Ben Henderson e o perigo da mudança de divisão

Lucas Rezende | 01/10/2014 às 15:26

Foi exatamente há uma semana que o principal treinador de Benson Henderson, John Crouch, proferiu palavras inesperadas quanto ao futuro de seu pupilo.

De acordo com o instrutor, Bendo estaria bastante interessado em realizar somente mais um combate pelos pesos-leves – pra não deixar a categoria que dominou  com derrota- antes de mergulhar nas águas profundas dos meio-médios.

A razão?

Ele gostaria de saber como é não ter que cortar peso. O corte é muito irritante para ele”, foi o que disse Crouch.

O início do fim contra Dos Anjos

O início do fim contra Dos Anjos

Evidentemente, tanto Henderson quanto Crouch estão cientes do quanto o nocaute sofrido pelas mãos de Rafael dos Anjos afastou o ex-campeão de um possível retorno à elite dos 70kg, pelo menos por enquanto.

Ou seja, já temos dois argumentos razoáveis a defesa de uma possível migração.

Agora mudemos a perspectiva.

Temos em nossa frente um atleta em plena forma – do alto dos seus 1,75m de altura e 1,78m de envergadura – considerando passar um tempo com seus colegas mais pesados.

Se excluirmos Johny Hendricks, que possui um alcance curto para um meio-médio (1,75) – compensado por wrestling top de linha e mão esquerda devastadora – nos deparamos com figuras com medidas bem mais avantajadas, como Robbie Lawler, Rory MacDonald, Matt Brown, Carlos Condit, entre outros.

Todos à frente de Bendo em altura e alcance (MacDonald, por exemplo, possui 1,94m de envergadura). Por sinal, todos cortam bastante peso para chegar ao limite de 77kg, vale destacar.

Caso isso não assuste nosso corajoso lutador o suficiente, aí vai um pequeno resgate histórico para lhe refrescar a memória.

B.J. Penn, dono de medidas idênticas às de Henderson, também já caminhou por essas terras. E o que trouxe de volta foi um cartel de 2 – 5 – 1.

Tudo bem, Baby Jay conquistou o cinturão enquanto esteve lá, mas isso foi em 2004 (o recheio da categoria era bem menos denso), e sem realizar luta nenhuma antes da disputa.

Aliás, Matt Hughes foi o único adversário que o havaiano venceu na divisão.

20111029092937_large

Penn sofrendo com o alcance de Nick Diaz

Por outro lado, surras icônicas para Georges St-Pierre, Nick Diaz e MacDonald sempre serão lembradas.

Mas se B.J. era pequeno para a categoria, o que diremos de alguém com o porte de Nate Diaz?

O longilíneo encrenqueiro de Stockton mede 1,83m, e seus longos braços alcançam a marca de 1,93m.

No entanto, isso não o impediu de ser arremessado de um lado para o outro do octógono pelo mesmo Rory que humilhou Penn.

Ou de ser abafado por Dong Hyun Kim.

A superioridade física dos monstros de 77 quilos foi simplesmente demais até para alguém que os enfrentava em pé de igualdade.

Diaz foi obrigado a retornar aos leves com o rabo entre as pernas depois de duas vitórias e dois reveses.

Não é à toa que testemunhamos muito mais lutadores descerem de categoria que traçando o caminho inverso.

Os bem-sucedidos também são bem mais abundantes.

tumblr_lysd33jKWg1roq7s3o1_500

Nate sendo manuseado por MacDonald

Então o que isso nos diz sobre Benson Henderson?

Primeiramente, precisamos pesar suas habilidades: a luta olímpica seria a principal delas.

Em uma das divisões mais abarrotadas de wrestlers, essa vantagem se transformaria em obstáculo bem depressa, dada sua inferioridade física perante oponentes bem maiores.

Apesar da faixa-preta em tae kwon do e da trocação decente, Bendo também não é um nocauteador – conseguindo somente duas vitórias dessa maneira em 25 lutas.

E a última aconteceu em 2009.

Complicado, quando pensamos em caras como Matt Brown, Jake Ellenberger e Tyron Woodley como possíveis adversários.

Indo além, precisamos relembrar todas as duvidosas vitórias por decisão de Bendo quando este ainda era o rei dos leves.

Edgar frustrado no UFC 150

Edgar frustrado no UFC 150

Sua revanche contra o pequenino Frankie Edgar e os combates com Gilbert Melendez e Josh Thomson geram dúvidas sobre o real vencedor até hoje.

Não sei se essa “sorte” se manteria sete quilos ao norte.

Por fim, Henderson também já expressou um desejo de se aposentar aos 33 anos de idade. Ou seja, dentro de dois anos.

Será que vale mesmo arriscar tanto por tão pouco tempo? O corte de peso está assim tão extenuante?

Um campeão reconhecido pode – de uma para outra – se deparar com um cartel irreversivelmente maculado quando se afastar do esporte, caso tome uma atitude equivocada.

Se Bendo não tem vontade de deixar o peso-leve com derrota, começo a pensar que seria mais saudável que ele nunca mais vencesse em sua carreira.

Assim se manteria seguro onde é o seu lugar.

  • Renan Trigueiro

    Acho q o cabeludo tem condições de se sair melhor do q os outros dois citados no texto (BJ e Nate) mas msm assim ñ chega ao topo cinco. Só tem mão de pilão ali!

  • Fernando

    Diante das perspectivas fiquei com dó do rapaz !!!

  • Marcelo Silveira

    Lucas, acho que não tem como subir, aliás o que achas do Aldo subir? Vi a luta do Cerrone com o Alvarez e o Alvarez com 1,75 sofreu um horror com a dferença de envergadura. Eu imagino que do jeito que a coisa tá um cara de 1,70 como o Aldo passaria muito trabalho na divisão dos leve, assim como o Ben Henderson nos meio-médios. Abraço!!!

    • Eduardo Sanguinetti

      A diferença é que o Aldo é muito mais completo que o Henderson. Além do que o Aldo é um excelente striker e excelente no jiujitsu, coisa que o americano não é em nenhuma da áreas. Acho que o Aldo não teria grande dificuldade nos Leves, mas obviamente estaria longe de ter essa soberania que ele tem hoje nos penas. Mas pegando os últimos postulantes ao título dos Leves, acho que o Aldo teria boas chances de ganhar de todos, mas não seria fácil.

      • Lucas Rezende

        Complementando seu raciocínio, o Aldo também pode encontrar a mesma dificuldade que o Bendo, no que diz respeito a tamanho, já que perde em altura e envergadura pra Anthony Pettis, Donald Cerrone, Nate Diaz, Nurmagomedov e por aí vai.

        Mas no caso do Scarface, pode ser que em um futuro breve ele não tenha mais escolha, pois o corte de peso pra ele é bastante debilitante, ao ponto de atrapalhar o desempenho dele em lutas.

        E como Aldo não planeja se aposentar tão cedo, já que só tem 28 anos, talvez não lhe reste alternativa.

        • Eduardo Sanguinetti

          Poisé Lucas… Com certeza o Aldo é um pouco menor que os competidores do peso leve, mas acho que essa diferença é muito menos gritante do que o Henderson no 77. Diferentemente do americano, acredito que o Aldo teria boas chances na categoria de cima. Ainda que seja um pouco menor, a situação não é tão disproporcional e quem sabe o Manauara consiga atuações mais pragmáticas sem ter que fazer a perda de peso. É aquela coisa.. o Aldo é “completamente completo” e acho que a técnica dele e visão de luta podem abrir um espaço pra ele no 70

        • Eduardo Sanguinetti

          Mas reiterando o teu comentário, com certeza ele pode encontrar algumas dificuldades. Não só pela diferença de tamanho, mas também porque além disso a categoria dos leves tem muito cara bom!
          Mas imagina só que luta seria Aldo x (Pettis..Melendez..Cerrone Nurmagomedov.. Alvarez e etc…) Se o brazuca não começar a “ganhar dinheiro” com essa mudança aí sim teria que conversar com o Chael

  • Eduardo Sanguinetti

    Já não considero o Henderson um top 5 na categoria dos leves, imagina agora no 77 lutando contra um monte de feras!

    A unica vantagem que tornava o Ben competitivo nos leves era a sua força, que ele utilizava pra fazer aquele jogo chato de grade. Tirando essa vantagem dele, não vejo opção nenhuma pra ele levar vantagem em uma luta contra qualquer ” médio dos médios”. Devo admitir que ele é um lutador completo, bom em pé, no chão, wrestling etc e etc.. mas é fato que ele também não se destaca muito em nenhuma das áreas e não passa de um bom lutador.

    Ahhh.. outra grande vantagem que ele tem é a de ser o queridinho dos juízes laterais, mas vamos ver se continua assim. Quem sabe se ele tivesse o corpo inteiro proporcional a suas panturilhas ele não tinha uma chance no 77kg hehe

    • Lucas Rezende

      Como eu citei no texto, fico incerto quanto essa “sorte” em conseguir decisões ser a mesma nos meio-médios.

    • Leonardo Neves

      Perfeito. Kkkk

  • Não passa de um top 10 na WW, o que para um ex champ que ainda luta em alto nível não é muita coisa. Mais acho que é balela esse papo de subir, a derrota para o Rafael deve ter mexido com ele. Inclusive só o vejo perdendo para Pettis e Nurma, (sem tirar os méritos do RDA, mais aposto no bendo num rematch) inclusive gostaria muito de ver uma luta dele com o russo!

    • Lucas Rezende

      Tomara que ele mude mesmo de ideia, cara!

  • will

    Acho que é uma boa tentativa tentar lutar sem cortar peso. Ele vai ganhar força com isso. É um esporte e tem que ser saudável. Corte de peso é tiro no pé!

    • Lucas Rezende

      Cortar peso faz tanta parte desse esporte quanto treinar artes marciais.

      Verdade que o hábito não é dos mais sadios, mas todos praticam.

      A vantagem que Bendo ganharia ao abrir mão disso não seria o bastante para controlar oponentes bem maiores e mais fortes, que chegam a pesar até 90kg para bater 77.

      Colocando na balança, os contras ultrapassam os prós, infelizmente.

  • Paulo Borba

    Concordo 100% com o autor. É cilada Bino. Mas entendo que o cara esteja desgostoso com o nocaute sofrido. Vai q muda de idéia

  • Lucas Wilniski

    Nos podcasts, sempre há o comentário que os lutadores da Nova União estão pesados e que o corte de peso é bem bruto, mas o Bendo se encaixa perfeitamente nesse caso.Para chegar aos 70kg, ele corta 15 kg.A diferença de tamanho dele no dia da pesagem para a a hora da luta é absurda.Acho que ele poderia ficar um pouco mais leve e continuar como leve ou cresce mais um pouco para ficar nos meio médios.

    • Lucas Rezende

      Sim, acho que o caminho é não ficar tão pesado durante os intervalos entre lutas.

      É preciso haver esse comprometimento para que o corte não seja esse monstro de 7 cabeças que destrói os caras por dentro toda vez.

  • Rodrigo Tannuri

    Quando soube dessa vontade do Bendo, fiquei chocado. Sinceramente, acho uma péssima ideia. Como dito, a disparidade física será absurda. Aliás, essa é uma de suas vantagens nos leves, mas, nos meio-médios, ele será vítima da arma que, muitas vezes, o salvava. Ok, o Menino Lobo é completo, bem técnico e tem condicionamento pra dar e vender, mas isso ainda é pouco pra colocá-lo em um lugar de destaque nos meio-médios. Muito se fala dos leves, mas a divisão de Hendricks e companhia é tão acirrada quanto. Particularmente, odeio lutadores que pensam em subir de categoria, porque a tendência é tomarem um choque de realidade. É uma pena que um dos melhores leves da história do MMA queira se aventurar num caminho tortuoso e já afirmar que só tem mais dois ou três anos no esporte. Mesmo deixando a desejar nas últimas atuações, sempre serei um grande fã desse cara. Ele é bom tanto dentro quanto fora do octógono.

    • Lucas Rezende

      Muito bem colocado, Rodrigo!

      Seu tamanho é uma grande arma com 70kg, mas o tiro sai pela culatra com 77kg.

  • Cristiano

    Nossa…uma análise dessas a gente só encontra aqui no sexto round. Parabéns pelo trabalho de vocês. Respect.

    • Lucas Rezende

      Eu que agradeço, Cristiano!

  • Giovanni Pires Ferrari

    Não achou mto na de baixo, da feita que ganhou a maioria com ajuda dos árbitros… na de cima vai ser feito de capacho;

  • Tiago Nicolau de Melo

    Se iniciar pegando um “frango”(top 15), ainda acredito que faz mais de uma luta. Se derem um Top 5 (bem provável, já que o Smooth tem nome pra isso), toma uma sova e volta pra categoria original.

