UFC FN 58: o melhor Fight Night que o Brasil já viu

Lucas Rezende | 22/10/2014 às 15:53
Tibau-vs-Hallmann

Tibau x Hallmann: pouca expectativa, decisão morna e doping do polonês

Erick Silva foi a mais recente adição ao já portentoso evento de Barueri, em dezembro.

O capixaba enfrentará o pouco temível Mike Rhodes, em um duelo que provavelmente ocupará a última vaga do card principal. E que card.

Pela primeira vez num Fight Night nacional, contamos com a presença de dois ex-campeões – ainda bem ranqueados – do UFC – Lyoto Machida e Renan Barão – estrelando os principais combates da noite.

Em tempos de Gleison Tibau e Piotr Hallman encabeçando co-main events, essa mudança precisa ser reconhecida.

E mesmo que seus oponentes não representem ameaças notáveis – principalmente Mitch Gagnon, o de Barão,  já que C.B. Dolloway encontra-se em sua melhor fase-, dificilmente esse será um empecilho para quem for assistir ao espetáculo de perto.

Vejam bem, “espetáculo” é a palavra-chave. Reparem a construção amigável feita para que tanto os hardcores quanto o público médio possam apreciar equivalentemente cada contenda.

Passando de Lyoto e Barão – atraentes por razões óbvias – temos mais uma oportunidade para reerguer o “Fenômeno Capixaba”, ainda alternando vitórias e derrotas desde sua estreia no octógono.

Nocauteado por Matt Brown em sua última aparição, a lógica não deve falhar, já que Mike Rhodes porta um cartel de 0-2 no UFC.

capture-20140216-141425

Erick tripudiando de Sato

Bastante conveniente para Erick – que trará contigo a torcida de todos.

Obs: Só não permitam que o arremessem aos gigantes da divisão após esmagar outro Takenori Sato.

Adiante, nos deparamos com cinco faces familiares das nossas noites de domingo. Antônio Carlos “Cara de Sapato”, Márcio “Lyoto”, Marcos Rogério “Pezão”, Daniel Sarafian e Vitor Miranda.

Aqui a ideia realmente foi colocar bunda de casual nas arquibancadas, pois os resultados podem decepcionar quem só se importa em ver brasileiro de braço erguido.

Algo que, por outro lado, pode interessar os mais entendidos.

Combates como “Cara de Sapato” contra Pat Cummins, Márcio “Lyoto” contra Tim Means e Vitor Miranda contra Jake Collier (campeão da RFA) não são garantia de vitória (os berros de “Uh, vai morrer!”, podem ser calados por aqui.), mas trazem chances grandes de agradar acerca do combate em si.

Além de servirem como testes para os recém-chegados ao UFC.

Sarafian e Pezão lidarão com os veteranos Dan Miller e Igor Pokrajac, ambos com anos de experiência dentro do octógono, mas também em seus piores momentos da carreira.

Um intrigante ponto de interrogação é desenhado. O que vale mais: experiência ou momento?

Sapato e Miranda: novamente juntos

Sapato e Miranda: novamente juntos

Duas figuras das mais obscuras da noite também merecem ser abordadas antes de encerrarmos.

Elias Silvério procura emplacar sua quarta vitória consecutiva no UFC e manter invencibilidade intacta, dessa vez contra um desafiante bem mais complicado: Rashid Magomedov.

E se “Xuxu” é imponente com seu cartel de 11-0, o russo não deixa a desejar exibindo um impressionante 18-1. O único revés, uma decisão dividida perdida “Frodo” Khasbulaev.

Conflito promissor para decidir qual dos dois conquistará território valioso no sempre abarrotado peso leve.

Por fim, nos restou “Brodinho”. E a missão de Leandro Issa é mais complexa do que parece.

Vindo de uma estreia deslumbrante no UFC – quando finalizou Roland Delorme em um minuto – Yuta Sasaki não perde há 12 confrontos e pode dificultar a vida do brasileiro que passa por um período inconsistente.

Festa brasileira? Talvez, nem tanto. Garantia de entretenimento? Aí, sim.

Depois de debulhar cada combate da noite, sinto-me ainda mais seguro em afirmar minha confiança neste card.

Desde que lesões não atrapalhem o curso dos acontecimentos, pois até 20 de dezembro temos uma janela bem grande para imprevistos.

Mas precisamos ser otimistas.

Como já disse antes, o equilíbrio entre interesse casual e fanatismo é o exemplo perfeito de como os eventos nacionais deveriam ser arquitetados.

Fechamos o ano com uma sensação aprazível de que coisas melhores estão por vir para os Fight Nights nacionais, ainda que o decorrer não saia conforme a maioria anseia.

  • Natan Machado Fauzi

    Verdadeira ceia de final de ano!

  • Concordo plenamente, Lucas. Melhor UFC Fight Night montado em terras brasileiras. Porém ,analisando as lutas principais, mesmo que Lyoto Barão vençam, não me parecem perto de ter novas chances a disputar os cinturões de suas respectivas categorias tão cedo. Principalmente o menino da Nova União, que parece ter perdido muitos pontos com os chefões da Zuffa.

    • Lucas Rezende

      Concordo, mas ainda acho que o Barão tem mais chance de lutar pelo cinturão novamente que o Lyoto.

      Tem bem mais lenha pra queimar e se enfileirar um ou dois tops depois do Gagnon, fica difícil negar.

  • Jonas Angelo

    Confesso que me assustei com o “Pezão” ali em cima. hehe

    • Lucas Rezende

      Haha, tem muito “Pezão”, né, cara? E olha que o Vinny Magalhães nem tá no UFC, mais.

      • Jonas Angelo

        Parafraseando Raul: “É muito Pezão, pra pouca constelação”. hehe. abçs

  • Paulo Melo

    Engraçado que estava comentando com um amigo que queríamos ver o Barão lutar ao vivo , já que somos fã do cara e eu tb encontrei o Barão no UFC do Belfort com o Bisping e ai deu mais vontade de ver o cara ao vivo no ginásio , e eis que vem a notícia de que ele lutará aqui !
    Sem dúvida é o melhor card mesmo de Fight Night feito por aqui n BR a arrisco a dizer que melhor que alguns eventos numerados por ai …
    Ter 2 ex campeões e um campeão do TUF local já deixa bem atrativo fora outras lutas muito boas que foram colocadas no Card .
    No caso da luta do Sarafian um tem experiência e está em má fase ( Miller ) , ou outro só está em má fase rs Será uma luta dramática eu acho , acho que o Sarafian vence , pois nem me lembro da última boa luta do Dan Miller .
    No caso da luta do Marcos Pezão , creio que ele vença pq o Igor tá em franca decadencia , mas será outra luta bem apertada .
    Esse é o último card do ano certo ?
    Seria ótimo então que fosse fechado com um belo nocaute do Dragão !
    Será que ainda rolará um Title Shot pra ele até o fim do ano que vem ? Será que ele seria mais ofensivo numa nova disputa de cinturão caso tenha a chance ?

    • Lucas Rezende

      Pior que é o último do ano, mesmo. O clássico PPV de ano-novo ficou pro dia 3 de janeiro, com Jones e Cormier.

      Acho que o Lyoto só consegue outra chance pelo título se o Weidman perder a cinta, porque já teve a chance dele e agora tá meio que servindo de escada pro Dollaway.

      • Paulo Melo

        Mas começar o ano com Jones e Cormier … sensacional !!!! Vou passar a festa de ano novo pensando nessa luta rs
        Sobre o Lyoto pensei em algo parecido também , acredito que ainda dá caso não seja o Weidman o detentor .

        • Dan Mendes

          E Ronda x Cat Zingano

      • Bruno P.

        De fato se o CB ganha essa luta vai ficar a uma luta do title shot.. ascenção meteorica…

  • Yuri Yamaura

    Concordo, achei o card muito bacana, melhor Fight Night em terras brasileiras. Também, depois do FN Brasília…

  • Fernando Mangger

    Lucas Resende Tenho 2 perguntas a você:

    1- Caso o Erick Silva vença seu adversário (até esqueci o nome dele, rs rs), quem deveria ser o seu proximo oponente??

    2- E caso o Barão vença, como você vê a situação dele no UFC, volta aos top 3?? vai para a cinta?? ou fara um Title Eliminator com o Raphael Assunção??

    • Lucas Rezende

      Desde que o cara não pegue alguém direto do top 10 na próxima, acho tranquilo pro Erick. O maior problema dele é que nunca permitiram que ele se desenvolvesse, apressaram o garoto e ele não tinha habilidade pra vencer os caras que colocaram diante dele.

      Caso ele vença o Rhodes, pode pegar um cara mais duro, mas nada assustador, como Sean Spencer, Kenny Robertson ou Brian Ebersole.

      Quanto ao Barão, vitória sobre Mitch Gagnon certamente não o colocaria direto em outro title shot. A luta contra o Assunção seria interessantíssima não só para ele como para o próprio Raphael, que se for esperar o desenrolar da história do Dillashaw com o Cruz, pode ficar a ver navios por uns bons 9 meses. Sem falar que pode levar uma furada de fila do Faber caso o Dominick vença.

      Abraço, Fernando!

  • Kaue Macedo

    Melhor Fight Night que o Brasil já viu e vai ser a 15 minutos da minha casa, tem coisa melhor ? hahahaha

    • Lucas Rezende

      Pô, curte lá por mim, Kaue!

      • Kaue Macedo

        Poxa, achei que você vinha Lucas. E o resto do pessoal do Sexto Round vem ?

        • Lucas Rezende

          Renato, Alexandre e Lucas Carrano marcarão a presença da equipe do Sexto Round.

    • Yuri Yamaura

      Estou a mil km de distância, mas me preparando para ir também. Esse card eu não perco.

      • Kaue Macedo

        MIL KM ? Caramba kkk, você é de onde ?

        • Yuri Yamaura

          Campo Grande – MS, não é tão longe assim… 1h de avião…

  • Rodrigo Tannuri

    Com certeza, este evento será um dos melhores UFNs mesmo. Só não sei se consegue superar o UFN 32 (Belfort x Hendo II). Esse show foi bem bacana. Tanto pela montagem do card quanto pelo nível técnico. Tinha até me impressionado com a boa quantidade de nocautes e finalizações. Tomara que esse seja tão bom ou melhor. A expectativa é alta. Tomara que as lesões não dêem as caras.

    • Paulo Melo

      Evento excelente e com final avassalador !!!! Tb curti o UFC em Fortaleza pela quantidade de finalizações , ambos não tiveram tantos bons nomes mas foram ótimos de se assistir !

    • Acácio

      Rodrigo, concordo com vc, estive presente no UFN 32 e realmente foi sensacional, com certeza um dos melhores eventos de todos os tempos. Muita gente boa além do Henderson e do Belfort, como o LaFlare, Adriano Martins, Brandon Tach e Jeremy Stephens, além do Mutante, Sarafian, Tiago Tavares e Feijão. Das 11 lutas, 7 terminaram no primeiro round, foram 3 KO’s e 2 TKO’s, além de 4 finalizações, apenas duas lutas foram para decisão.

  • Leo Corrêa

    assistirei a TODAS as lutas !

  • Dan Mendes

    Não achei o evento bom, não.

    Faltou um adversário a altura do Renan e pro Erick.

    • Lucas Rezende

      Concordo com o do Renan, mas só o fato do cara lutar no Brasil pela primeira vez já contribui pro espetáculo.

      Quanto ao Erick, realmente não me importo que ele esteja enfrentando o Mike Rhodes. Tô cansado de ver o UFC apressando o cara e ele não ter tempo de se desenvolver, espero que agora o Joe Silva vá mais devagar com ele.

      • Dan Mendes

        Para mim, não faz diferença nenhuma se o Barão esta lutando aqui ou não. Quero ver luta boa e competitiva independente da nacionalidade dos lutadores.

        Quer dizer então que o culpado pela derrota do Erick é o UFC?! O Hype incoerente, o cardio ruim, a técnica de superior dos adversários são secundários. O problema foi o Joe Silva que não casa lutas só com barangas, tem que preserva esse menino com 30 anos nas costas.

        • Lucas Rezende

          O cara apanhou pro Jon Fitch e aí o deram o Jason High. Do High, foi pro Dong Hyun Kim.

          Nessa altura já tava na cara que o Erick ainda não pertencia ao top 10 da divisão, se é que um dia pertencerá, então agora que já conhecemos a postura e as limitações dele, por que continuar a colocá-lo na fogueira?

          Mesma coisa aconteceu quando o deram o Matt Brown depois de ele ganhar o Takenori Sato de presente.

          Não vejo que um adversário mediano seja uma forma de preservação para o Erick, e sim como um meio de saber onde ele realmente se encontra na divisão, pois acho que depois das três derrotas contra membros de elite, dá pra entendermos que não é no topo.

          E que ele só volte a enfrentar caras da vanguarda quando realmente fizer por merecer, não depois de bater em qualquer um. O cara nunca venceu duas luta seguidas no UFC e exigimos que ele enfrente o mais grosso calibre dos meio-médios? O Erick é vítima do próprio hype.

  • Andy

    Esse evento está bom para um fight night.
    Mas esse main event aí, achei meio sem sal, pois ao meu ver, o Lyoto não terá tantas dificuldades pra levar essa luta.
    Se o evento seguisse o ranking da maneira que tem de ser feita, era pra ter colocado Lyoto vs Rockhold, e Dollaway vs Bisping, que faría muito mais sentido do que as lutas que estão marcadas, entre Rockhold/Bisping e Lyoto/Dollaway.
    Como sempre, o Erick após levar uma sova, recebe um random pra não avacalhar muito o cartel, mas de resto ta tudo certo mesmo

  • Andy

    Esse evento está bom pra um fight night, mas esse main event eu achei um pouco sem sal, porque não vejo CB trazendo perigo pro Lyoto de forma alguma.
    se o evento fosse se basear no ranking como devia ser feito, eles deviam ter colocado Lyoto vs Rockhold e CB Dollaway vs Bisping, que faría mais sentido do que as lutas que realmente foram marcadas, alem de que Lyoto/Rockhold tem muito mais “cara” de main event do que Lyoto vs Dollaway.
    E o Erick Silva ja vai pegar uma mamata, pra não deixar o cartel muito feio, só que creio que mesmo vencendo, devem demorar mais umas 3 ou 4 lutas pra colocar ele contra um top 15 – 10 novamente.

Tags: , ,