FNs 53 e 54 / GPs no MMA / Aldo x Mendes

Renato Rebelo | 07/10/2014 às 16:36

Está no ar a trigésima quinta edição do nosso podcast!

Nesta semana, tive a companhia dos jornalistas Alexandre Matos (colunista do Sexto Round e editor do MMA Brasil) e Ivan Raupp (repórter do Combate.com). 

Em pauta:

– UFCs Fight Nights 53 e 54
– GPs no MMA
– Doping de Cung Le
– Perguntas dos ouvintes

Espero que gostem!

*Para baixar o programa, basta clicar na setinha apontada para baixo na parte superior do “player” à direita.

**Para receber o “feed” do podcast, clique aqui.

*** Para escutá-lo no Itunesclique aqui.

  • Rodrigo Carvalho

    Muito bom galera, pena que é só um por semana haha

    Mas queria comentar algo, obviamente é minha opinião.
    Sobre Aldo x Homminick, não acho que é exatamente a ‘trocação’ do Aldo que foi superada pelo boxe do canadense, e sim – o que é mais preocupante, seu gás. O brasileiro não tem um bom histórico no quesito cardio, ele sempre cai de rendimento. Nos bons dias, no quarto round.. e nos ruins já no segundo (ao menos no seu final). E se não me engano, nessa luta em questão, Aldo vinha de lesão, e estava sem ritmo, acabou recorrendo a luta de chão – sim, por estar sendo superado em pé, mas não por incapacidade e sim por falta de resistência física (no caso o gás), precisou abafar a situação.

    Aliais, é esse meu maior medo contra o Mendes, ele se cansar na trocação franca e na tentativa de evitar as quedas – e quando não conseguir no esforço de escapar da posição de inferioridade, e se cansar muito cedo. Sendo sincero, acho que se essa luta passar do terceiro round (onde eu vejo o Aldo vencendo por TKO), a luta muda 100% e a vantagem é total pro Mendes, que tem gás pra dar e vender.

    • Acho que foi só o gás não. Hominick tava dando trabalho no segundo e terceiro rounds na base da velocidade. No quinto, quando o Aldo tava morto, aí sim o Hominick botou pra baixo se aproveitando totalmente do cansaço do Aldo.

      Mas sem dúvida alguma o gás é muito preocupante numa luta contra uma maquininha como o Mendes.

    • Nilo Júnior

      O gás pode ser um fator preponderante contra o Aldo nessa luta, sobretudo na questão da luta em pé, uma vez que o Mendes é bastante explosivo. Por outro lado, trazendo de volta a luta contra o Hominick, o aperto que o Aldo passou em pé era mais por conta da técnica de boxe do adversário do que propriamente por uma questão de velocidade/capacidade atlética. Na ocasião restou colocar pra baixo e magoar batendo por cima (vide o Alien que surgiu na testa do menino).

      Contra o Mendes, acho que botar pra baixo não é uma alternativa, e por mais que o Bang Muay Thai venha com esse hype todo, não dá pra dizer o Chad tem a mesma técnica de boxe que o Mark Hominick. Por conta disso, acho que um José Aldo mais contra-golpeador pode ser um caminho pra evitar queimar o gás todo muito cedo.

  • Neil Magny

    Bacana essa semana, eu gosto quando sobra um tempinho pra falar de assuntos fora os cards.
    Um dia chegará a ter a duração do ‘joe rogan experience’.

  • Leonardo Neves

    Vai me desculpar; ser carateca é ser parecido com o Lyoto? Então qualquer jiu da vida parece com um Maia? Parem com isso por favor. Estão rebaixando o Machida a esse ponto. Quanto ao Nelson vs Holloway: os fins não justificam os meios.

    • Leonardo Neves

      OBS: não sou hater do Mcgregor, porém, acho que ele ainda não evoluiu ao ponto de se dar bem contra os tops da categoria.

      • Dan Mendes

        Mas o Pourier era top na categoria.

        • Leonardo Neves

          Isso é oque vc acha.

          • Dan Mendes

            Eu e os jornalista que fazem os Ranking do UFC.

          • Leonardo Neves

            Stephans, Guida, Bermudez, e até mesmo o Charles D.B estão a frente do Poirier. Não no ranking mas se lutarem com certeza Poirier leva pão. Quer apostar?

          • Dan Mendes

            Apostar em luta que não tá marcada?! kkkkkkkkkk Você é doido?

            Isso é bom por que ninguém perde.

      • Nilo Júnior

        Eu gostaria de ver o Mcgregor contra um wrestler tipo Clay Guida ou Dennis Bermudez. Acho que oferecem algo que os oponentes que ele enfrentou até agora não tinham.

        Acredito que ele dá o seu jeito e bate esses caras, mas seria interessante vê-lo contra um adversário que vai querer andar pra frente e encurtar a distância.

    • Renato Rebelo

      O que foi dito no podcast foi exatamente o contrário, Leonardo. Apesar de tanto Nelson quanto o Lyoto virem do caratê shotokan, eles têm estilos bem distintos. O Lyoto, inclusive, já me disse em entrevista que o caratê Machida que o irmão dele Chinzo propaga é um misto de caratê com muay thai. Enquanto o Nelson é um caratê bem mais clássico, limpo. Não comparei qual é mais funcional ou melhor pro MMA – até pq o Nelson tá começando e, se fosse assim, os resultados do Lyoto falam mt mais alto. Só disse que ambos são caratecas do msm estilo e, por isso, tem alguns trejeitos em comum.

      • Nilo Júnior

        O Gunnar tá mais pro estilo do Wonderboy, não?

        • Renato Rebelo

          Wonderboy veio do Caratê/Kempo. Tem outras diferenças…

  • Maldonado Pepey

    Alexandre manda o link dessa matéria falando sobre o gunnar?

  • FrankCastiglione

    Fala, pessoal!

    Achei muito bem colocada a questão envolvendo a periodicidade e qualidade dos eventos do UFC ultimamente. Consigo enxergar de duas formas, mas acabo levando mais para o lado negativo:

    1) O lado negativo: É evento demais para acompanhar! Quando tinham eventos mais espaçados, assistia não só o card preliminar, mas tentava ver também Countdown e coletivas pré e pós luta. Hoje, só acompanho os podcasts do Sexto Round e MMA Brasil e, quando vejo que uma luta foi muito elogiada vou lá e assisto!

    2) O lado positivo: Não sei se a organização faz com este intuito, mas o ponto bom que vejo nesses cards fracos em se falando de muita gente desconhecida é de, talvez, o público conseguir acompanhar a acensão de um lutador e, quando ele estiver a ponto de disputar um cinturão ou encarar um cara mais famoso, já saber de quem se trata, ter uma empatia maior e até torcer por ele. Pura especulação minha, baseada em achismo.

    Sobre o Fight Pass e contratos com operadoras locais é uma questão delicadíssima mesmo. Iria quebrar as pernas de muita gente. Porém, a melhor experiência que tive em assistir UFC foi quando paguei 20 Obamas para assistir o Card Principal de Anderson Silva vs Chael Sonnen 2. Sensacional: para quem já assistiu streaming pirata, sabe a tristeza que é o “frame-rate” baixo e os travamentos. No site UFC TV pude ver em alta definição, sem lentidão, podendo mudar câmeras, ouvir os córners não só no intervalo, mas durante toda a luta. E, mesmo depois de acabar o evento, pude assisti-lo durante, pelo menos, mais 24 horas. Eles fazem inclusive uma marcação na barra de tempo mostrando quando houve um knock down, takedown, etc. Hoje, com o novo serviço Fight Pass, me parece uma boa para quem não faz questão ou não pode ver as lutas ao vivo, sobretudo se der para ver as preliminares também.

    Já na TV paga, tive a infelicidade de ter uma experiência horrível com uma operadora, mesmo pagando 70 Dilmas pela TV por Assinatura, 50 pelo Combate e mais 30 por um gravador que, nessa operadora, não me dava o direito de gravar o evento por que se tratava de um canal a la carte / pay per view! Ou seja, só poderia assistir ao vivo ou na reprise num horário pré-definido.

    Me parece que esse Combate Play é uma boa pedida, espero que esses serviços no Brasil evoluam mais, pois acho que pagamos muito pela qualidade do serviço que temos.

    Parabéns por mais este episódio!

    • Renato Rebelo

      Pontos mt interessante levantados, meu velho. Obrigado pelas adições!

  • João Marcelo Ecco

    “Card do Canadá teve Roman Salazar, no card principal velho, nem sei quem é bicho!” por Alexandre Matos. jjahahsuhahasuuahs ri demais…

    • João Marcelo Ecco

      Roman “El Gallito” Salazar

  • Dan Mendes

    Eu descordo desse papo, que virou moda, de dizer que muito evento é ruim. Eu gosto!

    Não gosto quando são 2 eventos no mesmo dia ou evento meio de semana, mas se dependesse de mim seria evento todo dia.

    Deixa a chinela cantar, pessoal!

    • Evento todo dia você quer me foder hehehe

      • Dan Mendes

        Toda semana então.

        Engraçado que minha namo diria justamente o contrário. rsrs

    • Rodrigo Tannuri

      Eu também adoro eventos em sequência. Acho que deveria ter um todo sábado.

  • Carlos Benevides

    Pergunta: seria Raphael Assunção o Rafael dos Anjos dos galos? Os dois fazem lutas ok, ganham praticamente todas e sempre há um lutador da divisão que está à frente.

