Edson Barboza e a dinâmica que venceu a marra

Fernando Cappelli | 24/11/2014 às 20:30

Movimentação dinâmica e estilizada foi o destaque em vários combates do UFC Austin. Chico Camus, Frankie Edgar e Edson Barboza usaram variações do recurso como diferencial para desenhar vitórias.

O confronto do striker brasileiro contra Bobby Green era o que eu mais esperava neste card. Então vamos analisar.

Providencial

Barboza celebrando no finzinho

Barboza celebrando no finzinho

Movimentar-se corretamente é o ato mais básico de qualquer modalidade de luta. Ao mesmo tempo, é uma dos setores mais complexos de ser dominado.

Na hora do aperto, sufoco ou cansaço, é o primeiro fator afetado pelos famigerados ‘brancos’. Mesmo entre os mais experientes.

O boxe defensivo é considerado por muitos como puro antijogo. Por outros, é pura excelência técnica.

Por mais que pareça subjetivo, na prática de um combate é grande a diferença entre recuar e fugir.

O mérito de Barboza contra Green foi girar constantemente sem dar tanta pinta de estar acuado.

Claro que houve alguns sustos. Mas mesmo com o adversário em avanço constante, ele se manteve no controle, entrando e saindo dos raios de ação para executar golpes. Pura movimentação funcional.

O estilo pouco ortodoxo do norte-americano é traiçoeiro. As mãos baixas, o desleixo ensaiado e a confiança excessiva aliados ao bom poder de nocaute podem ser surpreendentemente letais.

Por muitas vezes ignorar a mecânica dos fundamentos, muitos socos e chutes são desferidos do nada, em ângulos menos comuns (com o atleta balançando as mãos, por exemplo).

Marca Registrada

Green pagando por avançar

Green pagando por avançar

Green tomou a iniciativa do combate, mas perdeu a meada na provocação, e assim foi moído aos poucos pelo focado carioca.

Edson Barboza não fez nada de revolucionário, mas o mérito foi adaptar as habilidades preferidas com o footwork de forma muito particular.

Não apenas criou nova dinâmica no octógono, mas manteve isso praticamente o tempo todo do combate, o que é bem complexo contra um contragolpeador imprevisível.

Com o bate/sai bem treinado, o carioca gradativamente acertou combinações limpas de socos combinados com caneladas demolidoras nas pernas.

Nos melhores momentos, arrumou espaço para mandar um chute giratório que acertou atrás da orelha e desnorteou o oponente, além de um belo contragolpe em cruzado de esquerda.

barbosa_kick3

Ouch!

Quando a distância encurtava Barboza cravava os pés na frente de Green por alguns momentos. Aí disparava combos rápidos, também chamados de ‘crescente’: quatro ou cinco socos que começam na linha de cintura e sobem até a cabeça.

Ao lado da ambidestria e de marcas registradas técnicas que variam caso a caso, a movimentação bem pensada e controlada é cada vez mais vital no trivial dos lutadores modernos.

Se você gosta do assunto, procure boxeadores como Pernell Whitaker, Sugar Ray Leonard, kickboxers Pete Cunningham e Giorgio Petrosyan, além do carateca Gary O’Neil.

Se é fã de coisas vintage, relembre o clássicão Bruce Lee x Chuck Norris no filme ‘O Retorno do Dragão’. Diversão garantida.

  • Lucas Wilniski

    O legal é lembrar que o Pernell Whitaker é o ídolo do Floyd Mayweather por causa da esquiva.Além do mais, excelente texto.

    • Fernando Cappelli

      Com certeza. Acho o estilo de boxear do Anderson Silva muito parecido com o do Whitaker.

      abs

  • Mauricio Camargo

    Baita texto, o cara aprende muito lendo

  • Matheus

    Cappelli: best in the business!

  • Marcelo Silveira

    fera demais o texto. Parabéns,

  • Natan Machado Fauzi

    Cara o Barbosa é um dos poucos lutadores de MMA que realizam com extrema perfeição o Chute Calcanhar giratório, me impressionei com a lucidez que ele o aplicou no Green atordoado, e mais, pagaria um dinheiro forte para assistir Barbosa x Pettis, isso sim seria uma aula de Kickboxing/Muay Thai/ TKD.
    Ótima análise, focou em um pilar que está sendo uma das caras do MMA moderno, o Footwork.

    • mazzaropi

      Barbosa, Francisco Filho, Andy Hug, Keith Cooke, Billy Blanks, Loren Avedon… Mas o clássico é Van Damme! Parado ou pulando ninguém ganha do bicho… kkk!

  • Caio Abreu

    sinistro cappelli, comentários muito bons pra quem gosta de analisar a luta em detalhes, acho que o Barbosa teve chance de nocautear, se tivesse segurado o ritmo em alguns momentos, ma preferiu jogar na segurança, se continuar nessa pegada teremos um brazuca brigando nas cabeças em breve.

  • Pô, Cappelli, e o Frank Dux? hehehe Não na movimentação, mas no golpe giratório..rs

    Demais a análise.
    Se o Barbosa tivesse mais sangue no olho, daria para voar para cima do Green logo após o giratório e quem sabe liquidar a fatura (puts, que termo Rhodes)?

    Tudo bem que foi seu lado racional que o ajudou a vencer a luta, Edson merece nosso respeito!

    • Fernando Cappelli

      Vai saber. Dizem que o Frank Dux real é um baita picareta… rs!
      O Barboza ‘vestiu a roupa certa’ para este combate, sem dúvida. Manteve-se gelado e seguiu a tática até o fim. Muita maturidade no octógono. Daí pra frente nos leves só vem gente cascuda. Vamos ver o que acontece.

      abs

  • abner albuquerque

    Costumo dizer que o Barboza tem o chute mais forte do MMA mundial.Alguém discorda?

    • Bruno P.

      Talvez o Lesnar discorde, hehehe

  • Natan Machado Fauzi

    Capelli, não sei se você conhece, mas vale citar também o monstro, Steve “Superkick”.

    • Fernando Cappelli

      Ele é fera mesmo. Old school. Kickboxer que veio do taekwondo ITF.

      abs

  • Tiago Nicolau de Melo

    Barbosa sinistraço no muay, tá louco. Abandonou um pouco a guarda do carro-chefe e tá num misto de boxe/thai, mais “fechadinho” (alô, queixo?). Recomendo aos interessados em buscar tbm vídeos e matérias com o holandês Ramon Dekkers, primeiro estrangeiro a vencer o mundial de Muay Thai na Tailândia. Ótima análise, bruxão!

  • Andre Nishimura

    Q visão … texto faixa preta !!! Oss

  • Nelson Junior Ticaum

    O Green deu foi sorte daquele giratório ter entrado mais com o tornozelo. Se pega com o calcanhar em cheio (o que foi questão de centímetros ) ele tava desmaiado até agora.. Lutao do Barboza. Mesmo depois do KD manteve a calma e se ateve ao plano de luta… Na torcida pelo cara… Potencial monstro…

  • Eduardo Sanguinetti

    Não vejo um TUF melhor liderado do que Rafael dos Anjos x Edson Barboza. O fato de eu ser muito fã dos dois faz com que eu não queira que esta luta ocorra, mas sem dúvidas seria uma luta excelente e um TUF com excelente nível técnico. Além do fato de que o vencedor dessa luta, com certeza se credenciaria para um Title Shot. Qualquer coisa um Edson Barboza x Cerrone II me agrada muito!

    • Jonas Angelo

      O único empecilho, é que o Hype do Rafael e do Barboza não são nada animadores para a audiência que um TUF demanda.

      • Eduardo Sanguinetti

        Concordo plenamente, mas aí é que esta o problema. Se depois de tantos feitos o Rafael dos Anjos ainda é desconhecido do publico brasileiro, é sinal de que há alguma coisa esta errada.

        O que me leva a refletir sobre quem serão os ídolos ativos do esporte depois que as “estrelas do Pride” se aposentarem… Vão sobrar muito poucos…

        • mazzaropi

          No ordem natural da vida, uns vão e outros vem, quem se aposenta fez história e quem vem constrói história… Assista os novos protagonistas do cenário MMA e vera que muita coisa está sendo construído.

          • Eduardo Sanguinetti

            Brow, acho que tu não entendeu o meu ponto. Na minha opinião o Rafael dos Anjos já construiu uma história, e na minha opinião uma história tão grande quanto muitos lutadores idolatrados até hoje. A minha critica é o fato de a maioria não reconehcer isso e pior, as vezes nem saber de quem se trata o lutador… Osssss

  • will

    Apesar da evolução na luta do Edson acho que ainda é cedo pra dizer se está pronto pra disputar um título. O Green ê muito limitado tecnicamente, apesar de ser muito forte. Contra um striker o Edson se garante, mas e numa luta agarrada contra um tal russo super humano?

    • mazzaropi

      Dê uma chance ao Green amigo, ele vem melhor na próxima…

      Barbosa vem melhor a cada luta e é bem visível mesmo isso!

  • Malk Suruhito

    Não gosto do estilo do Green. Não tem nada a ver com as provocações, gracinhas e etc, mas a postura de luta e os golpes que ele soltam parecem de Funkeiro da época de Lado A x Lado B (quem é do RJ sabe).

    • mazzaropi

      O lado bom do Green é que ele não tem nada de “Diaz” em seu estilo… Você pode até não gostar dele, mas seu estilo intimida muitos lutadores e sua agressividade encerra lutas à seu favor… Isso é o que conta!

  • Malk Suruhito

    Capelli, gostaria de lhe fazer uma pergunta meio off tópic (mas que pode ser respondida também na próxima Pergunta dos Leitores):

    É correto dizer que um lutador que tem (exemplo) 20cm a mais de envergadura, tem isto de vantagem efetiva contra o adversário (e não apenas a metade), levando-se em conta que esta é a distância entre a os extremos de cada braço e logicamente, ele só usa a metade disso em cada golpe? A inclinação do eixo no momento do golpe compensa isso?
    Exemplificando melhor:
    Entre um lutador de 2,00mt de envergadura e outro de 1,80mt a diferença é de 20cm, mas no meu entender, a diferença de envergadura efetiva deveria ser de 10cm. A inclinação do corpo no disparo do golpe compensa os outros 10cm da envergadura do outro braço?
    Para confabularem melhor, qual a envergadura efetiva do Nick Newell?

    • Fernando Cappelli

      Movimentação, ângulos, passadas. Tudo isso ajuda fazer valer a maior envergadura, Malk. Tem lutadores com esse handicap e se especializam em usar o maior alcance aliado a esses recursos, outros nem tanto. Não adianta apenas ser um gigante, mas tem de traçar um plano todo focado para que isso seja realmente colocado em prática como uma vantagem.

      A diferença que se fala entre um lutador e outro é sempre dada pela medida total mesmo. Tipo, Fulano tem 18cm a mais e tal…

      Abs!

    • mazzaropi

      Só será efetiva a envergadura se o golpe chegar antes do oponente… kkk!

      • mazzaropi

        Tanto é verdade que Mike Tyson nocauteou lendários boxeadores. Mesmo com uma menos envergadura ele usava sua explosão e fazia o jogo a curta distância para efetivar o que ele melhor tinhas nas mãos.

        Tive a honra de assistir suas lutas.

  • Cauã Albuquerque

    Fernandão mandou bem. Como sempre. Edson está evoluindo. Quero vê-lo contra pettis. Ou Barbosa cai duro ou pettis cai com as penas duras

  • mazzaropi

    Tentei achar algo para criticar no texto do “scapelli”, mas não deu… kkk!

    Parabéns man!

Tags: , ,