Receita do Cappelli: vícios, virtudes e mais do mesmo

Fernando Cappelli | 15/12/2014 às 20:08

Júnior Cigano x Stipe Miocic. As expectativas recaíam sobre as possíveis novidades trazidas pelo brasileiro – sobretudo na parte estratégica – após a mudança recente para a Nova União.

Mesmo com a vitória, o atleta catarinense ainda pouco se mostrou reciclado. Mostrou virtudes, claro, mas também vícios que já o seguem há algum tempo.

Vamos então dar uma olhada mais de perto.

Encurralado

GlamorousAdventurousKingsnakeO boxe adaptado ao MMA de Cigano é considerado um dos melhores do esporte. Ofensivamente, o peso pesado recebe créditos por ser um golpeador elegante e letal na mesma moeda. Mas as defasagens defensivas têm se tornado gritantes.

Pressione Júnior Cigano e o coloque com as costas próximas da grade do octógono. O que vem a seguir parece inevitável: ele aciona o botão de slow motion, cai em um tipo de mormaço técnico e aquilo se transforma no pior incômodo do mundo.

Ao invés de esgrimar, girar ou medir forças, muitas vezes o brasileiro se mostra passivo demais. Segue recuando lateralmente com as mãos baixas, tirando o rosto para o lado.

Assim, se torna alvo fácil e recebe golpes desnecessários. Contra Miocic, as falhas novamente vieram à tona em diversos momentos.

Cigano já vem dando sustos do tipo desde o combate contra Mark Hunt, onde cortou dobrados na curta distância, justamente por ignorar qualquer fundamento mais sólido de bloqueio ou defesa.

Nas duas derrotas sonoras para Velásquez, sentiu na pele o terror dos clinches bem feitos.

Qualquer infight em qualquer modalidade de contato é traiçoeiro. No boxe, ficar com as costas nas cordas significa sinal de alerta ligado generalizado.

No MMA, onde os clinches não são uma ferramenta de contenção – mas sim de transição da luta -, o domínio dos movimento dos braços, estabilização e distribuição de peso entre quadril e pernas estão em outro nível e são providenciais para a sobrevivência.

Meio a meio

TeemingUnrealisticKingfisherO melhor momento do brasileiro aconteceu na terceira parcial. Miocic partiu para cima, Cigano recuou pendulando e, ao esquivar de um combo direita/esquerda, jogou outra esquerda em contragolpe na saída.

O norte-americano desabou, mas o lance só não foi definitivo pelo fato de o catarinense atingir o oponente com a parte da frente do punho e com o braço esticado demais, o que configurou mais uma bordoada do que um soco propriamente dito.

Vale lembrar que no MMA não existe área específica das luvas para atingir o oponente (com a parte acolchoada, por exemplo). Então, a manobra foi válida.

No plexo

Assinaturas constantes no arsenal do catarinense, os jabs e diretos na linha de cintura – usados para deter avanços dos adversários e tirar resistência – tiveram papel importante.

Contra Miocic, Cigano usou diversas vezes o recurso de forma isolada, principalmente a partir do terceiro assalto.

Pelas circunstâncias da luta, os golpes no plexo foram essenciais para dar ‘gordura’ ao volume de golpes e também para cansar Miocic, que até então nunca havia lutado cinco assaltos na carreira pelo MMA.

Chicotada

DelightfulSickCollardlizardOutra característica interessante foram alguns socos desferidos com as costas da mão por Cigano.

Trata-se de um recurso comum nas modalidades tradicionais, chamado ‘uraken uchi’ no caratê, também muito usado no kung fu, com ênfase no estilo wing chun.

Muitas escolas mais antigas de kickboxing usavam o recurso como ‘emenda’, no meio das sequências de socos.

Além do estilão vintage e da simplicidade da ‘chicotada’, a intenção é funcionar como variação veloz para o ângulo de ataques diretos.

  • Rodrigo Oliveira

    Perfeita análise. O Cigano adicionou novas técnicas ao arsenal (a cotovelada marota, e a linda queda) mas a estratégia continua a mesma. A maneira de lutar não mudou.

  • William Amaral

    Minha coluna preferida no 6R. Achei o Cigano um pouco mais lento que o normal, porém ele tava bem forte fisicamente. Ele levou a melhor na maior parte dos momentos de clinch, mas precisa, urgentemente, melhorar a evasão dele. Fazer um curso com Lyoto não seria má ideia.

    • Thiago Arruda

      Acho difícil, Lyoto treina na Kings MMA. Msm academia do Werdum.

      • William Amaral

        Foi só um modo de dizer, Thiago! Abc

  • Nelson Junior Ticaum

    Tem de dar um jeito nessa passividade… Ta come;ando a me deixar puto que nem o Lyoto em algumas lutas, que nem o Pedro Rizzo nas antigas (CHUUUTA RIZZO!!! – Eu e meu pai gritando… hahaha) A defesa de quedas eh boa… Ele consegue esgrimar e girar QUANDO QUER. Tem umas cotoveladas diferentes muito boas, que usou bem contra o Cain, apesar de ter usado pouco… Mostrou evolu;ao no chute em lutas passadas, mas nessa n soltou um… E por favor, ou melhora a esquiva de cabe;a e pendulos, ou, pelamordedeus, levanta essa guarda… As ultimas, sei la, 5 ou 6 lutas, a maioria do dano facial dele vem de golpes que ele leva por estar com a guarda baixa, parece ateh que ta de sacanagem… As vezes parece que ele da uma desligada na luta, tipo aquelas crian;as com Deficit de Aten;ao… Nao me levem a mal, ele e’ um dos meus lutadores favoritos, por isso fico tao puto… hehehe
    OBS – Desculpe pela falta de acentos, e ce cedilha, etc. Moro na Australia e nao consigo configurar o teclado direito!!! hehehe Abra;os!!!

  • Clodoaldo

    Que nick você usa no portla do Vale tudo Cappelli?

    • Fernando Cappelli

      Cara, nem tô por lá não. Mas tô sempre por aqui no Sexto.
      Abs

  • Cristiano

    Parabéns pela análise, Cappelli! Muito boa!
    Cigano me pareceu muito, mas muito lento. Nem de longe lembrou aquele “lutador peso pesado que se move como peso leve”, como diziam por ai.
    Acho, sinceramente, que ele lutou lesionado. O comentário do Minotauro não pode ser tão sem fundamento assim. Ele não inventaria isso. Tem coisa ai.

    Agora…que espetacular aquela pendulada do cigano. Linda mesmo. Se o soco pega em cheio, já era.

  • Matheus

    Mais uma vez excelente. Minha coluna favorita tb!

  • Danilo Lopes

    Mais uma ótima analise. Parabéns.

  • Álvaro

    Faltou mencionar a falta de ritmo de luta. Cigano estivera mais lento que o normal e demorou para encontrar a distância, inclusive quando a luta se desenrolara na trocação.

  • Evandro Juninho

    Será que é isso que a nova união tem pra dá pro Cigano? ou ainda veremos um cigano diferente? próximas lutas dirão…

    • Fernando Cappelli

      Difícil mudar um lutador de uma hora para outra. O Cigano não é um cara estratégico por natureza, mas pode pegar mais noção nesse sentido. Veremos.

      abs

  • Luiz Guilherme

    excelente analise ! parabéns!

  • Ricardo Mori

    Ótima analise Fernando! também achei o Cigano mais forte, mas mais pesado e lento do que nas épocas contra o Werdum ou Cro Cop. Cansou rápido. Gde abraço! Osu

    • Fernando Cappelli

      Com certeza. O Cigano parecia bem receoso contra o Miocic, fazia tempo que não lutava. E essa quantidade de castigo que tem levado a cada luta, em longo prazo, pode ser muito prejudicial.
      Abs
      Osu!

  • Bruno Fares

    O que mais me irrita na defesa do Cigano é ele querer bloquear os socos de OMBRO como o Floyd Maywheater faz tão bem no boxe. No boxe isso é valido, no MMA a luva é muito menor, é quase impossível.

    • forever

      também fico apreensivo com isso, e aqueles socos na região da cintura me racha a cara, faz isso na hora do clinch, o resto é paulada na cabeça mesmo..

  • Gabriel Fareli

    Ótima análise. Gosto muito dessa coluna, cada vez aprendo um pouco mais, e vejo as lutas por um angulo diferente, um angulo tecnico.

    Boa demais a coluna Capelli !!

    • Fernando Cappelli

      Obrigado pelo feedback, Gabriel!
      abraço!

  • Daniel Peixoto

    Todo mundo viu que o Cigano não mostrou nada de diferente nessa luta (até menos), poderia ter usado chutes (onde ele estava evoluindo bastante), conseguiu uma excelente queda (mas como tomou muita porrada na cara, acho que não conseguia pensar o que fazer e nem ter força suficiente pra segurar o Miocic no chão), e sem falar dessa guarda dele da saída do clinch é de matar um do coração.
    A sorte dele é que o boxe dele é de extrema qualidade e força, mas eu queria vê-lo ainda soltar mais de 2 golpes quando vai pra cima. Quando ele foi pra cima do Miocic que encurralou ele e soltou mais de 2 golpes, ele acertou todos. Cigano e sua trupe tem que analisar bem essas lutas e tentar melhorar, porque se não vai virar um Maldonado melhorado, da a cara pra bater e como aguenta porrada e o boxe de qualidade ainda pode ganhar as lutas!!

    Excelente post!

    • Yuri David

      Verdade, cara. Ele não soltava nunca mais de dois golpes.

  • Yuri David

    Cigano venceu um cara muito duro. Mas a impressão que fica é que se pegar o Cain, vai ser a mesma surra.

    O brasileiro tem um bom boxe e defesa de queda. Mas para por aí e seu jogo fica muito previsivel, agora todo mundo ja sabe seu ponto fraco. É só pressionar na grade que vira um deus nos acuda.

    Tem que chutar mais. Ele não deu um chute no Miocic, mesmo quando este andava para trás em vários momentos. A faixa preta de jiu jitsu mandou abraço também. E tem quem usar mais wrestling ofencivo também, variar o jogo pra deixar o adversario na duvida. Se fizer isso, o boxe vai funcionar bem melhor.

  • Bruno Conde

    O Cigano faz uso recorrente deste golpe com a parte da frente do punho. Não apenas no cruzado, como foi o caso contra o Miocic, mas todos os overhands dele saem assim. Veja contra o Hunt e contra o Velasquez. Ele investe mais na força gerada pelo movimento de rotação do que na aplicação da força no centro da massa, que seria o golpe com a parte da frente do punho, tecnicamente correto.

  • Bruno Conde

    Essa chicotada é interessante para colocar no meio das combinações. Não leva tanto perigo mas obriga o adversário a se manter com a defesa/esquiva ativa. O maior exemplo é o nocaute do Chris Weidman no Anderson Silva, cruzado precedido por uma chicotada.

  • Bart Simpsons

    Essa guarda baixa e aquelas corridinhas de lado, às vezes até de costas mesmo para se sair do oponente, só faltam matar do coração quem torce pelo Cigano. Já o fato dele ficar dando golpes isolados, principalmente jabs na barriga, sabemos bem que isso funciona, vai minando o gás do adversário e vai machucando, mas é de irritar porque em várias ocasiões dá para descer a marretada com o direto, mas o cigano opta pelo golpe isolado. Puta que pariu.
    Bom, espero que Cigano mostre que essa luta foi dessa forma apenas pela falta de ritmo. Assim como grande parte dos fãs de MMA dizem que Velasquez só perdeu aquele primeiro confronto para Cigano por conta do longo tempo de inatividade por conta de uma lesão, então também vamos dar esse crédito para o brasileiro também. Agora, se na próxima luta for essa mesma coisa, aí a coisa muda de figura.

  • Wilker Fonseca

    Cara, eu sempre tive a impressão que esses socos do Cigano com a parte de dentro do punho era um erro (ou vicio) tecnico. Não só dele, mas do Cara de Sapato tambem, os dois tem a mania de dar alguns socos assim. Não me lembro bem, mas acho que até o soco que nocauteou Cain Velasquez ele acertou com essa parte de dentro do punho. Não sei realmente se é um erro, mas sempre achei muito estranho.

Tags: , ,