    • hahahaha boa pergunta! Assunção tá invicto como galo, né? Ele tem essa vantagem. Em compensação, falta a ele uma VITÓRIA, como Dos Anjos teve com o Henderson.

      • Carlos Benevides

        Exato, Alexandre. “Invicto” daquele jeito né, porque ele levou no garfo contra o TJ Dillashaw. Eu, aliás não entendo porque ele não fala muito a respeito sobre ter batido o atual campeão da categoria. O Assunção deveria bater insistentemente nessa tecla para chegar mais rápido ao titleshot. Não sei porque ele não capitaliza em cima disso, tem twitter, tem facebook e o caralho a quatro pra ser ouvido…
        Este é um esporte, feliz ou infelizmente, no qual o desempenho do atleta vai muito além do que ele faz ou deixa de fazer dentro do octógono.

        • Também acho, mas ele tinha que ter feito isso antes do Dominick Cruz voltar. Agora, com o cara de volta, nem tendo 10 vitórias merece tomar o lugar do campeão que não perdeu o cinturão lutando.

          • Carlos Benevides

            É, agora já era, não há nada a fazer a não ser lutar contra o Barão ou esperar mais um pouco. Ele parece aquele incomodado conformado. O dos Anjos pelo menos conseguiu uma grande performance em cima do Bendo, com um nocautaço. Não lembro de nenhuma das sete vitórias em sequência do Assunção que foram impressionantes. Pelo menos os galos têm menos concorrentes que os leves né, dos males o pior…

    • Nilo Júnior

      Olhando somente para números, dá pra comparar sim, mas o Dos Anjos teve desafios mais relevantes como Cerrone, Bendo e o Khabib.

      Aí já entrando numa questão mais de fã, o Assunção tem um estilo bem burocrático, ao passo que o Dos Anjos foi de um jiu-jiteiro pra striker de mão cheia (me arrisco a dizer até que a movimentação dele em pé só se compara à do campeão da categoria).

      Em comum (além da sonoridade do nome) os dois têm o fator promocional, que ainda é bem fraco se comparado a outros nomes.

  • Danilo Lopes

    Bom programa. Parabéns.

    • Renato Rebelo

      Obrigado, irmão!

  • Carlos Montalvão

    Vale lembrar que o Combate Play não é NADA, ABSOLUTAMENTE NADA vantajoso para os fãs de MMA. Por que? O Play tem a biblioteca com UFC e o que mais? Um ou outro evento nacional e só. Enquanto isso, no UFC Fight Pass, que não podemos assinar graças ao azar, além dos eventos do UFC, tem os eventos do WEC, Invicta FC, todas as temporadas do The Ultimate Fighter, UFC Unleashed, Todos os Countdowns, Road to the Octagon, conteúdo extra do TUF e provavelmente todos eventos do Pride. Acho uma verdadeira burrice do UFC não permitir assinatura no Brasil, seria uma manobra boa liberar aqui, cobrar 15/20 por mês de assinatura fazendo ser um serviço à parte pra quem não quer assinar o Combate ou pra quem já assina, ter material extra na web. Ou que liberem todo o conteúdo do Fight Pass pro Combate Play e venda os direitos de transmissão do Invicta FC e passem o evento LIVE na tv pra ficar 100% justo

    • Nilo Júnior

      Tem algumas lutas do Meca e um acervo razoável do Pride também, mas não chega perto do acervo do Fight Pass, inclusive com relação às lutas do UFC.

      • Carlos Montalvão

        Falando em Meca e Pride, a biblioteca do Combate no NET NOW é maior e mais completa que o próprio Combate Play hehe

    • joaogabriel

      Além de não estar disponível pra várias operadoras, como a minha (Oi TV). Por esses motivos e outros que parei de assinar canal Combate, estou extremamente satisfeito assistindo os eventos via streaming e baixando-os posteriormente.

    • Renato Rebelo

      Sim, sim. Tem tds essas diferenças, mas, contratualmente, a existência de um impede a do outro. Enquanto houver Combate Play e o contrato com o Combate como ele é, esqueça Fight Pass por aqui = (

      • Carlos Montalvão

        Por isso eu disse que os caras podiam pelo menos liberar o mesmo conteúdo do Fight Pass no Play e de quebra passar o Invicta nem que fosse exclusivamente online :/

    • Rodrigo Loureiro

      A respeito disso, eu pretendo brevemente fazer o teste e ver qual o custo x beneficio de eu ter um private VPN ou Proxy e poder assim assinar tanto o fight pass como os demais serviços do UFC.tv, quando eu fizer isso posto aqui comentando se vale a pena.

  • DekoDiaz

    pra variar, o Alexandre sendo muito chato e engolindo os outros participantes do podcast com sua opinião… chato demais

    • Dan Mendes

      Eu achei a participação dele excelente. Achei até que ele falou pouco.

  • Nilo Júnior

    Conforme mencionado no podcast, olha o campeão da 77 na capa do Batman #sqn

    http://cdn2.cagepotato.com/wp-content/uploads/2014/07/johny-hendricks-looking-fat-with-sandwich.jpg

    • Renato Rebelo

      Rapaz e vou te dizer que essa nem é das piores. Vou catar uma aqui que eu tinha visto.

      • Renato Rebelo

        Olha essa:

        • Nilo Júnior

          Não apareceu o link.

          • Renato Rebelo

            Eu botei a foto direto. Não tá aparecendo?

          • Nilo Júnior

            Agora apareceu.

            Véi, o bicho tem até “man boobs”…

    • Dan Mendes

      Ali atras é a miesha?

  • Isaac Carvalho

    Pow parabéns, muito bom, sempre comentários com conteúdo e imparcialidade, uma idéia, vocês poderiam sortear algum ouvinte pra participar do podcast nem que seja no finalzinho, só uma dica.

    • Renato Rebelo

      Opa, ideia anotada, Isaac

  • Paulo Melo

    Ótimo podcast , estão de parabéns mais uma vez !
    Achei muito legal terem falado da quantidade x qualidade dos eventos do UFC
    Penso o seguinte : O ideal pra mim seria como o Ivan falou , 2 vezes ao mês .
    Óbvio que nos meses com 3/4 eventos , geralmente assisto todos , contanto que sejam a noite , particularmente não gosto de evento a tarde , se não me engano o UFC do Gustafsson x Thiago Silva começou meio dia num sábado …

    Creio que , apenas um evento ao mês , mesmo que tenha um excelente card , é pouco , porque pode ser que devido a algum imprevisto , se perca esse evento , seria praticamente 2 meses sem ver nada de UFC ao vivo … muita coisa pra quem realmente gosta de assistir o UFC.
    Uma coisa que na minha opinião deve ser mudada é a quantidade de lutas por card , acredito que 8/9 lutas seriam o ideal , 10 está no limite , mais que isso , meu Deus ! rs O UFC Fight for The Troops mais recente teve 13 lutas , numa quarta-feira acando qse 01:30 da quinta !!!!
    Isso na minha opinião afasta um pouco o “fã médio” , já que por exemplo um cara que vai ver um evento como esse com muitas lutas dificilmente vai acompanhar desde a primeira luta , e no caso de último ( evento do Canadá ) as 3 primeiras lutas foram sensacionais , o cara que começou a assistir perto do card principal , perdeu “a nata” do evento e acompanhou algumas lutas bem mornas até chegar no nocautasso do Rory … Esse lado tem de ser trabalhado pq realmente como já dito , é o “fã médio” que sustenta o UFC , que curtindo ou não vai aos eventos ao vivo ( já ouvi de muito “fã hardcore” que se o card não for top , não pagaria nem a pau pra ver no Ginásio , diferente do fã médio , que tendo algum brasileiro conhecido top ou não , vai lá e paga pra ver ao vivo) e gera mais receita $$$$ ao evento .

  • Diego

    Com Ben Henderson querendo subir para os 77, e caso GSP retorne e Rory seja o campeão, o que acham de casar GSPxBendo em um peso combinado?

    • Renato Rebelo

      Vai depender mt do cenário no momento. O GSP jamais pegará alguém vindo de derrota. Ele só volta pelo cinturão ou em luta grande.

  • will

    Gunnar Nelson toma a maior surra do ano, mas o Renato ainda acredita nele. Da série, “A esperança é a ultima que morre”.

    • Renato Rebelo

      Tb não é pra tanto, Will. Surra foi, do ano não. Não é pq perdeu dessa forma tb que o cara que estava invicto é uma porcaria. Ainda acho que ele se sairá melhor com 70kg, por isso, ainda aposto nele.

      • Dan Mendes

        Cá entre nós eu também acredito.

    • Guest

      Não foi você que disse que o Mizugaki seria campeão dos galos? rsrs

      • will

        Foi eu sim. O japonês vinha com uma seqüência muito boa de vitórias. Eu não esperava aquela surra. Fiquei chocado. Sobre o Nelson, ele não vai vingar no UFC.

        • Renato Rebelo

          Will não foi bem no primeiro exercício de futurologia, mas também não se deu por vencido: ele segue tentando.

  • Italo Soares

    Casaria uma luta entre Barao vs Assunção no mesmo card de Cruz vs Dillashaw?

    • Renato Rebelo

      Esse, pelo menos pra mim, é o cenário dos sonhos para a categoria. Boa ainda botar o Faber x alguém

  • Gefferson Nesta

    podcast lucrativo intelectualmente em termos de mma

Tags: