Silva, Johnson e a decepção pelo talento desperdiçado

Lucas Rezende | 22/09/2014 às 16:16
Anthony Johnson vs Lil Nog

Johnson nocauteando Minotouro

19 de setembro de 2014. Uma sexta-feira um tanto agitada para nós, fãs de MMA.

Um trio de acontecimentos inesperados emergia em uníssono enquanto aguardávamos a hora de acompanhar mais um Bellator e, em seguida, o UFC no Japão.

O impactante anúncio de aposentadoria por Wanderlei Silva foi um deles, em um vídeo feito pelo próprio lutador.

Mas me refiro aos episódios remanescentes, de certa forma ofuscados pela revelação do Cachorro Louco.

Eventos entrelaçados por um triste número de infelizes coincidências entre os personagens centrais de cada história: Thiago Silva e Anthony Johnson.

Companheiros de equipe (Blackzilians) relativamente jovens, mas já bastante estigmatizados por problemas pessoais que afetaram diretamente suas carreiras profissionais.

O brasileiro, para sempre com o cartel manchado por dois no contests – um por falsificação de urina e outro por vestígios de cannabis encontrados em seu organismo – passa por dificuldades muito mais graves.

Sumariamente demitido em fevereiro de 2014, após ser autuado por assalto agravado com arma de fogo, entre outras acusações, em eventos envolvendo sua ex-esposa – Thaysa Kamiji – e o atual marido da mesma – Pablo Popovitch.

Thiago teve sua redenção quando Kamiji decidiu retirar todas as queixas, sendo recontratado instantaneamente pelo UFC no início deste mês.

Mas vídeos comprometedores divulgados pela própria mostram o lutador portando uma arma enquanto tenta resolver discussão com a então esposa.

Depoimentos poderosos pioraram ainda mais a imagem do “Rei da Marra”.

Perdi um filho de cinco meses, em 2008, porquê ele me agrediu”, afirmou Thaysa, também alegando que o ex-marido é viciado em cocaína.

Assim Thiago foi mais uma vez defenestrado por Dana White somente uma quinzena após regressar.

Até o momento ele paira num limbo profissional enquanto não se liberta deste fantasma pessoal.

Seu colega de categoria – Anthony Johnson – vive uma situação semelhante.

Suspenso indefinidamente por violência doméstica, ele já enfrentou acusações parecidas anteriormente em 2012, 2010 e 2009.

Dada a nebulosidade do caso, o Ultimate preferiu aguardar até que mais evidências surjam para decidir o futuro do lutador.

As merdas que as pessoas falam e os esforços que fazem só para contar a porra de uma mentira são ridículas. Isso é tudo que irei dizer, e obrigado por todo o apoio e retorno positivo que estou recebendo”, desabafou Rumble, no Facebook.

thiago-silva_ufcfightnight29

Vitória de Silva sobre Matt Hamill

Colocando de lado conflitos pessoais, passionais e coisas que simplesmente não temos como saber, pois não convivemos com estes atletas diariamente, proponho observarmos Silva e Johnson não com um olhar julgador.

Peço apenas que notemos o risco que suas carreiras correm diante de contratempos tão arrebatadores, ainda que causados por eles mesmos.

Tudo que a dupla construiu para chegar onde estão pode desmoronar diante de seus olhos por causa de atribulações fora do octógono.

E a decepção se agrava por serem membros promissores de rasa categoria até 93kg.

Sem falar que em casos como esses, com lutadores tão empolgantes, até o próprio UFC sai no prejuízo.

Johnson, outrora meio-médio que não conseguia atingir a marca de 77kg, foi mandado embora após ser finalizado no primeiro round, além de ter excedido o limite de 84kg em sua estreia na categoria dos médios (contra Vitor Belfort).

Atualmente em sequência de oito vitórias – duas já de volta ao UFC – sobre Rogério Minotouro e Phil Davis, estaria às portas de um possível title elimiminator contra Alexander Gustafsson em janeiro – à altura de Jon Jones x Daniel Cormier. 

Triunfante sobre Rafael Feijão e Matt Hamill antes de sua erupção de problemas, Thiago Silva foi superado somente por Lyoto Machida, Rashad Evans e Gustafsson em toda sua carreira.

Traçava uma sólida trajetória de volta ao top 10 da categoria.

Agora, ambos precisarão contar com um desenrolar positivo de seus dramas – caso inocentados – para, enfim, tornarem ao trabalho concentrados antes que seja tarde demais.

Como um amante do esporte, me dói assistir talentos como esses desperdiçados, sobretudo por essas circunstâncias.

Culpados ou não, só o risco de perderem tudo que almejaram já é um castigo tremendo.

Especialmente quando as coisas não precisavam ser assim.

  • Luiz Guilherme

    foi foda mesmo essas 2 noticias….é uma pena mais ainda pelo AJ, já que se desenhava um lutão entre ele e o gustavão

  • Gabriel Castelani

    Na boa, nenhuma notícia dessas é mais
    importante que aposentadoria do WANDECO! Me frustra ver um guerreiro como
    ele nessa situação! Porém, é muito conveniente só agora atacar o UFC! Quem nunca viu o WAND elogiando a organização e o “PATRAO”? Pior, envolver o Barão, e nem sei se ele está de acordo com isso! Não dá pra esquecer o passado recente, a fuga do doping, as mentiras, o filme de terror que foram os 2 TUFs! Uma pena terminar assim, foi uma vítima dele mesmo! Certamente está em um momento pessoal muito ruim, acho que capitalizou demais o dinheiro e o marketing e hoje se deu conta de que riqueza não é tudo!Que a lição fique pra todos nós! Apesar de tudo, nada apaga as glorias do
    passado, mais fica aquele gosto de que tudo poderia ter terminado de forma romântica com um final de cinema!

    • Renato Rebelo

      Hoje ainda vai rolar texto do Felipe Paranhos sobre o Wand, fera. Fica ligado!

      • Gabriel Castelani

        Já era de se esperar, algo assim nao passaria em branco pela galera do sexto round!

        • Renato Rebelo

          E, provavelmente, não será o único sobre o assunto hehe

  • Diego_NU

    Putz ñ sabia dessa do Johnson. Porra dois dos meus lutadores favoritos no peso. É osso d+

  • Bart Simpsons

    Infelizmente são dois que podem ter seus talentos desperdiçados, mas é apenas fruto do que eles próprios causaram (como foi citado no texto). Tem gente que é contra o que o UFC está fazendo por causa disso ou daquilo. Eu concordo absolutamente em o UFC punir os dois atletas de forma brusca mesmo. O UFC é uma empresa grandiosa e, pode usar isso para tentar influenciar positivamente os futuros atletas. Futuros garotos que almejam chegar um dia a lutar no UFC ou até mesmo em outra organização, acabaram vendo em que uma decisão errada pode afetar o seu futuro profissional e pessoal.

    • Renato Rebelo

      Mais uma vez ratifico sua opinião, Bartolomeu!

      • Bart Simpsons

        Obrigado, Renato.

    • Gabriel Castelani

      Bart! Entendo o seu ponto de vista, porém, como quase todas as multinacionais americana, a única preocupação da UFC é com a imagem da marca, não existe interesse (legitimo) algum na formação de caráter dos futuros atletas! Não é preciso entrar em detalhes para comprovar isso!

      • Bart Simpsons

        Entendo, Gabriel, aliás eu entendo e concordo com você, não há preocupação na formação do caráter dos atletas e realmente não precisa entrar em detalhes para comprovar isso, mas essa situação que você colocou, sobre a única preocupação ser com a marca, acaba influenciando diretamente no fator que eu citei. Lutadores mais jovens verão que seu mau comportamento, digamos assim, acaba sendo um fator negativo para a empresa, e se é um fator negativo para a empresa, então adeus.
        Essa é a questão que eu digo, mesmo sem que o UFC veja por esse lado, mas uma situação acaba influenciando diretamente na outra.

        • Gabriel Castelani

          Então Bart, só quis expor que, o UFC influencia as atitudes dos seus atletas e telespectadores, PONTO! Nesse caso específico é algo positivo, mas está claro que para a UFC tudo tem um preço! O que vai acontecer quando a influência seja negativa, porém lucrativa? Essa é a grande charada!

  • É Lucas, o seu texto – que muito bom, por sinal – serve somente para duas coisas:

    1- Avisar os desavisados (caso alguém não tenha ouvido falar sobre um dos casos)
    2-Não deixar o sexto passar sem citar sobre.

    Pois infelizmente não temos nem o que comentar sobre, afinal, a grande maioria gosta de ambos os estilos (Johnson e Silva) e também concordam com a postura do UFC.

    Fica da nossa parte como fãs a expectativa para que cada um dos “doidões” resolvam seus problemas particulares, pois nem a vontade de um dos dois voltar acho que vale a pena guardar.

    Agora vou esperar o texto do Felipe sobre o Wand, pois acho que isso vai render mais comentários.

    • Lucas Rezende

      Sem dúvida, o Wand roubou a cena dessa vez, mas precisava falar sobre isso, haha.

      Estava muito interessado no novo Rumble, e agora a gente pode não ver mais o cara.

      • Claro Lucas, precisava mesmo!

        Eu estava na dúvida de qual dos dois eu queria ver novamente, depois da sova (como diria minha mãe) que o Thiago Silva deu no feijão eu tava empolgado em ver o paulistano voltar ao octógono.

  • Lucas Pereira Carrano

    UFC vivendo dias de NFL!

    O mundo dos sonhos é aquele em que nenhum atleta com talento suficiente para ser posterboy – ou mesmo ter notoriedade em um espaço já repleto de tantos outros com distinção comparável – agisse de maneira estúpida (em um baita eufemismo).

    Infelizmente, existe um choque de 13.800 volts entre o mundo dos sonhos e o mundo em que vivemos chamado realidade.

  • Gabriel Castelani

    Pelo comentário do Bart comecei a analisar alguns fatores sobre as acusações e a postura da organização! É contraditório ver os atletas serem punidos! Porque? Qual é o tratamento que o UFC oferece as mulheres? Algum tempo atrás Dana White era contra as lutas femininas, mudou de ideia somente porque viu um potencial financeiro imenso por parte das musas que migraram do strikeforce! Nada me tira a mensagem de mulher igual a objeto, mercadoria e etc! Cito outros exemplos: Porque as meninas tem que mostrarem a bunda levantando uma plaquinha antes do início de cada ROUND? Porque nos TUFs sempre aparecem aquelas Marias TATAMES, tipo, sou mais fácil que a tabuada do 2? Não, não, agradeço a preocupação mais esse verso eu não compro!

  • Rubens Rodrigues

    Mais um desses “strikes” esposa do Thiago Silva, e ela já pede música do Fantástico…

  • Gabriel Guimarães Calefi

    Olha, tudo bem que o Thiago Silva não é uma flor que se cheire, mas vejam bem, A.J foi suspenso e o brasileiro expulso, duas atitudes diferentes por situações idênticas. Acusação de agressão contra a mulher, porém, somente acusação sem provas (aquele vídeo que a mulher do Thiago Silva, sinceramente, não prova nada, pois, em momento algum ele teve atitude violenta), enfim, acredito que o UFC deveria ter mais critério para tomar certas atitudes. Tratam seus funcionários como marionetes e que se fodam o resto, parece que é assim a filosofia deles, aliás, viram as declarações recentes do Wanderlei Silva a respeito do assunto, pois então.

    • Renato Rebelo

      Concordo em partes. Antes de cravarmos que o UFC foi parcial, vamos aguardar o desenrolar do caso do Johnson. Ele não foi preso (como o Thiago) e a história ainda está muito no campo do boato (dizem que a mulher dele disse algo – mas não comprovam). A história do Wand, emitirei a minha opinião no podcast – e o Paranhos e o Lucas Carrano escreverão sobre.

  • Rodrigo OLiveira

    1- Thiago Silva jamais deveria ter voltado pro UFC. Deveria ter ido pro Bellator, Jungle fight, ficado em casa jogando dama ou qualquer outra casa, menos ter voltado pro UFC.
    2 – Johnson jamais deveria ter aceitado voltar pro UFC tbm.
    3 – Nessa briga entre Wanderlei x UFC/Babaca White, Wanderlei sempre vai estar certo, mesmo estando errado. Sempre!

    • Lucas Rezende

      Nossa, cara, até entendo você dizer que o Thiago não deveria ter voltado porque está passando por vários problemas.

      Mas o Rumble tá voando baixo, o cara pode ser uma verdadeira estrela e só o UFC tem a exposição e a concorrência necessárias para fazer isso dele. Acho que ele ter voltado faz total sentido, todos saem ganhando, até os fãs.

  • Rodrigo Tannuri

    Eu lamento muito essas notícias tristes e pesadas envolvendo os lutadores. Sei que muitos astros do futebol, da NBA e da NFL também se perdem pelo caminho, mas essas atitudes são um prato cheio pra galerinha mala, que gosta de criticar, depreciar e marginalizar o MMA. Pra mim, o caso do Thiago é chocante. Os outros também foram, óbvio, mas o brasileiro, por ter tido um passado problemático, merecia buscar uma redenção pra sua vida, porém ela não veio e, atualmente, vive um inferno sem fim. Uma pena. Mesmo sendo o “Rei da Marra”, tinha uma simpatia por ele. No atual momento dos meio-pesados, que não é a mesma categoria de outrora, ele poderia se firmar. É aquilo que havia dito, mas parece que pra cada um Lyoto que surge, teremos 3 “War Machines”. Acho que o UFC e as demais organizações devem agir e punir exemplarmente mesmo.

  • will

    É uma pena ver tantos lutadores envolvidos com violência doméstica, mas foi bom o UFC se posicionar. A imagem é tudo nesse negócio. Veja como a Ronda virou a principal estrela do UFC. É uma judoca olímpica, boa moça e inteligente. Muito diferente desses lutadores citados. Essa estratégia de “limpar” o UFC vai se demonstrar acertada a longo prazo.

Tags: ,