Podcast: Entrevista com Patrício Pitbull / UFC FN 59

Renato Rebelo | 20/01/2015 às 17:38

Está no ar a quadragésima nona edição do nosso podcast!

Nesta semana, tive as companhias de Alexandre Matos (editor do MMA Brasil e colunista do Sexto Round) e Patrício Pitbull (campeão peso pena do Bellator). 

Em pauta:

– Entrevista com Patrício Pitbull
– UFC Fight Night 59
– WSOF 17
– UFC on Fox 14

Espero que gostem!

*Para baixar o programa, basta clicar na setinha apontada para baixo na parte superior do “player” à direita.

**Para receber o “feed” do podcast, clique aqui.

*** Para escutá-lo no Itunesclique aqui.

  • Renato Rebelo

    Tradicionais infos pós-podcast: BJ preso por briga em noitada no Havaí e Cro Cop recontratado pelo UFC #leidemurphy

    • Bruno Conde

      Tá aí a luta de aposentadoria do Minotauro. Dá até para a Globo promover como uma revanche da época do Pride, que teve bastante ibope no Fantástico na época.

      • Renato Rebelo

        Bingo!

    • Michelle Souza

      É Renato além de BJ tivemos também a prisão do ex lutador Dave Herman.

      • Ramon Reis

        Dave Herman? Essa moça passou tanta vergonha no UFC que nem chamo de lutador, mas sim de alguém que pensa ser lutador.

    • Rodrigo Tannuri

      E ainda tivemos a aposentadoria do Cung Le e a confirmação de King Mo x Kongo pelos pesados do Bellator. Quanta freakice em um dia só kkkkk

      • Carlos Montalvão

        Tô achando que eles deveriam gravar o podcast na madrugada e soltar quarta-feira 6 am ou num sábado. Seria até bom, porque até iria aumentar o tempo de podcast se esperassem as bombas semanais kkkk

    • João Marcelo Ecco

      Renato, nunca pensou em mudar a gravação pra terça ? hsahuuhas

      • Renato Rebelo

        Se eu fizer isso, as bombas passam a explodir na quarta. Vai por mim…

  • Alexandre

    Estava ansioso pelo podcast!!
    Sempre muito bom, parabéns pela pelo trabalho nota 10 pessoal do sextoround.

  • Loyalty Bittencourt

    Putz, aquele podcast foda de todas as semanas, vida longa ao sexto round!

  • Glauco Lopes

    Rapaz tava ansioso, virou minha tradição ouvir ou voltando do treino ou do trampo, tem vezes que é tanta coisa pra fazer que fico 3 dias ouvindo o podcast por parcela, minha filha de 5 anos escuta comigo ela adora também!! vida longa ao Sexto Round e a toda a galera que faz esse excelente trabalho!

    Sawadee Krap!

    • Renato Rebelo

      Grande Glauco. Muitíssimo obrigado pela força!

      • Glauco Lopes

        Vc mecere amigo, e por falar nisso to ouvindo o podcast a prestação, um pouco ontem e o resto hoje!! valeu!!

  • Dan Mendes

    Eu não entendo como alguém pode não gostar de Connor…O estilo de luta é plasticamente belíssimo e as entrevista são as melhores.

    E digo mais para a popularização do esporte seria muito melhor o Connor como campeão.

    • Italo Soares

      Falou tudo!!!!

    • Rodrigo Tannuri

      É uma frase marcante atrás de outra kkkkk O Conor está mitando muito! Gosto dele também. “I don’t speak trash, I speak truth.”

    • Loyalty Bittencourt

      Pois é… torço pro Connor ser campeão, mas acho que o Aldo leva… O cara é puro entretenimento!

      • Fabricio Alves

        Era puro entretenimento no WEC, no UFC não.

        • Dan Mendes

          Verdade o Aldo perdeu muito do seu ar assassino.

          • Loyalty Bittencourt

            Eu me referi ao Connor mesmo como ”puro entretenimento”, Aldo hj em dia já perdeu a minha torcida por não ser mesmo do WEC…

    • Ramon Reis

      Estou lhe amaldiçoando neste exato momento pela sua blasfêmia e também a todos aqueles que curtiram seu comentário, e diga a seu amigo Bittencourt que ele não terá filhos, pois essa é a praga que eu rogo nele… Ser torcedor do São Paulo.

    • Maykon Douglas

      Compartilho da mesma ideia, porém acho muito difícil o Connor se tornar campeão, é como o Edgar disse: o Aldo é um animal diferente… Uma vitória de Connor seria um feito tão bombástico quanto o triunfo de Ali sobre Foreman.

      • Dan Mendes

        Dependendo de como estiverem as aposta vou arriscar uma graninha no Connor. rrss

      • Renato Rebelo

        Perfeito, Maykon. O Muhammad era zebra era 4 pra 1 contra o Foreman. Tb acho que o Conor ficará nessa marca, talvez um pouco menos – tem mt gente que ainda aposta de forma passional

    • Carlos Montalvão

      Não digo necessariamente com o Conor, mas se pelo menos a maioria os lutadores do top 5 das 10 categorias soubessem usar essa confiança e criatividade que ele, o Aldo e o Lamas usaram nessa semana pra chamar atenção, com certeza o esporte iria crescer mais rápido, sem usar de artifício tipo ameaçar agredir o campeão fora do octógono do lado da namorada/esposa de ambos. Um bom trash-talk e humor seriam o suficiente.

    • João R. Magalhães

      Concordo com quase tudo Dan, porém, eu não tenho certeza, se CMG
      “contender”, teria o mesmo impacto de CMG “champion”. Pois, é mais do
      que normal ( ou deveria ser, vide Raphael assunção, Ronaldo Jacaré,
      dentre outros “não peticionadores” do rol do UFC), que os contenders se
      auto promovam ( ou para o público médio ” encham o saco”). POR EXEMPLO
      (POR FAVOR, NÃO LEVEM ESSA COMPARAÇÃO AO PÉ DA LETRA, POIS EU NÃO ESTOU
      LEMBRANDO DE OUTRO EXEMPLO) (PS: Nunca, jamais, de maneira nenhuma, irei
      comparar a oratória do “Notourious” com a de “Big rigg”) , quando Johny
      Hendrix, estava querendo disputar a cinta de GSP, ele simplesmente não
      conseguia guardar a língua dentro da boca, depois do garfo e em seguida,
      depois da vitória sobre lawler, ele deixou claro que, o trabalho de
      auto promoção tinha acabado, pois ele era o campeão.
      Dessa forma, eu
      realmente não sei, se CMG, conseguiria “fazer tanto barulho”, atrair
      tanta atenção como campeão, como ele esta fazendo como contender. Pois a
      tendência natural e NORMAL (porém CMG nunca será um cara normal né?
      hahahaha) é justamente, o detentor da cinta, se aquietar e curtir o
      status de “champion”.

  • Thiago Arruda

    Eu acho, que as pessoas curtem mais pesos pesados, pq históricamente as maiores lutas, os maiores nomes, serem de médios, meio-pesados e pesados. E tbm, pesos leves no MMA é uma coisa recente, existia uma categoria leve no pride, a peso leve, mas mosca, galo e peso pena é uma parada bem recente. Talvez deva acontecer o que ocorreu no boxe, antes os pesados dominavam as atenções, hj n mais, só q no MMA os pesos mais pesados ainda irão ter supremacia sobre os pesos mais leves, mas n com a discrepância de hj. Com a penetração do esporte consequentemente os levinhos vão se tornar populares progressimente.

  • Gustavo Menor

    Irado o podcast, sobretudo a participação do Patrício Pitbull, que parece ser um cara muito sangue-bom. Inclusive, deve ser um sarro estar entre essa galera da Pitbull Brothers, com a figuraça do Maldonado junto, rs.

    Valeu por responder a pergunta. Também concordo que o Bendo venceu o Cerrone e também que o Pettis e o Rafael Dos Anjos têm todo o mérito das vitórias, porém eu consigo sentir uma falta de confiança do ex-campeão.

    E quanto aos jabs na coxa que o Renato comentou não saber o motivo, segundo um pessoal que treina comigo é uma medição pra entrar em queda. Abraços e mais uma vez parabéns pelo trabalho.

    • Renato Rebelo

      Opa, valeu pelo info, Gustavo. Só é estranho ele ter feito de novo e de novo essa medição e não ter entrado em queda, não?

      • Gustavo Menor

        Pra mim é mais um sinal de falta de confiança. Medo de vir uma no estilo Adriano Martins! Rs.

    • Vitor Camilo

      Na luta contra o Diaz, ele usou o jab na coxa também, coincidentemente, os 2 lutadores contra quem ele usou esse recurso, tinham uma envergadura visivelmente superior a dele.

  • Italo Soares

    Mais uma grande noticia sai depois do espetacular PodCast do Sexto Round,Mirko Co Cop volta ao UFC após 3 anos fora do evento e Wanderlei Silva abre Processo contra Comissão Atletica.

  • Leonardo José

    Faz pouco tempo que acompanho o Patrício, e acho que o que mais gosto dele são as entrevistas (não que as lutas sejam ruins, óbvio). A sensatez e o conhecimento dele são muito diferenciados no meio dos lutadores brasileiros. Pessoal do Sexto Round mandou muito bem nessa.

    • Carlos Montalvão

      Eu só conhecia o Patrício de nome, nunca fui atrás das lutas do cara (tirando o UFC, não paro pra assistir nenhum outro evento fora o Invicta e vez ou outra algo nacional/regional), mas depois dessa entrevista vou passar a acompanhar a carreira dele, ótima visão de combate, cara que sabe muito bem o que fala, faz a entrevista ficar dinâmica e parece ser um cara legal, fiquei curioso pra ver a última luta dele (e por que não as anteriores?!).

      • Renato Rebelo

        Mt bacana, Carlos. E assim o bolo vai crescendo = )

  • LUCIANO GERMANO

    Renato, parabéns pela cobertura do MMA. Só uma sugestão simples: termine os podcast com a mesma música de abertura. Ficará bacana. Até mais.

  • Maxsupremo

    Eu sabia, Previ que isso ia acontecer! Pitbull no podcast! Sou foda! minha previsão foi melhor que o McGregor!

  • bedotRJ

    Muito bom o podcast, como de costume. Só discordei dos relatores na luta Cerrone vs Bendo. Concordei com o resultado, 29-28, R1 pro Bendo, R2 e R3 pro Cerrone. Senti falta de algum comentário sobre a reação do Bendo após a luta (pediu prá lutar “semana que vem”, talvez querendo reproduzir a trajetória insana do Cerrone). Curti a análise sobre a acomodação do Tibau – acrescentaria que o considero de certa forma “protegido” pelo evento, já que ele nunca pega 2 a 3 tops em sequência, o que ajuda a justificar sua longevidade.

  • Carlos Montalvão

    Excelente podcast, ótima entrevista com o Pitbull e análise do Tibau, que apesar de muito gente boa, quando ele está no card eu uso o tempo da luta dele pra reabastecer os pratos de petiscos, colocar mais cerveja na geladeira, ir no banheiro etc, infelizmente não dá pra assistir luta dele não.

  • Danilo Lopes

    Diferença é que o Ali era o Ali. Mcgregor é o “The Delirious” Conrad McGillicutty

    https://www.youtube.com/watch?v=p3qmFFi_4LM

    • Renato Rebelo

      Toda vez que escuto essa comparação, sinto uma pontada no apêndice. E olho que sempre defendi o McGregor como um atleta legítimo e técnico.

      • Danilo Lopes

        Também concordo que ele seja legítimo e técnico.

        Cheguei a discutir com o Alexandre no MMA Brasil sobre isso. Só não acho que ele seja tão bom produto quanto querem nos convencer que é.

        Acho o cara meio constrangedor. Vi os treinos abertos desse último evento e sério, sem edição, sem highlights esse cara causa constrangimento. Ele chega com aqueles cinturões da 25 de março, fica rebolando, gritando frases decoradas… é fake total e foi disso que discordei do Alexandre. Acho o Mcgregor um produto feito pros desatentos e desprevenidos.

        • Malk Suruhito

          Vc citar Ali e falar que McGregor é constrangedor é até contraditório. McGregor e Sonnen são Gentlemans comparados a Ali entre outros mestres no Trashing Talking no Boxe. Mesmo sendo negro, Ali cansou de fazer ofensas raciais, inclusive se dizendo de uma classe de negros superior aos seus adversários, além de citar o passado dele.
          Recomendo ver o ótimo documentário “Ali” sobre o mesmo, com todos os depoimentos dos adversários e videos da época.

          • Danilo Lopes

            Mas aonde você viu eu elogiar a postura do Ali?

            Citei o atleta, apenas isso.

            Eu já assisti.

            Eu não quero entrar muito nesse mérito de postura, mas também acho a postura de ambos MUITO oposta e em contextos radicalmente diferentes.

            Eu não o fiz, mas de qualquer forma se alguém elogiar a postura do Ali e criticar o Mcgregor, não estaria sendo contraditório, pois são opostamente diferentes.

          • Renato Rebelo

            Malk, o Ali chamava o Joe Frazier de Uncle Tom – personagem negro de um livro que era subserviente aos brancos na época da escravidão, algo como nosso capitão do mato. Era outra época e a questão racial lá sempre foi mt pesada – mt mais do que aqui. Ele era apadrinhado pelo Malcom X e, por isso, essa palavras tinha tanto peso e machucavam. Mas, além desse tipo de provocação – que o ajudou, pois o Frazier entrou ensandecido e, no clinch, repeita: “I’m not Uncle Tom”-, o Ali sempre teve classe e manteve as provocações no ambito esportivo. Nunca falou um palavrão, atacou famílias ou países, ajudou e muito o movimento de direitos civis nos EUA com sua fama e transcendeu o boxe com seus pontos de vistas e frases motivacionais. Foi o homem mais famoso do mundo por quase duas décadas e inspirou mt gente, principalmente pela auto estima inabalável.

          • Malk Suruhito

            Renato, eu não recordo precisamente agora, mas teve um específico que o Ali falou que era um negro superior inclusive por características físicas, como o nariz dele ser menos achatado que este lutador (não lembro se era o Ken Norton, acho que não) e pelo mesmo ter no passado cumprido pena por roubo de carros. Isso passou neste documentário que citei e nota-se claramente os olhos marejados dele ao citar este episódio. Imagine quantos com as mesmas características se sentiram como “negros de segunda classe” por conta deste episódio. Não nego toda a importância que o Ali teve, seja no esporte, seja na parte dos direitos civis negros, mas nem por isso ele deixou de passar do tom com um ou outro adversário nas provocações.

          • Renato Rebelo

            Não lembro desse episódio, mas aí eu discordo. Os caras vão sair na mão e ficar ofendido por provocações pessoais sobre aparência é vitimismo demais pra mim. De fato o Ali usava muito o lance da beleza, dizendo que era bonito e os outros feios. Mas daí a ser passar do tom (Conor chamando o Siver de Nazista, por exemplo), eu não concordo. Nem com o caso do Uncle Tom. O Ali era burguês perto da história de vida do Frazier – teve uma infância mt, mt pobre- e msm assim tentava inverter a situação propositalmente. O “mental warfare” é um artifício não só válido, mas mt importante quando seus nervos sao testados na frente de milhões de pessoas. Sei q tudo tem um limite e o Ali não era politicamente correto, mas mts das criticas para com ele são exageradas no meu ponto de vista. O próprio Frazier, que foi a maior vítima da carreira do Ali – mais que o Sonny Liston- chora ao falar dele e se emociona ao lembrar a rivalidade no “Facing Ali” – outro ótimo documentário. É parte do esporte.

          • Malk Suruhito

            Não é questão de beleza, é sim uma característica étnica que o outro lhe tratou como inferior por conta disso. O que me veio a mente na hora foi o conflito Tutsi e Hutus (Ruanda).

          • Malk Suruhito

            P.s.: É no Facing Ali mesmo. “Ali” é o longa do Will Smith (Shame on Me)

          • Danilo Lopes

            Foi contra o Foreman, Malk. Ele dizia que nenhum lutador com aquele nariz poderia permanecer campeão.

  • André

    Kimbo Slice mito!

  • Guest

    Quando noticiou o problema do Jacaré e o adiamento da luta dele, eu só time uma certeza……………… Já temos um main event para o FN do Rio !!!!!

  • Weslei Alvarenga

    Quando soube da noticia do problema do Jacaré e que a luta foi adiada eu só tive uma certeza……………………… TEMOS UM MAIN EVENT PRO FN DO RJ !!!!!

  • Gefferson Nesta

    salve salve podcast sinistro como sempre!

  • Douglas

    Alexandre Matos estava correndo uma maratona durante o podcast?
    Parecia que tava fungando no cangote, cruz credo.

Tags: