De olho no vice: os pontos altos do Bellator 127

Lucas Rezende | 04/10/2014 às 04:38

Mais uma vez o Bellator retornou para a cidade de Temecula, na Califórnia – desta vez, para sua 127ª edição.

Em um card que viu não só Karo Parysian ser massacrado por um oponente que teve uma semana para se preparar, como também um raríssimo nocaute por cortesia de Daniel Straus.

E isso não foi tudo. O ex-campeão Christian M’Pumbu também perdeu sua quarta seguida logo após conquistar o título dos meio-pesados.

Rafael Silva – único brasileiro da noite – fez sua presença ser notada ao castigar Rob Emerson por 15 minutos, para se recuperar da derrota para Joe Warren.

Curioso para saber os detalhes? Pois acompanhe-me.

Straus, por nocaute

ImmenseAntiqueGalagoUm cruzado de esquerda. Assim resumo o main event do Bellator 127.

Infame por sua escassez de vitórias por nocaute, Daniel Straus encaixou só um contragolpe para desmoronar Justin Wilcox.

Seu quarto nocaute em 27 combates. O primeiro desde 2009.

Sedento, o representante da American Top Team já deixou claro que deseja o cinturão da categoria de volta, mas, como foi finalizado por Pat Curran em sua última apresentação, talvez ele precise aguardar mais um pouco.

Inclusive, um combate a mais antes de encarar Patrício Pitbull não seria má ideia.

Ainda assim, dada a magreza da categoria e o calibre de Straus, se eu fosse Patrício, já manteria meus olhos abertos para a possível revanche (o brasileiro o venceu no Bellator 45).

Demorou, mas o velho Karo voltou

GiantFondIndianhareComo um Joe Soto que deu certo, Fernando Gonzales escapuliu do card preliminar e aterrissou no co-main event diante de Karo Parysian.

Contudo, diferentemente do algoz de T.J. Dillashaw, o californiano despachou o armeno em menos de dois minutos.

Um nocaute que esclarece bastante a recente ressurgência do “The Heat”.

Depois de vencer quatro de seus últimos cinco combates, com duas finalizações e dois nocautes, Karo enfrentaria Marius Zaromskis, até o lituano aloprado se contundir a uma semana do evento.

Acreditava-se que o vencedor já entraria no próximo torneio dos meio-médios. O triunfo era de suma importância.

Mas agora que foi silenciado por um oponente desconhecido e despreparado – e da maneira que ocorreu – acho seguro dizer que o retorno de Parysian não irá muito além do que já foi.

Em contrapartida, Gonzales segue invicto no Bellator, apesar do cartel de 21-13. Veremos se isso será o bastante para colocá-lo em evidência.

O Morcego se reergue

sherdog2Não sei o quanto uma vitória – por mais efetiva que seja – valha contra Rob Emerson, mas Rafael Silva fez tudo possível em 15 minutos para definir o confronto.

Superior em terra, céu e mar, o “Morcego” não deixou Emerson respirar.

Sua primeira mão direita arremessada já levou o americano ao solo, e o que se seguiu foi quase um combate de um homem só, estrelado pelo brasileiro.

Com a luta olímpica em dia, Rafael facilmente cravou Emerson no tablado várias vezes, anulando a vantajosa envergadura do homem cujo feito mais memorável continua sendo sua participação no nocaute duplo ao lado de Gray Maynard, no UFC.

Revigorado após a derrota de última hora para Joe Warren, o catarinense agora recomeça sua caminhada ao topo dos galos.

No entanto, é preciso apontar que este é o segundo confronto seguido em que Silva não consegue bater o peso da categoria.

Aconselho começar a levar a dieta a sério, antes que se torne o John Lineker do Bellator.

M’Pumbu, do luxo ao lixo

YellowishOffensiveHoneybeeNocauteados em suas últimas exibições pela arena circular, Kendall Grove e Christian M’Pumbu não pareciam incomodados com a pressão de conseguir uma vitória.

Inclusive, estavam relaxados até demais.

Depois de muito clinch por quase dois assaltos completos, o congolês pelo menos decidiu correr um risco.

Mas sua pífia tentativa de chave-de-perna saiu pela culatra quando o campeão da terceira temporada do TUF pegou suas costas e encerrou o duelo no minuto final do segundo assalto.

Afundado no ostracismo, o ex-campeão dos meio-pesados se encontra atualmente na pior fase da carreira – em sequência de quatro derrotas – logo após destronar Rich Hale.

Grove, eternamente mediano, recupera-se por enquanto, com seu cartel de 2-1 pelo Bellator.

Mas se bem conheço “Da Spyder”, em breve esses número serão equilibrados novamente.

Outros resultados:

Saad Awad venceu Sergio Rios por decisão dos jurados
Keith Berry venceu Joe Pacheco por decisão dos jurados
Rameau Thierry Sokoudjou nocauteou Malik Merad no R2
Ricky Rainey nocauteou Johnny Cisneros no R1
Justin Baesman venceu John Mercurio por decisão dos jurados
Shawn Bunch nocauteou David Duran no R1

OBS: os GIFs animados fazem parte do acervo do Profeta Zumbi (@ZProphet_MMA).

  • Diguinho

    Esse “calor” tá mais pra “Brisa” huahauah

    • Renato Rebelo

      Hahaha E olha que ele já venceu o Nick Diaz, o Matt Serra e recebeu o GSP no UFC (UFC 46, estreia do canadense).

    • Lucas Rezende

      É, foi-se o tempo. Mas o cara é um justiça de primeira.

  • Renan Trigueiro

    Esse Morcego é irmão do Morceguinho?

    • Renato Rebelo

      Sim, sim, são irmãos e representam a RFT

  • Rickson

    Knockdown estranho o do Karo. Parece que pegou de raspão. No mais, o Strauss é tão sinistro que apanhou pouco pro Pitbull

    • Lucas Rezende

      Às vezes o raspão já faz o serviço, pergunta pro Dustin Poirier.

  • Rodrigo Tannuri

    Straus é excelente! Assim como Pitbull e Curran, ele também faria um estrago, caso fosse pro UFC. Esses três são muito tops! As categorias leve e pena do Bellator são ótimas. Outro veterano repatriado pelo Bellator que vem dando certo é o Sokoudjou. Não ficaria surpreso dele passar a ter mais destaque, rivalizando com Newton, Rampage, King Mo e Bonnar, em breve.

    Por outro lado, Parysian, que estava animado pra tentar dar uma volta por cima, passou vergonha e concordo, dificilmente, vai se recuperar desse revés. Quem morreu de vez foi o M’Pumbu. O que o Bellator pensa pra ainda mantê-lo em seu plantel? Não perde nada se demití-lo. Freak define!

Tags: