Rousimar Toquinho: precisamos falar sobre

Lucas Carrano | 15/12/2014 às 15:02

SecondaryTimelyErinSe você é leitor assíduo do Sexto Round, já deve ter cansado de ler por aqui a caracterização do MMA como esporte e, necessariamente, entretenimento – e, consequentemente, vários temas que dizem respeito a esse lado “business” da coisa.

Tal concepção é algo muito claro para todos os membros da nossa equipe e usualmente é pauta de nossas produções ou mesmo conversas informais.

Por isso mesmo, no último sábado (13), foi a primeira coisa que me ocorreu ao término da luta principal do WSOF 16.

Antes de mais nada, se por algum motivo você não assistiu à primeira defesa de cinturão de Rousimar Toquinho com a vitória sobre Jon Fitch e/ou leu a análise do xará Lucas Rezende, sugiro que abra um parêntese e retome a leitura devidamente inteirado.

Pois, diante de mais uma polêmica envolvendo o já recorrente “segurou ou não segurou demais a finalização”, eu faço a pergunta: como alguém deixou isso acontecer de novo?

Parece-me inadmissível que um campeão de um dos três – ou quatro dependendo do seu ponto de vista- maiores eventos de MMA da atualidade se veja novamente no centro do mesmo debate.

A vitória de Toquinho foi perfeitamente limpa. Toquinho me surpreende sempre que luta. Ele é um cara assustador para qualquer um no mundo”, defendeu o presidente Ray Sefo no MMA Junkie.

E não é só isso. Com praticamente um alvo desenhado sobre si, Toquinho acumula enorme dano em sua imagem pública, o que obviamente lhe acarreta prejuízos de ordem financeira e esportiva.

Diante disso, insistentemente, repito a questão, que se não está, deveria estar sendo repetida à exaustão entre a equipe do brasileiro: de que modo permitiram que essa situação se repetisse?

É bom frisar que não sugiro haver qualquer tipo de má fé ou intencionalidade por parte de Palhares.

a81b2536c0e8924d4ccdaaf1a4853646

Finalização de outro ângulo

Por uma coincidência geográfica, cresci na mesma cidade em que ele começou nas artes marciais. Assim, conheço Rousimar desde o tempo em que ele ainda era o “Doido” e sei que agir deliberadamente desta forma não é de sua índole.

Para ser honesto, acredito que até aqueles que só o conheceram posteriormente e mesmo os que só têm contato com sua figura pública tenham a mesma impressão. Mas o fato é que isso pouco importa.

O brasileiro e pessoas próximas a ele já reclamaram sucessivas vezes do excesso de rigor com que suas finalizações são avaliadas e alegaram até mesmo a existência de perseguição.

Ok, sem vitimização, os julgamentos contra Toquinho de certo são mais rígidos do que com outros atletas, mas tal circunstância é fruto do histórico e seu impacto na opinião pública.

Para restringir a uma comparação recente, algo semelhante aconteceria caso Urijah Faber vencesse sua próxima luta novamente abrindo caminho para a finalização com uma dedada no olho involuntária.

A defesa de Rousimar também não ajuda. Por sua simplicidade e humildade, o campeão meio-médio do WSOF resume seus comentários a justificar sua inocência e seus argumentos a possíveis complôs.

Eu sinto como se eles esperassem eu fazer alguma coisa para em seguida vir atrás de mim, mas na verdade ninguém quer que eu vença. Eles preferem me criticar ao invés de me aplaudir porque se sentem melhor assim. Eles não são nada. Eles vivem da imagem dos outros e querem me colocar no seu nível. Eu não aguento isso”, desabafou ao “MMA Fighting” após o triunfo sobre Fitch.

Quem são eles? Eu iria além da descrição do próprio Toquinho, que disse que eles são “nada”, e diria que “eles não são ninguém”. Trata-se de uma definição vaga e caricaturada, que não faz o atleta avançar na questão, pois não é propositiva.

Se o próprio Toquinho ainda não se tocou disso, é fundamental que aqueles que o cercam e sua equipe – treinada, preparada e profissional – façam-no entender.

Minimizar os danos desta história que se arrasta por anos e trabalhar de forma eficiente, e com cautela redobrada, para evitar novos incidentes ou mesmo situações que abram margem para polêmica já deveria ser prioridade na preparação do lutador.

Na mesma entrevista aqui citada, Rousimar disse que vive o melhor momento técnico de sua carreira. Eu não poderia estar mais de acordo.

Por isso mesmo considero preocupante o que essa pecha, essa marca negativa, vem fazendo com o atleta.

Não dá mais para protelar. Segurar esse problema por tanto tempo não é uma opção.

  • Bernardo Miranda

    Um argumento valido feito por ele é: ninguem fala de ronda rousey que segura bem e nem de muitos outros atletas que continuam batendo apos o outro apagar. Ele segura menos de 2 segundos apos a chegada do juiz, não acredito que ele esteja segurando não, ta finalizando e de maneira certa.

  • Rafael Conto

    a unica coisa que lutei um dia foi boxe, não conheço de finalizações… mas acredito que ele perceba sim que recebeu os 3 tapinhas do cara que ele está lutando… outra coisa, acredito que uma gilhotina ou um mata leão o cara apaga, pode ser danoso, etc, mas as chaves que ele dá, pode acabar com a carreira do lutador… simples opinião apenas…
    abraço

    • Guilherme Nixon

      3 tapinhas ? antes fosse só 3

      • Rafa FriAll

        Pierce ta dando tapa até hj.

  • Danyel P Lorenzo

    Eu nem deveria novamente comentar sobre esse assunto. Mas como faixa preta de Jiu Jitsu há 6 anos, me sinto no dever de tal. As chaves de joelho, não são tão simples de serem executadas e exigem uma força além do normal das demais aplicadas na arte suave visto que é preciso vencer a resistência do musculo do quadriceps ou mesmo do vasto medial ou vasto lateral. Partindo do princípio que só o Juiz interrompe a luta, nem na luta contra o Pierce eu culpei o Toquinho por segurar demais a chave. Alias segurar demais as chaves e estrangulamentos tornou Royce Gracie um ídolo no UFC e como o próprio Toquinho disse, faz de Ronda Rousey a campeã absoluta em sua categoria. Excelente análise Lucas, abração.

    • Dan Mendes

      Do que se ta falando?! Qual é o seu ponto?!
      Royce é idolo por ter vencidos 3 dos 4 primeiros mesmo sendo menor do que grande parte dos seus adversárias. Ronda é campeã absoluta por que venceu todas as adversárias de forma dominante. Não tem relação com a maldade (ou não)do Toquinho.

      Alias eu não sei se foi esta intensão mas nas entre linhas do seu comentário você consolida que o Rousimar segura demais as finalizações.

      • Malk Suruhito

        Depois que Shanrock (acho que foi ele) bateu e depois quando Big John chegou falou que não tinha desistido, o Royce só passou a largar quando o juiz separava.
        Murilo Bustamante (um dos mentores do Toquinho) passou pela mesma situação. Acho que deve ter dado algum toque sobre isso alguma vez e o Toquinho tomou como regra pétrea.

      • Danyel P Lorenzo

        Dan, não sei se vc é lutador ou expectador, mas meu ponto de vista como lutador é que não há como julgar se a finalização foi além do limite, alias só quem está lá no momento de soltar ou segurar mais sabe. Mesmo pq, trata-se de dois atletas profissionais preparados para p um esporte de contato. Não via maldade na época do Royce, que não soltava mesmo após 300 tapinhas, mesmo pq era uma guerra como citado, não vejo maldade na Ronda envergando braços além do limite, nem no Toquinho como Eu mesmo citei, um finalizador aclamado por todos os lutadores de Jiu Jitsu.

        • Dan Mendes

          Sua resposta não tem relação com as minhas indagações: Royce não é ídolo por que segurou demais finalização muito menos; Ronda não é dominante por que supostamente envergou os braços além do limite ( o que é mentira).

  • Luiz Guilherme

    minha opinião é que o toquinho tendo o histórico que tem tinha q procurar soltar logo qdo sentir os “tapinhas”. o fitch deu qto, 9 ou 10 tapas? por que não soltou na metade para não ter mimi de ninguém.

    veja o exemplo de outro grande finalizador, o werdum. ele contra o minotauro soltou na hora que o minota desistiu verbalmente, sem o juiz precisar intervir. O que quero dizer é que se o cara tem um histórico como o toquinho pq não ser mais prudente como o werdum?

    • Guilherme Nixon

      Cara, eu não entendo. Ele deve ter problema mental, só isso pra explicar.

    • Lucas Pereira Carrano

      Luiz,

      Esse é um ponto-chave do meu raciocínio.

      O fato do Toquinho não ser culpado, ou deliberadamente maldoso, não está resolvendo. O impacto disso, intencionalmente ou não, está sendo devastador na carreira de um lutador extremamente talentoso.

      É hora de pensar estrategicamente. Adaptar as ações, dentro e fora do cage, para sanar, ou mesmo minimizar, um problema que é real.

      A discussão central que proponho não é nem a de colocar um cronômetro pós-tapinhas ou mesmo contar quantas vezes o adversário bateu, mas as atitudes (ou a falta delas) diante deste cenário.

      Grande abraço!

    • will

      A verdade é que ele é inseguro e não confia no próprio taco. Ele bota força de mais. O Verdum é um cara técnico, só aperta o necessário. Imagina esse Toquinho dando uma Guilhotina. É capaz de quebrar o pescoço do adversário! É um risco muito grande pro evento ter um cara imprevisível lá dentro.

    • Bart Simpsons

      Olha, já aconteceram vários casos de lutadores darem os 3 tapinhas, o cara que tá estrangulando solta, o juiz não viu os tapinhas e aí manda continuar a luta, só que agora o cara que tava sendo estrangulando já conseguiu sair da posição. Lembremos do royce gracie com shamrock nos primordios do UFC, lembremos do murilo bustamante que precisou finalizar o mesmo cara duas vezes para que pudesse valer uma. E não me venham dizer que a tecnologia poderia ser usada e bla bla bla. Realmente poderia, mas não utilizam. Quem não lembra o caso recente da luta entre jim miller vs donald cerrone? O cerrone acertou um chute frontal na barriga do miller, aí miller caiu no chao se contorcendo de dor e disse que o chute pegou nos testículos, e o juiz acreditou. Cerrone teve que nocautear duas vezes o mesmo cara para que pudesse valer uma. E o mais recente caso da luta de Faber contra Rivera? Mostraram lá na hora o replay, todo mundo viu o absurdo que foi aquela dedada no olho do Rivera, mas a comissão não quis nem saber e deu vitória para o californiano.
      Foda-se quantas vezes o Fitch bateu, o juiz é que tem que vir e intervir. E na minha opiniao, nessa duas últimas lutas, contra Steve Carl e contra o Fitch, foi tudo tranquilo, Toquinho soltou no tempo certo, talvez um segundo a mais contra o fitch, mas nada para gerar a polêmica. Atitude de Claudinha Gadelha no último fim de semana foi muito pior e vi muita gente saindo em defesa da brasileira, algo que pra mim não tem defesa nenhuma, ali foi puramente proposital e deveria receber punição.

  • Jonatas Maciel da Silva

    Eu não vejo o pq segurar a chave depois que o cara bate, se o cara desistiu temos mil cameras em volta, olha o caso do Anderson contra o Sonnen. E se o adversário estourar os ligamentos? Como o luiz Guilherme falou se fosse o toquinho no lugar do Werdum, e pq o juiz precisa puxar tanto o cara? Temos que ver que do outro lado há um companheiro de trabalho

  • Rafael Conto

    eu entendo quem luta etc… mas eu acho realmente que ele exagera um pouco e esse um pouco vai foder a carreira dele, pois nessa o presidente do evento disse que tudo bem, e se na próxima ele machucar o outro lutador, ele vai dizer que tudo bem novamente?? concordo com o colega abaixo, acho que deveria ser mais prudente…

  • Felipe Paranhos

    “Eles”, no caso, devem ser os jornalistas que o criticam, né? Uma pena que tanto lutador veja crítica como perseguição pessoal. E dá-lhe jornalista amiguinho.

  • will

    Os fatos são claros. Ele realmente não solta quando o adversário bate. Esse tempo entre o adversário bater e ele soltar é grande e gera lesões nos adversário. Pensando no “entretenimento” o Toquinho prejudica o evento, pois lesiona os adversários e cria polêmica em torno de suas lutas. O UFC acertou em demiti-lo. Não importa se é de propósito ou não. Um cara que não consegue se controlar no octógono não serve pra ser lutador. Ele mesmo é seu único inimigo!

  • heitor

    só chororô, toquinho monstro, quem não aguenta peida

  • Igor Mello

    Vale lembrar que essa história da “inocência” do Toquinho também não se sustenta. O próprio Murilo Bustamante, mentor dele durante boa parte da carreira, relatou que o Toquinho machuca oponentes até nos treinos na academia, que todos o repreendiam e ele sempre arrumava uma desculpa. Humilde ou não, ele hoje é um atleta profissional muito bem sucedido, não tem direito de agir assim. Não dá para dizer que não percebeu a desistência do Fitch. E ainda seja correto ele esperar o juiz interromper, deveria no mínimo ficar ligado para soltar assim que houver a interrupção, em vez de ter que ser puxado pra parar.

  • Fabricio Alves

    Quando os ligamentos do seu joelho estão em jogo, 1 (um) segundo a mais na finalização pode significar 9 meses de fisioterapia.

  • Fabricio Alves

    Porque o Toco nao segue o exemplo do Pettis? O cara bateu, o Pettis solta. Não precisa nem da interferência do juiz.

    • mazzaropi

      Machida escolheu não socar Bader e o Henderson escolheu se catalpultar pra cima do Bisping covardemente… São escolhas e mereciam cada uma delas merece elogio ou punição… simples!

  • Tadeu Pastorello

    Pra mim tem que aplaudir mesmo, todo mundo sabe o que o cara vai fazer e ainda cai nessa, já sabe, tem que evitar ser pego na perna (Belcher conseguiu e ele nem teve chance contra o Lombard) se caiu já bate logo pq sabe que o cara é ogro (talvez o fato do Toquinho pegar tanta gente seja pelo fato de colocar tanta concentração e força nessa chave, por isso se desliga um pouco) o negócio é evitar, vai resistir pra vc ver, desde a luta que ele parou de bater e quase perdeu depois contra o Dan Miller (eu estava lá ao vivo e nunca vi uma coisa tão tosca, vergonha alheia) acho que ele ficou com algum problema com isso e se baseia na regra, só larga quando juiz mandar larga e for enfático. Quando o cara está batendo em nego caído o juiz não chega pulando, então com toquinho tem que ser assim, juiz tem que chegar com voadora na cabeça dele e está tudo certo, hehehehe..Até hoje nego chora (mais jornalistas e fãs do que os próprios lutadores) mas que eu saiba todos com quem ele lutou estão com os joelhos inteiros, ou pelo menos nada muito sério (lesão nesse esporte acontece com outras chaves, socos e chutes), quem vê pensa que acabou com a carreira de alguém, então bola pra frente e palmas pro Toquinho, finalizou mais um amarrão americano, tá mostrando para os Brasileiros como se faz.

    • Rafa FriAll

      Ele já vez isso quando lutou em evento nacional, não é de hoje esse problema.

  • Jailes Vieira

    Questão bastante polêmica. O problema disso tudo é quantidade de vzs q acontece vindo do Toquinho. Frank Mir já quebrou braço do Minota, e são vários os casos, o fato é, que não advém sempre do mesmo lutador. Já no caso do Toquinho sim. Acho que ele não faz isso com má intenção e sim por segurança, pois existem casos em que não se pega o tempo e com firmeza necessária e ocasiona-se em derrota, temos exemplo Belfort vs jon jones. Nesse caso especifico de sábado qnd vc olha na camera lenta de fato vc não tem duvidas q é imprudência, mas vendo no tempo real parece muito rápido não tendo como julgar e condenar o Toquinho

    • Jonatas Maciel da Silva

      Não da pra comparar o que o Toquinho faz com o que o Mir fez com o Minota, o Minota “não” bateu, foi escolha dele deixar a chave ir longe… se o Fitch não tivesse batido e a perna do Fitch quebrasse ai era do jogo azar o dele quem manda não desistir, mas ai o cara desiste e vc continua apertando ???

      • mazzaropi

        Perfeito!

  • Juan

    Não podemos esquecer que, segundo a regra, quem para a luta é o juiz ao ver os tapinhas, e não o lutador ao senti-los (por que nem sempre dá pra ver ou sentir).

    Tratando-se de chaves de perna, o estrago é grande se o golpe for efetivado, mas na regra atual sempre haverá abertura para o impasse: “Consigo sair, não vou bater enquanto aguentar” e “Não vou soltar para ele não escapar”.

    Então, sem alterar a regra, minha sugestão é que o árbitro tivesse meios mais rápidos de notificar o lutador que parou a luta, por que até ele se locomover, tocar os lutadores e eles se soltarem é muito tempo.
    Por exemplo: uma luva de árbitro que emitisse sinais elétricos ao tocar o lutador, ou um controle emitisse sinais elétricos nas luvas dos lutadores e um aviso sonoro também poderiam ser úteis.
    Fora isso, sinto falta do gongo do Pride…

    • mazzaropi

      Pelo que eu saiba os três tapinhas já são desistência sim, e se o oponente causar lesão sofrerá as sanções do esporte sim…

      Adorei a idéia das luvinhas com sinais elétricos… Que mundo você vive mesmo?

      (risos)

      • Juan

        Então, os três tapinhas significam desistência sim. E, correto, SE perceber a clara desistência de seu adversário tem que soltar mesmo. Mas como o lutador nem sempre está apto a ver, sentir ou ouvir a desistência alheia, a responsabilidade é do árbitro central. É nesse ponto que quis chegar.

        Haha, o mundo é o mesmo mundo em que a luz do acende quando o disco entra no gol do Hockey. Essas tecnologias meio que já existem.
        A luva elétrica do árbitro é bem simples, um micro-taser acoplado já resolveria.
        E melhorando um pouco, poderia caber naquela parte da luva dos lutadores onde fica o logo e receber o sinal bluetooth de um controle nas mão do árbitro, por exemplo.

        O interessante é que essas idéias, na mão de um bom marketeiro, poderiam vendidas como “Segurança dos atletas primeiro”.

  • Antônio Figueiredo

    Se não tem como condenar o Toquinho, também não tem como defender. A recorrência com que acontece com ele é o principal problema. A análise foi muito coerente, falta senso estratégico, gestão das ações dentro e fora da arena, com fins práticos para a carreira do lutador….no mais, pelos comentários dos sues treinos e pelo que vemos nas suas lutas, mesmo com 15 anos de jiu-jitsu eu não gostaria de treinar com o Toquinho, ou se o fosse, pedia para parar na mesma hora que ele pegasse no meu pé.

  • Caio Abreu

    Cara o histórico do toquinho é foda… é previsivel e assustador ao mesmo tempo, lembrando que ele os caras que ele pega não são pangarés, a técnica dele é perfeita demais, ele é muito forte e um pouco maldoso também contra o fitch acho que nem demorou tanto assim, quanto em algumas lutas do UFC. Gostaria de ver mais gente usando as tecnicas de finalização na pernas, é muito pouco ultilizada no MMA.

  • mazzaropi

    Eu acho que Toquinho deveria treinar segurar a posição e quando o adversário desse os três tapinhas solta-se… (risos)

    Claro que deveria soltar, mas das outras vezes que ele soltou levou fumo! Agora ele solta apenas quando o árbitro chegar… (Mas ele ainda segura um pouquinho convenhamos!)

    Para ajudar nesta gana do Toquinho em arrochar seus adversários preferem provocá-lo mesmo conhecendo seu perfil perfeccionista. Louco quem aceita lutar com Toquinho!

    Sabe o que vai acontecer? O dia que o árbitro estiver um pouco mais distante, vai demorar pra chegar e o pior vai acontecer… (Espero que nunca aconteça) Se acontecer teremos 2 atletas aposentados, um por invalidez e o outro por negligência às regras esportivas.

    • mazzaropi

      Toquinho já é o maior finalizador de chave de calcanhar, pé e joelhos da história do MMA!

      Indubitável!

  • Lero

    Precisa segurar mesmo ate o arbitro mexer ele. Se o Vitor Belfort tivesse esticado um pouco mais o braço do Jon Jones, hoje a historia dos meio pesados do UFC fosse outra.

  • Malk Suruhito

    Me corrijam caso eu esteja errado: sabendo o histórico do Toquinho e também que este golpe não é um movimento rápido (em relação a por exemplo, um H-Bomb), custa ao juiz se posicionar ao lado no começo do encaixe do mesmo?

  • Rodrigo Muringa

    Assistam o replay e prestem atenção só no árbitro, esqueçam o Fitch: assim que o árbitro chega o Toquinho solta imediatamente. Por uma questão de fair play, o Toquinho até poderia soltar quando o Fitch bate, mas o correto é esperar o árbitro interromper como ensinou o Yves Lavigne para o Demian Maia nos vestiários do ufc. Portanto, ele agiu corretamente. No mais, o próprio Fitch o elogiou, disse que sua técnica era perfeita, que ele era um cara legal etc. Se o próprio “ofendido” não achou nada de errado, se o patrão disse que foi tudo limpo, acho que a polêmica se encerra. E “eles” a que o Toquinho se refere creio que são vcs da imprensa especializada que alimentam essa polêmica a cada luta que ele faz.

  • Bart Simpsons

    Nas últimas duas lutas, contra Steve Carl e Jon Fitch, não teve nada demais, Toquinho solto no tempo certo. Não me venham com papo de que o fitch bateu 500 vezes e o toquinho não soltou. Quem tem que mandar parar é o juiz, e quando isso aconteceu, o brasileiro soltou de boa.
    Claudinha Gadelha teve atitude muito pior no último fim de semana e não recebeu nenhuma punição por parte das comissões, algo que seria muito justo, além de eu ter visto pouquissimas críticas por parte do público.
    Toquinho mito! Merecia voltar ao UFC, mas como quero que os outros eventos também cresçam, quero que os grandes lutadores se espalhem por eventos mundo afora e não que fiquem agrupados apenas no ultimate, então que ele fique no WSOF, reinando absoluto e detonando todo mundo na mesma chave.
    #WarToquinho

Tags: ,