De olho no vice: os pontos altos do Bellator 126

Lucas Rezende | 27/09/2014 às 02:04

Um desafiante surge enquanto um campeão tomba. Assim definimos os principais acontecimentos do Bellator 126, em Phoenix, Arizona.

Antes de presenciarmos Brandon Halsey despachar Alexander Shlemenko com um mata-leão em menos de um minuto para vestir o cinturão dos médios, Marcin Held afanava a glória do mais velho dos irmãos Pitbull e conquistava sua chance ao título dos leves.

Com Bubba Jenkins mostrando que não tem medo de faixa-preta e Mike Richman nos presenteando com um nocaute que encheria os olhos de qualquer professor de boxe, temos um card principal.

Sem mais delongas, vamos ao que interessa, sim?

A queda do império russo

FloweryCourteousGallinule (1)Dessa vez tamanho não foi pretexto.

Depois de ser finalizado por Tito Ortiz em luta até 93kg, todos demos uma colher de chá para Alexander Shlemenko, tanta era a disparidade entre sua silhueta e a do Bad Boy de Huntington Beach.

Contra Brandon Halsey – oriundo da mesma praia de Ortiz, aliás – não vai colar.

A não ser que as areias de Huntington Beach tenham algum efeito de kriptonita sobre Alexander.

Lembremos que Halsey estrelava sua sétima luta profissional. Shlemenko, a quinquagésima nona.

Brandon só necessitou de 35 segundos para pôr um fim à soberania do russo, que já acumulava três defesas de cinturão e uma sequência de 12 vitórias, se excluirmos o combate em peso casado contra Tito.

Invicto, o americano já tem confronto definido contra a jamanta holandesa, Melvin Manhoef – que o que tem de potência, tem de deficiência na luta agarrada.

Em mais um clássico de striker vs grappler, já deixo aqui minha expectativa por mais uma disputa que não excederá cinco minutos.

Para Alexander, só lhe resta voltar ao fim da fila.

Procurar amarrar as pontas soltas de seu jiu-jitsu certamente não lhe prejudicaria…

O prodígio polonês

ExhaustedElegantIberianemeraldlizardO sonhado do reinado duplo dos irmãos Pitbull no Bellator vai ficar para depois.

Sem resposta para o abafado jiu-jitsu de Marcin Held, Patricky Freire deixou a final do campeonato dos leves escorrer por entre seus dedos em uma atuação indefesa.

Incapaz de manter sua distância perante as investidas do prodígio polonês prodígio, o potiguar foi dominado tanto nos momentos em que fazia guarda, quando também esteve por cima, no primeiro assalto.

Frustrante para um faixa-preta do calibre de Patricky, que pediu desculpas ao corner assim que o combate se encerrou.

Especialista em chaves de perna, Held foi mais cuidadoso em seus ataques, ciente da oportunidade em jogo.

LankyGrimyGuppyA finalização, como tantas outras vezes, não veio.

Mas o cheque de 100 mil dólares e o title shot garantido servirão como um excelente consolo.

Aos 22 anos – com mais combates do que aniversários – como foi lembrado pelo parceiro Alexandre Matos, Held agora aguarda quem emergir vitorioso do tira-teima entre Will Brooks e Michael Chandler.

Pode azedar para o lado do polonês, mas esse mini Toquinho já nos surpreendeu antes.

Só a luta olímpica salva

BubbaJenkins

Bubba também foi campeão mundial júnior

Sargento do Exército, Thiago Meller, fazia sua estreia no Bellator já tendo enfrentado nomes como José Aldo, Rafael dos Anjos e Aaron Riley.

Tudo bem, derrotado em todas, mas a experiência também conta.

Infelizmente, nada disso fez diferença diante da imponência da luta olímpica de Bubba Jenkins, campeão da primeira divisão da NCAA em 2011, que venceu sua quarta consecutiva no Bellator.

O faixa-preta de jiu-jitsu tentou, com guilhotinas e armlocks, mas o ímpeto do americano não foi contido.

Aliado a um ground and pound eficaz, temos aquela velha vitória do wrestling sob o jiu-jitsu por decisão unânime.

Como uma visita que não sabe a hora de voltar para casa, a carência na luta olímpica em brasileiros também nunca vai embora.

E não adianta colocar a vassoura atrás da porta.

Um, dois e acabou

AgonizingLankyHornbillDe um lado, Mike Richman, o fuzileiro naval. Do outro, Ed West, faixa-preta de tae kwon do e caratê.

Uma luta interessante entre dois sujeitos medianos. Perfeita para dar início aos trabalhos.

Só não esperava assistir Ed West saltitar de um lado para o outro com as costas perigosamente próximas da grade, enquanto seu oponente aos poucos encontrava seu ritmo e o encurralava.

Antes que o cronômetro atingisse os três minutos do assalto inicial, uma clássica combinação de “um, dois” foi o bastante para que West desfalecesse inerte diante de Richman.

Não existe problema em buscar o contra-ataque, mas não esqueça que o outro cara também quer arrancar sua cabeça, West.

De qualquer forma, bom momento para o vídeo de melhores momentos do militar, que se reergue de uma derrota sonora para Goiti Yamauchi.

Outros resultados:

LaRue Burley finalizou (guilhotina) Raymond Pina no R2
Clifford Starks finalizou (guilhotina) Jacob Ortiz no R2
Nick Rossborough nocauteou Ryan Martinez no R1
Joe Taimanglo venceu Michael Parker na decisão dos jurados
Dan Charles nocauteou Stuart Austin no R3
Derek Campos nocauteou Estevan Payan no R1
Brandon Girtz nocauteou Benny Madrid no R1

OBS: os GIFs animados fazem parte do acervo do Profeta Zumbi (@ZProphet_MMA).

  • Rodrigo Tannuri

    Confesso que fiquei surpreso com os dois principais resultados. Quem diria que o Shemaleiro fosse perder esse cinturão, ainda mais dessa forma rápida e incontestável. O cara dava toda a pinta de que iria dominar os médios da organização, tem experiência, mas, concordo com você, bastou perder pro Mito Ortiz pra sua confiança ir pro brejo e pro chão se mostrar como um grande inimigo. Halsey soube se aproveitar desse momento e dessa falha.

    Não fiquei triste com essa derrota do Pitbull. O Held é uma grande pedreira! Quero muito acompanhar a evolução desse cara. Se com 22 anos já conseguiu se destacar, imaginem o que ele poderá fazer mais pra frente. Esse polonês tem tudo pra brilhar!

    Jenkins é outra pomessa que tem tudo pra se desenvolver bem no Bellator. Gosto muito de wrestlers que tentam o sucesso no MMA. Se for melhor lapidado, essa organização será pequena pra ele.

  • Marcinho

    Triste pela derrota do Patricky mas mt loca essa queda do polonia

  • André Lopes

    Errata: o Thiago “Minu” Muller é Sargento do Exército Brasileiro e não da polícia militar. De resto tudo certo, como sempre.

    • Renato Rebelo

      Opa! Obrigado pela correção, André!

  • Jardeu Santos

    Marcin Held tem tudo pra ser um dos melhores do mundo em sua categoria, o menino é foda.

    Pitbull mais uma vez bate na trave, mas ele tem tudo pra ser campeão, mas tem que mudar um pouco seu jogo.

    Sobre a Title Fight dos médios: Ninguém esperava aquilo, ainda mais da forma que foi, é bom o russo vestir o Kimono da humildade e treinar Jiu-Jitsu e nao confiar somente no Sambo.

    E sobre a fraqueza do Wrestling nos lutadores brasileiros: Já vem de tempos, só que 90% não admite essa deficiência, confiando somente no Jiu-Jitsu e vejo que muitos (quase todos) também não exploram o Judô também, pode ser um grande aliado pra tentar parar os wrestlers e lutadores de sambo.

    • Renato Rebelo

      Tb acho o Held sinistro, irmão, só tenho dúvidas se ele já tá pronto para encarar o Chandler e o Brooks. Sobre o meio-campo, concordo 100% com vc. É mt frustrante ver caras talentosos inibidos por tecnicalidades ou falta de informação. Enfim, essa reclamação não é d hj, né?

  • Tiago Santos

    A lição de q esse russo precisa aprender a se defender no chão não é d hj, lembrando que ele foi facilmente finalizdo pelo Jacare no Jungle Fight

  • Dan Mendes

    O Marcin é um monstrinho na categoria, mas não só pelo excelente BJJ, como também pelo evolução. Lembro que a primeira vez que eu vi uma luta dele ele não conseguia levar ninguém pro chão. Finalizou a luta depois de sofrer o knockdown.

    Hoje vejo que ele evolui ainda mais no jogo de queda e ainda procura ajuda TOP para melhorar na trocação. Tem futuro!

Tags: