De olho no vice: os pontos altos do Bellator 128

Lucas Rezende | 11/10/2014 às 13:33

Bellator 128, meu card favorito da 11ª temporada da organização até então.

Assistimos uns resultados inesperados no bom e no mau sentido, em Thackerville, Iowa.

Não só Joe Warren fez história ao se tornar o primeiro campeão de duas divisões diferentes do Bellator, mas também testemunhamos a humanização de Michael Page e duas finalizações rápidas e precisas por cortesia de Alexander Sarnavskiy e Emiliano Sordi.

Além de mais um motivo para acreditar que não importa onde você treina se sua cabeça não está no lugar certo – graças a Bubba McDaniel.

Pois bem, acompanhem-me.

O Randy Couture do Bellator

Golpe ilegal

Golpe ilegal

Se Randy Couture é conhecido por ser um wrestler que só começou a lutar MMA em meados de seus 30 anos de idade – mas conquistou cinturões em duas categorias diferentes do UFC – o que podemos dizer sobre Joe Warren?

Quase que idêntico ao “Capitão América”, Warren, o campeão mundial de luta greco-romana – profissional no MMA somente desde seus 32 anos-, igualou o feito de Couture (so que no Bellator).

Lembremos que Warren nocauteou Joe Soto em 2010 e afanou o título dos penas.

Fundamentado naquilo que sabe fazer melhor, o americano negou quaisquer investidas de Dudu Dantas, buscando clinch e derrubando sempre que suas joelhadas voadoras afoitas passavam longe do alvo, em uma unificação de cinturões surpreendentemente díspare.

E enquanto Warren colhe os espólios da vitória, a pressão sobre José Aldo e Nova União se multiplica, agora que o segundo campeão da equipe cai em 2014 e o terceiro arrisca seu reinado dentro de duas semanas.

Aguenta, Pederneiras.

Humano, afinal

Treta?

Treta?

Pela primeira vez, não poderemos resumir uma luta de Michael Page em um gif animado.

O badalado inglês deixou a desejar ao vencer uma morna decisão unânime sobre o ex-UFC, Nah-Shon Burrell.

A falta de maiores emoções, inclusive, responde várias perguntas sobre “Venom”.

Primeiro, apesar da autoconfiança excessiva e a já conhecida guarda baixa que o ajuda a defender quedas, Page é um bocado suscetível à velha estratégia de Randy Couture, de pressionar o adversário contra a grade.

Embora tenha se libertado de Burrell sempre que este o imprensava, a dificuldade de Michael para se livrar estava clara.

O que nos leva a pensar que se pela primeira vez em sua carreira, Page foi além de cinco minutos – e para isso só bastou alguém do calibre de Burrell para entendermos que o caldo pode engrossar rápido quando um wrestler mais experiente o encontrar.

E isso pode acontecer logo, pois a demanda sobre o rapaz é alta, e a vontade de torna-lo estrela, mais ainda.

O retorno do Tigre

GrimyReasonableDartfrogMais uma vez vítima de uma joelhada voadora, Dakota Cochrane estreou no Bellator virando estatística, como a 18ª vitória por finalização de Alexander Sarnavavskiy.

Em um duelo balanceado por cima, já que nenhum dos combatentes alcançou o peso limite da categoria, o “Tigre” saiu por cima.

Assim que o russo conseguiu se desvencilhar do clinch, o combate acabou para o americano, e Alexander, há um ano e três lutas sem dar as caras pela arena circular, já retorna pensando em dar o troco contra o algoz Will Brooks.

Mas esse primeiro lugar já tem dono. E ele atende pelo nome de Marcin Held.

O argentino número dois

HardSickAlpacaComo é frustrante ser Bubba McDaniel.

O convencido pupilo de Greg Jackson nunca consegue despontar quando a mais importante das oportunidades lhe aparece.

Quando vence, pouco impressiona. Mas como perde feio. E rápido.

Finalizado em menos de um minuto pelo argentino Emiliano Sordi, Bubba deixa sua terceira aparição pelo Bellator com um gosto similar ao de seu combate contra Uriah Hall no TUF 17, quando foi nocauteado em nove segundos.

Ou ao da derrota para Sean Strickland, também no primeiro assalto.

Já Sordi – estreante da organização e veterano do Jungle Fight – é o segundo argentino mais popular do MMA (desculpe, Alex Schoenauer), depois de Santiago Ponzinibbio.

Aos 23 anos e em atual sequência de quatro vitórias, o “He-Man” pode florescer como o equivalente de “El Rasta” na organização vizinha, se continuar como está.

Outros resultados:

Jason Sampson venceu Danny Sykora por decisão dos jurados
Cody Walker nocauteou Treston Thomison no R2
Cortez Coleman venceu William Florentino por decisão dos jurados
Jason Butcher nocauteou Andreas Michailidis no R2
Emmanuel Sanchez finalizou (mata-leão) Stephen Banaszak no R1
John Macapá venceu Scott Cleve por decisão dos jurados
Johnny Cottrell finalizou (guilhotina) Jonathan Gary no R2
Demario Cade finalizou (mata-leão) Brandon Seyler no R1

OBS: os GIFs animados fazem parte do acervo do Profeta Zumbi (@ZProphet_MMA).

  • Dan Mendes

    Eu vi a luta do Michael, acho que ele lutou muito bem: Pontuou o tempo todo e não deixou o adversário se crescer em nenhum momento.
    Espero que venha uns caras mais fortes e vou torcer para que ele vença. Percebo que tem gente que torce contra, inveja talvez?

    Não vi a luta do Dudu inteira por que a narração do EI é um lixo, insuportavelmente imparcial, gritada, exagerada e irritante; mas, enquanto eu vi gostei da apresentação do Dudu.

    Valeu, Lucas!

    • Lucas Rezende

      O Page não lutou mal, não. Mas foi aquém daquilo que se esperava dele. O Burrell veio com o único intuito de anulá-lo e ás vezes conseguiu.

      Também gosto do inglês, mas claro que sempre vai ter gente torcendo contra quando o cara é espalhafatoso. Sem falar que ele ontem tinham vários americanos o vaiando e gritando “U.S.A”, sem parar.

      A luta do Dudu foi mais uma clássica luta do Joe Warren, carregada na luta greco-romana e nuns golpes bem abertos. O Dudu pouco conseguiu implementar o muay thai, muito menos o jiu-jitsu.

      Abraço, Tyrion!

  • Leonardo Neves

    E vim para comentar mas o Lucas já flw tudo.

  • Paulinho_MT

    E a Nova União, hein, mais um cinturão que se vai…

  • Realmente bom card, gostei mais do que alguns fight nights do UFC. Infelizmente la se vai mais um cinturão da NU, Dudu na minha opinião muito mais técnico, porém o Warren conseguiu impor seu jogo unidmensional baseado na luta agarrada.

    1- Acho que os juízes precisam ser mais fiéis as regras e não cada um faz o que achar na hora, e sim, devem ser punidos caso errem em suas decisões. Ontem na minha opinião era caso de se tirar 1 ponto do americano,o chute foi intencional, causou o corte no supercílio, e ele ja havia colocado o dedo no olho do Dudu outrora. Ia dar empate e o máximo que poderia ocorrer era um rematch.

    2- Uma afronta ao grande mestre Tyson, ter seu apelido utilizado por um homem de 37 anos que não aceitou em nenhum momento a trocação com um menino de 25. rsrs

  • William Terres

    Estaria a Nova União numa crise técnica? Nem vou falar das perca de cinturão do Dantas e do Barão, mas ultimamente os lutadores da equipe estão com más performances. Tirando a Claudinha Gadelha, o resto… Aldo ganha mas não convence, Ronny Markes só enrolava no UFC e lutou mal pra caramba em sua estréia no WSOF, sem contar o problema com o peso. Valmir Bidu fez parte do camp na Nova União e não fez nenhum arranhão no gloriso James Vick, Bruno Carioca tomou um atraso do Elias Theodorou semana passada…

    • Rodrigo Tannuri

      Em contrapartida, o Thales está destruindo tudo e todos. Ainda temos Cigano e Cara de Sapato. Que coisa, a academia, que era conhecida como a melhor entre os levinhos, está aparecendo devido aos mais, digamos, fortinhos kkkkk

    • William Terres

      Bah, errei feio no português, “das perca” foi foda hehe

  • Maykon Douglas

    Sobre o co-main event…
    A luta foi morna muito por conta do Burrell que ao buscar o clinch não era tão ativo e até mesmo quando fico por cima, não causou nenhum perigo para o inglês, sobre a atuação de Venom eu gostei, frustou todas as tentativas de queda do americano, inclusive chegou a quedar o Burrell, apesar de não ter nocauteado, foi mais contundente em pé, e continua impressionando com aquelas esquivas cinematográficas, vejo futuro no garoto, agora precisa ser testado contra um wrester cascudo, vi gente falando na chance de o Bellator colocar ele já pra disputa de cinturão, eu particularmente acho precoce demais…

  • Maykon Douglas

    Sobre o futuro de Page…
    A tendência agora é o Page enfrentar oponentes mais qualificados, caso ele vença contra maiores desafios, estará o UFC interessado em contratar o cara, lembrado que o Venom é britânico, e a Inglaterra é um mercado ainda não conquistado pelo Ultimate ?

  • Rodrigo Tannuri

    Na boa, o Dudu poderia perder pra qualquer um, menos pro Warren. Não que o americano não seja bom. Eu o acho muito competente, até, porém o mesmo é um sujeitinho intragável. Convencido e desrespeitoso. Torço sempre pra que perca feio e vibro quando isso acontece. Como Dudu ainda é novo, não podemos crucificá-lo, até porque o garoto é talentoso. Contudo, muitos o colocavam em um patamar elevado e a queda aconteceu. Tomara que o brasileiro se recupere do baque, que não foi um vexame.

    Sobre o Page, eu, particularmente, não gosto de lutadores com esses trejeitos. Por mais que ele seja talentoso, acho bem irritante de se ver. Eu não sei pra vocês, mas, pra mim, ele passa uma certa arrogância sim. Ele é perigoso, mas sua tática também é perigosa pra ele. Sinceramente, dessa vez, não esperava um nocaute. O Burrell não é top, mas está longe de ser ruim. Se vier um wrestler pro Venom, não creio que ele passe pelo teste.

    Como é bom ver o Sarnavskiy lutar e vencer. Gosto muito dos atletas russos e ele é um dos meus queridinhos. Com a saída do Alvarez, ele e o Held vão em busca desse espaço no topo. Por outro lado, o que é o Bubba? Meu Deus, freak define! O Greg Jackson deveria desistir dele, porque esse aí não tem jeito pra coisa kkkkk

  • Felipe

    Fiquei foi mais otimista com o Page. Esperava que ele fosse
    destroçado por qualquer grappler mesmo, não que conseguisse evitar tantas
    quedas.

  • Danilo Lopes

    Cara. primeiro sobre o Page. Achei muito bom vê-lo lutar 3 rounds e – apesar de eu achar que lutou mais uma vez muito bem -, ficou claro que ele ainda precisa evoluir em alguns pontos. Acho que ele pode ter problemas contra um cara mais rápido, ele se expoe demais nos golpes de entrada (que tanto gosta) e pegando um cara veloz, pode acabar tendo problemas com uppers de encontro, porque tem pouca variação de esquiva, sempre vem de cabeça baixa. Discordo que ele foi abafado no jogo de grade. Acho que se saiu muito bem e inclusive encaixou golpes que poderiam ter encerrado a luta. Enfim, acho que precisa de pelo menos mais uma luta média pra pegar um cara mais pauleira, mas gostei demais, os chutes rodados do cara são de outro mundo.

    • Lucas Rezende

      Ele não foi totalmente dominado na grade, mas também não manuseou a situação sem dificuldades, o Nah-Shon conseguiu mantê-lo ali por um período de tempo considerável, mas não o suficiente para vencer algum round.

      Venom venceu a adversidade sozinho e mostrou que não é só show, mas também expôs um pouco sua fraqueza.

  • Danilo Lopes

    Com relação à luta do Dudu, me lembrou a entrevista do Rickson pro Joe Rogan Experience na qual ele fala muito de como “competidores profissionais”(não lutadores, competidores) estragam os eventos de MMA que participam, usando sua técnica para anular ações e nunca para finalizar a luta. Lutam por medalhas e eficiência mas nunca por efetividade. Concordo com o Rickson e acho que isso tem que começar a ser mais inibido no MMA. Big john tinha que ter separado essa luta no mínimo umas 4 vezes e não o fez. Não puniu o Warren como deveria e por fim, proclamaram campeão um lutador patético que não acertou praticamente um soco durante toda uma luta.

    Menos Warren’s e mais Michael Page’s!

    • Lucas Rezende

      Bom, no MMA técnicas de todas as artes marciais são válidas, então não vejo como demérito se o Warren decidiu usar sua arma mais eficiente contra o Dudu.

      Rickson, de todas as pessoas, deveria entender exatamente o sentido por trás disso.

  • Lero

    Dudu cansou no quinto round? Ele acabou bem o quarto round e depois o garoto foi anulado no quinto, contra o tio de 37 anos.

    • Lucas Rezende

      Exatamente.

  • PS: Burrell nem wrestler à vera é. Imagine quando o Page pegar um de verdade?

Tags: