Ei, McCall, eu me importo com o peso mosca!

Alexandre Matos | 30/10/2014 às 15:50

O peso mosca Ian McCall é um dos grandes personagens do MMA atual, não somente por ser um grande lutador, mas pela personalidade única.

Eloquente e sincero, suas entrevistas sempre rendem, ainda que a mídia de modo geral o explore pouco.

Quando perdeu para Joseph Benavidez, chegando a 0-2-1 no UFC, McCall usou seu Twitter para desabafar contra si próprio:

Me desculpem, sou oficialmente supervalorizado. Não mereço nada e não ficaria surpreso se o UFC me demitir.”

Ian apanhando de JoeJitsu

Ian apanhando de Joe-Jitsu

Obviamente era um exagero e, ainda que o nível de suas atuações estivesse abaixo da expectativa, não era motivo para corte.

Felizmente o facão de Sean Shelby o preservou e hoje vemos o Uncle Creepy se aproximar das atuações que o levaram ao cinturão do Tachi Palace Fights e a desbancar Jussier Formiga do posto de número um do mundo.

Agora, perto de se tornar desafiante número um e acertar suas contas com Demetrious Johnson, McCall solta mais uma de seu repertório.

E desta vez nos fez pensar, falando sobre a baixa popularidade de sua categoria.

Cheguei à conclusão que não se trata de racismo (pelo fato de o campeão ser negro), mas de ‘pessoa-pequenismo’. Ninguém dá a mínima para nós (pesos moscas), a verdade é esta. Talvez seja culpa do Demetrious Johnson por não ser vendável, apesar de ser um atleta fantástico. Talvez seja minha culpa por não tê-lo vencido quando deveria. Talvez as pessoas não se interessem em ver pequenos meio-quilos lutando. É frustrante.”

McCall enfrenta Lineker em Uberlândia

McCall enfrenta Lineker em Uberlândia

Bem, ninguém é muita gente, visto que ao menos eu me importo com a divisão dos sujeitinhos mais leves do UFC.

Ian McCall está a dias de fazer um confronto com John Lineker e eu tenho dificuldade de entender porque há tanta gente que não se empolga com um duelo desta magnitude.

Não curto preconceitos de nenhuma espécie e já tive a infelicidade de ouvir/ler pessoas dizendo que não acham graça em ver homens pequenos lutando (assim como não acham graça em ver mulheres lutando) e concluindo que estas categorias nem deveriam existir.

Ok, senhor preconceituoso, vamos proibir que pessoas que não cresceram como Alistair Overeem ou que não possuem o mesmo aparelho reprodutor que eu desempenhem suas profissões.

Já posso ouvir vozes dizendo: “Mas você tem preconceito com pesos pesados”. Não é verdade, eu não tenho preconceito contra eles, tanto que adoro ver Cain Velasquez, Junior Cigano, Fabricio Werdum, Travis Browne e Stipe Miocic lutando.

Por mim, o UFC poderia fazer uma edição anual de Velasquez-Dos Santos e eu estaria na primeira fila.

Atleta (na concepção da palavra)?

Atleta (na concepção da palavra)?

Meus grandes ídolos na década passada foram Fedor Emelianenko e Rodrigo Minotauro. O que eu não gosto é ver atletas profissionais se arrastando no octógono e produzindo espetáculos dantescos, seja lá em que categoria estiverem.

O problema é que eles são maioria esmagadora entre os pesados. E ainda assim eu não vou chegar e dizer que, por serem pessimamente preparados, não deveriam desempenhar suas profissões. Este problema não é meu.

Outro argumento que considero bisonho contra os moscas é a falta de nocautes. John Dodson, John Lineker e Kyoji Horiguchi à parte, o fato é que eu não sou daqueles que acham que MMA só é legal quando um ser humano desaba em colapso no chão.

Esta sanha por nocautes me soa como os camaradas que assistem a corridas de automobilismo ou motociclismo torcendo por batidas ou quedas cinematográficas, ainda que possa custar a vida de um Jules Bianchi ou de um Marco Simoncelli.

É a velha diversão às custas da tragédia alheia.

Ainda que nocautes façam parte do esporte e, sim, sejam bacanas, eles não são o motivo por eu ter me apaixonado pelo MMA.

Particularmente eu prefiro assistir a um duelo emocionante decidido após o 15º (ou 25º) minuto, sem que nenhum segundo me seja tomado. Já pensou se José Aldo-Chad Mendes 2 tivesse acabado antes, nos privando do espetáculo do último sábado?

Ou se os nocauteadores Johny Hendricks e Robbie Lawler não tivessem guerreado por 25 minutos? Ou ainda se um entre Lawler e Matt Brown tivesse sucumbido a uma pedrada rival? Repararam como a maioria das grandes lutas são decididas pelos juízes?

Na minha visão, a elite do peso mosca é o estado da arte do MMA.

Muita velocidade, intensidade muito acima da média, técnica elevada na execução dos movimentos (até porque é obviamente muito mais fácil se movimentar carregando 60kg do que 110-120kg).

E nocautes e finalizações pelas mãos de artistas como os supracitados ou mesmo o pouco carismático campeão que mandou Benavidez para as profundezas da vala.

Há quem prefira, ao contrário, assistir a mondrongos se arrastando em espetáculos dantescos apenas pela expectativa do one-punch knockout, para ver alguém com os olhos virados no chão, em colapso.

É assim há mais de cem anos com o boxe, que transformou os pesados na categoria nobre do esporte. Só não consigo entender.

E você, curte os pequeninos lutando ou prefere os pesados, ainda que seja para ver Soa Palelei-Nikita Krylov?

Tacale pau nos comentários!

  • Evandro Juninho

    As divisões dos “menores” são excelentes, desde dos moscas até os leves, existem lutas ruins em todas as divisões, assim como existem lutas boas em todas, já vi muitas lutas espetaculares nas divisões dos magrinhos… Aldo x Edgar, Aldo x Mendes (1 e 2), Cruz x Benavidez (Wec), Ben Henderson x Frank Edgar (1 e 2 )… e por ai vai, o MMA é muito mais que nocaute, é uma arte que deve ser apreciada desde o começo até o fim do round, o nocaute é consequência, o verdadeiro fã de MMA não se prende a isso. E como não poderia deixa de ser… Ótimo Texto!

    • Valeu, brother! A questão é essa: não importa o peso, importa se a luta é legal ou não.

  • carlos andré

    Tô contigo nessa! Concordo em número, gênero e grau. Gosto muito da velocidade, técnica, intensidade com que os tops dos penas, galos e moscas lutam. O melhor da qualidade técnica e preparação física habitam o mundo dos pequenos, não desmerecendo os feras dos leves, meio-medios.

  • Natan Machado Fauzi

    Boa Alexandre, pelo que eu percebi não sou só eu que está super ancioso para ver Mccall x Lineker, to apostando muito no mão de pedra em função da última apresentação impecável, contra um expert no wrestling, para mim foi uma versão de Johnson x Davis -40kg, grande texto, representou bem os fãs da Flyweight!

  • Rodrigo Oliveira

    Concordo plenamente, pra mim, a luta sendo boa, pouco importa se é homem, mulher, baixinho ou gigante dentro do cage. Minhas duas categorias favoritas no UFC, inclusive, são a dos leves e dos penas. Parabéns pelo texto!

  • Paulo Melo

    Parabéns pelo texto Alexandre !
    É muito legal sim os pesos mais leves , as categorias que mais curto assistir são meio-médio e leve onde tem muito cara que dá o show e tem o lutador que mais gosto de ver no cage ( Showtime , ok sei que ele não luta a muito e isso me aborrece também rs ) Pra mim por exemplo , “a nata” do UFC tá no peso leve , são ali uns 10 caras ( no mínimo ) que criam muita expectativa de serem vistos
    Cara nem lembra, essa luta citada no último parágrafo foi a pior luta que vi na vida que eu me lembro , show de horrores total !
    Pesos moscas são bem legais de assistir , a luta entre o TerraSamba e o Dodson eu curti , e curti os atropelos do Campeão sobre o povo da categoria ( exceção feita a luta contra o Bagautinov que me deu sono … )
    Ou seja , difícil ver uma luta muito ruim entre os mais leves , acredito que quem goste mais de ver gordo trocando porrada seja mais o fã médio, conheço gente que fica mais ansiosa pra a luta acabar com nocaute ou finalização do que pra a luta ser boa , cada um cada um né não rs
    A luta de sábado do Aldo nem se fala . parecia luta do Dragon Ball Z tecnicamente e dinamicamente
    No mais o McCall exagerou um pouquinho mais tem certa razão no que diz respeito à visão de algumas pessoas .

    • Uma das graças do McCall é que ele às vezes exagera mesmo hahaha

  • Kaue Macedo

    Eu não tenho uma categoria de peso favorita pra ser sincero, acho que cada uma tem seus pontos bons e ruins.

    • Acho que você curte mais o MMA pensando assim. Acho bacana.

  • Diego Cavera

    Perfeito texto Alexandre, matou á pau, eu também prefiro as categorias mais leves, do mosca ao meio médio, claro que tenho meus lutadores favoritos nas mais pesadas, agora acho bastante ignorante quem vem com essa de mosca não nocauteia, a probabilidade de nocaute e finalização é até considerável mas também não me importo, Dodson, Maccal, além de serem lutadores fantásticos, um com bom poder de nocaute e outro com um jogo bem versátil, são bem carismáticos, uma pena a maioria não dar o valor merecido, e a categoria tá muito boa, temos Benavidez, Ortiz, Moraga, Lineker, Makovsky, Formiga, além de prospectos como Scoogins apesar dos reveses tem talento e é novo e eu curti muito o estilo do Ray Borg, foi a surpresa da categoria ao meu ver, Horiguchi vai chegar solando no topo da divisão, e a categoria feminina é legal tbm, uma das minhas lutadoras favoritas é a Cat Zingano, que eu via mais como uma lutadora de thai que treinava jiu-jitsu, mais as credenciais dela na luta olímpica são animadoras, essa última luta dela ela me ganhou, tamanha a versatilidade e a sua personalidade, só a galera dar uma chance pra essas categorias recriminadas que terão técnica aliada a diversão. Na espera pela volta do podcast do mma brasil hein, não dá pra deixar “caducar”, flw!

    • Estou editando agora o podcast, vai pro ar em alguns minutos.

  • “Por mim, o UFC poderia fazer uma edição anual de Velasquez-Dos Santos e eu estaria na primeira fila.”
    Quer matar o Cigano ?

    Piadas a parte, acho que a categoria dos pequenos são mais visadas pelos fãs hardcore, como vocês do 6o proclamam. Além de ser extremamente movimentada, geralmente rolam muitas trocas de posições e é uma das que eu mais gosto. Correria e pancadaria na velocidade da luz.

    • Muita gente coloca que não é muito fácil entender o que acontece em luta de moscas pela velocidade em um esporte já naturalmente complexo. Este deve ser um ponto pra categoria não se popularizar, além do preconceito em si.

      Mas aí eu viro pro boxe e lembro que os mais leves também não são populares. E o boxe é um esporte bem mais fácil de compreender do que o MMA. Parece que o pessoal não consegue compreender quando um golpe é contundente e quando não é, parece que todos os golpes são light até alguém cair. Ou seja, voltamos ao velho caso de querer ver a tragédia alheia.

  • heitor

    pra os penas são os melhores, e curto muito os moscas, ligeiros e arteiros

  • Gabriel Viana

    É bom deixar claro que, não gostar, não significa necessariamente preconceito. Embora não tenha 1 décimo do conhecimento que os senhores tem a respeito de MMA, assisto todas as lutas e, admitindo minha péssima memória, não me lembro de 3 exemplos de lutas do peso mosca do UFC (cito o UFC pois os 3 exemplos de grandes lutas citadas foram no UFC) que foram no mínimo parecidas em emoção com as 3 lutas citadas. Não me lembro de batalhas como Shogun vs Hendo 1 acontecendo no peso mosca.

    São lutadores muito rápidos e técnicos e é difícil, pra quem não entende de luta, compreender e admirar o que está acontecendo.

    “Malditos ninjas, mal podemos ver seus movimentos!!!”

    • André Guilherme Oliveira

      Demetrious Johnson x Ian McCall 1 é bem memorável, assim como as disputas do DJ contra o Benavides 1 e contra o Dodson.

      Tirando essas 3 não me lembro também de ter assistido outra luta realmente fora de serie no peso mosca.

    • Maldonado pepey

      A categoria nova,logo logo terá sua luta memorável

      • Gabriel Viana

        Acredito nisso.

    • A categoria é nova, ainda está em desenvolvimento.

    • Bem, acho que é bom deixar claro que não gostar não significa ter preconceito, apenas querer que a categoria não exista porque são lutadores pequenos é preconceito. Não sabia que não tinha ficado claro, me desculpe.

      • Gabriel Viana

        Não precisa se desculpar, apenas trocando idéias. Voltei ao texto agora e percebi que eu é que não sei ler, rs. Está claro como água seu texto.

        Obrigado pela atenção em responder!

        Suas participações no podcast são sempre muito legais.

        • Sim, é preciso ter um entendimento um pouco melhor pra compreender movimentação em alta velocidade em um esporte tão complexo quanto o MMA.

          E o meu ponto nem é mosca x pesado, mas que é possível gostar dos dois.

          • Gabriel Viana

            Isso é verdade! Prefiro ver Lineker e Dodson do que Derrick Lewis e Mike Russow.

          • hahahaha tipo isso. No meu ponto de vista é assim: tem mais gente nos pesados que eu gostaria de nunca mais ver lutar no maior evento do mundo do que nos moscas.

    • will

      Verdade, não me lembro de uma luta marcante nessa categoria. Tem um grande lutador e muitos lutadores bem abaixo do campeão. Infelizmente não empolga.

  • Cristiano

    Alexandre, parabéns pelo texto. Só discordo de alguns pontos. Não consigo enxergar preconceito (hoje tudo é preconceito) em quem afirma que não gosta de ver pequeninos lutando. Cadê a liberdade individual? O direito de escolha? Em nome de uma agenda politicamente correta, devemos dizer sim pra tudo, mesmo não gostando? MMA não é entretenimento? Se é entretenimento, então que cada um pague pra ver o que gosta. Onde está o preconceito nisso?
    “Ahh…mas eles também têm o direito de lutar”. Pois que lutem, e quem gostar, que assista. Se o povo não gostar de ver porque são pequenos, é a vida.
    Abraço!

    • O preconceito é em relação a quem diz que a categoria não deveria existir. Cada um gosta do que quiser, até de ilícitos.

  • Flávio Bueno

    Mais um belo texto. Parabéns! Mas assim como alguns leitores abaixo concordo que não gostar não é a mesma coisa que preconceito. Sobre não entender pq as pessoas gostam mais do pesados não me parece verdade. Vc sabe, apenas não concorda com os motivos. Pq preferimos assistir formula 1 em vez de formula 3. É só pq corre mais!

    • Claro que não gostar não é sinal de preconceito e eu nem disse isso. Há quem não gosta e há quem não gosta por preconceito.

  • Vitor Halk

    Concordo em grande parte contigo, principalmente em relação aos pesados e meio pesados, mas eu gosto dos KO, não necessariamente pelo prazer de ver um corpo estirado no chão, mas o fato do combate poder acabar a qualquer momento aumenta a emoção da luta.

    • Sim, você pode gostar de nocaute, é tranquilo. Só acho bizarra a associação que muita gente faz: “Não gosto de moscas porque não tem nocautes”.

  • Maldonado pepey

    Quando comecei a acompanhar mma é a pesquisar carteis de lutadores os atletas que via muitas lutas na decisão me soavam “fracos” o que eu queria msm e ver uma luta acabando no primeiro round seja por nocaute ou finalização,porem agr depois de ver e pesquisar muitas lutas e lutadores o que quero msm e ver uma luta boa de grande nível técnico não importa se ela vai durar 25 segundos ou 25 minutos,é a categoria peso mosca nos da isso e difícil ver uma luta nessa categoria que seja enfadonha.

    • É por aí mesmo. Mas convenhamos que é quase impossível uma luta de 25s ser de alto nível. Nem dá tempo pra nada. Esse tipo de luta é legal pelo inesperado.

  • Dan Mendes

    Acho que “ninguém” gosta do mosca pelo tamanho principalmente, mas tem outros motivos:

    1) Não há uma grande rivalidade nos moscas;
    2) O campeão não sabe promover as lutas, ao contrário;
    3) Não existe nenhum desafiante promotor de lutas estilo Connor;
    4) Apesar das lutas serem dinâmicas a maioria falta o fator emoção;
    5) As últimas disputas de cinturão foram bem chatas e sem competitividade.

    Creio que o principal motivo é que ao ver um Peso Pesado o pessoal tem a sensação de estar assistir o auge do esporte, os caras que são os melhores e maiores. Já ao ver os moscas a sensação de estar vendo um subdivisão, os cafés com leite.

    • Não gostar pelo tamanho é uma parada surreal demais pro meu gosto.

      Ver os pesados e ter a sensação de estar vendo os melhores? hahahahaha

      • Dan Mendes

        Após o UFC 178 vi um comentário no combate.com: “Esses moscas são ridículos qualquer homem de 1,8m venceria o DJ”.

        É claro que é exagero, mas a verdade é que Cain, Cigano, Stipe, Alistair, Andrei e até Soa Palelei, venceria o campeão dos Moscas. Isso é sensação de superioridade.

        • Brother, essa é uma comparação simplesmente surreal. Seria covarde colocar Velasquez contra Johnson ou Cigano contra Dodson num octógono. Ainda bem que, pra evitar absurdos assim, criaram as categorias de peso.

          • Dan Mendes

            Não é essa a questão. A questão é que para a grande maioria do público os moscas são fracos em comparação aos pesados e por isso é como se os lutadores de 100-120kg são visto como superiores.

          • Eu continuo achando esse pensamento bizarro. É o mesmo que dizer que o Ruan Potts é melhor que a Ronda Rousey. É simplesmente surreal, mas eu não duvido nada que haja gente pensando assim.

          • Dan Mendes

            Ah eu desisto de tentar explicar!

          • Malk Suruhito

            Entendi sua linha de raciocínio, só que ela não invalida só os moscas como praticamente todas as divisões abaixo dos Pesados ( eu mesmo acho que se o Cain pegar o Jones, este acorda com a lanterna no olho) e estas são mais populares que as dos moscas do mesmo jeito.
            E pulando para outro esporte, o Boxer mais bem pago e visto do mundo não são os Mega Campeões Klitschko, e sim um outro baixinho que tem inclusive um título mundial numa categoria apenas 6kg mais pesada que os moscas (Superpenas).
            Então, temos que achar outros fatores para esta equação, pois o “quanto mais pesado, melhor” pode até ser o motivo para alguns, mas não acredito que seja de um número relevante de pessoas pelos motivos que citei acima.

          • Dan Mendes

            A diferença de peso e tamanho entre Janjão e Velasquez é bem menor do que entre o segundo e o DJ, que por sua vez é bem menor que o JJ. Não entendi aonde você quer chegar.

            Não entendi as comparações sobre o boxe…Você esta se referindo ao Floyd? Se for isso não tem o menor sentido, primeiro que esta se falando da categória e não de lutador (exceção) segundo que o Floyd vende mais que Klitschko por que um é russo e outro estadounidense tem nada a ver com peso.

          • Malk Suruhito

            E dai que é Velasquez é bem maior que DJ? Ele é maior que todos nas categorias abaixo de Médios e ninguém despreza elas “porque o cara do HW ganha eles com um soco”.
            A comparação com o boxe é quanto a lutadores em categoria de peso mais leve. DJ é um lutador leve e americano tal qual o Floyd e não vende. É muita teoria furada, tal quando o Rogan falando que o Jones não vende por ser Negro, como se o Rashad e o Rampage que são da mesma categoria e sempre venderam horrores fossem caucasianos.
            Na minha opinião, DJ não vende pelo mesmo motivo que o Floyd não vendia quando era o “Pretty Boy” e não o atual “Money”.

          • Dan Mendes

            Ok, Continuo não entendo. Mas acho que é melhor não contrariar

  • Filipe

    Categoria pouco empolgante não pelo fato do peso, mas pela falta de desafiantes ao nível do campeão e lutadores de bom nível. Porém, eu gosto mesmo é de luta BOA, não interessa se o sujeito pesa 50 ou 120kg.

    • Bom, o campeão dos moscas realmente está em outro nível, assim como estão Cain Velasquez e Jon Jones. E não faltam lutadores de ótimo nível nos moscas, mesmo sendo uma categoria nova.

  • Rodrigo Tannuri

    Belo texto, Alexandre! Estou contigo e não abro. Também sou fã dos moscas. Eu não consigo me desligar das categorias. Ok, umas são mais fracas que as outras, mas isso não é motivo pra perda de interesse. Por essas e outras que me considero fã de verdade do MMA. Eu também acho péssimo atletas deixarem a desejar no condicionamento físico, ainda mais atualmente, já que também é uma arma. Tem que ser masoquista pra gostar de Palelei x Krylov, Hunt x Rothwell. DJ, Benavidez, Dodson. McCall, Bagautinov, Lineker, Formiga e Horiguchi são mitos e ainda temos outros bons lutadores como Elliott, Machovsky, Pickett, Moraga, Scoggins, Reis, Jorgensen, Gaudinot, Cariaso. Sabem, quem critica está mandando muito mal. O pior cego é aquele que não quer ver. É impossível negar a qualidade desses mini craques. Vida longa a esses danadinhos. Pelo surgimento de mais pequenos notáveis. Eles são pequenos, mas não são metade e sim gigantes do octógono!

    • A categoria é muito nova no principal cenário, os moscas lutavam em eventos de pouca visibilidade. Eu era um grande fã da fase anterior do Tachi Palace Fights.

  • Bart Simpsons

    Particularmente, eu gosto demais das categorias mais leves, talvez até mais do que as categorias mais pesadas. Demetrious Johnson, o campeão dos moscas, para mim, é o segundo lutador mais completo de todo o UFC, ficando atrás apenas do nosso brazuca, José Aldo. Uma pena que grande parte do público não dê as devidas atenções para os nossos “mini guerreiros”. Demtrious, McCall, Dodson, Benavidez, Lineker, todos esbanjam qualidade técnica (claro que o campeão está hoje 2 degraus acima dos demais), e eu estou ansiosíssimo para o combate entre McCall e o “hand of stone”. Um fator para eu gostar muito dos pesos mais leves é que na grande maioria das vezes acompanhamos o combate inteiro em ritmo frenético, ao contrário dos pesados que com exceção de Cain Velasquez (pesados) e mais alguns poucos meio pesados, os demais acabam ficando exauridos antes da proximidade do final do combate.
    #WarLineker

    • Pois é, este é o ponto. Ver nego se arrastando lamentavelmente é tão ruim que, pra mim, mata a graça de um final inesperado. Tem luta tão ruim que eu até torço pra ter um nocaute logo pra acabar com aquele espetáculo dantesco.

  • Crownck Vanko

    Bom eu acho as categorias mais levem muito mais atraente do as mais pesadas, pelo simples fato de terem lutadores mais técnicos, velozes e com melhor preparo, só achei estranho a parte que vc fala que as pessoas que querem ver nocautes soa como as que assistem corrida para ver uma batida ou natação para ver alguém morrer afogado. Realmente a grande maioria dos melhores combates foram os que terminaram por pontos, porém sempre é bom ver algo inesperado, uma finalização ou nocaute, como por exemplo, vai que o John Lineker finaliza o McCall po seria sensacional, ninguém vai esperar por isso.

    Excelente texto, abraços!!!

    • É que tem pessoas e pessoas que curtem nocautes. Você parece ver pelo mesmo lado que eu, pelo inesperado. Mas tem gente que curte ver a tragédia alheia. Eu converso sobre esse tipo de coisa com as pessoas há muitos anos, não são suposições que eu tirei de agora. Eu já inclusive ouvi a frase “Nocaute é legal, igual batida em corrida de F-1”, a comparação não está no texto à toa. E não ouvi uma vez só.

      • Gabriel Viana

        Putz!!!

        “Nocaute é legal, igual batida em corrida de F-1”

  • Jonas Angelo

    Alexandre, particularmente preciso colocar de lado aqui nossa divergência sobre Weidman. hehe.

    Brincadeiras à parte, magnífico seu texto, meus parabéns! Concordo com cada vírgula que colocaste, e acompanhando o colega que comentou antes: não tenho uma categoria preferida, gosto de apreciar o que cada uma delas tem de diferente a oferecer. Abçs.

    PS: Muito boa a parte sobre preconceitos! Esse texto foi o “Anthony Pettis” dos seus escritos. hehe.

    • hahahaha divergências movem o mundo pra frente, desde que sejam colocadas com educação, coisa que você sempre faz. E das divergências saem ideias pra outras colunas.

      Muito obrigado pelas palavras! Anthony Pettis dos escritos foi sensacional hahahaha

  • Bruno Fares

    Bem, o Alexandre sabe muito bem o que eu acho dos Moscas, então nem vou me estender.

    McCall, eu não me importo mesmo, acho chato demais ver pessoas de 1,57 e 55k trocando socos.

    • Vou mandar um Palelei-Krylov e Hunt-Rothwell de presente pra você assistir quando tiver com insônia.

  • gabriel pinho

    Cara achei uma ótima análise, ainda mais visando a parte sobre ‘Decisão Unânime’ junto com um show de técnica tanto em pé quanto no chão. Lutas como Demian Maiavs Shields, foi espetáculo a parte de luta agarrada, e muita gente não tem essa visão. Ou então quando vemos uma luta do Denis Siver e Charles Rosa, show de técnica em pé e no chão mostrando uma variedade de arsenal em pé e no chão. Agora não podemos tirar méritos de luta como Varner vs Trujillo, que também são espetáculos, lutas duradouras, mas com final surpreendente, sempre são lutas de alto calão, nesse quesito eu também agregaria no contexto de ‘espetáculo’.

    • Varner-Trujillo foi foda demais e o nocaute teve um papel fundamental pra luta ter sido foda demais. Mas veja, eu não tô dizendo que nocautes são umas bostas, só quero sempre reforçar que decisões não significam lutas chatas. Há decisões chatas e nocautes chatos.

  • Gabriel Guimarães Calefi

    Acho que meu comentário será o mais óbvio de todos, sejam lutar curtas, sejam lutas longas…. mas que sejam boas e emocionantes, quem não gosta assim? Mas eu já assisti cada luta assombrosa, já assisti um card inteiro ruim e nem o main event salvou. Enfim, luta ruim depende do lutador e não de seu peso, como já disse, já vi lutas que me tiraram o fôlego nos pesados (Velasquez x Ciganos II e III, Jones x Gustafsson, as próprias lutas do Iam McCall, Joseph Benivadez, D.J, recentemente Chad x Aldo II…) mas também já vi lutas curtas muito emocionantes, como Belfort x Rockhold, Cigano x Velasquez I…. enfim, isso é muito relativo….

    • Certamente. Agora tente lembrar todas as lutas de moscas que você viu e me diga quantas foram tão insuportáveis quanto Palelei-Krylov, Hunt-Rothwell, Joey Beltran-Aaron Rosa, Kongo-Browne, Russow-Einemo…

  • will

    Eu acho que você confunde velocidade com técnica. O Peso mosca não é o melhor tecnicamente. Respectivamente: Médios, Leves, Meio-médios, Pena, Galo, Moscas e Pesados. Tirando o campeão dos moscas, o restante da categoria não empolga ninguém. Não tem nada de preconceito. É uma categoria com poucos talentos, infelizmente.

  • Luiz De Marco Freitas

    eu me amarro muito no peso-mosca também, pra mim cada categoria tem seu charme especial e tal e gosto de todas.

    sobre o público (principalmente o casual) gostar mais dos pesados, acredito que seja pelo fascínio de que o campeão dos pesados é simplesmente o cara que mete a porrada EM QUALQUER PESSOA DO MUNDO, saca? tipo, o josé aldo é o pica dos penas, mas ñ aguentaria 10min de porrada com um meio-pesado medíocre do ufc.

    pro publico casual isso pesa tambem, mesmo que as vezes até de forma meio inconsciente

  • Eduardo Sanguinetti

    Justo! Luta boa é luta boa!
    Eu particularmente quando me preparo para ver uma luta muito prometida, entre lutadores de altíssimo nível, a única coisa que eu peço é para que a luta seja longa.
    Poucos momentos do UFC foram tão tristes quanto ver Anderson Silva x Belfort… Era pra ser a luta do século e só teve um golpe conectado..e infelizmente pro Silva ainda por cima…

Tags: ,