Aldo sabe o que lhe espera e não abaixa a cabeça

Lucas Carrano | 27/08/2014 às 15:09
Rivais se estranhando no Maraca

Rivais se estranhando no Maraca

Alguém se lembra de José Aldo agressivo, fazendo acusações graves e chegando até a empurrar algum de seus desafiantes desde que foi promovido a campeão do UFC?

Pois é, eu também não.

E me ponho a pensar que este ineditismo se deve especialmente a um fator: o manauara se deu conta de tudo que está em jogo no duelo contra Chad Mendes no UFC 179.

Voltemos um pouco no tempo.

Que o clima entre Nova União e Team Alpha Male não anda nada bom não chega a ser uma novidade, principalmente depois que os californianos venceram seu primeiro confronto direto valendo título, mas a rixa Aldo x Mendes foi além.

No último mês, ao ouvir questionamentos nada sutis sobre suas recorrentes lesões às vésperas de desafios, como a que adiou a revanche contra Chad de agosto em Los Angeles (UFC 176) para outubro no Rio de Janeiro, o brasileiro rebateu direto na canela.

Talvez me lesione tanto porque não devo estar tomando os mesmos ‘suplementos’ que você toma. Tenho lesões porque treino muito para meter a porrada em você, como fiz da última vez, e acho que você deve lembrar e ter pesadelos até hoje com isso”, mandou o campeão, em sua carta-resposta publicada pelo Combate.com.

Polêmica aparentemente superada, a dupla teve um encontro marcado no primeiro evento da agenda promocional do UFC 179, com direito a entrevista, sessão de fotos e encarada com o Maracanã como pano de fundo.

Foi aí que descobrimos que a animosidade estava apenas adormecida e bastou uma pequena troca de palavras no teti-a-teti para que pegasse fogo.

Quando estiveram com seus narizes colados pela primeira vez já foi possível ouvir ao fundo os pedidos de “não empurra, não empurra, não empurra…” no vídeo divulgado pelo UFC em seu canal oficial no YouTube:

Na segunda encarada, montada para atender outro grupo de jornalistas presentes, venceu a psicologia reversa e a advertência anterior acabou se tornando estímulo.

Aldo empurrou e a “Turma do deixa disso”, neste caso quase que somente seguranças, interveio.

A cena se torna ainda mais sui generis se levarmos em conta que nenhum dos dois convenceu muito ao explicar qual a faísca incandesceu o pavio curtíssimo de sua rivalidade.

“Não sei o que ele disse, não entendo português, então eu disse: ‘25 de outubro aquele cinturão é meu’. E ele não gostou”, comentou o norte-americano.

Mas a questão ainda vai além de incompatibilidades pessoais ou mesmo o antagonismo entre duas das principais equipes de MMA da atualidade.

Recai sobre os ombros de José Aldo no dia 25 de outubro uma responsabilidade bem maior.

“Ele falou, mas faz parte. A gente já vem trocando farpa há um tempo, não é de agora. Isso faz parte”, disse Aldo, ao mesmo tempo vago ao descrever o presente e direto ao apresentar o passado como justificativa.

Aldo nocauteia Mendes no UFC 142. Cena se repetirá?

Aldo nocauteou Mendes no UFC 142. Cena se repetirá?

É de amplo conhecimento a instabilidade do cenário esportivo brasileiro na cultura nacional (futebol à parte) e os exemplos históricos são diversos de modalidades que triunfaram no gosto popular em séries vitoriosas, mas que sucumbiram aos resultados negativos.

Temos outros três brasileiros disputando cinturões até o fim de 2014, o que poderia deixar o país, no melhor dos cenários, com quatro campeões na virada do ano. Mas o caso de Aldo é diferente.

Enquanto Renan Barão, Fabrício Werdum e Vitor Belfort são azarões nas casas de apostas e vão atrás de títulos que já possuíram ou seus compatriotas ostentaram outrora, o peso pena é quem, independentemente de combinações, corre o risco de subtrair o único título da conta brasileira hoje.

Além disso é Scarface quem tem a responsa de jogar em casa e defender a hegemonia de lutadores do Brasil em lutas valendo cinturão no país, construída por Anderson Silva e ele próprio, em um templo dos esportes de combate verde e amarelo como é o Maracanãzinho.

“Ele nunca foi agressivo com nenhum outro lutador, nunca colou o rosto em ninguém, vocês viram como foi hoje. Já estou ganhando essa batalha. Vou continuar fazendo o que estou fazendo, tenho o caminho para derrotá-lo. Na minha cabeça, está 1 a 0 para mim”

Este coquetel já está suficientemente denso e pouco palatável?

Pois adicione aí uma Team Alpha Male embalada após o triunfo de Dillashaw sobre Barão em maio, cujos atletas não perdem uma luta sequer desde então e que manda seu lutador mais sedento por vendetta para desafiar o brasileiro.

Aparentemente, José Aldo dimensionou tudo isso e é por isso que não vimos, e nem devemos ver tão cedo, o campeão que olha para baixo nas encaradas.

  • mazzaropi

    Aldo ganha… simples.

  • Gabriel

    Texto muito bom, parabéns. Quanto a luta acho que Chad Mendes seja o adversario mais difícil para Aldo mais acredito no brasileiro, o pior seria perder o cinturão aqui no Brasil.

    • Lucas Pereira Carrano

      É verdade, Gabriel. Seria uma versão “MMAzística” do 7×1 do Mineirazzo. O golpe fatal justamente dentro de casa.

  • Pedro Duarte

    Enquanto a maioria das pessoas colocam o Chad Mendes como a maior ameaça para o Aldo e insistem nesse discurso de que o campeão está afetado pelo jogo que o rival pode impor, vejo estes recentes fatos somente como recurso para promover mais a luta e construir um apelo midiático maior para o Aldo. Afinal, o campeão carece de bons números no PPV e também precisa assumir o posto de maior ídolo brasileiro no esporte, que teve crescimento travado no país devido às recentes perdas de seus lutadores mais populares (Anderson e Cigano, para ser mais específico).
    Lembremos que o americano mal enfrentou oponentes do Top 10 da categoria em sua recente sequencia de 5 vitórias, enquanto o Aldo pegou três paradas duríssimas no mesmo período. Desses três, Lamas e Edgar possuem perfil semelhante ao de Chad (Wrestling como background, trocação afiada e cardio incansável), e foram dominados pelo campeão.
    Ainda acho que o maior desafio do Aldo está na categoria de cima. Nos penas, vai se manter campeão por um bom tempo.

    • Yuri

      Tô contigo. Esse novo modus operandi do Aldo é fruto da nova filosofia da Nova União confessada pelo próprio Dedé no início dessa semana.

  • Renan Trigueiro

    Cara, é batata que os melhores textos são do Sexto Round. Esse do Lucas tá excelente. Parabéns!

  • Leo Ferreira

    Como em qualquer esporte, o estado emocional do atleta pode ter fortíssimo desempenho no resultado da luta, e se Aldo chegar ao UFC 179 como único detentor de um cinturão para o Brasil e se houver requintes de crueldade com Barão na luta desse final de semana, o barco pode afundar de vez. Chad virá confiante, mesmo se Dillashaw perder.

    • Leonardo Neves

      Concordo com vc e tenho dito que a luta do Barão vs Dillashaw será o principal fator pra Aldo vs Mendes.

  • Fábio

    Basta o Barão ganhar no sábado que toda essa auto estima da Alpha Male vai baixar pela metade.

    Porém, entretanto, todavia, se o Barão não ganhar…….

    • Malk Suruhito

      Se o Barão não ganhar, acho que se mantém o clima atual. Mas caso ele recupere o cinturão, eles vão dar uma broxada com certeza. O ruim foi que eles mesmo criaram esta rivalidade, então, o impacto neles se torna bem maior no fim das contas.

  • rodrigo oliveira

    Alguém se lembra quando Aldo disse que precisava polemizar, pra vender melhor a luta? Alguem se lembre do Dedé dizendo a mesma coisa? Que hj tem q priorizar o marketing, polemizar mesmo pra vender, vide Cormier e Jones? Isso explica o comportamento do Aldo ou tem que desenhar? O sexto round tem horas que vê coisa que nao existe, fica procurando cabelo em ovo. Mas no geral o site é otimo, leio sempre.

Tags: , ,