Gina no Bellator: montanha-russa de expectativas

Lucas Carrano | 12/08/2014 às 22:57
Caro, Cyba e o cinto do Strikeforce

Carano, Cyba e o cinturão do Strikeforce

Em uma reação nada além de natural, na tarde desta segunda-feira (11), fiquei bastante surpreso, e confesso um tanto animado, com a possibilidade da ida da minha quase xará Gina Carano para o Bellator.

Boatos indicavam que a musa, que chegou a disputar o título da categoria peso pena no extinto Strikeforce, estava de malas prontas pra o a segunda maior organização do planeta.

O que havia de tão grandioso nesta possibilidade?

Ora, não é segredo pra ninguém que Gina Carano vinha negociando com o UFC nos últimos meses, em uma novela morosa, mas que já era considerada favas contadas por muitos.

Um exemplo disso é a recente declaração de Ronda Rousey à ESPN americana em que a campeã do Ultimate enche a bola de Carano, que já havia sido apontada como sua inspiração no esporte.

Meu treinador disse desde o início que Gina tem o pior estilo para mim. Não estou falando só por falar. (…) A única coisa que eu preciso me preocupar é com um nocaute com apenas um soco. E, de todas as mulheres no MMA, Gina é quem tem a melhor distância e tempo. Ela é a primeira garota que eu vi que tem poder para nocautear com um soco só”, rasgou seda a loira.

Assim como Ronda, Gina foi capa da ESPN Magazine

Capa da ESPN Magazine

Com Ronda já pavimentando o caminho para o octógono ao endossar que a morena seria seu maior desafio e Dana White dizendo para quem quisesse ouvir que faltavam apenas pequenos detalhes para o acerto do negócio, ver Gina acertar com outro evento – e pior: o Bellator – seria um golpe duro.

O cenário era de repeteco: seria a segunda grande “rasteira” de Scott Coker pra cima de Dana e o UFC.

Vale lembrar que foi o hoje dirigente do Bellator que liderava o Strikeforce quando a organização capturou Fedor Emelianenko em 2009, e deixou aquele amargo da não realização de “Fedor x Lesnar” em todo o staff da Zuffa.

Mas demorou pouco para a expectativa se transformar em decepção.

O mesmo Ariel Helwani, que menos de 12 horas antes havia divulgado os rumores sobre a possível ida de Gina Carano para o Bellator, tratou de tornar pública a negativa da direção do evento sobre a especulação.

O Coker me disse hoje que a Carano não assinou com o Bellator. De qualquer maneira, a reação aos rumores de ontem provam que ela é ainda bem popular”, mandou Helwani no Twitter.

Atuando ao lado de The Rock

Atuando ao lado de The Rock

Analisando com calma, não dá pra dizer que o negócio seria excepcional para o Bellator.

Afinal de contas, tirando Gina Carano e Marloes Coenen, que lhe faria companhia na luta inaugural pelo cinturão segundo os rumores, a organização teria dificuldades para montar um plantel.

Nomes para a divisão até 66 kg feminina são escassos no mercado e mesmo o Invicta FC, evento com elenco composto exclusivamente por mulheres, tem um grupo pequeno de atletas na categoria, que é capitaneada por aquelas bandas por Cris Cyborg – outra que poderia rumar pro Bellator caso Gina realmente fosse chegar.

Uma possibilidade bem plausível para o caso é que o empresário de Gina Carano, acostumado com as altas cifras de Hollywood e os louros daquela que é considerada a primeira estrela norte-americana do MMA feminino, tenha usado o rumor da contratação para aumentar o valor de mercado da atleta.

A imagem de Gina saiu fortalecida do episódio.

Afinal de contas se mostrou capaz de mobilizar a opinião pública mesmo sem lutar profissionalmente desde agosto de 2009, com uma derrota DESTA FORMA, e ter desenvolvido uma trajetória nada além de razoável, sendo gentil, pelas telonas.

Para citar um exemplo recente, há poucos meses, Gilbert Melendez chegou a ser anunciado como novo contratado do Bellator e logo em seguida foi confirmado como técnico do TUF 20 e próximo desafiante ao cinturão do UFC, tudo isso recebendo um cheque bem mais gordo do que em seu acordo anterior.

Portanto, não chegaria a ser inédito.

Tal hipótese ganha corpo com uma notícia que saiu quase no deadline deste texto e que mais uma vez alterou o panorama da situação: o MMA Fighting reforçou que Gina Carano não assinou com o Bellator, mas que teve um contato preliminar com a organização visando um acordo futuro – intermediado por Coker, cuja relação com Carano data dos tempos de Strikeforce.

A "bomba"!

A “bomba”!

A nota da publicada ainda relata que o Bellator teria interesse em retomar suas atividades no MMA feminino, que haviam sido abandonadas gradativamente até a exclusão completa do elenco no ano passado.

Ou seja, temos aí dois acontecimentos iminentes: o Bellator tendo que lidar com as dificuldades de constituir uma nova categoria peso pena e um verdadeiro leilão por Gina Carano (seria Dana capaz que abrir – muito- a carteira?).

Alguém duvida?

E vocês, amigos, o que esperam do futuro de Gina Carano, a musa acabará no UFC e desafiará Ronda Rousey, dará o pontapé inicial na retomada feminina no Bellator ou permanecerá nesta quase-aposentadoria com o olhar fixo no cinema?

Ah, em tempo: a grande bomba de que tanto se falou durante a segunda-feira era o anúncio de que o interminável Melvin Manhoef vai enfrentar Doug Marshall na luta principal do Bellator 125.

Pura dinamite…

  • Renan Trigueiro

    Se eu fosse ela iria pro Bellator. Devem estar oferecendo mais, ela vai lutar na categoria de origem (66kg) e devem botar ela contra meninas mais fracas. Se for pro UFC pra bater 61kg e lutar direto com a Ronda, vai levar um pau e depois?

    • Renato Rebelo

      Faz sentido, fera! Por mais que gostasse da idéia dela versus a Ronda, pela carreira maneira que ela tem, não parece ser a intenção mergulhar de cabeça no MMA novamente. Veremos.

    • Dan Mendes

      …E depois ela descansa após depositar a bolada que vai ganhar de PPV.

  • Marcelinhoo

    Da pena de ver essa gostosa apanhando tinha q continua nos filmes!

  • Diego Cavera

    Que ano bem macabro pro UFC esse 2014, além da contusão do Jones, a disputa de cinturão peso mosca esfriar o pay per view do 178, a Carano que tem uma notoriedade, é uma estrela indo parar no rival, seria dificil construir um plantel, categoria pena feminina é meio rasa, mas acho a Coenen mais lutadora, mais experimentada, e ainda joga contra a Gina os anos de inatividade na luta, vale pelo marketing que a luta renderia..

    • Lucas Pereira Carrano

      É ou não é a antítese do triênio 2011-2013?

  • Renato Rebelo

    O interesse do Bellator já superfaturou o contrato do Melendez (que acabou dando uma ciumeira danada no Nate Diaz). Acontecerá o msm com a Gina – caso ela vá pro UFC?

  • mazzaropi

    Gina Carrano depois que perdeu pra Cris Ciborg se dedicou aos filmes, claro, agora ela está apenas numa situação de oportunidade de lutar com a Ronda e ganhar mais alguns Obamas… kkk!

  • Leo Ferreira

    Eu acho que o UFC não é uma via boa para Carano, a divisão é dominada pela filha do capiroto, do mochila de criança, que atende pelo nome de Ronda Rousey. Ao bater na porta da divisão, é a loira quem vai abrir com uma cinta na mão, ou seja, vai dar ruim. Depois de uma surra pra Cyba e dois anos parada é melhor ir pro Bellator ou continuar em Hollywood.

    • Lucas Pereira Carrano

      Alguma chance do desfecho igual ao do sexto filme da franquia do Garanhão Italiano? hahahaha

      • Leo Ferreira

        Não acredito que a luta possa ser tão equilibrada assim ahahuahuah

        Ps.: The Rock agora prefere ser chamado de Dwayne Johnson (nome de batismo)… broxante né?

  • Dan Mendes

    A Gina pode até não ir ao UFC, mas não vai para o Bellator. Mesmo que o Bella consiga oferecer uma bolsa maior não chegará nem perto de dos valores de PPVs que uma luta contra Ronda poderá chegar.

    Ronda x Gina seria bom para o esporte, bom para popularizar o esporte. Se essa luta acontece teria mídia espontâneo onde nunca teve e para pessoas que mal sabem que o esporte existe.

Tags: , ,