Bonnar, Ortiz e um bizarro teatro no Bellator 123

Lucas Carrano | 10/09/2014 às 21:29
AAA

Lá vem…

Quem deu preferência ao Bellator em detrimento ao UFC na última sexta-feira (05) foi brindado com um dos momentos mais sui generis das artes marciais mistas na TV: a presepada entre Stephan Bonnar e Tito Ortiz no ringue.

Tudo começou quando o novo presidente da organização, o ex-Strikeforce Scott Coker, subiu ao cage no intervalo entre as lutas principais para anunciar que promoveria o duelo entre os dois membros do Hall da Fama do UFC.

Até aí, tudo aparentemente normal.

Tito andava de lá pra cá, em uma cena que me lembrou mais um pai na sala de espera antes do parto de seu filho do que necessariamente um cara furioso com o outro, e Bonnar veio aos microfones pela primeira vez como contratado do Bellator.

Mas bastou um olhar mais atento à figura de terno e máscara (?) ao lado do Psicopata Americano para ficar clara a percepção de que algo muito bizarro estava a caminho.

De bate-pronto, duas hipóteses pipocaram em minha cabeça:

A) Mister M chegou e, não é possível, que vão chamar também o Cid Moreira.
B) Trata-se de uma homenagem à obra prima Pulp Fiction, de Quentin Tarantino. Bonnar, assim como Zed, tem um escravo sexual e, em breve, Bruce Willis aparecerá empunhando uma katana para dar início ao banho de sangue.

Casal excêntrico foi alvo de Bonnar

Casal excêntrico foi alvo de Bonnar

Na verdade, posso dizer que passei perto em ambos os palpites, já que o mascarado era, ao mesmo tempo, o inimigo número um (não dos mágicos, mas do Hungtinton Beach Bad Boy) e personagem de uma cena, que de tão absurda, lembra o humor caricato e característico do cinema de Tarantino.

Então, Bonnar tenta, sem sucesso, tomar de assalto o microfone das mãos do comentarista Jimmy Smith (que, aliás, já está em fase avançada no seu processo de “JoeRoganização”) e inicia um discurso inflamado.

O finalista do TUF 1 ataca Ortiz, diz que seus fãs só o admiram por não conhecerem sua verdadeira face, diz que tem recebido apoio de outros lutadores, tira sarro do tamanho da cabeça do rival e encontra tempo para incluir até Jenna Jameson, estrela pornô e ex-mulher de Tito, na história.

A “misteriosa” identidade do mascarado está prestes a ser revelada.

Captura de Tela 2014-09-10 às 21.24.24

Prontos para a bomba?

Bonnar diz que a figura é a prova de suas palavras, pois teria sido enxotado por Ortiz após anos de amizade e dedicação.

O Psicopata Americano tira a máscara e o que temos? Outra máscara plástica!

Mas ela não tem a menor importância, porque acaba sendo retirada quase que imediatamente (então, por que diabos existe?) e finalmente é possível ver o homem por trás do disfarce.

Ao contrário do que, suponho, Bonnar esperava, a revelação da identidade secreta do seu companheiro não causa a menor comoção no público – na verdade, fico com a impressão de que o barulho na arena até diminuiu.

Ao invés de um desfecho revelador, o rosto de Justin McCully, ex-atleta da Team Punishment com passagem pelo UFC e que esteve até na primeira edição do Jungle Fight, trouxe para boa parte da audiência mais um ponto de interrogação.

O próprio McCully tentou explicar a situação:

Foi um desentendimento financeiro. Eu, literalmente, ajudei o cara a conseguir uma quantidade absurda de dinheiro (…) Era pra ele ter me pago por meu trabalho e meu tempo, e ele ficava desperdiçando tudo indo para Vegas e levando um estilo de vida que eu não quero levar mais”, disse o peso pesado, posteriormente, ao “MMA Fighting”.

E, como se fosse possível, as coisas ficaram ainda mais estranhas.

Tito Ortiz pediu a palavra, começou a responder Bonnar e, do nada, no momento em que parecia estar tudo sob controle, lançou um empurrão à la Lango-Lango que mirou o desafeto e passou no vazio.