  • Fabricio Alves

    Esse texto me faz pensar o quao monstro era o GSP.

    • Renato Rebelo

      Exatamente, Fabrício! Esse é o ponto!

  • Fabricio Alves

    Não vejo o Bendo vencendo o Woodley, muito menos o monstro Lawler.

  • Lero

    Tem alguma analise de quem fez sucesso nesse caminho? Que eu lembre:
    -Spider foi meio-médio, ficou maior ainda que todos os outros médios da élite ate o Weidman chegar.
    -Hendo foi campeão meio-pesado no SF depois de ser amarrado por o Shields como Médio.
    -Rumble….
    Todos nocauteadores, coisa que como bem diz o texto, o Bendo não é. Os pesados baixinhos (Hunt, Nelson, ate Fedor) são todos nocauteadores.

    • Renato Rebelo

      Pois é. Teve o Diego Sanchez que subiu, foi mais ou menos e voltou.

      • Malk Suruhito

        Sanchez também nunca deixou de ser mais ou menos também, né Renato?

  • Leonardo Neves

    Não podemos sequer comparar a categoria dos leves com a WW. É óbvio que a WW é a mais competitiva do ufc desde a era GSP. Ben já não é top 5 da categoria e Edgar jamais seria campeão dela hoje em dia. Rendo é bom em todas as áreas mas não é exelente em nenhuma. Bota o Eric Silva contra ele pra ele ter um choque de realidade.

  • William Amaral

    Primeiro, ele tem que voltar a usar o wrestling e o clinch como carro-chefe para aproveitar seu preparo físico, que é dos melhores do MMA e deixar de querer ser trocador. Depois desse ajuste no jogo, aí ele pensa se quer subir ou não.

  • Flávio Bueno

    O Sexto Round é outro nível. Parece que eles ficam competindo para quem vai fazer o melhor texto! Uma competição saudável que nós ganhamos com isso. Parabéns!!!

    • Renato Rebelo

      Muito obrigado, Flávio! A intenção é exatamente essa: gerar uma concorrência de ideias e, de quebra, bons textos pra vcs = )

    • Lucas Rezende

      Pô, acho que esse foi um dos elogios mais legais que já vi por aqui. Valeu, Flávio!

  • Thiago Kuhl

    Concordo com tudo dito no texto. Acho que uma subida de categoria só se justifica quando compensada com muita velocidade e movimentação.. Não sei se o ritmo do Bendo permite isso. Acho melhor ficar onde está e diminuir um pouco a massa dele para facilitar o corte de peso de hoje.

  • Luis Felipe Fabricio

    Em hipótese alguma desmerecendo o RFA, só que imagina o bendo levando aquela esquerdinha do hendrics hein, ia cair desmaiado, imagina tentando trocar com Lawler, imagina ele tentando se aproximar do Rory, mordendo o protetor bucal e caindo pra dentro do Matt Brown, sinto muito menino lobo, com 77não dá, procura uma nutricionaista, arruma a dieta e fica quietinho na sua ai que é melhor.

  • Alexandre

    Talvez com o aumento de peso e um trabalho melhor na sua explosão na luta melhore suas chances, pois nos leves ele tem costume de cadenciar as lutas! Eu sei que poder de nocaute não é para todos, mas com um bom trabalho de boxe ele consiga aplicar o aumento de peso nos seus socos, podendo assim aplicar ótimas sequencias de golpes visto suas qualidades.

  • Andy

    Eu acho que as performances do Bendo tem tudo pra melhorar nessa categoria, em contrapartida, vai enfrentar adversários muito maiores do que ele.
    E o jogo do Bendo era favorável na LW era devido a vantagem de força física, na WW como ja dito, ele não terá isso.
    Talvez ele possa vencer uns medianos, mas não acho que ele entre nem no top 15.
    Vai ser o mesmo caso do Nate Marquardt agora que voltou pra MW.
    E pelo visto, Bendo ja perdeu as esperanças de conseguir cinturão novamente, acho que pra ele não vale a pena esse sacrificio de cortar muito peso, se não for pra ter a cinta.
    A partir de agora, deve lutar só pra ganhar uma grana e se aposentar.
    Uma bom adversário pra ele na WW, sería o Gunnar Nelson, gostaría de ver essa luta.

Tags: