Ultimate e Unibet: aposta perigosa demais

Felipe Paranhos | 15/10/2014 às 15:24
Gustafsson_Unibet

Gustafsson também é patrocinado pela marca

Pela quase nula repercussão do assunto, imagino que muito pouca gente que assistiu ao UFC Fight Night 53, no início do mês, percebeu quem foi o principal patrocinador do evento.

A marca estava lá, no meio da lona sueca: Unibet.

A empresa de apostas online sediada em Malta – onde esta atividade é legal e muito estabelecida – tem raízes e diretores suecos e colocou suas cores e seu logo em toda a parte de fora da Globe Arena.

E engana-se quem acha que a relação foi eventual: hoje, a Unibet é considerada a parceira oficial do UFC para apostas.

O relacionamento das casas com grandes ligas esportivas não é nova, embora continue crescendo.

Como anunciantes, tais companhias estão cada vez mais presentes no mundo dos esportes.

E os escândalos também. Futebol, boxe, tênis, K-1basquete e até sumô já passaram por crises ligadas à grana voadora das casas virtuais.

Mas, apesar dos duros golpes sofridos por tais modalidades, a popularidade da maioria deles segue mais ou menos a mesma.

Aqui vem meu ponto: não sei se o MMA resistiria a uma dessas crises. Imaginem se é descoberto que um nome importante do UFC perdeu de propósito, com o objetivo de enriquecer alguns investidores.

Que rastro de confiabilidade um esporte polêmico com só 20 anos de história deixaria após este episódio?

Para a grande parte do público, o MMA se restringe aos quase 500 lutadores sob contato com o UFC.

... Assim como o programa "Inside the Octogon"

… Assim como o programa “Inside the Octogon”

Se um ou dois forem envolvidos em um golpe com apostas, o impacto seria proporcionalmente muito maior do que em modalidades como o boxe ou em esportes coletivos.

(Vai um parêntese: ano passado, num exercício de mau jornalismo, muitos sites brasileiros publicaram que havia uma investigação da Nevada Gaming Board sobre uma grande aposta na primeira luta entre Anderson Silva e Chris Weidman – situação que a própria fonte da informação me explicou em um tweet. Foi mais um exemplo de como o jornalismo caça-cliques é desinformativo)

Voltando ao assunto, eu pergunto: qual a lógica de o UFC deixar que sua marca – considerada uma das dez mais valiosas do mundo esportivo segundo a revista Forbes – seja associada a uma empresa do ramo de apostas?

Mais um exercício sadio de especulação: imaginem que mês que vem um favorito é acusado de ter entregue sua luta no UFC 179 para beneficiar apostadores.

Story e Nelson perto do logo

Story e Nelson perto do logo

Qual seria, então, a moral do UFC para dizer que reprime a ligação de seus lutadores com casas de apostas?

Como Dana White vai chamar a imprensa pra dizer que Fulano é um mau caráter que não merece ser chamado de atleta, se ele chamou de parceira uma empresa do mesmo ramo que o prejudicou?

Firmar laços com a Unibet é um risco desnecessário para uma organização e uma marca do tamanho do UFC.

Deixar que a desconfiança ronde a modalidade é tudo o que Dana e os irmãos Fertitta não precisam para manter o caminho de expansão, então a parceria me parece um erro gigantesco.

Nós, apostadores, até podemos cometer erros grandes, afinal é assim que o jogo funciona. Mas o Ultimate tem muito pouco a conquistar com este casamento.

E muito a perder caso algo dê errado.

  • will

    Quando eu “suspeitei” do último nocaute do McGregor muita gente aqui do site me criticou. E eu nem tinha afirmado nada, só tinha dito que o golpe não pegou. O UFC está começando a movimentar muito dinheiro. A partir de agora, é preciso ter mais atenção com os resultados. Quanto mais dinheiro mais chance de haver manipilação de resultado. Concordo totalmente com o Felipe, a associação com esta empresa de apostas é um tiro no pé. Vai acabar dando margem pra especulações.

    • Felipe Paranhos

      Pode crer, Will, que quando surgir algum escândalo do tipo (e vai surgir em algum momento, porque o dinheiro e a falta de caráter são implacáveis em qualquer esporte), vai ser em uma luta que absolutamente ninguém suspeitava. Essas coisas são, em geral, muito bem feitas. (Mas o golpe do McGregor pegou, rapá!)

      • will

        Eu não acredito que o UFC se envolva em algo errado. O que tem chance de acontecer é um atleta receber por fora dessa empresa e entregar uma luta. Esse negócio de apostas só trás problemas. Deviam ser proibidas apostas envolvendo esportes.

    • Cauã Albuquerque

      Eu tb disse que o Gregor poderia disputar a cinta se, de fato, houvesse vencido Poirier. Não venceu!

      • Dan Mendes

        Heim?

      • will

        Eu também fiquei na dúvida. O golpe, se tiver pegado, foi de raspão. Eu acredito que o Pourier estava abalado psicologicamente. Ele se entregou depois do golpe. Não acredito que foi armação, acho que o McGregor venceu mentalmente. Nem precisou lutar. Mérito dele, mas não vai funcionar sempre.

        • Rafa FriAll

          Vitor Belfort x Akiyama foi igual amigo, o golpe pegou de raspão, mas pegou.

  • Cauã Albuquerque

    Basta ver o caso do k1 essa semana.

    • Felipe Paranhos

      Pois é. Era pra eu ter abordado isso, inclusive, no texto. Acabei esquecendo, aí o Renato incluiu ali como link. Mas é isso mesmo: existe uma aura de desconfiança nos esportes que às vezes está mais pesada, às vezes mais leve. Chegou de novo com tudo nos esportes de luta.