Para aqueles que, assim como eu, ficaram com a impressão de que a coisa toda foi encenada, Stephan Bonnar mandou um recado direto:

Se você pensa que Scott Coker e a Spike TV escreveram este material, você é louco. As pessoas acham que fomos todos ao escritório com a Spike TV e o Bellator e bolamos este plano elaborado. (…) Aquela havia sido a primeira vez que eu vi o Coker. Ele olhou pra mim como se perguntasse o que estava acontecendo e eu disse para não se preocuparem, pois tudo faria sentido no final”, contou o ex-aluno de Carlson Gracie.

Por uma questão de espaço e relevância, não reproduzirei toda a declaração de Bonnar, mas posso adiantar que o lutador disse que se inspirou no humorista Andy Kaufman (aquele mesmo representado por Jim Carrey no filme “A vida de Andy”) e até no personagem Borat.

Ok, acho melhor pararmos por aqui já que a coisa agora me parece realmente fora de controle.

Como não existe “publicidade ruim” e várias pessoas, me incluindo na lista já que produzi este texto, estão comentando o assunto, não dá pra dizer que a iniciativa de Bonnar, proclamada como autoral e espontânea, foi um completo fracasso.

Por outro lado, é possível questionar se a intenção era atingir o público da forma como acabou acontecendo.

E o seu pedido de desculpas a Scott Coker sugere que a resposta para essa pergunta seja não.

Scott Coker, peço desculpas a você. Nunca passou pela minha cabeça que você iria ser culpado por isso. Eu pensei que as pessoas iriam perceber que isso partiu de mim. Este foi um golpe publicitário 100% meu e do McCully. Tenho certeza que a parte do Coker nisso foi nos trazer ao ringue e anunciar a luta. Ele tinha coisas melhores a fazer”, comentou Bonnar ao “MMA Junkie”.

O caso em Uncasville (EUA) levanta dois elementos importantes: o inegável sucesso das estratégias de promoção, sejam espontâneas ou não, e a habilidade e competência necessárias para a condução de ações deste tipo.

Mas também expõe o quão frágil pode ser a identidade do MMA, a ponto de se perder quase que integralmente em meio a algumas tentativas.

E vocês, amigos, como reagiram ao episódio “Bonnar, McCully & Ortiz”? Além disso, qual a sua opinião sobre a teatralização nas promoções de lutas de MMA?
Abraços

PS: Para aqueles que ainda não assistiram à patacoada, segue o vídeo:

  • Matheus Camargo

    tosco.

  • Paulinho MT

    Bem ridiculo msm. Não tinha visto essa cena. Apesar da publicidade que gerou, na boa, quem ficou animado com isso?

    • Renato Rebelo

      Eu não!

  • alvaro

    Meu Deus seria o Bellaor o novo WWE? simplesmente tosco

  • Gabriel Guimarães Calefi

    Vergonha alheia, este foi o sentimento….. é notório que é algo armado. Quando temos dois lutadores que realmente NÃO SE GOSTAM e um quer a cabeça do outro, o ambiente fica completamente tenso, é palpável a tensão no local…. nesse ambiente ai parecia algo familiar quase de tão tranquilo que estava kkkkk

  • Paulo Henrique Santos Matias S

    wwe

  • Paulo Henrique Santos Matias S

    o gordinho la traz segurando o riso

  • Fábio

    Quer dizer que aquele comentarista não era o Joe Rogan?
    Kkkkkkkk jurava que era ele, pqp!
    Ainda pensei: – Que diabos o Rogan está fazendo no bellator?
    Genérico é sacanagem!

  • Esperar o que de um cara como o Tito que já entrou na pesagem com a camiseta “Dana White é minha Putinha”.
    Eu curto, acho engraçado.
    Começaria a ficar de saco cheio se essas atitudes circenses começassem a partir de caras que não tem o mínimo perfil para isso, como Velasquez, Aldo e Barão.
    Mas enquanto temos caras que entram com correntes no pescoço uivando como um lobo e se propõem a isso eu acho legal..rs

    Faz parte do show!

  • Vitor MR

    Gera publicidade. Mas gera mais vontade de assistir à luta ou ao teatro?

    • Renato Rebelo

      No meu caso, fiquei com vontade de não assistir à luta.

  • Matheus Araujo

    É complicado esse rumo que o Bellator tá querendo tomar viu, dando enfase a esse trash talking e promoçoes de quinta com esses lutadores já em fim de carreira, e botando como o segundo plano os seus reais talentos,prova disso é chandler x brooks 2 com cinturao em jogo ficando como main-event pra luta desses coroas

Tags: , ,