Jornalismo 101: o que as manchetes indicam a Vitor?

Lucas Carrano | 24/11/2014 às 15:29
Pride USA: Vitor foi flagrado no antidoping

Pride USA: Vitor foi flagrado no antidoping

Volta e meia, neste mesmo espaço semanal, abro caminho para a metalinguagem e o texto jornalístico vira objeto de um texto jornalístico – ou pelo menos rende uma rápida análise ou explicação.

Mais uma vez, uma observação sobre a mídia norteará esta coluna e o personagem da vez é o brasileiro Vitor Belfort.

Mas antes de entrar no mérito da questão, permitam-me iniciar com uma breve contextualização.

Os leitores mais atentos, ou mesmo os iniciados nos jargões do meio, devem se lembrar do famigerado “valor-notícia” ou “critério de noticiabilidade” – princípio pelo qual se define a relevância de um fato no turbilhão diário das redações e se ela vai ou não para a prensa, entra no ar ou vale o clique em “publicar”.

Entre os critérios mais utilizados para se definir o valor-notícia de um fato estão, entre outros: a amplitude, ou quantidade de pessoas envolvidas; a frequência, com a qual a ação ocorre; sua extraordinariedade, ou o quão inesperado é este acontecimento; sua negatividade (sim, notícias ruins vendem mais); e significado, já que relações geográficas, religiosas ou culturais, por exemplo, fazem com que as pessoas se identifiquem mais com um fato.

Citando uma citação repetida à exaustão por um professor nos meus tempos de foca (gíria para jornalista iniciante): É por isso que “Homem morde cachorro” é uma manchete muito mais interessante do que “Cachorro morde homem”.

Vitor no auge da polêmica do TRT

Vitor no auge da polêmica do TRT

É essa a justificativa também de “Padre celebra a missa” não ser notícia nem no folheto da paróquia ou, falando de MMA, não existir uma nota por evento lembrando que o UFC realizou o card em um ringue em formato de octógono.

Pois isso é o que acontece normalmente.

Assim sendo, voltando à razão primeira da produção deste texto, acredito que Vitor Belfort tenha motivos para se preocupar com sua imagem pública e algum trabalho de mídia pela frente.

Isso porque, na última semana, o Fenômeno foi capa da maioria dos portais da internet brasileira com: “Belfort é aprovado em exame antidoping”, “Resultado de exame de Vitor é negativo” ou “V. Belfort passa sem problemas por teste antidoping”.

Aprofundemo-nos na situação traçando um paralelo com outro momento do MMA.

Qual é a única circunstância em que a notícia “atleta bate o peso” é realmente expressiva? Acertou quem respondeu: “quando o cidadão em questão tem problemas recorrentes para se apresentar no limite permitido”.

Viram só? É este o tipo da situação delicada na qual se encontra Vitor Belfort junto ao imaginário popular.

E reforço aqui a amplitude da observação, haja vista que não foi algo restrito a um grupo pequeno, mas presente em praticamente todos os veículos especializados.

Em 2014, Vitor se explicou à NSAC sobre níveis de testosterona muito acima dos permitidos em período fora de competição

Em 2014, Vitor precisou explicar à NSAC por que estava com níveis de testosterona acima dos permitidos fora do periodo de competição

Um caminho bem cômodo diante do cenário é culpar os jornalistas ou os veículos.

Mas somente o grupo de profissionais já representa uma amostragem grande o suficiente para assustar pelo impacto, pense então que estes conteúdos são uma reposta à demanda do público, e que na maioria das vezes se retroalimentam dos discursos do mesmo.

Sem dúvidas, há conjecturas e condições específicas, e até imponderáveis ou incontroláveis por parte do atleta, neste processo.

Mas tentar entendê-las para buscar uma solução parece ser uma saída mais eficaz neste momento do que partir para o confronto.

Prestes a disputar um cinturão do UFC pela quinta vez em sua carreira (contra Chris Weidman, em fevereiro), o próximo passo de Vitor, que é indiscutivelmente um dos mais populares e expressivos nomes do MMA brasileiro na história, pode indicar a quantas anda a capacidade do Fenômeno se reinventar.

  • Jonas Angelo

    Muito boa reflexão Lucas, cabe realmente a análise. Acho que você foi muito feliz em dizer que é algo que se retroalimenta, ou seja, tem culpa o Vitor, e tem culpa a mídia.

    A culpa do Vitor não precisamos nem comentar, já se tornou fato. O mesmo é bastante responsável por sujar sua imagem, fato inegável. O que legitima e torna sintomático o quadro atual.

    Já a culpa da mídia consiste em duas coisas (na minha leiga, singela e humilde visão): A primeira é se esconder atrás da premissa da imparcialidade, e a segunda é a necessidade cada vez maior da venda, promoção (as vezes até produção) e divulgação de “notícias”, e nessa segunda o buraco é mais embaixo pois entramos num looping de retroalimentação entre mídia e sociedade bem simbiótico: uma não vive sem a outra (consumimos notícias, estamos freneticamente viciados nas mesmas).

    Penso que os dois fatores relacionados à mídia, citados acima, são de extrema importância numa possível análise de cenários atuais, seja do âmbito que for.

    Resumindo, acredito que Vitor tenha plena culpa no cartório pela seara atual, e a mídia se utiliza do fato para vender em cima disso. Respeito muito a classe e os profissionais, mas atualmente (e vocês podem dizer inclusive melhor do que eu sobre isso) a mídia em geral tem se tornado uma grande produtora de notícias, pois se tornou um grande negócio: algumas são coerentes, algumas são aumentadas, algumas são maquiadas, e nós continuamos a consumir notícias.

    Minha conclusão é: somos nós, consumidores de notícias, que geramos demanda de notícias sobre o Belfort.

    Parabéns pelo debate aberto, abçs.

  • Renan Trigueiro

    Excelente texto. Esse (“Belfort passou no exame) ñ é aquele caso de não-noticia?

  • Nelson Junior Ticaum

    Vale a reflexão. .. Porém, acho que um fator importante foi ignorado: a pressão que ele vem sofrendo (claro, devido ao seu histórico) e o enfoque de terceiros no caso. O seu rival e atual detentor da cinta sempre fala sobre o fato, falando que ele é um drogado, que não acredita que ele lutará sem se dopar e que quer vigilância contínua no caso de doping. Nada mais justo e oportuno, devido a atual conjuntura do cenário, noticiarem o fato toda vez que o Belfort passar em um teste. Se a mídia não divulgar, o próprio o fará. E se tratando de polêmica, lógico que todos irão divulgar, porque vende. Acredito que seja mais pelo cenário pós banimento do TRT + importância da luta + chatice do rival. Se a luta fosse contra um Akiyama da vida, e o mesmo cagasse pro lance de doping, não teríamos um por cento de todo esse buzz em torno do fato.

    • heitor

      concordo /

    • Jonas Angelo

      Pois é, bem citado, tem o fator Weidman: o “senhor guardião da moral e dos bons costumes”.

      • Malk Suruhito

        Quem paga de bom Cristão há muuuuuuuuito tempo (e com isso, TUDO o que esta adjetivação carrega) não é o Weidman….

        • marco antonio

          poiseh…
          mas oque ele vai fazer agora? se matar?abandonar a carreira?aonde quem disse que cristão não erra?oque aconteceu no passado não tem como mudar,oque importa é que o cara ta sendo testado e não ta acusando nada,dai o weidman fica dando desculpas e simmmmm,tentando desmoralizar o vitor,tratando ele como um drogado e quem sabe assim quando ele perder ele achar uma desculpa.

          • Malk Suruhito

            Meua Migo!! O Weidman é o campeão invicto, venceu duas vezes o cara que fez o Vitor chupar o pé , venceu o cara que aposentou o maior Nemesis do Vitor, nunca se negou a lutar contra o mesmo… e que desculpa ele tá dando meu caro?
            E outra, se o Vitor está tão bem agora como ele fala, posta e repercutem, se está melhor até do que antes… fazia TRT malocado no Brasil porque então? Ou mentia antes ou tá mentindo agora!

    • will

      Acho justo o Weidman enfatizar o doping. Ele sabe que se o Vitor lutasse com o TRT seria uma luta injusta. Ele está se protegendo. Agora, esse lance de ficar julgando os outros e chamando o cara de drogado é palhaçada. Todo mundo erra. Quem nunca errou que jogue a primeira pedra!

      • Malk Suruhito

        “Errar” é válido quando você faz algo uma vez, duas no máximo ou então sem querer. Quando se faz mais do que isso (sendo pego ou não) é desonestidade mesmo. Fora que quando se faz e se prejudica outro atleta, outro profissional e toda a gama de pessoas por trás deste, é pior ainda.
        Mas é um mundo em que não existem inocentes e sabe que estão propensos a passar por isso, mas não torna as reclamações destes menos cabíveis.

  • Matheus

    Opa! Value mt o “insight”jornalistico. Infelizmente a carreira do Vitor é tão machada. E ñ adianta culpar ng. Ele msm é culpado

  • will

    Infelizmente não se pode tampar o sol com a peneira. O Vitor errou e jamais vai dissociar isso da sua imagem. Porem, ele está limpo agora. Renascido e “batizado” como um novo homem (literalmente). Se ele ganhar espero que todos reconheçam seus méritos e perdoem seus erros.

  • Gustavo

    Senhores, ouso discordar e concordar com vocês. A despeito do brilhante texto, penso que o doping à época da luta do Dan Henderson, não tem nada a ver com a mídia negativa que desabona ou desmorona a reputação do Vitor ( e sim a celeuma TRT). Vejam. Quantos lutadores já foram pegos no antidoping? Quase uma dezena, que inclusive encontram-se ou encontravam-se no primeiro escalão do UFC, mas quando o assunto é o Vitor a mídia potencializa o efeito justamente porque o cara é o melhor de todos eles e continua ganhando de forma avassaladora, e me desculpem aqueles que pensam ao contrário, o TRT não tem nada a ver com ganhar lutas, haja vista a quantidade de lutadores usavam e não ganhavam.
    Por fim, penso que quando se trata do Vitor as coisas realmente se potencializam, justamente porque o cara é uma estrela em plena atividade, o mesmo acontece com o Anderson Silva e outras grandes estrelas.Quem está no auge sempre será visto com holofotes para o bem ou para o mal. Vocês se lembram de quando o Anderson lutou com Demian e todo mundo queria saber qual Anderson iria entrar pra lutar na próxima.

  • Tiago Nicolau de Melo

    Notícias sobre o Chris ser testado, têm?

  • Muito bom, Lucas.
    Com os papos levados á sério e escritos por caras credenciados aqui no Sexto Round tem forçado a rapaziada dos comentários, antes de postar, jogar o texto no world só para ajustar as palavras/frases grifadas abaixo com a “linhazinha” ondulada vermelha..rsrs.. Táca-le pau corretor!!!…rs..
    Ops.. er.. voltando..rs..

    Vi uma entrevista do Vitor que ele soltou uma frase: “esta é minha melhor fase sem TRT”… Bom, considerando que ele foi pego no dopping em 2006, não tenho certeza se ele já tenha lutado sem o uso de qualquer substancia, se tiver alguma, acho que foi contra o Spider, talvez.

    Eu é que não gostaria de ser da assessoria de imprensa do Vitor caso ele perca esta luta, pois do cristão já saberei qual será o discurso.

  • Yuri Yamaura

    O que gera todo esse buzz em torno de qualquer notícia do Vitor é que ele é uma pessoa com faces muito antagônicas: ele é um lutador empolgante, que vive a melhor fase da carreira aos 37 anos, que evoluiu muito e consegui o title shot com méritos, mas que também foi pego duas vezes no antidoping e deu um jeito de não cumprir a punição em nenhuma das duas, que brada aos ventos que será campeão de três categoriais do UFC, sendo que nunca deteve o cinturão dos pesados, e seu título dos meio pesados tem um asterisco do tamanho do Brock Lesnar. Infelizmente tem gente que só enxerga a primeira parte, e diz que o Weidman é chato por cobrar antidoping. Gente, o Fedor fez a mesma coisa no Strikeforce quando havia a possibilidade dele lutar com o Overeem, falaram até que o russo estava pipocando. O tempo passou e vimos o que aconteceu com o holandês.

    • Jonas Angelo

      Haja diferença entre Fedor e Weidman…

      • Yuri Yamaura

        Hoje em dia não pode comparar nem a careca do Fedor com a do meu tio que vão me chamar de herege.

        • Jonas Angelo

          Nem 8 e nem 80, meu querido, sem demagogia. Mas vamos pela via objetiva, repetindo: haja diferença entre Fedor e Weidman.

          • Yuri Yamaura

            A relevância dos personagens para o esporte não muda em nada a legitimidade da reclamação.

  • Raphael Seiji

    Contra fatos não há argumentos: Vitor sempre atuou com o suco (o que me irrita pois ele é adepto do discurso direito, de bom moço, citando Deus volta e meia).

    Suponho que agora sua carreira entrará em declínio e CW deverá inaugurar a nova etapa do Phenon com uma bela sova.

Tags: