De olho no vice: os pontos altos do Bellator 125

Lucas Rezende | 20/09/2014 às 02:23

Foi uma noite descompromissada em Fresno, Califórnia, sem disputas de título ou confrontos de grand prix.

Talvez essa ausência de pressão sob nossos combatentes tenha sido o fator primordial responsável por um card tão divertido.

Melvin Manhoef praticamente carregou o Bellator 125 sobre seus ombros – no papel – ,e tomou conta da tarefa exatamente como esperávamos que ele faria.

De quebra, o holandês ainda descolou uma disputa de cinturão antes de sequer deixar a arena.

Como alguém consegue uma proeza como essa?

Respostas nos próximos parágrafos.

Manhoef: a um soco do título

HorribleInfatuatedBlacknorwegianelkhoundNada como um cruzado de direita atrás da orelha para solidificar sua primeira aparição no Bellator.

Um dos power punchers mais experientes da história do MMA, Melvin Manhoef simplesmente fez de novo. E como.

Depois de amaciar a carne com chutes baixos lancinantes, o holandês confundiu bastante a defesa de Doug Marshall para derrubar o americano ainda nos primeiros minutos do confronto.

E como Scott Coker não é bobo, já assegurou que o próximo embate de Manhoef será contra o vencedor de Alexander Shlemenko e Brendan Halsey, valendo o cinturão dos médios.

Simples assim, Melvin ressurge com mais uma oportunidade de fazer história já para o lado de lá de sua carreira.

E para alguém que sempre está a um golpe de distância de qualquer triunfo, ainda existe história para ser escrita.

Já no lucro, as coisas saíram melhor do que a encomenda para o kickboxer de 38 anos de idade, não?

Deixa rolar, juizão!

ShyFailingFinwhaleFoi controverso, mas Rafael Carvalho debutou com resultado positivo no Bellator.

Após uma batalha acirrada, o brasileiro assimilou melhor os sopapos desferidos pelo inconsistente Brian Rogers, para garantir sua décima vitória profissional.

Confesso que achei a atitude do árbitro Marcos Rosales prematura, uma vez que o americano se encontrava inerte contra a grade, mas ainda de pé, independente do castigo implementado por Rafael.

No entanto, se você não quer seu combate interrompido, é preciso se defender.

O brasileiro não tem culpa por deslizes de arbitragem e segue sua trajetória agora em uma sequência de 10 triunfos consecutivos. Nove por nocaute.

Claro que poderia ter conseguido mais moral caso o juiz o permitisse, mas vitória é vitória.

Goiti faz o que sabe

BonyComplicatedCaribouApós uma vitória por decisão precedida por uma derrota, o nipo-brasileiro Goiti Yamauchi reencontrou seu ritmo em Fresno.

E assim como Manhoef, à sua maneira predileta.

A guarda agressiva impediu o britânico Martin Stapleton de sequer reagir a tempo, quando se deu por si, já se encontrava com as costas contra o solo.

Depois de algumas transições, o Yamauchi – faixa-preta dos bons na arte suave – encaixou mais um mata-leão ao fim do assalto inicial.

A décima quarta finalização da carreira do atleta de somente 21 anos, que já angariou 18 triunfos e apenas dois reveses.

Atuação indefectível, não fosse por uma preocupação no fundo da minha mente que nunca me permite confiar inteiramente em lutadores unidimensionais.

Goiti conseguiu o primeiro nocaute de sua carreira ainda em sua segunda luta pelo Bellator, então o potencial existe, aliado à juventude.

E por falar em rapazes promissores, acompanhem-me abaixo.

Trinta a zero

RepulsiveRadiantAmericanmartenEm meio a sete outras preliminares, outro brasileiro se destaca dos restantes.

Tal qual outras 18 apresentações suas, o catarinense prodígio Júlio César Neves Júnior, mais conhecido como “Morceguinho”, castigou seu oponente com murros e pontapés.

Confiante de sua própria capacidade, muitas vezes de guarda baixa, Morceguinho aguardou pelo momento perfeito para encaixar seus golpes.

À vontade como se já conhecesse o território, o arsenal versátil do jovem foi demais para Poppies Martinez, que sofreu com um chute giratório e uma joelhada voadora antes de ser nocauteado.

O resultado marcou não só a confirmação da promessa no segundo maior palco do planeta, mas também a trigésima vitória de uma carreira impecável até agora.

FrailLonelyAlbatrossAos 20 anos de idade, o garoto tem uma gama infinita de possibilidades para alcançar a grandeza no esporte, incluindo não só cinturões, mas também o recorde de maior sequência de triunfos da história, caso continue como está.

Embora seu cartel seja composto por vitórias contra oponentes de habilidades duvidosas no Brasil, uma marca como essa precisa ser respeitada não importa como fora alcançada.

Morceguinho já se mostrou confortável na arena circular, pelo menos a chance de se provar contra um adversário de calibre grosso não lhe pode ser negada.

Outros resultados: 

Javy Ayala finalizou (mata-leão) Raphael Butler no R1
Joe Neal venceu Paul Ruiz na decisão dos jurados
Matthew Ramirez finalizou (armlock) Oscar Ramirez no R1
Chris Honeycutt nocauteou Aaron Wilkinson no R2
Jonny Bonilla-Bowman venceu Art Becerra na decisão dos jurados
Jesse Juarez venceu Ron Keslar na decisão dos jurados
George Zuniga nocauteou Granson Clark no R1

OBS: os GIFs animados fazem parte do acervo do Profeta Zumbi (@ZProphet_MMA).

  • rex189

    achei a interrupção na luta do Rafael válida, o Rogers tava entregue. Rogers não é nenhum primor trocando e pagou caro por enfrentar um lutador de muay thai da escola Paranaense

    sobre o Goiti, o Bellator tem que ir com calma com o garoto… o Jimmy Smith perguntou pro Goiti se ele já estava preparado pra enfrentar os atletas de elite do Bellator, e ele, confiante, respondeu que sim. calma Goiti

  • rex189

    correção: Julio Cesar Neves já tinha lutado uma vez no Bellator, na era Bjorn Rebney contra o Josh Arocho

    • Renato Rebelo

      Verdade. Obrigado pela correção.

  • Paulo Borba

    Esse Morceguinho é o bicho, futuro campeão!

  • Renan Trigueiro

    O punch do Melvin é impressionante. Já derrubou até o Hunt. Torço mt pra que ele nocauteie o Shlemenko

  • Rodrigo Tannuri

    Fiquei muito feliz com os brasileiros nesse evento. Morceguinho é um mito! Goity é uma baita promessa! O Rafael mandou muito bem e me surpreendeu. Achei que o Rogers fosse vencer, mas o americano pagou por ser arrogante. Falou que, 100% fisicamente, é o médio mais perigoso do mundo, falou que a EA deveria pegar o seu corpo pra modelar os lutadores, que o Shlemenko não tem poder e saiu com o rabinho entre as pernas. O que dizer do Manhoef? Ele fez o que sabe, que é “matar” pessoas. Na trocação, esse trem desgovernado é um dos mais perigosos e poderosos da divisão. Uma pena já ter 38 anos, mas, pro Bellator, ele será um bom nome. Torço pra que seja mais regular.

  • Acácio

    Lucas, o Goiti, apesar de parecer, não é unidimensional, antes do MMA ele treinava, além do jiu-jitsu, Boxe e Muay Thai, inclusive foi campeão amador da nobre arte no Paraná e, segundo ele, nunca perdeu um combate no Muay Thai.

Tags: