Bem-vindos à “era de ouro” dos pesos médios no UFC

Lucas Carrano | 12/01/2015 às 11:50
Silva defendendo o cinturão contra Patrick Cote...

Silva defendendo o cinturão contra Patrick Cote…

Entre em sua máquina do tempo (é um DeLorean?) e ajuste o destino para dois anos atrás.

Chegue naquela roda de amigos em que vocês debatem MMA e, sem medo de “interferir com o fluxo de eventos no espaço-tempo”, diga a plenos pulmões: “Vim do futuro e lá a divisão de médios é uma das mais recheadas do UFC”.

Após cinco minutos ininterruptos de risadas e alguns compreensíveis abandonos, prepare seus argumentos. Isso porque, para os mais distraídos, a não mais do que 730 dias atrás a discussão corrente no meio do esporte era quão rasa era a categoria até 84 kg.

Acontece que, se em janeiro de 2013 Anderson Silva reinava soberano e aparentemente sem grandes ameaças na divisão, em 2015, no entanto, apesar de um campeão e tanto (acho que “aquela” fase com Chris Weidman já ficou pra trás, certo?), o lugar parece um verdadeiro ninho de cobras.

A primeira razão para essa mudança drástica de cenário em tão pouco tempo está justamente no trono. Em meados de 2013, portanto há um ano e meio, Anderson Silva perdeu o cinturão dos médios.

Seis meses depois, falhou em recuperá-lo. E isso faz muita diferença. Basta ver o que tem sido dos meio-médios pós Georges St. Pierre campeão.

Thales Leites...

Thales Leites…

A despeito de quaisquer questionamentos sobre os rivais do Spider ou mesmo como ele supostamente escolheria em demasia seus desafios, o fato é que ele tirou todos de sua frente por quase sete anos e somente sua saída do topo já cria uma nova dinâmica dentro da divisão.

E isso nos leva diretamente ao motivo número dois: Anderson Silva em busca do cinturão novamente. Não é toda categoria que pode dizer que tem um atleta da envergadura de Anderson na corrida pelo título – na verdade, atualmente não há outra.

E o ex-campeão parece estar a apenas um triunfo de uma nova chance.

Anderson Silva e Nick Diaz vão lutar e, obviamente, se Anderson Silva vencer essa luta, e com Chris Weidman ou Vitor Belfort vencendo a luta entre eles, então teremos Anderson Silva contra um desses dois caras pelo cinturão”, disse Dana White no UFC Tonight.

A lista segue e chegamos a Anderson Silva (nome bastante citado até aqui, não?), pasmem, até mesmo inibindo a chegada de outros lutadores ao título.

Como o recente caso do colega de treinos Ronaldo Jacaré, ainda mais completo e perigoso do que quando ostentava o cinturão do Strikeforce, que inclusive comentou a “furada de fila” do Spider.

Realmente pode acontecer e, se acontecer, é porque foi permissão de Deus. Se acontecer, vou torcer para o Anderson. Falar que não incomodaria, seria mentira. Mas não é uma coisa que ia me deixar muito bravo não”, disse Jaca ao Combate, mesmo tentando, sem esconder a pontada de decepção.

7569644.anderson_silva_e_demian_maia_350_479

Demian Maia…

Para manter a conta nos brasileiros, temos ainda Vitor Belfort, que está escalado para desafiar Chris Weidman e, que mesmo sob a sombra da suspeita de seu desempenho pós-TRT, não é carta fora do baralho para ninguém.

Há ainda Lyoto Machida, que se divide entre os grupos Brasil e ex-campeões que desceram de divisão para engordar ainda mais as fileiras dos médios.

Apesar de vir de uma derrota recente para Weidman, O Dragão teve uma boa apresentação no revés e já abriu com tudo sua nova empreitada rumo ao título, que agora esbarra em Luke Rockhold.

Aliás, o produto da AKA é outro bom motivo para crer que o peso médio está em grande fase.

Yushin Okami...

Yushin Okami…

Último campeão do extinto Strikeforce, Rockhold sofreu um duro golpe (literalmente) em sua chegada ao octógono, mas já se recuperou e faz a já citada luta contra Lyoto, que seria title eliminator nesta categoria em qualquer outra conjuntura histórica – exceto no momento atual.

Isso porque ainda não falamos de Tim Kennedy ou, especialmente, Yoel Romero, cuja chegada relegou nomes que costumavam flertar com a parte de cima da categoria, como Michael Bisping e Mark Muñoz, ao segundo plano.

As próximas semanas ainda prometem fazer ressurgir ao menos mais um nome para a divisão, quando os caminhos do multicampeão fora do octógono Gegard Mousasi e do interminável Dan Henderson se cruzarem na Suécia.

Daí, certamente emergirá mais um nome para a parte de cima da categoria (meu palpite, nada ousado: Mousasi).

Não podemos ignorar também que há no horizonte a possibilidade de que outros atletas se mudem para as 185 libras e deixem a situação ainda mais espinhosa.

Rashad Evans tem sido alvo constante de rumores sobre uma possível descida e alguém aí disse Maurício Shogun?

Novas (e terríveis) ameaças

Novas (e terríveis) ameaças

Mesmo que evite por ora, o ex-campeão do GP do Pride tem a mudança apontada como fato novo que poderia representar um verdadeiro reboot em sua carreira.

Por fim, para encerrar o conjunto de considerações, observemos o fato de que não se trata somente do volume de atletas envolvidos, mas o peso dos nomes destes.

Nem mesmo nos leves ou nos meio-médios, onde o top 15 transborda talento, não existem tantos lutadores com imagem forte e grande apelo junto ao público.

O resultado disso é uma categoria interessante tanto esportiva quanto comercialmente, a ponto de encabeçar dois eventos numerados consecutivos – UFC 183 e 184.

Algo quase sem precedentes na história recente, e que quando aconteceu foi devido às mudanças por lesão no UFC Rio 3 e o casamento de última hora de Anderson Silva x Stephan Bonnar para aquele card.

O tempo urge. Com as exposições finalizadas, é hora de analisar as reações – muitos vão permanecer incrédulos no que viram e, principalmente, ouviram – e voltar para o presente.

Já em 2015, aguardemos ansiosamente que versões de nós mesmos vindas de 2017 tragam a boa nova de que os pesos pesados são a categoria do momento no futuro.

Você duvidaria?

Abraços!

  • Daniel Cazan

    Concordo! Essa é (disparada) a melhor categoria atualmente. Chega até ser injusto com alguns lutadores esperando pelo tittle. Mas é muita gente boa, tanto que se pensarmos em futuras lesões nas lutas já marcadas, O UFC teria a disposição substitutos de luxo para cada ocasião. Mas logicamente não queremos isso, certo? Se todas as divisões fossem assim, luxuosas…

  • Filipe

    Esqueceu de citar o Thales Leite, que ta comendo pelas beiradas, e jaja estará se embolando entre os tops 5 da divisão, acredito eu pelo menos.

    • Nilo Júnior

      No pior dos cenários é um bom nome pra algum imprevisto. O UFC pode querer explorar o fato do cara já ter disputado o cinturão contra o Anderson.

    • Jonas Angelo

      Pensei nele também, tá afiando cada vez mais sua trocação, e seu jogo no chão dispensa comentários.

    • Renato Rebelo

      Tb citaria o Thales – porém, com um adendo: o Thales de hoje nocautearia o Thales de 2009, que disputou o cinturão da categoria.

      • Maldonado pepey

        Leites de 2015 que nem perto do top 5 esta venceria com facilidade moderada o leites de 2009 q disputou a cinta, no mais consigo imaginar o leites no top 5.

  • Malk Suruhito

    “Aquela” fase continua para muitos. Alguns dizem que só vão dar o braço a torcer após 28 de fevereiro. Outros, eu tenho certeza, só após o Jacaré (se o for), hahaha

    • Renato Rebelo

      Verdade, Malk. Capaz de até após isso (se for o caso) duvidarem do cara.

    • Pode apostar que vai ter gente que nunca vai dar o braço a torcer. Tem nego que odeia o Weidman só porque ganhou do Anderson e do Lyoto.

  • Junior

    …e teria o Sonnen e Wanderley ainda se não pegassem eles na tampa!!
    Não estão neste nível mas seriam capazes de promover duelos interessantes, pena que se aposentaram por problemas de doping.

    • Pedro Duarte

      Acho que o Sonnen versão 2010-2012 faria frente com a maioria dos médios atualmente. Sua língua, somada ao passado instável e as surras tomadas por Jones e Rashad (Atletas visivelmente mais fortes) desgastaram a imagem de um atleta que pra mim, era melhor do que as pessoas julgavam.

  • Junior

    Kennedy e Mousasi seriam top 5, 2 anos atrás.

  • will

    O Anderson, se for esperto, não deve se arriscar em outra luta pelo cinturão. Mais uma derrota para o Weidman vai acabar com a sua imagem de “gênio”. Coisa que eu nunca acreditei. Acho que hoje ele não ganha nem do Mousassi. O peso da idade é exponencial !

  • Felipe

    Me corrijam se eu estiver errado, mas na entrevista original o Dana White disse que o Anderson PODE enfrentar o Weidman, não? “If Anderson wins, he can fight the winner of either Vitor or Weidman.” Isso, vindo do Dana, não significa nada.

    • Pedro Duarte

      Se o Anderson ganhar de maneira convincente o TS é dele com certeza. Imagina o quanto de mídia isso não vai render. Isso sem falar que o cara já tá com 40 anos e a vitalidade está indo ladeira abaixo. São poucas as chances do Anderson se tornar campeão se não for a curto prazo, sem contar que isso também seria magnifíco pro UFC em termos de marketing.

    • Lucas Pereira Carrano

      Felipão,

      Não que isso queira dizer muita coisa pro Dana White (porque mesmo quando crava, ele costuma voltar atrás), mas a declaração não foi na condicional.

      Veja aí a transcrição original:

      “Diaz and Anderson Silva are fighting, and obviously if Anderson Silva wins that fight, and whether Vitor or Weidman win, then you have Anderson Silva versus either one of those guys”.

      • Felipe

        Ah sim, tirei aquela do mmamania! Só uma outra duvida: a próxima luta do Anderson já está marcada para ser a do TUF Finale, onde ele e o Shogun enfrentariam outros adversários no main card. Seria possível fazer um TUF FINALE valendo título? Acho difícil…

        • Lucas Pereira Carrano

          Só se fosse como o primeiro TUF, cuja final foi em um evento numerado.

          Além disso, há sempre a possibilidade de, caso o title shot pro Anderson se confirme, ele ser retirado desse card do TUF Final – como já foi feito da última vez com Sonnen e Wanderlei, aliás.

  • Jonas Angelo

    Crônica deliciosa de se ler, show de bola Carrano. Sobre a divisão, acrescentaria o Thales Leite, e gostaria que o Carmont tivesse se dado melhor, já foi um cara bem mais duro e poderia ser mais um casca grossa da divisão.

    Mas de qualquer forma, a divisão está recheadíssima de camarões, e quem tem a ganhar com isso somos nós, o UFC (muito) e os próprios lutadores. Pra ser bem sincero, acho que esse cinturão vai rodar bastante ainda, não consigo ver alguém soberano. Contra Weidman, Jacaré, Lyoto e RockHold acho que AS dont have chance.

    • Pedro Duarte

      Assumindo que o brasileiro manterá o alto nível pós-lesão, a maior ameaça continua sendo o Weidman. O estilo do campeão é um pesadelo pro jogo do Spider, ainda que eu ache que o Anderson tem sólidas chances de sair vencedor após o 3rd round. Ainda o consideraria favorito contra o Rockhold e Jacaré, e um confronto contra o Lyoto é realmente uma incógnita.

      • Felipe

        Yoel Romero é um matchup asqueroso para o Anderson também.

        • Pedro Duarte

          Acho que sim, mas o Anderson tem uma guarda perigosa, e nesse ponto o Weidman tem mais chances de anular o jogo de chão do brasileiro do que o cubano. Mas contra ambos as chances de êxito crescem consideravelmente a partir do 3rd.

      • Jonas Angelo

        Pedro, Jacaré é encardido demais pro Anderson. Segura o Anderson por 5 rounds no chão, igualzinho o Sonnen, com a diferença de estar trocando muito, vide a luta com o Mousasi. Jacaré estava jogando na área do Mousasi e ganhando dele meu velho. Jacaré não tem grife, mas pra mim vai ganhar essa cinta ainda.

        • Jacaré tem punhos pesados, capaz de derrubar qualquer um, mas ele não “troca muito”. Não tem nem comparação com o Anderson.

          • Jonas Angelo

            A intenção nem era comparar Alexandre, mas dizer que o Jaca pode sim fazer frente ao Spider, ainda mais levando em conta a idade e a fase dos dois.

          • Se o Jacaré resolver trocar com o Anderson, vai sofrer muito, a não ser que o Anderson volte muito abaixo de seu nível.

  • Marcelo

    A categoria dos médios está boa mesmo. O fim do Strikeforce foi bom, o “monopólio” do UFC no ponto de vista do torcedor, é bom porque coloca todo mundo no mesmo evento.
    E a categoria dos meio-pesados também “cresceu”. Antes tinha muito peso médio cortando pouco peso, como Machida e Shogun, que se for ver não cortavam peso nenhum e foram campeões.
    Hoje, até 93kg, só tem cara que poderia lutar nos pesados. Ficou ruim pro pessoal da 93 de antes, que está “fugindo” pros médios.
    O Shogun deveria descer com certeza, a não ser que a prioridade dele ainda seja de frequentar a churrascaria.

    • Filipe

      MMA Não poderia ser igual o boxe ? não intendo muito do esporte, mas pelo que sei, o mesmo lutador pode ser campeão das 4 organizações mundiais.

      • mazzaropi

        Sim. Poderia se o UFC permitisse contratualmente que seus lutadores participassem de outros eventos, mas isso não acontece… Alguns eventos de luta agarrada fora de lutas agendadas até são pemitidas desde que não prejudiquem os eventos do UFC.

  • Danilo Lopes

    Essa divisão está intrigante. O Lyoto é um fiel da balança dos mais interessantes da história do UFC.

    Imagine você é um prospecto da categoria e vê no Weidman um campeão ainda não tão estabelecido (tenho certeza que o Rockhold acha que consegue dar um pau no Weidman), (tenho certeza que o Romero acha o Weidman um playboyzinho NCAA que não dá conta dele no free style), mas no seu caminho você tem dois dos maiores lutadores de MMA de todos os tempos: Lyoto e Anderson.

    Cara, deve ser frustrante…

  • Anderson vai reinar tranquilo nessa categoria por mais 2 ou 3 anos, pode anotar.

  • Pedro Duarte

    Nunca vou duvidar de um cara que tirou pra nada um ex-campeão da categoria de cima, o Pastor das mãos velozes, o Ace Ventura e o banguela mais osso duro da história do MMA. Acho que o Weidman ainda é maior pesadelo pro Anderson nos médios, mas acredito no brasileiro contra todo o resto, de maneira convincente inclusive.

  • Gabriel Bianchi

    Parabéns pelo texto,acho que se AS ganhar bem do Nick não tem nem como ele não lutar pelo cinturão,pois ele contra CW ou VB lotará qualquer estádio em qualquer lugar do mundo,já em relação a mudanças de peso,tanto Rashad,quanto Shogun deviam subir aos pesados,pois até pela idade seria muito difícil bater 84kg,e subindo não precisariam mais se preocuparem com perda de peso e seriam mais ágeis que a maioria dos pesados.

    • Nelson Junior Ticaum

      Acho que c n viu quando o Murilo Ninja subiu pros pesados pra lutar o GP do Pride, a merda que foi… hehehehe Acho que subindo pros pesados, o Shogun chuta o balde de vez… Imagina sem precisar fazer dieta… Agora pra bater 84 kgs, ele deve ter uma disciplina de treinos e dieta, o que poderia fazer bem ao seu jogo… Shogun foi meu atleta favorito desde os tempos de Pride junto com o Fedor… Me deixa triste ver o cara tomar escovadas de nomes desconhecidos… Acho que ele deve a si mesmo um ultimo gas na carreira… E o Rashad eu sempre achei um 84kgs nato, assim como Cormier e Fedor (se analisarem a estrutra fisica, altura e dietas pos populariza;ao do UFC)…. Veremos…

  • Gefferson Nesta

    2015 será um ano fantástico nos meio médios e acredito que será um ano de rotatividade desse cobiçado cinturão… se o cris não se machucar ele não consegue manter essa cinta por muito tempo não! pois temos ai na fila… jacaré,luke,romero,spider,machida… a cabeça do cris ta a premio!

    • Renato Rebelo

      Começando pelo Vitor em fevereiro, né?

      • Gefferson Nesta

        Verdade! na torcida total pelo Vitor… sou fã desde moleque. e espero nocaute do vitor até o 3º round.

  • Raphael Seiji

    Categoria sinistra! De longe, a que mais me apetece!

  • Thiago Arruda

    Eu sei q Chris Weidman é um campeão incontestável, mas eu odeio ele, n sei pq, talvez pelo fato de ter vencido anderson e lyoto.

    A divisão tá mto massa, ainda n tá como os leves, mas se Rashad, Shogun e talvez até o Black Fedor baixassem de categoria, imagina como ficaria essa divisão. Holyshit!!!

    Na Thiagolândia, o futuro da divisão dos médio seria assim

    O vencedor de Chris Weidman vs. Vitor Belfort enfrentaria o vencedor de Ronaldo Jacaré vs. Yoel Romero. Se Rockhold vencer Lyoto (O que n vai acontecer), enfrentaria Anderson Silva, caso passe por Nick Diaz, Se Lyoto ganhar enfrentaria o perdedor de Jacaré vs. Romero pelo proximo TS

  • Clodoaldo

    Sabe aquele cara despretensioso, que cativa o leitor e se despe de seus egos para realmente trazer a informação… Lucas Carrano!

    • Renato Rebelo

      Concordo!

    • Lucas Pereira Carrano

      Que isso, cara.

      Fico muito agradecido que venha gostando dos textos. A exigência é alta quando seu trabalho está lado a lado ao de tantas feras!

      Abraço.

  • Rodrigo Tannuri

    Sem dúvidas, o momento dos médios é ótimo. Pra mim, o melhor da história da categoria. Dito isto, mesmo com toda essa pompa, ainda a classifica como a 4ª melhor no meu ranking particular. Ainda prefiro assistir a leves, meio-médios e penas. Mas, realmente, com tanta gente boa, diversas lutas interessantes se formam e a popularidade (que já era boa) aumenta ainda mais. Os brasileiros têm certa parcela nisso e estão aproveitando este momento, especialmente Jacaré, Thales e Caio Monstro. O cenário que antes era obscuro com o domínio de um campeão e desafiantes que não ofereciam tantos riscos mudou pra um novo campeão, que está sendo dominante, porém com oponentes de nível muito mais elevado. Que essa fase dure muito. Está muito legal ver o desenvolvimento da divisão e o desempenho desses atletas.

  • Regis Nogueira

    Além do Rashad, teria algum outro meio pesado que poderia descer? A categoria embolada desse jeito, já pensou se o Cormier resolve cortar o cheeseburguer e descer? Aí podia até fechar a dos pesados por um tempo que ia sobrar luta nos médios, e todas lutas principais.

    • Renato Rebelo

      Eu já ouvi de americanos essa possibilidade do Cormier. Minha questão é se a estrutura dele permite a essa altura do campeonato – uma vez que ele já bateu 84kg no wrestling. Se conseguir, perde performance? São duas grandes perguntas.

    • Nelson Junior Ticaum

      Ja andaram cogitando essa descida pro Cormier… Serio… Falaram sobre o Shogun tb… Cara… Categoria tem td pra ser insana…

    • Lucas Pereira Carrano

      Além de Rashad, Shogun e DC acho que não restou ninguém da LHW que pudesse descer para os médios “fazendo barulho”.

      Claro que todos são especulações, mas os demais ou seriam cortes improváveis ou não chegariam com alarde.

  • Deivis Chiodini

    2017 será o ano dos pesados, com Cabo Job derrotando Cain Velasquez e se tornando soberano ao defender contra o Gonçalo Salgado.

    • Lucas Pereira Carrano

      A gente tem que acreditar, não é?

      hahahahaha

  • Pedro Lins

    vim aqui porque ouvi uma lenda de que o Lucas havia escrito pela primeira vez um texto ruim. Pelo visto era um alarme falso. Texto sensacional!

    • Lucas Pereira Carrano

      São seus olhos…

      hahahahaha

      • Pedro Lins

        no meu caso é apenas um olho. No singular mesmo… hahahaha

        • Lucas Pereira Carrano

          Você é um caso perdido. HAHAHAHAHAHA

  • Nelson Junior Ticaum

    Em um eventual cenario perfeito para a categoria em um futuro proximo, deem uma olhada no “Curriculo” da categoria:
    4 ex campeoes LHW do UFC (Rashad, Shogun, Belfort e Lyoto), um MW e lenda (Anderson), 2 campeoes do Strikeforce (Rockhold e Jacare), Mousasi (esqueci dos titulos dele…hehehe), Campeao LHW e MW do Pride (Dan Henderson), Campeao do GP do Strikeforce pesado (Cormier), fora Romero, Kennedy… Sem esquecer do proprio Weidman, campeao… WTF!!! Nunca vi, nem de perto, uma categoria com tantos titulos… Isso so de MMA, pq temos titulos mundiais de JJ, Wrestling, Karate, torneio de UFC, etc… Lembrando que mesmo tirando Shogun, Cormier e Rashad, a categoria continua com um numero assombroso de titulos… Algo que n e mto citado… Tensa a categoria… Como li em um comentario aqui embaixo… Deve ser no minimo frustrante/decepcionante/triste, saber que para ter um title shot, tem pela frente pelo menos 2/3 nomes como Lyoto, Spider, Romero, Rockhold, Jacare, Belfort a bater… Pqp… hahahaa

  • Texto muito bom, como de costume, mas eu aponto dois “poréns” nele.

    Acho que Gegard Mousasi não é um nome em médio prazo pra se considerar (perdeu pro Machida e Jacaré de modos inapeláveis). Precisaria pelo menos de umas três vitórias arrasadoras apenas pra ter o nome inserido no meio dos caras que o venceram. Mas o UFC tem seus critérios sombrios, né verdade? Então vai que atropelar o coroa banguela joga o Mousasi de volta na briga.

    A outra parada é sobre os médios terem imagem mais forte junto ao público do que o povo do meio-médio e leve. Pra mim, a divisão dos médios nunca foi melhor que meio-médio e leve (e assim segue, mesmo na indiscutível era de ouro dos médios). O que acontece aqui é a velha questão que o interesse público cresce proporcionalmente à balança e à fita métrica – quanto mais pesado e maior, mais interesse. Sempre foi assim e não me parece que vai mudar.

    • Lucas Pereira Carrano

      Ale,

      Essa questão de “maior o peso, maior o interesse do público” é mesmo sintomática – é o que segura as pontas dos pesados, por exemplo. Mas acho que no caso dos médios, conforme dito, embora o talento esteja em maior número nas categorias de baixo, os nomes são mais fortes – isso mesmo na relação “ídolo para o fã”, e não o contrário.

      Afinal de contas, pra não alongar muito a lista de comparação, não há outra categoria hoje no UFC com três nomes da envergadura de Anderson Silva, Vitor Belfort e Lyoto Machida – e a parada fica ainda mais sinistra quando vc eles estão “no bolo”, pq não têm o cinturão.

      • Mas os nomes em questão só tem maior envergadura porque vêm das categorias mais pesadas, cara. Não tem como fugir disso. Em que sentido Machida teria mais envergadura do que um Ben Henderson da vida, que igualmente foi campeão do UFC (mas manteve o cinturão por mais tempo, além de ter sido campeão no WEC) e igualmente ocupou o ranking pound for pound (Henderson também por mais tempo)?

  • Nubia Castro

    Sem dúvida, atualmente a categoria dos médios é a mais interessante, principalmente quando comparamos com a dos meios-pesados, onde temos pouquíssimas esperanças de haver alguma mudança. Mas desses lutadores citados no texto acima , o que me chama mais atenção é o Lyoto Machida, que parece ter dado um up na carreira apos mudar de categoria.

    • Lucas Pereira Carrano

      Nubia,

      Mas diga aí, o Lyoto deu boa mostra de agressividade contra o CB ao conquistar sua segunda vitória em um main event do UFC sem sofrer um golpe sequer (recorde absoluto na história) – e ainda por cima com aquele petardo no fígado. hahaha

      Abraço!

      • Nubia Castro

        Realmente..vc lembrou bem. A última luta do Lyoto foi tão rapida que tinha até esquecido. Desejo ver mais vezes essa pegada do Machida em seus combates.Abraços!

  • Eliton c

    Baita texto parabéns!!! Sonho com a descida do Shogun e do Rashad pros 84kg, só pra ver o circo pegar fogo de vez. Já imaginaram num futuro próximo um Lyoto vs Shogun 4?

  • Bart Simpsons

    Tim kennedy não é dos melhores, não está entre os tops, longe ele de ser um “tubarão” da categoria, mas concordo quando ele disse que era p avisar shogun que a MW é um tanque cheio de tubarões e que todos vão devorá-lo. Todos não, mas aquele grupo ali dos 6 primeiros com certeza são pura ameaça pra qualquer um, de qualquer divisão, que resolvar querer se aventurar nos médios.
    Recentemente o senhor Johny Hendricks também chegou a comentar sobre uma possível mudança para a MW, kkkkkkkkkkkkk (desculpem os risos), mas tenho certeza que “big rigg” não traria nenhuma ameaça, principalmente para os 6 primeiros (Weidman, Jacaré, Vítor, Lyoto, Rockhold, Yoel Romero).

  • mazzaropi

    Perfeito Lucas Carrano!

    Disparado é a categoria mais disputada, competitiva e com mais renomados atletas!

    Ter três ex-campeões em franca disputa já mostra isso e quem pensa o contrário é ridículo! (50-45)

    (risos)