Lombard x Assunção: babaquice x promoção

Renato Rebelo | 07/10/2014 às 23:47
UFC Fight Night: Assuncao v Caraway

Raphael acertando Bryan Caraway no FN 54

Raphael Assunção foi bypassado no passado e, provavelmente, será bypassado no futuro.

E a quem devemos culpar por tamanha injustiça? O UFC?

Quer concordemos ou não, as regras do jogo impostas pela maior organização de MMA do mundo sempre foram as mesmas: onde há demanda, há oferta.

Em outras palavras, se o público (a massa, não os fãs harcore) quiser ver Joãozinho disputando o cinturão e não Luizinho, por mais que o segundo mereça, o sistema não lhe acolherá.

Esse modus operandi também não é, necessariamente, uma facada no coração da meritocracia, afinal, ter mais apelo junto ao fã não deixa de ser um mérito individual.

Quando critiquei a entrevista pós-luta do pernambucano já sabia que TJ Dillashaw e Dominick Cruz estavam alinhados, mas o meu medo estava na reaproximação de Urijah Faber – rival confesso de Cruz- do bolo.

Com o discurso “já tive muitas vitórias, quero chegar ao meu sonho”, Raphael, que deveria estar indignado por ser o maior vencedor da categoria sem uma oportunidade, não convenceu novamente.

Ah, Renato, mas é o jeitão dele. É um sujeito simples, humilde, introspectivo, não tem o dom da comunicação, etc.

67EF378A96D66A65A928B5CB9C4963_h400_w598_m2_q90_cskotRdsA

Decisão dividida contra Dillashaw

Sim. Minha sugestão não é que ele vire um falador de merda profissional, nem force a barra para ser algo que não é.

Mas sair um pouco da zona de conforto – promocionalmente falando- não só é necessário como obrigatório para aqueles que querem aproveitar ao máximo a curta janela de oportunidades que têm lutadores de MMA.

E outra: não existe apenas 8 ou 80.

Entre Chael Sonnen dizendo que vai passar a mão na bunda da esposa do adversário e o discurso politicamente correto “sou funcionário do UFC e acato qualquer ordem”, há um grande meio-campo.

Georges St-Pierre e o “não estou impressionado com a sua performance” contra Matt Hughes prova minha tese.

Essa linha fez tanto sucesso que, inclusive, o levou a gravar comerciais… 

Por isso, desenvolvi um módico discurso que podia ser interpretado por Raphael assim que Jon Anik lhe apresentasse o microfone em Halifax.

Agora, sou recordista de vitórias consecutivas na categoria. Ninguém venceu sete vezes. Quero lembrar, também, que há um ano eu venci o atual campeão. Se alguém merece uma chance, esse alguém sou eu. De qualquer forma, ouvi dizer que Cruz e Dillashaw já estão casados. Quero só mandar um recado aos fãs e ao UFC. No dia em que a data dessa luta for anunciada, eu começo a treinar. Em caso de lesão, estarei mais do que pronto para vencer qualquer um dos dois e provar que sou o melhor peso galo do mundo”.

Minha sugestão, obviamente, é mais orgânica, dura, e está a milhas e milhas da eloquência de Conor McGregor, por exemplo.

De qualquer forma, a frase “BJ Penn é um mestre e chegou a hora de eliminar esse mestre” de Kenny Florian é simples, respeitosa e foi usada em todos os vídeos promocionais que antecederam o UFC 101.

Bethe Correia, por sua vez, não ofendeu a moral e os bons costumes ao abaixar dois dos seus dedos da mão direita após bater Jessamyn Duke e Shayna Baszler – integrantes do clubinho Four Horsewomen de Ronda Rousey.

Com tudo isso dito, ainda reforço que há uma linha tênue separando o ato promocional da babaquice.

O Sonnen mesmo é um que já atravessou essa fronteira algumas vezes:

Saudações de São Paulo. Já estou aprendendo a língua. A dança das Paraolimpíadas se chama capoeira e a cocaína se chama lanche”.

Não que nós, brasileiros, devêssemos ficar mortalmente ofendidos com tal “brincadeira”, mas o objetivo, que era fazer graça, não foi alcançado nesse caso.

É ofender por ofender.

Exatamente o que Hector Lombard fez no último sábado.

Enquanto Tarec Saffiedine ainda recuperava os sentidos dentro da jaula, Lombard aproveitou para chutar cachorro morto via Twitter:

Tarec, eu já te nocauteei da mesma forma no treino. Você lembra?”.

Captura de Tela 2014-10-05 às 02.51.24

Prova do crime

O belga e o cubano jamais tretaram publicamente e não estão em rota de colisão na categoria (ainda mais com esse nocaute imposto por Rory MacDonald).

Pelo contrário, pelo que sei, tanto Saffiedine quanto outros integrantes da Team Quest receberam o ex-campeão do Bellator de braços abertos para alguns treinos no passado.

Em suma, acho sim que Assunção deveria trabalhar a própria eloquência para colher ainda mais frutos plantados no octógono.

Agora, se for pra “Hector Lombardizar”, é melhor ficar como está.

Abraços.

  • Dan Mendes

    Lombard foi muito babaca neste comentário. Se eu não tivesse visto o twitter teria duvidado disso.

  • joao neto

    muito bom seu discurso renato!!! mas sera que nossos lutadores brasileiros,nao perceberam ainda como funciona o ufc? lembro de ver uma entrevista do tito ortiz,em que ele menciona que no inicio levava o antigo (vale tudo) como arte marcial,depois com o tempo e no ufc,ele percebeu que se tratava de um negocio e começou a investir (e muito) no trash talk ou sera uma questao cultural?

    • Renato Rebelo

      Obrigado, João! Acho que tem uma influência cultural sim. A cartilha do politicamente correto come solta por aqui – vide futebol. Uma pena, pois a janela de oportunidade dos caras é mt pequena. Quando entende-se que MMA é entretenimento, às vezes o bonde já passou. O próprio Sonnen só deixou aflorar esse lado no final da carreira dele.

  • Rodrigo Tannuri

    Renatão, eu adoro ver o Lombard lutar, mas, realmente, o mesmo tem um lado bem sacanageiro. As histórias envolvendo o cubano/australiano poderoso são diversas. Saffiedine foi a mais nova vítima, Woodley também sofreu recentemente, mas não podemos esquecer da história de que o Showeather pega bem pesado com os companheiros de treino. Pra mim, essa é uma das piores atitudes nesse esporte. Muitos falam que o Belfort não é querido por onde passa, que é mau colega, mas, se tem alguém que é isso, esse alguém é o Lombard. Overeem perto dele é santo kkkkk Ele é um ótimo lutador e isso é inegável, mas, como pessoa, não deve ser levado em consideração. Uma pena. Eu concordo com você. Entre um bom moço e outro que deseja passar por cima de todos pra ter sucesso, prefiro a primeira opção. Uma coisa é promover, dar uma polemizada aqui e ali, mas humilhar e denegrir assim, de graça, é extremamente desnecessário.

    • Renato Rebelo

      Rodrigão, tem histórias (boatos) desse cara do arco da velha. É uma senhora disputa com esses dois nomes que vc citou para quem goza de menos prestígio nos bastidores.

    • Eduardo Sanguinetti

      Já ouvi falar sobre essa questão do Belfort à respeito da relação com os companheiros de treino. Pelo o que eu vejo, ele parece estar muito bem na Blackzillians, mas como ouvi isso já de muita gente, algum fundamento de verdade deve ter. Alguem sabe alguma história ou algo do genêro?

      • Renato Rebelo

        Histórias existem mts. Mas tb tem a chegada da maturidade, os filhos, a família, amigos que se faz ao longo da caminhada. Às vezes, pessoas problemáticas no passado estabilizam tb.

        • Eduardo Sanguinetti

          Sim, mas eu gostaria de entender o que levou ele a ter esse rótulo no passado. Sabe de alguma história? O Overeem por exemplo tem umas 20… hehe

          • Renato Rebelo

            Grande Eduardo. Histórias, como disse, já ouvi mts. Mas, como tb nao tenho como provar nd, seria leviano da minha parte torná-las publicas. Quem sabe um dia, numa rodada de chopp..

  • abner albuquerque

    Sobre o Hector,é como meu avô dizia:”Quem tem merda na cabeça,peida pela boca.”

  • Maykon Douglas

    McGregor deveria dá umas aulinhas, de como se promover, pro Assunção. O irlandês domina tanto o “trash talk” que poderia abrir a Notorious School hahahaha

  • Bart Simpsons

    Curto as provocações entre os lutadores e tal, mas chutar “cachorro morto” (saffiedine) foi pura baboseira.
    Já que Lombard adora pegar pesado nos treinos, gosta de nocautear companheiro e tal, seria bom ele fazer uns treininhos com Alistair Overeem.
    Sobre a luta com Rory, eu até torceria por ele, mas sinceramente, não vejo ninguém nessa categoria com condições de derrotar “Ares”, com exceção do campeão e do atual desafiante Robbie Lawler.
    Já quanto a Assunção, é injusto com o cara, mas realmente concordo que ele, aliás não só ele mas os outros brasileiros tipo Aldo, Barao, Dos Anjos e por aí vai, deveriam se fazer mais presentes, mais notados, principalmente pelo público, que é o que mais importa, e não somente dentro do octógono. Aulinhas com Chael Sonnen, o rei do thrash talk, talvez fosse muito bem vinda;

  • Bruno P.

    Concordo com essa sugestão de discurso, mas mesmo que o Assunção esteja merecendo, da maneira que o Cruz perdeu a cinta e mais ainda, da maneira que voltou, acho sim justo que ele passe a frente…
    Concordo que o Assunção não poderia ficar tanto tempo sem lutar, ficaria quase um ano… mas isso não poderia ser de todo ruim, dado que há muito tempo ele não deve ter umas férias… e o corpo dele deve estar pedindo..

    • Renato Rebelo

      De acordo, Bruno. Afinal, o Cruz não perdeu o cinturão dele em campo, né?

      • Bruno P.

        Exatamente.. o que não tava no script era o Barão perder o cinturão antes.. hehe

  • mazzaropi

    Se o Lombard não vai colidir com Tarec realmente foi uma puta babaquice dizer isto publicamente…

  • Rubens Rodrigues

    Texto mais fabuloso que o nove do meu time (Luís Fabiano)
    Excelente comparação! Eu gosto muito dos seus textos, Renato!
    Parabéns pelo excepcional trabalho, eu estou muito feliz em ver o site crescer da maneira que ele está crescendo e se expandindo muito.
    Um grande abraço, meu amigo!

    • Renato Rebelo

      Opa! Uma honra pra mim, amigo. Mt obrigado pelas palavras e por acompanhar. O site só cresce graças a vcs = )

    • will

      Exato, o site está excelente e cheio de polêmicas. Por exemplo, o Renato acha que Gunnar Nelson é o novo Karatê Kid. Parabéns pelo site.

      • Renato Rebelo

        Hahahahaha és uma figura, Will! Brigadão!

  • Thiago Viana Enge

    Meu amigo, se sou eu o matchmaker e o Assunção manda uma dessa eu dou o title shot pra ele na hora.

    Mandou Benzasso!

  • Luffy

    “Por isso, desenvolvi um módico discurso que podia ser interpretado por Raphael assim queBrian Stann lhe apresentasse o microfone em Halifax.”

    Quem subiu para entrevistá-lo foi o Jon Anik.

    Pode conferir aqui: https://www.youtube.com/watch?v=OME–DAtXp0

    • Renato Rebelo

      Ops, troquei as bolas. Obrigado pela correção, fera.

  • Lucas Braz

    Beth Correia mitou nas promoções, só com os gestos de abaixar os dedos. Nem precisou ficar falando merda e provocando briguinha de saída de colégio.

    • Renato Rebelo

      Exatamente, Lucas. Outro excelente exemplo! Vou até adicioná-lo ao texto. Valeu msm = )

      • Lucas Corrêa Braz

        Boaaa! Existe site mais democrático do que esse?
        Por isso que faz sucesso!!!
        ABS Renato e parabéns pelos textos!

        • Renato Rebelo

          A intenção é essa. Obrigado msm, irmão

    • Realmente, foi foda mesmo!!
      Já até mandei e-mail para o Dana contratar a Marina Shafir para ver a história por completa..rsrs

  • Po Renato, show de bola o
    tema abordado e sua analise nessas atitudes antagônicas entre Rafael e Lombard.
    Aqui vai minha humilde opinião.

    Não adianta, o Assunção vai ter que limpar
    a categoria inteira pra pegar esse TS, ou se for usar do trash talking vai ter
    que pegar pesado, algo como zombar dos atentados de 11 de setembro(Sonnen
    School), quem saiba assim, ele consiga uma atenção nos EUA(e no Brasil também).

    Agora acho realmente bizarro um atleta
    que sempre foi respeitoso com os adversários, com o maior numero de vitórias
    seguidas da divisão, incluindo sobre tudo o atual campeão, ter que usar um “teatrinho”
    pra chamar atenção da massa. Pois a meu ver, isso deveria ser um papel do
    evento, pois quando um lutador não sabe se promover fora do 8, e conquistou
    através da meritocracia seu direito, caberia ao UFC entrar com um marketing pesado para cima do
    mesmo, vide que eles tem um baita “Main Event” na mão – afinal um rematch de um
    resultado apertado, onde o VENCEDOR da peleja esta querendo uma nova oportunidade
    e traz consigo uma bagagem de 7 vitórias seguidas, seria com certeza bem visto,
    até para os fãs “modinhas”. Basta um pouco de boa vontade, uma ou outra luta
    mais chamativa e uma pitada de alguns milhares de dólares para atrair muitos
    PPV’s.

    Então a impressão que me passa é de um
    descaso do Sr. Dana e Cia em fazer essa promoção em
    cima do brasileiro, pois sem dúvida leva um certo tempo e requer um alto
    investimento, e pensando nisso eles preferem reaproveitar a imagem que
    anteriormente já foi construída em cima do Cruz, que na minha opinião não
    merecia essa chance agora, mesmo não tendo perdido a cinta em jogo, muita água
    passou em baixo da ponte enquanto ele estava fora do jogo, e os novos jogadores
    mereciam ser respeitados. E seguindo o raciocínio do Ultimate, cuja prioridade
    é em 1º e 2º lugar a grana, depois, em 3º lugar vem os atletas, é realmente
    capaz em uma suposta vitória do Cruz casarem ele contra o Califa Kid, ou em uma
    luta apertada, a revanche com o Dillashaw, ou seja “senta la” Assunção.

    E pra concluir meu pensamento nessa
    questão de mkt pessoal, a maior prova da tosquice feita a partir do pensamento
    imposto “Se você se vender, será recompensado” foi o empurrão do Aldo sobre
    Chad recentemente, achei uma baita vergonha alheia, visto que não foi nem um
    pouco natural e Aldo com certeza só fez isso devido aos milhares de comentários
    de que ele e o Dedé deveriam utilizar mais o mkt agressivo pra se promover, e
    olha que Aldo é meu lutador favorito.

    • Eu entendo seu ponto de vista e diria que ele era perfeito até um certo evento: Dominick Cruz voltar destruindo o cara que tinha a 2ª maior sequência da categoria. Aí, meu amigo, pode ter 10 vitórias que não pode tomar o lugar do campeão que perdeu o cinturão fora do octógono.

      Raphael tomou balão no UFC 177, ali era pra ser ele. No UFC 173, ele teve a chance, mas tava machucado. No 177 que ele deveria ter botado a boca no trombone. Agora já era.

      • “No 177 que ele deveria ter botado a boca no trombone. Agora já era.” Concordo, ali era a hora de ter chutado o balde, agora não adianta muita coisa.

    • Renato Rebelo

      Verdade. Precisa rolar um preparo pré-venda, se não vira algo constrangedor msm. Nesse caso, é melhor continuar como está

  • will

    Eu vi um lutador de boxe esses dias falando que é 90% alienígena. Basta o Rafael dizer que é um híbrido reptiliano que veio implantar nova ordem mundial do anti-cristo. Ou se declarar adepto da cientologia. O UFC está virando Telequete, uma novela para homens. Uma pena!

  • Eduardo Sanguinetti

    Já ouvi falar sobre essa questão do Belfort à respeito da relação com os companheiros de treino. P

  • Pedro

    Tá difícil para de entrar diariamente no blog,parabéns pelo ótimo trabalho!

    • Renato Rebelo

      Pedrão, fico lisonjeado. Espero que continue acompanhando nossa caminhada. Abraços

  • Flavio Bueno

    Parabens pelo texto! O problema é a supervalorização do talento. O cara acha que nao tem o dom para se expressar e por isso nao faz. É so treinar. No caso do Rafael foi absurda a fala dele no final da luta. O tecnico do cara tinha que por ele para decorar um texto…todo dia antes de começar o treino!

    • Renato Rebelo

      Exatamente, Flavio. O esforço pode mt bem ser conjunto. E mt obrigado!

Tags: ,