes não tínhamos ninguém nos leves, hoje temos RDA disputando o cinturão, e Edson Barboza bem ranqueado. Temos em igual situação John Lineker, Raphael Assunção,Charles do Bronx, Thales Leites, Claudinha Gadelha, além dos medalhões que continuam bem como Jacaré, Machida, Glover (mesmo vindo de duas derrotas).

    Muitos dos nomes ali de cima com certeza quando lidos causam aquela “esse cara nunca vai chegar a um title shot”. È a mesma reação que teriam se lessem o nome do RDA no começo de 2013. Rumble Johnson vai lutar com JJ, já pararam pra pensar nisso? Fabrício Werdum troca de pé de igual pra igual com qualquer um, querem coisa mais espantosa?

    O MMA muda muito rápido e só aqueles que conseguem acompanhar a evolução se mantém ou chegam lá em cima. Então não me surpreenderia de ver um desses nomes sendo citados na parte de cima de uma futura coluna como essa. E é pra isso que eu torço mais.E que venham mais nomes.

    Obs: Acho que todos os brasileiros tem chances nas disputas. Aldo pra mim mantém seu cinturão. VB tem a parada mais indigesta, RDA terá que ser cirúrgico, pois contra o Pettis basta um erro. Renan precisa estar com o plano de jogo e a confiança em dia, pois como lutador é ate melhor que TJ. E podem me crucificar, mas desses todos, o que eu mais acredito é no Werdum. Longe de uma uma luta fácil, Cain é monstruoso, Mas o Werdum parece que sempre tem um coelho na cartola e mentalmente me parece muito forte no momento.

  • Gefferson Nesta

    Uau,Exelente texto! Acreditando nos atletas brasileiros e mostrando meu patriotismo vejo todas as possibilidades de ganharmos esse cinturões. Dos Anjos tem grandes possibilidades de vencer e vencer bem Pettis, Vitor nem se fala, Barão é um atleta exelente e espero que espanque TJ pois realmente ta na hora de trazer o grato de volta a terra, Werdum já não consigo ver unificando os cinturões pois ele vai pegar na minha opinião o mais mostros de todos depois de Fedor, sem duvidas Cain é um mostro e só vejo uma versão melhorada de Cigano pra vence-lo. Enfim na torcida por nossa bandeira e que vença os brasileiros.

  • Gabriel Castelani

    Minha opinião:
    Aldo continua campeão!
    Vitor será KO!
    Barão perde por UD!
    Rafael …..o the new champion por UD!
    Werdum fara bonito! Porém, Cain continua com a cinta!

    • Thiago Kuhl

      Acho que das quatro lutas onde os brasileiros são azarões, Renan e Rafael são os que encontram uma melhor chance. O que torna Dos Anjos mais azarão que o Barão é o adversário dele e suas “pettiszices”.

  • Gabriel Bianchi

    Não acho tão absurdo assim todos ganharem,mas a parada mais dura é a do Dos Anjos,contudo com evolução que teve ultimamente não dá para duvidar de uma vitória sua,Aldo e Mc Gregor não passa do 1ºround e todas as outras lutas tendem a ser rápidas,pois nenhum dos lutadores anda para trás e não fogem das lutas.

  • Daniel Cazan

    Olha, e infelizmente o Brasil perdeu ainda o title-shot da Claudinha Gadelha, que seria uma sexta disputa de título. Fiquei muito decepcionado pelo resultado da luta..

  • Heitor

    Por incrível que pareça, o único brasileiro desafiante que eu acho q vai ganhar é o Dos Anjos. Não sei n, ele tá absurdo, fase incrível e com muita vontade de vencer. Acho que o Pettis tbm vai subestimar o brasileiro, e vai pagar caro por isso.

  • Thiago Arruda

    Vou ser polêmico agora.

    – Lineker vai ser o futuro campeão peso mosca.
    – Barão vai retomar a cinta e ser o campeão dos galos.
    – Aldo vai continuar como rei dos penas.
    – Dos Anjos vai nocautear Pettis com um Showtime kick.
    – Demian Maia vai nocautear Robbie Lawler. (Essa eu ri escrevendo)
    – Vitor vai nocautear Weidman, com um chute rodado na têmpora. E fazer uma revanche épica com o Anderson Silva.
    – Lyoto vai voltar pros pesados, fazer a revanche com Jones, e nocautear ele com um Karate Kid Kick.
    – Werdum vai chocar o mundo finalizando Velasquez
    – Bethe Correa vai arrancar os dentes da Ronda Rousey
    – E Claudinha Gadelha vai se tornar a campeão mais fofa do UFC

    • will

      E a Dilma vai ser arrebatada para o ceu!

    • Carlos Montalvão

      Pô, Demian Maia nocauteando o Robbie Lawler até vai, pode ser que, mas Claudinha “mais fofa” é um total ultraje, totalmente herege, para com a existência de Joanne Calderwood 🙁

      • Thiago Arruda

        Hahaha

  • Rodrigo Tannuri

    Pois é Lucão, vendo essa surpreendente guinada, não seria a hora das academias buscarem a tão desejada excelência e os lutadores saírem de vez da zona de conforto? É claro que isso já deveria ter acontecido, mas sabemos que aqui a cultura do empurrar com a barriga é sempre mais cômoda. Não sabemos se o Brasil terá uma nova oportunidade monstro como essa, por isso todos deveriam colher os frutos. A oportunidade está aí. Confesso até que não esperava ver tantos atletas daqui sendo desafiantes. Pra mim, isso poderia acontecer, mas esporadicamente e não no mesmo ano.

    Notem a diferença: Belfort, Dos Anjos e Werdum mostraram uma evolução sinistra e fizeram por merecer. Já o Barão é diferente, sendo que não mereceu a revanche e não me parece pensar/querer mudar os treinos e a estratégia.

  • will

    Rafael, Barão e Vitor têm sim muitas chances de ganhar um cinturão. Por incrível que pareça o que têm menos chances é o Barão! O Rafael pra mim é favorito e o Vitor é um incógnita. Ninguém sabe o que esperar do Vitor sem o TRT. Já o Verdun não tem chance nenhuma contra o Velasquez. Diria que em 2015 teremos 2 cinturões.

  • Bruno P.

    Como praticamente todos aqui concordam que 5 cintas seria
    uma utopia, me surgiu uma dúvida que me parece bastante pertinente: é mais provável
    o Brasil terminar esta série com dois cinturões ou sem nenhum ?

    Contando o favoritismo de cada uma da das lutas, sinceramente
    acho o Aldo menos favorito dos atuais campeões, ainda que o ache favorito.

  • Eri

    Bom Vamos lá…
    UFC 183 Anderson vai passa por cima do Nick Dias, sairá sem nenhum arranhão..
    UFC 184 Belfort tem chances nos de nocautear nos dois primeiros rounds, apartir do terceiro round, só da Welldman..
    UFC 185 Anthony Pettis é o melhor da categoria, mas pra mim nessa luta vai dar o Brazuca Rafael dos Anjos, o momento dele é excepcional, o cara evoluiu de mais nas ultimas lutas, e pra mim vai trazer a cinta para o Brasil..
    UFC 186 Barão traz a cinta de volta para o Brasil, ele é disparado sem sombras de duvidas mehor que o TJ Dilashaw…
    UFC 187 Luta Dura, mas pra mim José Aldo vai trocar um pouco em pé , bota rpa baixo e finalizar o mc gregor, que não tem um bom chão…
    UFC 188 unica chance do Fabricio Verdum ganhar é se conseguir botar o Cain Pra baixo, mas acho pouco provavel…
    Lembrando que nos médios, mesmo se o Belfort não ganhar, que é o que eu acho que vai acontecer.Seja qual for o próximo Brasileiro que enfrentar o Americano , trará de volta o titulo para o Brasil, seja O Grande Jacaré, seja o Spider…

  • Pedro Duarte

    Pode anotar: Terminaremos 2015 com três campeões, mas com uma dança das cadeiras interessante. Iniciaremos o ano ganhando o cinturão dos leves e vamos terminar com o dos médios e dos penas feminino. Acredito que o RDA tem boas chances de passar pelo Pettis, mas tudo leva a crer que já na primeira defesa o brasileiro esbarre com o Khabib, e aí já sabemos. Por outro lado, ou Anderson ou Jacaré vão disputar a cinta com o Weidman e acredito que ambos ganham do campeão. Além da Claudinha Gadelha, que se ganhar a próxima, fica próxima do TS.

  • Leonardo Neves

    Se o esporte é popular e tem amplos estudos ao seu redor as chances da tática se sobrevaler a tecnica sempre será maior. Não baste isso, a questao fisica sempre pesa mais para nosso lado. Creio que os treinos de americanos são melhores conduzidos , pois ,até mesmo os russos sentem problemas de gás quando o assunto é MMA

Tags: ,