Será Aldo beneficiado pela ascensão de McGregor?

Lucas Carrano | 29/09/2014 às 15:29
10721008_897563610272443_1979181226_n

Charge do talentosíssimo amigo David Crosariol

Em meio a tantas boas histórias no ótimo UFC 178, uma conseguiu roubar a cena mesmo desde antes da realização do evento: a ascensão de Conor McGregor.

A partir de abril de 2013, quando estreou no octógono, o irlandês já vem despontando como nome a se prestar atenção.

Porém, foi com o desmantelamento de Dustin Poirier que McGregor cravou os dois pés no time das grandes estrelas do UFC.

Conor já podia ser considerado como membro deste rol antes mesmo do triunfo em Las Vegas, mas foi o nocaute e muito do que o antecedeu e sucedeu que reduziu aqueles que duvidam de sua Notoriedade ao nível de exceção.

Na coletiva de imprensa após o evento, o próprio McGregor revelou parte de sua estratégia até então bem sucedida:

Eu sou arrogante em minhas previsões. Eu sou confiante em minha preparação. Mas eu sempre sou humilde na vitória ou na derrota”, comentou o pupilo de John Kavanagh.

10410682_800315686658631_8908642569464560190_n

Locomotiva irlandesa prestes a atropelar o Diamante

Eu acrescentaria um passo extra ao modelo descrito pelo próprio irlandês: ele, além do que foi dito, corresponde dentro do octógono.

Em diversas oportunidades, aqui mesmo no Sexto Round, já mencionei a importância da correspondência com a realidade para as imagens projetadas.

Especialmente no MMA, posicionado na interseção entre a atividade esportiva e o espetáculo midiático, as grandes narrativas são construídas pelo diálogo entre a construção discursiva e os eventos históricos.

Um falastrão sem grandes realizações será apenas um ótimo inventor de fábulas, ao passo que um atleta excepcional sem capacidade de promoção passará sempre a impressão de que há ali um enorme potencial, de certa forma, desperdiçado.

Neste quesito, McGregor bebe direto da fonte do maior expoente já visto nos esportes de combates: Muhammad Ali.

Afinal, se é pra haver inspiração, que seja no “Maior”.

Se o flerte com o discurso dosado entre arrogância, autoconfiança e bom humor de Cassius Clay já veio a tona quando o irlandês disse que Cole Miler deveria agradecê-lo por lutar um main event, isso ficou claro novamente pós-UFC 178:

Eu não simplesmente os nocauteio, eu escolho o round”, disse The Notorious, em reprodução quase ipsis litteris de uma das citações mais famosas do “Lousville Lip”.

No fim das contas, a escalada de Conor McGregor, especialmente pela forma como ela vem se dando, pode acabar sendo extremamente benéfica para outra pessoa: José Aldo.

Se me perguntassem qual é o ponto mais fraco no jogo do campeão dos penas, eu diria que ele não está necessariamente dentro do octógono, mas em seu poder de promoção e profundidade no apelo junto ao público – que já culminaram em escolhas inoportunas, como o empurrão totalmente fortuito em Chad Mendes.

A fila já está furada.

Eu realmente aprecio o estilo do McGregor. Os estilo como ele luta e como ele fala. Ele me lembra um jovem Mike Tyson ou um jovem Muhammad Ali falando”, definiu Demetrious Johnson, campeão dos moscas.

PAPA

Fim de papo!

McGregor teve sua presença confirmada no Rio de Janeiro para o UFC 179 e não duvidem que em caso de vitória de Aldo tenhamos o início do duelo entre o brasileiro e o irlandês ali mesmo, com direito a desafio público e um show particular.

Aliás, uma rivalidade intensa e chamativa entre um campeão brasileiro e desafiante interessante e comercialmente produtivo é exatamente o que o UFC precisa para começar a tirar do papel o sonho de um evento sediado em um estádio de futebol.

Para quem está mais habituado com o Anderson Silva pós-9ine e o nocautaço sobre Vitor Belfort pode parecer estranho, mas o Spider nem sempre foi esse fenômeno de mídia – que transcende, e muito, os limites do esporte na cultura brasileira.

Como bem lembrou o jornalista Marc Raimondi, Anderson era introspectivo, não possuía grandes vendas de PPV em seu histórico e era até certo ponto antipatizado pelo público até o momento em que encontrou seu nêmesis: Chael Sonnen.

Ao ser protagonista, sair vencedor e especialmente figurar como o “bom moço” daquela história no UFC 117, o ex-campeão dos médios viu sua popularidade decolar, seus índices comerciais dispararem e encontrou de vez seu lugar no espectro do negócio e espetáculo MMA.

Captura de Tela 2014-09-29 às 15.57.35

Tá ou não tá com moral o menino?

É claro que ainda há, como dizem meus conterrâneos, “muita água a se passar pode debaixo dessa ponte”, porém o cenário que se desenha para McGregor e Aldo é o mais animador possível.

Durante os momentos de frisson que seguiram a vitória sobre Poirier, cheguei a ler comparações com entre o irlandês e Jon Jones, devido à pose no início do combate, e Anderson Silva, pela insistente guarda baixa e jogo de desestruturação psicológica do rival, mas nenhuma me soou tão inflamada quanto a de Dana White:

Conor McGregor é pra valer, ele é legítimo. Ele é uma força como eu nunca vi antes. Maior do que Brock Lensar quando ele estava aqui. Maior do que do que qualquer um dos lutadores que já tivemos. Sim, ele é maior do que o Georges St. Pierre. Eu nunca vi nada parecido com isso”, disse o careca à Fox Sports 1.

Parece-me precoce contrapor o Notório a nomes que já tiveram sua trajetória ou mesmo estão em um estágio mais avançado que ele, haja vista que o irlandês ainda vai construir sua própria história no UFC e no MMA.

Porém, ainda há quem duvide de Conor McGregor?

Agora é com vocês, amigos: gostaria de entender, entre os fãs do Sexto Round, qual o impacto do “efeito McGregor”.

Vocês estão entre o majoritário grupo que já se rendeu ao novo prodígio do UFC ou seguem reticentes em relação ao mais novo faixa-marrom da SBG Ireland?

  • Gleibson Cardoso

    ainda tem que lutar um pouco, principalmente com Edgar, Cub ou mesmo o Chad. Lutar com alguém com não tenha medo.

    • Também acho, mas não vai acontecer. Ele vai furar a fila, gostemos disso ou não.

      • F. Lima

        Corroboro com ambos. Acho que deveria ser testado contra Edgard ou Cub (que nesse caso, infelizmente já estão com a luta casada), porém, vai furar a fila, pois, se Aldo vencer (acredito nele), qual seria o próximo desafiante, uma vez que ele “varreu” a categoria? Sobrariam apenas revanches.
        Pra finalizar, contando com a vitória do Aldo sobre Mendes, o irlandês só vai ajudar o brazuca: mais grana (bolsa, promoção do evento e PPV) e um oponente mais desafiador, com um jogo mais complexo, diferente de adversários anteriores.
        Se Aldo vencer ambos, quem seria o próximo? Teremos muito tempo pra pensar nisso, só acho que ele não deveria subir de categoria.
        Abraço amigos!

        • Aldo vs Pettis.. 😀

          • Sou louco pra ver esta luta, mas tem trabalho pro Aldo ainda.

          • Cayo

            Lembro do tempo em que o Anderson sobrava na categoria e muito se falou de uma luta dele com St. Pierre, que nunca aconteceu, até q um moço chamado Weidman entrou no circuito e bagunçou tudo. Não acho que o Pettis seja o St. Pierre, mas o Notorious está muito longe de ser Weidman. No entanto, parece que a evolução do atual contender foi abafada em meio a essa coisa do McGregor, Mendes vai dar mais trabalho pro Aldo que da primeira vez e se o campeão lutar burocraticamente vai acabar mal e até para o próprio irlandês seria luta duríssima. Vamos aguardar o q vai acontecer, mas a expectativa de grandes lutas na categoria já está em alta

        • Apesar de ser revanche, uma luta do Aldo contra o Cub Swanson é plenamente aceitável. O Swanson que levou a joelhada voadora dupla é outro lutador infinitamente melhor hoje, seis anos depois daquilo.

          Uma revanche com o Edgar, já mais adaptado à categoria e com o jogo do Aldo estudado, também vale a pena.

          • Yuri

            Mas, afinal, o que acham do jogo do McGregor contra o Aldo?
            Casa? Será que o Aldo suporta pressão psicológica? Porque técnica nós sabemos que a dele é absurda…

          • Acho que o Aldo suporta a pressão psicológica sim. Na luta em si, acho que o McGregor tem condição de incomodar na troca de golpes, mas o Aldo tem recurso pra mudar a luta e deixar o irlandês de costas pro chão, igual ele fez com o Hominick e o Korean Zombie quando o negócio ficou ruim em pé.

  • Renan Trigueiro

    Excelente texto! O McGregor pode acabar sendo tudo que o Aldo pediu a Deus!

  • Único acréscimo que eu faria ao texto: esta história prepara um evento em estádio, mas não no Maracanã. Acho que vamos pro Aviva Stadium.

    • Renato Rebelo

      Concordo. No Maracanã, acho que só lota com Anderson e/ou Belfort no card. Na Irlanda, basta Conor e Aldo.

      • Matheus Araujo

        Sei não ein…. se não encheria o Maracanã a luta desses dois, é bom lembrar que os expectadores eventuais que como já foi dito são os que alanvancam as vendas do UFC, amam esse tipo de lutador falastrão,especialmente os brasileiros, e somado a essa “nova face” de aldo, imaginem a promoção monstruosa que essa luta teria por aqui também…

        • will

          Essa luta vai ser em Las Vegas por causa das apostas. Vai render mais se for lá.

        • Renato Rebelo

          Teria que haver muito, mais muito trabalho para algo nesse sentido. Ainda tem ingresso sobrando para Aldo x Mendes no Maracanãzinho. A personalidade do McGregor casada com o Aldo bastar pra meter 60 mil no Macaracã é complicado

      • Bruno P.

        E tem mais um problema: No Maracanã iria ter um monte de engraçadinho torcendo contra, apenas por ele ser flamenguista declarado.

      • Pedro Duarte

        Pro UFC é perfeito, mas imagino que o Aldo vá se negar até o fim em lutar lá na Irlanda enquanto campeão. E com toda razão. Ou vai ser em Vegas ou o UFC promove esforços gigantes para fazer essa luta no Brasil, que acho difícil também.

      • Isso. E se o Weidman enterrar o Belfort, não conte mais com ele pra encher estádio no Brasil, pois ele vai virar mais um “brasileiro bosta perdedor” nos olhos dos torcedores que não sabem ver um compatriota perder.

    • Lucas Pereira Carrano

      Apesar do McGregor estar montado no Bonde do Hype sem Freio, não sei se ele conseguiria um title shot em sua própria casa, e em um estadio, contra um campeão bem dominante como o Aldo (especialmente se bater o Edgar depois). Não duvido que possa acontecer, porque comercialmente é bastante justificável, mas acho que o aspecto esportivo também seria levado em conta (e o Aviva seria guardado para o caso do McGregor faturar a cinta).

      No caso de um estádio do Brasil, basta uma outra luta de peso (Anderson, Vitor em alguma superluta ou mesmo outro brasileiro disputando um cinturão) e um card com medalhões – tipo Shogun, Cigano, etc… para o evento virar. Neste caso, acho mais provável que role em Curitiba (na Arena da Baixada, caso realmente terminem o teto retrátil) – pq msm que tenha épocas do ano em que praticamente não chove, não sei se comprariam o risco de fazer no Maraca descoberto.

      • Aldo lutaria a revanche com o Chad Mendes no estado do adversário mesmo sendo um campeão dominante e já tendo nocauteado o cara. Como o 176 caiu, a luta passou pro Rio de novo.

        Esse “basta uma outra luta de peso” é bem mais complicada do que o “basta” supõe. Se o Vitor levar um sarrafo constrangedor do Weidman, esquece ele.

        O teto retrátil da Arena não vai ficar pronto antes da próxima defesa do Aldo.

  • Luis Felipe Fabricio

    Esse irlandês é maluco, porém, muito bom também! Se ele lutar desse jeito com o Aldo pode ser uma grande luta. Furar a fila ele vai, isso é fato, agora queria ver ele lutar com um wrestler amarrão antes pra ver do que ele é feito, um cara só pra ficar amarrando ele, pra ver como ia ser seu desempenho.

  • William Amaral

    É realidade. Excelente trocador, confiante, forte fisicamente. Tem tudo pra figurar entre os melhores durante bastante tempo. Fico ansioso pra vê-lo contra outros tops, porque o cara dá show. Não sabia se torcia contra ele pelo discurso pré-luta, ou a favor, pra ver o circo da categoria pegar fogo. Nem deu tempo pra pensar direito, e ele já deve lutar pelo cinturão. Só espero que o Aldo vença o Mendes e consiga vencer o McGregor depois, mas sinto que o irlandês fará como Jon Jones e passará como um rolo compressor pelos tops, conquistando e mantendo o cinturão. Não torço pra isso, mas é o que sinto do “efeito McGregor”.

  • Estou gostando de ver, mas para ser sincero não estou tããão esperançoso, claro, prefiro estar errado e acompanhar todo este “fenômeno” do começo ao fim, mas quero ver mais.
    Tenho muito receio a essa guarda baixa e marra que compararam tanto com o Spider, que por sinal apresentou estas atitudes só depois de vencer o cinturão.

    Ele está muito no início para gerar tanta exposição, pois saibam que todos seus futuros possíveis adversários já o analisam e estarão cada dia mais preparados inclusive para este jogo mental que deu tão certo com o Poirier.

    Também espero vê-lo com alguém com jogo de chão efetivo, afinal, suas 2 derrotas foram por finalização. Aquela faixa marrom que ele desfilou na ultima luta não assusta em nada alguém da Nova União.

    Ahh, agradeço por ele não ser americano, pois ai sim eu não o suportaria..rs

    Sobre a charge, obrigado pelo “talentosíssimo”, mas a situação nos inspira!

    😀

    • Renato Rebelo

      Muito obrigado mais uma vez pela lindíssima charge, meu amigo!

    • Lucas Pereira Carrano

      David,

      Muitíssimo obrigado pela charge. Fico muito agradecido pelo prestígio e contribuição ao meu trabalho.

      Grande abraço!

  • ALDEUS

    Esse palhaço vai me deixar rico dps vou mata-lo!

    • Renato Rebelo

      Hhahahhaha é cada figura

  • Mark Sgarbi

    Depois dessa luta o McGregor me convenceu … acredito até em uma luta bem complicada para o campeão, que segundo o irlandês está em decadência.

  • Pedro Duarte

    Desde sábado me pego pensando nesse embate e seu texto exemplificou tudo o que eu acho: McGregor com certeza vai ser a melhor coisa para a carreira do Aldo. No papel, o maior desafio para o campeão vem de Chad Mendes, mas acho que o brasileiro já está mais do que vacinado contra a fórmula wrestling, boxe e atleticismo (Edgar especificamente já trouxe estilo similar à mesa), por isso, acho que sairá vitorioso no dia 25 de outubro.
    Ainda que o irlandês tenha me convencido, acho que será uma luta boa para o Aldo. O brasileiro é mais explosivo, derruba bem e é infinitamente superior no chão. Isso é, todo o hype pré luta aliado à uma vitória do brasileiro finalmente lhe darão o devido reconhecimento (Pra mim, Aldo já é o melhor P4P há 3 anos) da mídia.
    Se Aldo sair vitorioso nos dois próximos combates, poderá adentrar nos leves já carregando o título de melhor do mundo (Jones não passará de Cormier e vai abrir essa brecha) e no caminho de ser reconhecidamente o melhor de todos os tempos.
    Como caiu bem esse irlandês na vida do nosso campeão!

    • Renato Rebelo

      Perfeito!

    • will

      Excelente análise. As pessoas não reconhecem o valor do talento do Aldo. Ele é o melhor lutador brasileiro no UFC. Ganharia do Pettis, do TJ e do Demetrius Jhonson.

  • Luiz Guilherme

    ja me rendi! e penso que pro aldo melhor ele pegar ele agora logo, pois o irlandes é novo e so tende a evoluir.

  • will

    Pro Aldo essa comoção em torno do Irlandês é excelente. Vai render muito dinheiro e respeito para o vencedor da luta entre eles. Aldo vai nocautear o McGregor de forma brutal e sem dificuldade.

  • Leonardo Neves

    Não se cria contra o Aldo mas o fará bem

  • Tiago Nicolau de Melo

    Acredito que o Notório suba ao Oito (independente do vencedor) para desafiá-lo. Na torcida pra ser o Aldo, que na minha modesta opinião, não precisa mais do que de dois rounds pra acabar com o ótimo irlandês.

  • Rodrigo Tannuri

    Eu sou fã do Aldo lutador, mas, como personagem, ele deixa e muito a desejar. Sei que o trabalho dele não é ser uma personalidade, porém o esporte evoluiu e, quanto mais os atletas se mostrarem midiáticos, melhor para o esporte e pra carreira dos mesmos. McGregor pode não ser campeão, mas seu falatório é muito interessante e convincente. Lutando, ele também mostra a que veio. O cara chegou chegando e acho que esse duelo seria muito legal. Tanto Aldo quanto McGregor esbanjam confiança, um é discreto, simples e o outro é completamente chamativo, extravagante. Sim, Aldo deve se beneficiar de toda a popularidade e visibilidade que McGregor trará ao duelo e Conor com certeza saberá tirar o máximo de proveito do status do brasileiro, que é um campeão dominante e um dos melhores lutadores do planeta. Essa luta é ótima pra ambos e pro UFC!

    • Renato Rebelo

      100% de acordo, Rodrigão!

  • EXTRA EXTRA:
    I am fighting @DiegoSanchezUFC in Mexico, November 15th. He spoke a big game. Now he will pay with his career. VIVA LA EIRE!!!

    Twitter do Mcgregor!