      • Cauã Albuquerque

        O pior é que em esportes deste tipo onde qualquer favorito pode perde em um soco fica difícil saber se foi ou não armado. Acho que politizar o MMA está errado em alguns aspectos e vcs poderiam até criar um post sobre o assunto, que é: doping no MMA. Eu considero exagero a política antidoping do UFC. Isso é um esporte de contato e as pessoas são humanas, elas se machucam. Várias lutas estão sendo canceladas por conta dessa hipocrisia e que no pride era resolvida na base da infiltração.

  • Concordo, muito arriscado para imagem do esporte esse tipo de parceria, ainda mais com um CEO que gosta ‘pouco’ de dinheiro, apesar de já ser milionário.
    Uma curiosidade sobre o mesmo é que ele aposta em praticamente todos os eventos, e num podcast do Joe Rogan ele disse que sua maior perda foi de 1 milhão de doletas, e seu maior ganho foi 6x esse valor, mais obviamente não revelou em quais pelejas.

  • Michelle Souza

    Felipe,excelente texto!
    O texto me respondeu uma pergunta que me fiz justamente na primeira luta do Anderson e Weidman: Quem apostou um milhão de dolares?
    E como é de costume os brasileiros imediatamente atiraram pedras em Spider.
    O UFC não precisa de uma parceria desta.

    • Malk Suruhito

      Se o Alexandre Matos tivesse 1 milhão, ele tinha apostado. O Renato Rebelo que não nos deixa mentir…

      • Renato Rebelo

        Hahahaha

      • Wadson

        Ele tá guardando o milhão pra apostar no Cormier.

        • Malk Suruhito

          Ele aposta que o Cormier vai deixar o Jones de costas no chão. Quanto a vitória, acho que ele vai deixar a grana dele guardada.

    • Felipe Paranhos

      Obrigado, Michelle! 🙂
      Então: ainda que tenha sido verdade, esse tipo de aposta não necessariamente significa que o cara sabe o que vai acontecer. Nas casas de Vegas, tem gente que aposta isso aí. O grave foi que o MiddleEasy postou no dia seguinte que ouviu esse rumor (eles não são um site jornalístico, postam muita coisa de zoeira também), e meio mundo de site brasileiro de notícias tratou a história como fato. Bizarro.

  • Malk Suruhito

    Felipe, você deixou claro que na sua matéria é o UFC, seja por ele que fez a parceria, seja porque 90% da população acha que MMA e UFC é a mesma coisa. Mas acaso ocorre-se algo do tipo dentro do UFC, como acredite que isso afetaria os outros eventos (incluso o declaradamente concorrente)?

    • Felipe Paranhos

      Malk, eu acho que o impacto seria não tão grande em termos absolutos, mas, proporcionalmente, o efeito seria o mesmo. Porque, pra muita gente, o esporte se chama UFC. Não é difícil ver alguém dizer que Fulano é “lutador de UFC”. Então, acho que o golpe seria duro pra todos. Abraço!

  • Renan Trigueiro

    Acho que o UFC deve estar muito ciente nesse problema de simbiose com casas de apostas. O proprio Dana é fã do boxe e sabe que a ilegitimidade foi um dos grandes motivos por traz da queda do esporte. Entendo a preocupacao do autor e tb concordo, mas não acho que haverá maiores problemas

  • Nelson Junior Ticaum

    Esqueceram já da questão Pride X Yakuza…

    • Renato Rebelo

      Bem lembrado!

  • CM

    Sempre tive muita vontade de apostar em lutas
    mais nao sei uma empresa confiavel para apostas
    Os amigos aqui poderiam me indicar uma empresa segura de aposta.

    • Cara, sempre apostei pelo br.sportingbet.com, nunca tive problemas.
      Se bem que faço mais como uma brincadeira ou Hobbie com apostas baixas. Não sei se é o caso da indicação e se está dentro do que você fala em “empresa segura de apostas”

      Uma dica é: Nunca siga seu coração!!..rs

      • Felipe Paranhos

        Hahaha, com certeza! Torcida e aposta não combinam!

    • Felipe Paranhos

      Eu aposto em duas casas, CM. No Sportingbet e no bet365 — uma uso para um tipo de aposta, outra para outro. Das que conheço, a melhor casa para apostas em MMA é a bookmaker.eu. Mas, se você não estiver disposto a fazer apostas muito grandes (tipo 500 reais cada), os dois que citei acima atendem bem.

  • Bruno Fares

    Matéria do site IMPEDIMENTO sobre casas de apostas em MALTA e atletas profissionais:

    http://impedimento.org/fabrica-de-santos/

    • Felipe Paranhos

      Impedimento, maior site possível! Uma das maiores perdas da internet.

  • Marcelo Silveira

    Pode até ser desnecessária a parceria entre as empresas mas o risco citado no artigo acontece em qualquer cenário. Aqui na série A e B do brasileiro(onde esse tipo de aposta é “proibida”) jogos foram vendidos e o mesmo acontece tantas vezes pelo mundo. O fato de ter essa parceria não aumenta em nada o risco de fraude, o risco sempre estará presente a medida que muita gente em muitos sites virtuais ou em casas de apostas regulamentas apostam fortunas em lutas. Basta o lutador, arbitro ou os árbitros laterais entrarem no esquema que está feito o estrago. []’s

  • Fernando Mangger

    A primeira coisa que me veio a cabeça foi o Wanderlei Silva, falando que os atletas são “mal remunerados”, daqui a pouco aparece um lutador levando uma grana por fora para entregar lutas.

Tags: