De olho no vice: os pontos altos do Bellator 124

Lucas Rezende | 13/09/2014 às 12:06

Após um evento encabeçado pela memorável revanche entre Pat Curran e Patrício Pitbull, o Bellator 124 precisou baixar consideravelmente o medidor de qualidade para assistirmos a batalha pelo cinturão dos meio-pesados entre Emmanuel Newton e Joey Beltran.

Além das estreias de Ryan Couture e Zeilton Nenzão e a final do grand prix da categoria até 93kg, que compunham o restante dos combates principais da noite.

Em ocasiões como essa, a baixa expectativa sempre é um aliado valioso. E mais uma vez, ela provou sua condição.

Os habitantes da modesta cidade de Plymouth Township, estado de Michigan, presenciaram mais um nocaute por soco giratório, cortesia do ainda campeão, Newton, e um triângulo invertido de Liam McGeary, que carimbou seu passaporte rumo ao cinturão.

Duas últimas principais para pagante nenhum deixar a arena mal-humorado, hein?

Apesar de nenhuma surpresa quanto aos resultados, o modo como foram alcançados merecem destaque, então vamos ao fatos, sim?

Apesar de tudo, ainda campeão

DisguisedFlusteredEelSempre desconfie de combates que terminam em nocautes fantásticos nos assaltos mais tardios.

Eles fazem a luta parecer uma beleza no cartel, mas podem passar uma mensagem enganosa.

Como foi o caso de Emmanuel Newton e Joey Beltran, até o momento em que o Mexicutioner beijou a lona.

Arrastado, tecnicamente precário e às vezes até sem fazer sentido, o que vimos foi um campeão resumir todo o seu arsenal em golpes giratórios assim que seu desafiante conseguiu frustrar suas tentativas de queda.

Newton chegou a dar as costas por mais de uma vez para Joey, somente para ter uma chance melhor de encaixar um sarrafo derradeiro.

Beltran – por outro lado, mesmo extraordinariamente medíocre, aos poucos roubava o cinturão de Newton, observando os chutes e socos do campeão rodarem cada vez mais lentamente, sem oferecer perigo.

Até ser atingido e mergulhar de cabeça, inconsciente.

Como procedemos?

Bom, podemos dizer que o grande algoz do badalado King Mo Lawal defendeu seu cinturão pela primeira vez e angariou sua sexta vitória consecutiva.

Mas também deixou uma impressão bastante duvidosa se me perguntarem por mais quanto tempo ele conseguirá segurá-lo.

O que nos leva ao nosso co-main event.

Meio-pesados, abram alas para Liam McGeary

DeadJointBlowfishCategórico, o britânico Liam McGeary alçou a vitória mais formosa de sua impecável carreira – que já soma nove triunfos – ao finalizar Kelly Anudson com um triângulo invertido ainda no primeiro round, vencendo o grand prix dos meio-pesados e assegurar sua oportunidade de destronar Emmanuel Newton.

Uma finalização no maior estilo “ao mestre com carinho”, aliás, já que o faixa-roxa usou o golpe favorito de seu mentor, Bráulio Estima, para encerrar a luta.

Ainda sem saber o que é vencer por decisão, McGeary é um sopro de ar fresco em uma divisão que até no UFC é carente de novos contenders.

Dono de uma envergadura significante, Liam pode causar um alvoroço saudável caso roube o lugar de Newton, gerando um leque abundante de novas possibilidades para desafiantes.

Rampage Jackson, Tito Ortiz, Stephan Bonnar, King Mo, etc, se possível, Scott Coker colocará todos para fazer frente ao sujeito.

Claro que antes ele precisa ser o campeão, mas se Emmanuel Newton repetir sua apresentação contra Beltran, já acho seguro começar a pensar qual desses veteranos terá uma chance primeiro.

Mais um perece ao wrestling

xm9C0yhcP50

Davis e Nenzão na encarada

A história se repete ainda outra vez.

Assim como tantos brasileiros, Zeilton Nenzão não foi páreo para a tenacidade da luta olímpica.

O boxer brasileiro – debutante no exterior – já experimentou logo de cara a disparidade técnica entre as ligas nacionais e a segunda maior do planeta.

Vítima do experiente L.C. Davis, Zeilton não se entregou.

Venceu o primeiro round com sua guarda ativa.

Incontáveis tentativas de chaves-de-perna, guilhotinas, kimuras e até um katagatame por baixo foram arremessadas por todos os 15 minutos, mas assim que o americano conseguiu estabelecer a posição nos assaltos seguintes, nada disso salvou o carioca – responsável pelas mãos de William Patolino.

Um bom despertador para que o também integrante da Nova União se dê conta do quanto o wrestling – ainda que defensivo – é imprescindível para chegar a algum lugar no mais alto patamar do esporte.

A parte ruim é que enquanto isso não for reforçado dentro do Brasil, cenários como esse permanecerão frequentes.

Nada além da obrigação

YoungMammothGraylingSempre imagino que quando Ryan Couture entra em alguma arena para lutar, Randy Couture sente o perigo de mais uma vez ter seu sobrenome manchado no esporte.

Em seu primeiro confronto pelo Bellator, Ryan enfrentaria John Schulz, até este deixar o card na véspera por razões médicas.

Entra Tom Bagnasco, e seu avassalador histórico de 3-3.

Imagino que um misto de alívio e desespero tenha corrido pela espinha de Randy.

Perder essa luta não era uma opção, mas Ryan já havia fracassado anteriormente.

Felizmente, seu rebento lacrou um mata-leão ainda no primeiro round, o terceiro seguido, aliás, um 2014 produtivo depois da demissão pelo UFC.

Vejamos como ele se sai no próximo grand prix, diante de alguém com mais experiência. Ou pelo menos treinado.

Até lá você pode relaxar, Capitão América.

Outros resultados:

Adrian Hadribeaj venceu Mike Hamida na decisão dos jurados
Sabah Homasi finalizou (guilhotina) Eric Moon no R2
Mike Hernandez venceu Thomas Vasquez na decisão dos jurados
Leroy Johnson venceu Adrian Henderson na decisão dos jurados
Jason Fischer venceu Tony Hervey na decisão dos jurados
Cortez Phelia finalizou (guilhotina) Eric Ramirez no R3

OBS: os GIFs animados fazem parte do acervo do Profeta Zumbi (@ZProphet_MMA).

  • Cido Mathias

    Isso aee Sexto Round tem que falar de Bellator também!

  • Emelianenko

    Lindíssimo esse triângulo invertido do Carcarazinho. Só achei bizarro o outro cara ter batido tão rápido!

    • Renato Rebelo

      Rapaz, também fiquei com essa impressão. Até pq ele nem chegou a abraçar o tronco do adversário para dar mais pressão…

    • Lucas Rezende

      É o que acontece quando seu adversário avança para as finais porque o oponente se contundiu no início da luta.

      Fiquei meio frustrado pelo Anudson ter batido tão rápido porque Liam tava tentando um triângulo montado, que seria ainda mais bonito.

      • Danilo Lopes

        Fora as americanas de costas pro chão. Amudson gritou umas 5 vezes.

  • Renan Trigueiro

    Disputa de cinturào de baixíssimo nível essa do Bellator. Os dois ja tavam mortos no segundo round, parecia luta amadora.

  • Danilo Lopes

    Senhores, que luta RIDÍCULA essa do Newton vs Beltran. Show de horrores. Chutes sem sentido algum há 2 metros do adversário, saltos bizarros inexplicáveis, tentativas de queda patéticas e girocopteros pra todo lado. Credo Bellator, credo…

    • Renato Rebelo

      Completamente de acordo!

Tags: