Brigas fora do octógono:
como atrasar o esporte

Lucas Rezende | 22/05/2017 às 14:58

Se bofetada, empurrão, mão na garganta e outras agressões leves fossem moeda, quanto você acha que seria essa taxa de conversão para o UFC?

Em qual momento comportamento abusivo e antidesportivo pode passar despercebido em nome de mais uma moeda no porquinho?

Pergunto, não com intenção de ser o paladino leal-bom da campanha, mas com a curiosidade de quem observa os trâmites há algum tempo, e vem percebendo cada mudança engraçada que aparece com o passar dos anos e conforme o crescimento do UFC.

Até montagem para explicar a briga rola na net

Pelos idos de 2006 – caramba, já tem 11 anos – Nick Diaz e Joe Riggs decidiram terminar o que haviam começado no octógono, se esbofeteando pra lá e pra cá dentro de um hospital, enquanto o sangue ainda corria quente, e Dana White não titubeou em cortá-los, como ele disse para o camarada Renato Rebelo nesse vídeo.

Tudo bem que com uma ligeira pesquisa descobri que tanto Diaz quanto Riggs voltaram ao octógono dentro de poucos meses, desmentindo a declaração do careca, mas o que vale é o contexto e a intenção de Dana.

Não tenho como saber o que de fato aconteceu para que ambos fossem readmitidos. De todo modo, a reprovação diante da postura da dupla ficou clara na expressão do patrão.

O problema é: o que difere Nick Diaz e Joe Riggs, e em caso mais extremos, como o permanentemente excomungado, Paul Daley, do que acontece atualmente em situações de pré-luta?

Vejam bem, quando Wanderlei Silva e Chael Sonnen capitanearam as equipes do TUF Brasil 3, a animosidade entre os rivais era de conhecimento geral. Ainda assim, Dana afirmou que o contato físico era terminantemente proibido.

Contanto que eles não troquem socos ou briguem fora do octógono, eles podem dizer qualquer coisa sobre o outro.”, mandou o chefe.

Hoje, sabemos que não só aconteceu o contato físico, como o clipe de Wanderlei tentando um soco e Sonnen se abaixando para encaixar um double leg não só passou impune como foi repetido por todos os episódios do programa, até ir ao ar em uma das últimas exibições da temporada.

O TUF 25 começou assim

Não há como não afirmar que isso não tenha pavimentado a estrada para que Cody Garbrandt se sentisse à vontade o suficiente para meter a mão na garganta de TJ Dillashaw logo no primeiro episódio do TUF atual.

Logo, também não há represálias duras o suficiente que impeçam Kevin Lee e Michael Chiesa de sair na mão durante uma coletiva ou de Amanda Nunes fazer o mesmo em encarada contra Valentina Shevchenko.

Chegando até mesmo ao extremo onde Cris Cyborg socar – e, segundo algumas publicações, arrancar um dente de – Angela Magana.

Ora, o UFC terceiriza essas penas às comissões atléticas e essas, por sua vez, não incomodam (ver os casos de Conor McGregor e Nate Diaz arremessando garrafas um no outro e Jon Jones e Daniel Cormier se socando em encarada).

Magana chamando Cyborg de “criminosa”

Daqui a pouco será preciso carregar um octógono portátil para essas situações cada vez mais recorrentes.

Profissionalismo à parte, a questão permanece. Conforme o esporte cresce, como esporte e também como espetáculo, o limite que o separa de show se turva a cada novo zero acrescentado a conta bancária dos patrões.

E aí nós temos que suportar esse tipo de papelão, que, infelizmente, ajudam a audiência a crescer. Então como combater algo que pode ser encarado como um mal necessário? Ou será que existem outros meios de alcançar essa grandeza, sem comprometer as credenciais de quem ainda crê no MMA como esporte e nada mais?

Se tudo é permitido, logo alguém chegará longe demais e aí todo o lucro pode desaparecer como se nunca tivesse existido, atrasando toda a caminhada por mais alguns anos.

É preciso que exista um limite até para a suposta falta de limites e eu sei que acreditar em Dana White é pior do que acreditar no Papai Noel, mas é preciso que os lutadores saibam que partir para as vias de fato não é tão interessante quanto parece.

Chiesa e Lee: nas manchetes graças a momento lamentável e constrangedor

Se já não existe uma popularidade pregressa, dificilmente fará diferença. É artimanha barata. Não acredito que Kevin Lee ou Michael Chiesa farão mais dinheiro em seu main event de Fight Pass devido ao bololô durante a coletiva.

Pode fazer diferença para Nick Diaz, Conor McGregor, Jon Jones e companhia, mas não para a massa do plantel inchado do UFC. Por mais que os nervos estejam à flor da pele durante uma encarada.

A prática é nociva. A imagem que fica é a dos mesmos trogloditas dos anos 90, do vale-tudo, daquilo que nem deveria ser chamado de esporte, na opinião da maioria.

Talvez seja difícil de enxergar esse monstro do outro lado da montanha de dinheiro, mas pode acreditar que ele está lá.

No momento ele assusta bem menos, porque com muito esforço ele foi aos poucos perdendo a capacidade de assustar.

Não sei se continuará inofensivo quando patrocinadores, redes de televisão e afins não se interessarem mais em associar suas imagens à selvageria e brutalidade não sancionada.

  • Diogo Barbosa

    O MMA é aquele cara hipócrita que ama os animais na internet ,mas deixa o cachorro sem passear morrendo de fome.
    Por mais que quem gosta dos aspectos técnicos da luta ache menosprezável a pancadaria fora do 8 , a grande massa gosta mesmo é de uma polêmica. É assim que programas sensacionalistas vem se mantendo a vida toda.
    Um bom exemplo é a quantidade de posts que temos em tópicos de tretas e picuinhas e a que temos em notícias regulares. Por mais que não gostemos (falo pela maioria que pensa um pouco no aspecto qualitativo da luta) isso faz uma divulgação gratuita e trás grana pra organização.
    Outro exemplo excelente é o fato de vários colegas aqui do Fórum julgaram este TUF como interessantes simplesmente pela treta entre TJ e o Cusão Tatuado. Aliás este sempre foi o foco dos Tuf’s, basta perguntar ao fan médio de quais eles se lembrar (com toda certeza será o da Ronda e da Miesha, Bisping e o Chapadão lá e por aí vai)
    Analisando tudo isso só me resta concluir que o UFC segue ,em regra quase que absoluta, os moldes do WWE em que os “””lutadores””” se xingam e excomungam-se por meses antes da luta pra agradar a grande massa, e depois põem o John Sena pra entrar com uma criança com câncer pra agradar os contrários.
    Em resumo: isso nunca acabará por que as empresas gostam.

  • Tiago Nicolau de Melo

    Trash Talking inteligente é massa. O Conor é muito bom nisso, quando não cai naquela de falar de dinheiro, que vende mais, dá mais retorno, etc e tal. Chael tbm manda bem. Eu sempre vou preferir o cara que não fala muito e chega na hora da luta e vence, mas se for pra perder na luta e no papo, que seja um pouco vocal tbm.

    • Renato Rebelo

      Pois é. Pra mim, o melhor “trash talk” de 2017 até agora foi um singelo “I love you / See you soon, Boy”.

      • Vinicius Maia

        TT ou ameaça de morte??? kkkkkkkkkkkkk Fico com a segunda Renatão kkk

      • Idonaldo Gomes Assis Filho

        E até agora é o mais efetivo também kkkkk

        • Vinicius Maia

          O cara ta correndo até agora kkkkkkkkkkkkkk

          • Idonaldo Gomes Assis Filho

            Só não digo que ele tá correndo pq “tá com o joelho machucado”, mas escondendo com certeza ele tá kkkkkkkk

    • Vinicius Maia

      Nem acho o Trashtalking do Conor bom. Acho o TT do Cruz bom. Do Conor ele fala apenas de dinheiro.

      • Leo França

        Tbm prefiro o do Cruz, que fala apenas de aspectos tecnicos e joga na cara do oponente, enquanto o Conor só fala de dinheiro, manda o outro se foder, rouba cinturão e arremessa garrafas d’água

      • João De Séllos Laclette

        O trashtalking do Dominic Cruz é o que há! Rsrsrs. Deixou o TJ sem palavras várias vezes.

      • Tiago Nicolau de Melo

        Do Cruz é até pecado chamar de TRASH, kkkkk. O Conor é legal quando não fala de grana. Aquela tirado no Jeremy foi fenomenal, admita.

        • Leo França

          Essa daí não tem como mesmo kkkk até hoje vejo este video

      • Lucas Natan

        Eu acho o do Conor MUITO bom, inteligente demais pras sacadas, só que ele fica chato demaaais algumas vezes. Já do Cruz nem dá pra chamar de trash, como já disseram, rsrs. É o que mais me agrada.

  • Renato Rebelo

    Acabaram de postar a discussão entre a Cris e a Angela, que terminou na agressão:
    https://www.youtube.com/watch?v=nT-79g3qGu8

    • Gabriel Nicacio

      Esse idiota de camisa vermelha ficou na frente, que droga

      • Carlos Montalvão

        Logo sai outro ângulo

    • Diogo Barbosa

      “I can talk shit about whoever I want”
      Pode não kkkk

      • Carlos Montalvão

        “I can talk abou.. *POW*…” hahaha

    • Lyn

      Não deu pra notar nenhum movimento suspeito da magana. Vai dar ruim pra Chris.

      • Marcio Lennon

        só o que a Magaña falou merecia até apanhar mais, foi pouco.

        • Lyn

          Concordo com vc mas a gente sabe que a comissão atletica não vai pensar dessa forma.

    • Lucas Wilniski

      Porra, o cara de vermelho estava na frente de quem estava filmando e nem deu para ver muita coisa

  • Lucas Oliveira

    Depois de tanto esforço para transformar o MMA em um esporte sério tem esse pessoal agora que quer joga-lo na lama. Será que é saudades de quando era um esporte proibido em diversos estados? A falta de Mérito esportivo e incentivo a brigas e showszinhos estão acabando com o UFC.

    • Lucas Rezende

      E ainda tem gente que aplaude. É o porco fazendo amizade com o açougueiro.

      • thai verdadeira

        Perfeito

    • Lucas Venagas

      hahahaha
      claro nos outros esportes americanos nao tem violencia
      o publico consumidor nao gosta de violencia e barraco

      • Igor Bittencourt

        Todo esporte de contato pode ser considerado violento. Vc pode partir a perna jogando futebol, futebol americano, basquete, hockey, assim como no MMA.

        Agressão gratuita, com um objetivo tosco como vem acontecendo, eh ridículo. São coisas bem diferentes.

  • Vinicius Maia

    Num sei por que o povo ta surpreso com a agressão. Todo mundo sabe que altos níveis de testosterona causam irritabilidade….
    Agora falando sério. Acho que qualquer agressão fora do cage é infundada. A Cris tinha motivos de sobra para revidar mas ao faze-lo se tornou tão errada quanto a Magaña.
    E lesão corporal é crime e a Cris pode sofrer represálias jurídicas pela briga tornando sua volta ao cage ainda mais distante. Com o vídeo da agressão ainda prova que a Magaña não tentou agredir a Cris como muitos estavam falando.
    Triste, pois a Cris é uma lutadora fenomenal e gostaria de ver o embate contra a Anderson.

    • Carlos Montalvão

      Testosterona? E a Miesha Tate que queria descer até o mosca caso criasse só pra bater na Felice Herrig e na Angela Magana que ficaram falando merda pra ela no Twitter? Sem contar os ataques à Tecia Torres, Joanne Calderwood e mais o caminhão de merda que ela vem falando nas redes sociais sobre várias lutadoras desde que saiu do TUF, ela tava procurando e teve o dente arrebentado com um soquinho da Cyborg quando finalmente achou, gringos chorões ficam falando em roid rage, mas se a Cris estivesse nas bomba de testosterona teria arrebentado a Magana ali mesmo batendo pra valer, não teria acertado a muqueta e continuado a discussão.

      • Vinicius Maia

        Cara, você se ateve a minha piada pra falar sobre pessoas que nem na briga estavam. E se a Miesha descesse pro mosca pra lutar contra a Felice e a Angela ela estaria correta pois lutaria no CAGE, recebendo e nas regras do MMA. Ela não seria acusada por lesão corporal.
        É difícil enxergar que ambas estão erradas??? Não acho. Defender a Cyborg de uma clara agressão é ser conivente com atitudes que não condizem com o comportamento de um atleta quando mais de um artista marcial.
        Acho a Magaña uma babaca mas não concordo com a agressão. Agora além de ter sido agredida verbalmente pela Magaña pode ser suspensa provisoriamente pelo UFC devido a problemas na justiça.
        O esporte é tão marginalizado e tendo uma pessoa como a Cyba que é famosa, cheia de seguidores tendo uma atitudes dessas mancha cada vez mais o esporte.

    • Lucas Rezende

      Independente do que a Angela tenha dito, a Cris deveria ter sido profissional e mantido a calma. Sei que todo é humano e tem os seus limites, Zidane na Copa de 2006 que o diga, mas no MMA esse tipo de coisa é meio rotineira, né? Não dá pra perder a razão assim.

      • Vinicius Maia

        Mas é exatamente isso que quis dizer. Mesmo ela tendo chamado a Cris de Zé Bonitinho ela não poderia ter cruzado a linha e agredido a maluca. Qualquer agressão fora do cage é infundada. Concordo que a Cris tinha motivos mas não poderia ter feito.

        • Lucas Rezende

          Eu sei, meu camarada, só complementei seu raciocínio!

  • Gabriel Branco

    sobre briga fora do octogono. Segue a linha McGragor. O irlandês, chama pra mão, joga garrafa, parte pra cima e pega cinturão… enfim… o UFC acha graça e estimula.

    O problema que depois vem o Kevin Lee e acha que basta sair socando o adversário na coletiva para ser o fodão…

    • Lucas Rezende

      Kevin Lee é um caso à parte, até. Faz tudo de errado pra tentar aparecer.

  • Bruno Goes

    Realmente concordo com o texto que é preocupante esse tanto de agressões fora do octógono que vem acontecendo ultimamente. Querendo ou não arranha a imagem do esporte, que convenhamos, já não é das melhores. Agora, que se há uma hipocrisia quando se trata de esportes de combate, isso eu não tenho dúvida. Praticamente todo jogo de futebol (principalmente na América Latina), se tem empurra empurra, dedo na cara, aquela cotoveladinha marota, e todo mundo acha bonito, é o “futebol raiz”. Dia desses rolou até soco na cara na Libertadores, e não vi ninguém pedindo a prisão do Felipe Melo, ou sua demissão do Palmeiras, pelo contrário, virou ídolo. Agora se um lutador de MMA perde a cabeça, tem que ser “banido do esporte”, “prendam esse animal”, e por aí vai.

    • Lucas Venagas

      NHL,o hoquei americano
      a briga e selvageria é ate liberada e todo mundo acha legal e lota as arenas
      so no mma que ficam de mimimi

    • Lucas Rezende

      Na Copa de 2014 um jogador, acho que da Colômbia, sofreu uma concussão com uma pancada, apagou e quando voltou a si, permitiram que voltasse ao jogo. Maluquice!

  • Thiago Germano

    o americano se permite extravasar quando a questão é entretenimento, eles separam isso da conduta pessoal e seguem a vida, a NFL é mais violenta que o MMA em si, jogadores de Hockey podem cortar na porrada 1×1, esta nas regras … corridas da Nascar e Indy tem brigas entre mecânicos e pilotos quase todo final de semana, e no caso da NFL ela gera muito mais grana do que a liga dos campeões da Europa … então não esperem moralidade no MMA, isso não cabe quando se trata de esporte realizado nos EUA, ainda mais em um esporte onde 2 caras são trancados em uma jaula pra matar ou morrer

    • Lucas Rezende

      Eu não deveria esperar profissionalismo de atletas profissionais?

  • Luis Coppola

    Apenas reflexo do monstro que o Ultimate criou e usufrui para gerar grana.
    Quando Mcgregor estourou, começou a chamar a atenção e vender mto, suas bolsas declaradas passarem de milhões de dólares, outros lutadores passaram a se portar de outra forma do que estão acostumados a serem, apenas para tentarem alcançar o patamar que o irlandês alcançou.
    Pode ter gente que ache o máximo o cara tacar garrafas em coletivas, entrar e roubar o cinturão do outro, mandar todo mundo ir se fuder, who that fuck, dar tapa na câmera de fã que tentar tirar uma selfie, mas esse exemplo de não respeitar nada e ninguém é o que está sendo passado aos outros lutadores que querem ter o mesmo caminho.

    Não acho certo partir para a agressão física, mto menos verbal em twitter ou pessoalmente, mas cada um é responsável pelos seus atos, além da capacidade de auto defesa ser implícita ao fato de serem lutadores profissionais. Quer falar merda de outro lutador que fale, mas que esteja ciente que o troco pode vir de outra maneira. Só não pode acontecer uma agressão verbal ou física a uma pessoa comum, que não tenha domínio de nenhuma arte marcial ou defesa pessoal, aí é covardia..

    • thai verdadeira

      Cara, se for por esse seu pensamento ae, tava todo mundo saindo na porrada, cantores, atrizes, fãs falam merda o dia todo, pessoas comuns vão na rede social só para provocar outras pessoas comuns, batida de carro em SP é diário, ânimos exaltados, é motorista xingando o outro, e se todo mundo tivesse esse seu pensamento ? Onda tá a relevância ? Maturidade ? A noção do certo e errado ? Sendo que isso no mma já é quase rotineiro, mas como a pessoa em questão é a cydoping, estão querendo justificar de qualquer jeito O.o “aaah ela xingou no Tweet, cyborg tá certa em acerta um soco” fala sério, bethe é a lutadora mais desprezível que já vi, falou coisas 10x pior para a ronda, falou sobre o pai dela e suicidio, nem por isso a ronda fez o que cyborg fez, ronda é uma atleta olímpica, oriunda do judô, que prega em conter o espírito de agressão, fez o certo, deu exemplo e resolveu no 8, já cyborg só deu mais motivos…

      • Luis Coppola

        Na onde mesmo que eu disse que a Cyborg está certa?
        Eu disse que cada um é responsável pelos seus atos e que arque com as consequências. Se alguém sair na mão no transito ou em qualquer lugar provavelmente sofrerá alguma punição, ou pelo menos deveria em um país sério.
        Tá faltando interpretar melhor o que anda lendo, eu nunca fui a favor de violência, e rede social pra mim tem o único intuito de mexer mulher..

    • Lele Me

      Sei lá, eu acho o conor e o sonnen dois casos a parte. è natural deles, os caras são zoadores natos, é tipo um dom. O que eu acho ridiculo sao os outros querendo forçar a barra e criar polêmica. Tipo, o Aldo empurrando o fulando no maracana e depois dizendo que foi planejado para polemizar…como assim? Não cola!

  • Daniel R Carletti

    Trash talking pra mim é baboseira.
    Briga fora do octógono é baboseira.

    E tá ficando cada vez pior…

  • Lucas Venagas

    Eu quero mais é que se matem dentro e fora do octagon
    geraçãozinha gourmet que acha ruim lutador sair no braco fora do octagon e ter rivalidade verdadeira,querem ver paz,amor e respeito
    Vai ver qual seria o interesse pra Cormier x jones 2 se nao fosse a rivalidade deles fora do octagon

    • Lucas Rezende

      Não sei você, mas eu consigo ter interesse em qualquer combate, desde que eu tenha noção da qualidade técnica dos envolvidos, independente do que eles fazem ou deixam de fazer fora do octógono. Se você pensa diferente, fale apenas por você, não por todos.

      • Lucas Venagas

        eu falo pela maioria,basta ver que os que mais vendem são os mais polemicos em sua quase totalidade atualmente,aos olhos do mundo é isso que importa e são eles que colocam dinheiro no bolso do ufc e não os fãs do respeito,sabedoria e paz
        é um esporte de COMBATE,a rivalidade vende

        • Lucas Rezende

          O que é uma pena, porque à longo prazo, isso vai prejudicar a imagem do esporte.

  • Marcio Lennon

    Magaña falou o que quis e recebeu o que não quis, ação e reação pura, se vc é valente para falar merda dos outros, tem que ser valente também para segurar a bronca, não que eu concorde, mas quando você não tem intimidade com a pessoa e ela já vir caçoando de você, falando merda, há quem tenha o sangue de barata e deixa outras pessoas fazerem o que querem, mas há quem não tenha, magaña está mais errada, pois foi ela quem começou a caçoar a Cyborg de graça, e a brasileira somente revidou, e foi pouco na minha opinião, ela só deveria esperar um local mais afastado para descer a porrada nessa vadia da Angela, que só ganha notoriedade exibindo seu corpo igual uma puta barata ou caçoando dos outros.

  • Felipe Lemes

    mas no Boxe, já nao rola isso?

    • Lucas Rezende

      Errado, também.

      • Felipe Lemes

        eu sei…mas pelo fato do MMA, ser um esporte novo, e em fase de aprovação pela midia, publico, países e estados…tem que ter mais cautela quando tem casos desses que sobressaem além do esporte…

  • Lele Me

    Gente, esse negócio aí de money fight, deles acharem que brigando vão conseguir chamar mais atenção e consequentemente terem mais público e dinheiro, chega a ser constrangedor.

    Como dito, uma coisa é o conor, jones, spider…agora o que vemos , são vários lutadores e lutadoras que se acham a cereja do bolo. Ver o bisping desdenhando de jacaré como se fosse um ‘Deus’, nossaa! Acho que é um exemplo clásssico de que algo precisa ser feito.

    E agora, o povo deu pra brigar, aí realmente o negócio vai ficar muito feio, ainda mais com um monte de legendários prestes a se aposentarem

Tags: , , , , , ,